Rebirth of the Thief Who Roamed the World (Novel)

292 - Espada do Massacre

As chamas negras em torno da Espada de Zennarde queimavam ardentemente, fazendo Nie Yan sentir como se suas mãos estivessem queimando. Ele ouviu uma voz sussurrando em sua mente. Porém, quando ele tentou ouvi-la atentamente, ela desapareceu sem deixar vestígio.

A maioria das armas lendárias representava o legado de poderosas figuras antigas, às vezes até desenvolvendo um espírito próprio.

Nie Yan não achou isso estranho.

Por exemplo, a Espada de Zennarde carregava a memória de seu dono original e protagonizou a Era das Trevas.

Assim que Nie Yan trouxe a Espada de Zennarde para mais perto interessado em verificar suas propriedades, um choro horrível soou em seus ouvidos. Sua visão embaçou enquanto incontáveis ​​almas malignas se amontoavam em sua direção. Uma energia fria e sombria invadiu seu corpo e tentou devorá-lo, fazendo com que fosse dominado pelo pânico. No entanto, ele rapidamente percebeu que eram apenas ilusões, ressentimentos acumulados que tomaram forma após o massacre de milhões de vidas. Mas enquanto sua mente estivesse decidida, ele não seria afetado.

Nie Yan inspirou profundamente enquanto olhava calmamente ao seu redor. Os espíritos permaneceram por um tempo. Mas ao perceber que não podiam lhe fazer nenhum mal, desapareceram como fumaça.

Quando Nie Yan segurou com firmeza o punho áspero e texturizado da Espada de Zennarde, um zumbido baixo surgiu e lutou por um tempo antes de finalmente desaparecer.

Depois de manejar a Espada de Zennarde algumas vezes, Nie Yan sentiu que era um pouco grande demais para o seu gosto. Contudo, assim que esse pensamento surgiu, a espada encolheu para um tamanho mais confortável, suas chamas negras ainda ardendo com vigor. {{NEET: Hah! Um leitor teorizou isso capítulos atrás!}}

As fracas runas gravadas ao longo da Espada de Zennarde continham grande parte de seu poder. Ele precisaria obter um Santíssimo Coração antes de poder removê-las, assim como o miasma corrosivo ao redor da espada.

Antes de remover o selo, a Bênção do Bárbaro Kelowitz bastava para suprimir a energia maligna. Quando Nie Yan olhou para a Espada de Zennarde, ele sussurrou: "Eu finalmente tenho uma arma poderosa em minha posse"

Nie Yan examinou as propriedades da Espada de Zennarde.

Espada Selada de Zennarde (Lendário Divino)

 

Nightmare Curse of the Dead: Reduz os status do jogador em 50%. (Efeito diminuído pela Bênção do Bárbaro Kelowitz)

 

Descrição: Uma arma nobre criada por Kallander e preenchida pelo poder mágico sombrio do Rei Dragão Zennarde. Não conseguir subjugar a energia maligna dentro da Espada de Zennarde resultará em uma reação fatal. Seis Selos Divinos foram colocados nesta espada pelo Deus da Guerra Kelo.

 

Propriedades: Ataque 630–636, Crítico +30, 10% de chance de causar 500% de Dano Crítico, Ignorar Nível +12, Ignora Armadura.

 

Hell Execution: Chance de matar instantaneamente um inimigo quando a sua vida estiver abaixo dos 20%. A taxa de sucesso é determinada pela diferença de nível e defesa. Custo de Energia: 100 Tempo de Recarga: 5 segundos.

 

Apocalyptic Extinction (Júnior): Pode infligir ao inimigo 5 tipos de Maldições: Exaustão, Paralisia, Incômodo físico, Medo e Corrosão. Duração: 3 minutos Tempo de Recarga: 1 hora.

 

Restrições: Nenhuma

 

Criador: Kallander

Apesar de ser suprimida pelos Seis Selos Divinos do Deus da Guerra Kelo, a Espada de Zennarde ainda era ridiculamente poderosa. Seu poder de ataque era ainda maior que uma arma de Nível 50 de grau Ouro Negro. Suas outras propriedades não eram nada ruins, especialmente as duas habilidades: Hell Execution and Apocalyptic Extinction.

