The Beginning After The End

132 - Aproximando-se

PONTO DE VISTA DE STANNARD BERWICK:

Meu estômago revirou com as palavras de mau presságio do escudeiro.

É isso, pensei. Era para isso que estávamos aqui embaixo. Depois que isso terminasse, eu poderia voltar para casa um pouco e dormir em uma cama de verdade, comer uma refeição temperada cozida por gosto, não para sustento. Mas por que eu estava com tanto medo?

“Líder, eu fui capaz de fazer isso.” O batedor soltou outro suspiro dolorido. “Eu consegui montar o portão de teletransporte em massa perto da entrada.”

"Você fez bem, Sayer." O líder, Dresh, apertou o braço do batedor antes de sair da tenda.

"Vamos lá, devemos nos preparar também" Aconselhou a mulher chamada Helen Shard, seguindo atrás.

Tessia assentiu com firmeza em resposta, apontando para eu seguir. Mas eu não consegui.

Minhas pernas pareciam estar ancoradas no chão, como se meu próprio corpo protestasse contra o fato de que segui-las poderia apenas levar à minha morte.

“Stannard? Você está bem?” O líder do nosso time inclinou a cabeça, me encarando nos olhos enquanto levantava a aba da barraca.

"Sim, eu estou bem." Eu disse isso mais para me convencer do que qualquer outra coisa.

Chegamos de volta ao acampamento da nossa equipe, onde Tessia relatou as novidades do batedor.

"Finalmente!" Darvus gemeu de alívio. "Eu posso tomar um banho quente depois que tudo isso acabar."

"Você pode pelo menos tentar dizer coisas que uma criança mimada não diria?" Caria balançou a cabeça enquanto se dirigia para sua tenda.

"O que? Todo mundo está pensando o mesmo, certo?” Darvus se virou para mim. “Diga a ela, Stannard. Você está apenas ansioso para um banho quente depois disso, certo?”

“Uh, sim. Claro” Eu respondi inexpressivamente enquanto me sentei com meu lançador de mana em minhas mãos.

"Algo errado, Stan?" Darvus perguntou, levantando uma sobrancelha.

Deixando escapar um suspiro irritado, eu respondi: “Não, estou bem. Eu só quero que isso acabe.”

Era inútil dizer qualquer coisa. Darvus, Caria e Tessia eram todos magos e combatentes geniais. Eles não precisavam sentir medo em situações como essas. Eles não entenderiam.

"Tudo bem. Bem, nós vamos para o nosso acampamento e nos prepararmos também. Samantha e Adam não têm ideia do que está acontecendo, afinal de contas” O líder de cabelos curtos dos Chifres Gêmeos anunciou enquanto o resto da equipe se arrastava para trás.

Alguns minutos depois que os Chifres Gêmeos saíram, a voz de Dresh ecoou pela grande caverna, alertando a todos sobre a mensagem do batedor. Logo, o lugar inteiro foi preenchido com um frenesi de movimento quando mais de cem soldados correram para se preparar para a batalha iminente.

Ao meu lado, Caria já havia vestido seu equipamento de batalha, que consistia em uma armadura de couro leve cobrindo seus órgãos vitais, sem atrapalhar sua mobilidade. Ela estava esparramada ao meu lado, esticando seu corpo flexível de maneiras que eu normalmente consideraria impossíveis se eu não tivesse visto por mim mesmo.

Darvus, sentado à minha frente perto do fogo, fazia malabarismos com os machados menores que usava para atirar. A expressão normalmente frouxa do mimado filho da Família Clarell se foi, substituída pela máscara calma e focalizada que ele normalmente tinha durante uma batalha séria.

Voltei-me para nossa líder, Tessia, que na verdade era a mais nova do nosso time - perdendo para mim na idade por apenas um ano - mas na verdade era a mais composta. Ela já havia se equipado para a batalha, adornando seu corpo magro e elegante em uma armadura leve. Nossa líder usava um envoltório de couro preto apertado debaixo de uma placa de cota de malha protegendo seu peito. Uma cobertura metálica elegantemente curva, decorada com intrincados desenhos de galhos fluidos, repousava sobre o ombro de seu braço dominante. Seus protetores de pulso eram do mesmo design que a armadura de uma única placa de ombro e as placas que protegiam seus quadris e coxas.

Enquanto Tessia amarrava o cabelo para trás, revelando a nuca de cor creme, eu não pude deixar de desviar o olhar. Eu podia sentir meu rosto ficando quente enquanto a imagem da figura elegante de Tessia se queimava em meu crânio.{{Djyinn: Poder de uma nuca cor creme kkkkk cada uma | Spell: KKKKK cada um com suas clavículas }}

Se recomponha, Stannard. Ela está fora do seu alcance! Além disso, ela está apaixonada por aquele cara Arthur. Eu balancei a cabeça enquanto tentava me concentrar em contar a munição que eu tinha. Nós não sairíamos por mais algumas horas, o que me deu algum tempo para carregar mais núcleos de bestas com feitiços.

Eu tinha cerca de vinte e cinco núcleos de dano baixo e cerca de oito núcleos de alto dano. Depois de calcular, cheguei à conclusão de que cerca de cinco núcleos de dano baixo e dois núcleos de dano maior seriam suficientes.

Olhando para cima, observei quando os magos começaram a preparar a conexão entre os portões de teletransporte para que pudéssemos chegar exatamente onde o batedor havia colocado o artefato. Enquanto o portal cintilante aumentava, eu não pude deixar de sentir o peso do meu corpo ficando mais pesado a cada segundo.

Eu tinha feito bem nos últimos três meses em que estivemos aqui. No entanto, esta seria a mais séria. Eu tinha lutado contra bestas de mana antes de tudo isso, mas seria a primeira vez lutando contra um mutante.

“Vamos, Stannard. Você deve se alongar também. Vai ser ruim se seu corpo de repente ceder enquanto estivermos em batalha.”

A voz de Caria me tirou do meu torpor, seus olhos brilhantes olhando para mim do lado do fogo enquanto ela estendia a mão.

Um sorriso conseguiu escapar dos meus lábios quando aceitei a mão dela. "Vai com calma comigo."

Após cerca de duas horas, o portão estava pronto e as equipes já estavam indo em direção ao portão, ansiosos para serem os primeiras a passar. Segurei firmemente o cabo do meu lançador de mana para evitar que minhas mãos tremessem.

"Vamos" Finalmente anunciou Tessia. Um novo fogo ardia em seus olhos, a determinação praticamente vazando de seus poros.

“Sim, capitã” Respondeu Darvus com um sorriso sarcástico no rosto.

Nós nos aproximamos da massa em frente ao portão de teletransporte capaz de transportar algumas dúzias de uma só vez.

"Vocês estão prontos?" Uma voz familiar soou da esquerda.

"Tão prontos como sempre estivemos" Tessia respondeu, um sorriso confiante em seu rosto enquanto ela encarava Helen e o resto dos Chifres Gêmeos.

“Equipes de vanguarda, preparem-se na chegada. Não temos certeza de quantas bestas de mana estarão do outro lado” Dresh gritou ao lado do portal. As equipes que ele havia escolhido especificamente de antemão seriam as que liderariam o ataque, já que equipes como a nossa estariam mais na retaguarda, lutando contra qualquer adversário até que a batalha principal acontecesse.

"Avançar!" Dresh rugiu, desembainhando sua espada longa e assumindo a liderança. A massa que se reuniu em frente ao portão de teletransporte começou a diminuir à medida que as equipes investiam com armas prontas.

Tessia, que estava na frente da nossa equipe, olhou para nós por cima do ombro. “Todos nós sairemos vivos e comeremos uma boa e deliciosa refeição. De acordo?"

"De acordo!" Todos nós gritamos em uníssono quando passamos pelo portão brilhante.

Deixei escapar um grito enlouquecido quando atravessei o portão a tempo de ver um fortalecedor de uma das equipes à nossa frente ser derrubado por um par de gnolls com cara de hiena.

"Grannith!" Uma mulher ao lado dele desesperadamente gritou antes que o mesmo par de gnolls saltasse sobre ela.

Eu rapidamente carreguei minha arma com um núcleo de baixo dano, Darvus já havia entrado em ação. Com um salto poderoso, ele se afastou e chegou acima dos gnolls que atacaram a conjuradora que clamara por seu companheiro morto.

Soltando seus dois machados curtos de suas costas, ele brandiu suas armas no ar. O ar ao redor dele rodou, fundindo-se em seus dois machados quando ele soltou um grito de batalha feroz.

Instantaneamente, as cabeças dos dois gnolls foram cortadas. Sangue só tinha se espalhado da base de seus pescoços um segundo depois de verificar o estado da feiticeira.

"Droga!" Ele jurou, enviando um dos corpos decapitados caindo com um chute firme. "Ela já está morta."

"Vamos lá, não fique em um lugar por muito tempo. Fiquem juntos, mas precisamos nos movimentar” Tessia ordenou enquanto olhava ao nosso redor.

Parecia que um grupo de gnolls e orcs de tamanho razoável estava esperando por nós, porque as poucas equipes que nos precederam estavam todas presas em batalha com bestas de mana.

Estávamos em uma caverna com metade do tamanho do acampamento principal. Por um segundo, achei que tínhamos chegado em frente às portas altas que o batedor especulara que era o lugar onde estava o mutante, mas, olhando à frente, havia apenas uma entrada estreita para um corredor escurecido pelas sombras.

"Stannard, à sua esquerda!" A voz de Caria chamou por trás.

Imediatamente, girei ao redor, dando um passo para trás a tempo de evitar uma cabeça de uma alabarda. Erguendo meu lançador de mana alinhado com o peito do orc, eu atirei um núcleo de baixo dano, queimando um buraco no centro do coração da besta.

O monstro desmoronou no chão, soltando sua arma com um baque pesado. Eu não tive tempo para descansar enquanto outro gnoll se aproximava apressadamente.