O Nightmare Curse of the Dead não era algo que um jogador comum pudesse suportar. Mesmo com a Bênção do Bárbaro Kelowitz reduzindo pela metade os efeitos da maldição, uma redução de vinte e cinco por cento em todas os status ainda era algo bastante opressor. Era equivalente ao jogador sacrificar uma grande parte de sua vida e defesa para exercer grande poder.

Felizmente, Nie Yan possuía o Vislumbre da Escuridão, o que aumentava em muito os seus status, então uma redução de vinte e cinco por cento não se tornava um fardo pesado demais. Mesmo que não fosse tão forte, seu dano aumentaria, permitindo-o derrubasse oponentes de forma ainda mais rápida.

Para cada selo que Nie Yan removesse, mais do poder da Espada de Zennarde seria liberado, até que ela fosse restaurada ao seu estado original como uma verdadeira arma Divina!

No entanto, o que exatamente era um item Lendário Divino?

Nie Yan pesquisou no site oficial e encontrou uma página de informações sobre o assunto. Explicava que os Lendários Divinos eram uma subcategoria de lendários. Existiam vários tipos de Lendários. Os mais comuns eram os Lendários Comuns, {{NEET: Sério? Não imaginava ¬¬}} itens como Sombra de Sulgata, de Nie Yan, pertenciam a essa categoria. Menos comuns eram Conjuntos Lendários, como o Conjunto Grimmar. Estes geralmente tinham status um pouco melhores do que os Lendários Comuns. {{NEET: Cara, você é bom em constatar o óbvio ¬¬}} Finalmente, acima deles, estavam os Lendários Divinos. Estes eram freqüentemente criações de Ferreiros Lendários e tinham o nome de seu criador rotulado neles. Ao longo da história do Continente Atlanta, existia apenas um punhado de Ferreiros que poderiam criar itens de tal qualidade: Kallander, Bloem, Hilda, Klump e Talmacs. Esses Ferreiros pertenciam aos elfos, humanos, anões e dragões. Os Lendários Divinos que criaram foram usados ​​por incontáveis ​​figuras poderosas ao longo da história, passando de pessoa para pessoa. A Espada de Zennarde era uma delas.

Nie Yan lembrou como a Espada de Zennarde obteve sua reputação sendo usada pelo Rei Dragão Zennarde. E começou a sonhar com o poder inimaginável que teria ao remover o selo final da espada. Entretanto, mesmo agora, era difícil imaginar que qualquer jogador pudesse encontrar uma arma para rivalizar com a dele.

Nie Yan equipou a Espada de Zennarde como sua arma primária enquanto trocava a Divisora de Limites para arma secundária. A Espada de Zennarde encolheu um pouco e agora estava mais ou menos do tamanho de um punhal comum, então não chamava tanta atenção. {{NEET: Só não prestar atenção nas chamas negras, na qualidade do material e na serpente praticamente viva esculpida no punho ;3}}

De sua vida passada até o presente, esta foi a primeira vez de Nie Yan usando uma espada curta.

Ladrões de combate geralmente escolhiam espadas curtas porque o ataque deles era mais alto e tinham um pouco mais de alcance, enquanto Ladrões furtivos preferiam adagas. Nie Yan pertencia ao último grupo. No entanto, com uma poderosa espada curta como a Espada de Zennarde em sua posse, seria um desperdício não usá-la.

Com a Espada de Zennarde na mão, Nie Yan saltou da palma da estátua e ativou a Jóia de Levitação, pousando gentilmente no chão.

Quando Nie Yan voltou, ele sentiu que o Bárbaro Kelowitz se parecia um pouco com o Deus da Guerra Kelo. {{NEET: De novo. Sério? Não imaginava ¬¬}} Havia algum tipo de conexão? Afinal, os nomes deles tinham algumas semelhanças.

“Você pegou a Espada de Zennarde. Espero que use-a bem. Lembre-se, uma arma, não importa quão poderosa seja, é meramente uma ferramenta. Ela não é má e nem boa. Isso é decidido pelo dono” O Bárbaro Kelowitz olhou para a arma nas mãos de Nie Yan e depois continuou: “Espero que você purifique essa espada do massacre”

Nie Yan anuiu entendendo o significado daquelas palavras e olhando para o Bárbaro Kelowitz, perguntou: “Kelowitz, senhor, há algo que tem me incomodado no fundo da minha mente desde que você se apresentou. Espero que não se importe em responder a minha pergunta”

"Fale logo" Respondeu o Bárbaro Kelowitz com um sorriso. Apesar de estar amarrado por correntes e pregado numa cruz, ele ainda mantinha uma postura calma. Se fosse uma pessoa comum, já teria perdido a cabeça há muito tempo.

"O Deus da Guerra Kelo, é o senhor, não é?" Nie Yan perguntou. Era altamente provável que Kelowitz fosse conhecido como o Deus da Guerra Kelo no mundo exterior. Para ser preso aqui por quase mil anos sem morrer, mesmo que ele não fosse um Deus, deveria estar bem perto de um.

“Deus da Guerra Kelo é apenas um título mundano. Quando você chega a um certo patamar, as massas começam a adorar você como um Deus” {{NEET: Que Deus humilde, igual a alguém que eu conheço :3}} Respondeu o Bárbaro Kelowitz com uma expressão suave.

Ouvindo essas palavras, Nie Yan compreendeu que o Bárbaro Kelowitz não negará ser o Deus da Guerra Kelo!

“Zennarde me capturou, mas ele não tinha como destruir minha Divindade e me matar, então acabou me aprisionando aqui. Se eu contar quanto tempo passou, eu diria que fazem quase mil anos” Disse o Bárbaro Kelowitz.

"Divindade?" Nie Yan perguntou em um tom confuso. Esta foi a primeira vez que ouviu sobre esse termo. Uma vez que existências parecidas com Deus em Conviction eram extremamente raras.

“A Divindade é um dom concedido por Deus. Não importa quantas vezes você morra, sempre irá reviver” O Bárbaro Kelowitz explicou.

Nie Yan riu. Pela descrição, não significaria que todos os jogadores possuíam a Divindade? Claro, as regras para NPCs e jogadores eram diferentes.

O Bárbaro Kelowitz era o Deus da Guerra Kelo. Com isso, tudo fazia sentido. Ele estava trancado aqui porque havia perdido para Zennarde naquela batalha decisiva durante a Era das Trevas. {{NEET: “Aaaaaaah! Agora eu entendi! Agora eu saquei! Agora todas as peças se encaixaram!”}}

O que deixava Nie Yan intrigado era por que o Deus da Guerra Kelo não morreu, enquanto o Rei Dragão Zennarde, que era muito mais poderoso, acabou falecendo por não poder escapar da corrosão do tempo.

No entanto, isso permaneceria para sempre um mistério e Nie Yan não arriscar-se-ia a perguntar. Afinal, essas questões não lhe trariam nenhum benefício.

O Bárbaro Kelowitz criou um círculo mágico com um aceno de sua mão, {{Ghin: Como ele fez isso se está crucificado com pregos nas mão?}} fazendo com que um portal de cerca de três metros de altura aparecesse do nada. Isso mandaria Nie Yan diretamente de volta para o mundo exterior.

“Este portal irá enviá-lo para uma cidade humana. Quando conseguir um Santíssimo Coração, retorne. Apresse-se e deixe este lugar. A cada sete dias, este vulcão entra em erupção. A próxima é provavelmente daqui há algumas horas. Jovem, desejo-lhe uma viagem segura!” Despediu-se o Bárbaro Kelowitz.

Vendo que provavelmente não conseguiria mais nada, embora a obtenção da Espada de Zennarde já fosse incrível o suficiente, Nie Yan se despediu do Bárbaro Kelowitz e entrou no portal.