"Deixa comigo" Caria chamou no meio do caminho. Ela se aproximou do chão como um canhão em alta velocidade enquanto os dois punhos estavam bem próximos do peito, prontos para disparar.

"Hahp!" Caria explodiu em alta velocidade com a ajuda de uma pequena plataforma de terra que ela havia levantado para acelerar-se. Ela trouxe os braços sobre a cabeça, como se quisesse mergulhar direto no gnoll que se aproximava - seus dedos apontavam como a ponta de uma lança.

Com um baque retumbante, a luva de Caria perfurou o estômago do gnoll que tinha cerca de duas vezes o tamanho dela. Quando o gigante monstro com cara de cachorro vacilou, seu rosto grotesco enrugou em choque, eu dei o golpe final com outro núcleo de baixo dano.



Pousando com destreza em seus pés, Caria recuperou o equilíbrio, sacudindo o sangue de suas manoplas de metal antes de sair em outra direção.

Um grunhido agonizante atrás de mim chamou minha atenção. Virando-me, tive um vislumbre de Tessia derrubando um par de orcs e um grande gnoll. Ela era uma rajada de lâminas quando ela passou pelas bestas. Cada passo, cada balanço, tinha um propósito enquanto ela golpeava e atacava os gnolls como se estivesse em uma dança coreografada.

Toda vez que eu a via lutar, não podia deixar de ficar surpreso. Eu sempre tive inveja de Darvus e Caria por seus talentos inatos em manipulação de mana e luta de coragem, mas a habilidade e graça de Tessia estavam em um nível onde só se podia reverenciar.

"Já era hora de você se tornar útil, certo Stannard?" Darvus gritou enquanto tirava uma machadinha do crânio de um orc morto.

"Cala a boca!" Eu retruquei com um sorriso. "Que tal começarmos a mutilá-los?"

Peguei um grande núcleo de besta que irradiava um brilho vermelho alaranjado.

"Feiticeiros, fogo cruzado!" Darvus gritou em alerta para os outros soldados que estariam ao alcance enquanto ele começou a juntar um grupo de orcs.

O resto dos soldados sabia o que fazer quando alguns começaram a recuar, enquanto outros desviavam seus oponentes em direção a minha linha de fogo.

Um feiticeiro bastante grande se aproximou de mim e deu um aceno significativo enquanto levantava seu cajado em preparação também. Logo, mais alguns feiticeiros se juntaram enquanto todos nós preparávamos nossos ataques, à medida que mais e mais orcs e gnolls se aproximavam do centro da escura caverna.

Os poucos desgarrados que conseguiram se separar do grupo foram rapidamente atingidos pelos fortalecedores que nos protegiam.

Respirando fundo, eu carreguei o núcleo de besta brilhante em meu lançador de mana. Firmando a ponta da minha arma no centro da massa de gnolls e orcs guardando sua caverna, esperei pelo sinal.

Uma voz profunda em barítono chamou a atenção do grupo quando um soldado atacou e empurrou um gnoll perdido para dentro do grupo de bestas que haviam sido reunidas. "Tudo limpo!"

Os feiticeiros posicionados ao meu redor dispararam seus feitiços mais poderosos na massa enquanto eu esperava calmamente pelo momento certo. Assim que o último feitiço disparou contra os monstros, lancei meu feitiço.

[Prisão Infernal]

O recuo por disparar a esfera de fogo três vezes do meu tamanho me fez recuar para a parede da caverna. A esfera de fogo em chamas cresceu em tamanho à medida que avançava em direção ao grupo de orcs que tentavam escapar, mas não conseguiram chegar a tempo quando o fogo os envolveu e os feitiços que os feiticeiros haviam lançado.

A esfera flamejante diminuiu para revelar os restos carbonizados das algumas dúzias de bestas de mana que estavam presas dentro, enviando uma onda de aplausos do resto dos soldados. As poucas bestas dispersas de mana eram facilmente eliminadas pelos fortalecedores, dando-me alguns minutos para respirar.

“Bom trabalho, seu pequeno e peculiar mago.” Darvus piscou para mim enquanto me ajudava a ficar de pé. Havia cerca de duas vezes mais bestas de mana do que soldados, mas ao final da batalha, tivemos menos de dez mortes.

"Este foi um triunfo esmagador, apesar do ataque surpresa que o exército de bestas de mana depositou em nós" A voz firme e comandante de Dresh ecoou por toda a caverna. "Não vamos deixar as mortes de nossos companheiros em vão e continuem adiante!"

Um fervoroso elogio ressoou dos soldados, incluindo Darvus e Caria. Tess simplesmente limpou a lâmina e embainhou-a de volta com um rosto solene. Seus olhos turquesa vazios seguiram um elfo sendo levado de volta através do portal pelo qual passamos, olhando atentamente para a lança denteada que se projetava para fora das costas do elfo sem vida.

Eu não sabia se Tessia conhecia o elfo, mas não pude deixar de ter empatia com ela.

 

Isso foi realmente uma vitória se, para algumas pessoas, o peso dessas dez mortes significasse muito mais do que uma simples contagem numérica?