O Herdeiro do Mundo

328 - Labirinto do Deus de Pedra

Antes de iniciar a leitura leiam: Nota autor, esse capítulo não recebeu revisão, assim que ele tiver revisão eu substituo.

____________________________________

 

Rael estava certo de que Yara poderia matar essa jovem rapidamente por isso não se preocupou, ele já imaginou pedaços dela se espalhando pelo ar quando viu Yara obedecendo seu comando. No entanto seus olhos se enganaram, a jovem que foi atacada se esquivou no ar quando o vulto de Yara passou rasgando com as unhas das mãos, Rael teve que concentra sua visão porque não acreditou que a jovem foi capaz de esquivar do ataque de Yara, pelos seus cálculos ela não deveria consegui.

 

                A jovem que havia acabado de fugir do ataque de Yara, lançou um olhar fixo para Rael, um olhar curioso e cheio de perguntas. Ela se lançou para o lado mais uma vez quando Yara retornou atacando e dessa vez Rael notou que nem olhou para Yara.

 

― Quem é você? Como isso é possível? ― Dessa vez era quem tinha perguntas era Rael, a primeira esquiva ele acreditou que foi por acaso, mas a segunda ficou evidente que ela fez propositalmente.

 

― Não há nenhuma necessidade de explicações, assim como você já decidiu como me quer eu também já tomei minha decisão. ― disse a bela jovem e fez surgi no ar um par espadas de porte médio. As espadas tinham empunhadura escura e lâminas vermelhas. ― Você deve morrer, isso é a coisa certa a ser feita. ― Sem dizer mais nenhuma palavra ela cobriu as lâminas com uma aura transparente junto a todo seu corpo, enquanto ela fazia isso se esquivou de mais um ataque de Yara que veio pelas costas.

 

― ‘Como ela faz isso...?’ ― Rael não tinha essa resposta. Ele pensou que talvez essa jovem tivesse o mesmo poder de leitura mental como Alexia só que não fez sentido, se ela tivesse esse poder não teria feito perguntas na primeira vez que se encontraram? ― ‘Eu e Yara estamos no reino do Poder das Leis, não podemos ter nossas mentes lidas, então como ela faz isso?’

 

                A jovem avançou como um borrão descendo contra Rael. Seus olhos escuros irradiavam um forte desejo de morte. Rael enrugou as sobrancelhas mostrando irritação, ele não esperava ter sua técnica atrapalhada. Se ele saísse do centro da matriz a técnica seria desativada e demoraria mais um pouco para ele reativar.

 

― ‘Maldita! Por que essa mulher tinha que entrar em meu caminho!’ ― Rael rugiu em sua própria mente furioso. Ele não tinha o que fazer se não sair do centro para lutar ou seria morto. Enquanto estivesse sobre a técnica ele não poderia fazer muitos movimentos. Antes que Rael se levantasse ele recebeu os sentidos de um determinado ponto, ele sentiu uma poderosa energia emanando das profundezas de algum local embaixo da terra.

 

― ‘Oh isso parece interessante, então esse mundo tem de fato um segredo.’ ― Pensou Rael se levantando e cancelando a técnica, ele fez isso no exato momento que as espadas chegaram cortando. Rael usou o Espaço Ilusório e deixou que a inimiga passasse direto o atravessando.

 

― Impacto Invisível! ― Rael não ficou parado após o ataque dela, ele se virou golpeando contra as costas dela no momento em que ela passou. A jovem teve uma reação ainda mais rápida e sumiu diante dos olhos de Rael reaparecendo a uns vinte metros a frente, ela usou alguma técnica que Rael não conhecia. Ela se virou e se preparou para esquivar de mais uma investida de Yara que estava retornando.

 

― ‘Yara pare!’ ― Ordenou Rael mentalmente quando viu Yara voltando. Yara atacava poucas vezes porque ela usava muita velocidade e para fazer o contorno demorava. Yara parou próximo a Rael e ficou esperando por novas ordens.

 

― ‘A primeira ordem está cancelada, não precisa mais proteger esse lugar, retorne pra mim’ ― Ordenou Rael mentalmente. A bela jovem harpia, avançou em Rael se transformando em um emaranhado de energias prateadas e sumiu tocando nele. Rael em seguida abriu um portal atrás de si mesmo enquanto continuava encarando a jovem de volta, assim como ela o fazia de volta. Os dois não disseram uma palavra, pareciam está medindo forças.

 

― Achei que você iria me matar? Em vez disso vai fugir? ― Perguntou a jovem mantendo as espadas seguradas firmemente nas mãos.

 

― Eu já descobri o que queria, e se eu quiser você nunca mais vai me encontrar de qualquer forma. Por que iria me preocupar com você? Aliais, você agora parece ter muito desejo em me matar, me pergunto o motivo. ― Disse Rael mantendo o portal aberto atrás de si mesmo. A jovem parecia saber que se fizesse um só movimento ele fugiria.

 

― Eu não sabia que você era um covarde sem palavra, enquanto parecia fácil tirar minha vida você ficou muito cheio de si, agora, está querendo prestes a fugir. ― Disse ela de volta tentando provocar Rael de algum modo.

 

― Não pense que eu não posso, só acho perca de tempo. Não pretendo ficar por aqui durante muito tempo de qualquer forma. Adeus... ― disse Rael e recuou sumindo dentro do portal que em seguida também desapareceu sem resta mais nada. A jovem só pôde suspira e aceita que não podia segui alguém que escondia a aura e tinha a capacidade de criar portais. Um usuário de portais poderia sumir e aparecer instantaneamente em outro ponto, se tornava impossível segui um alvo desses.

 

― ‘Ele tem que morrer!...’ ― pensou ela um pouco desamparada enquanto fazia as espadas retornarem para o bracelete. Em seguida ela olhou para a matriz criada pelo menino ruivo e avançou interessada.

 

_____________________________________________________________________________

                Rael reapareceu em outro ponto longe do antigo. Ele já estava ocultando sua energia e assim que apareceu, controlou seu poder o máximo que dava e começou a voar sem pressa em direção ao local sobre o qual sentiu a energia. Ele não podia agir com pressa porque iria ser seguido pela jovem e ele queria evitar por várias razões.

 

― ‘Ela não é mais forte que eu, mas tem técnicas que eu não compreendo. Eu não preciso mata-la, apenas evita-la. Prometi as meninas que não iria me meter em problemas.’ ― Pensou Rael enquanto continuava voando sem pressa para o ponto que sentiu. Como ele não tinha visitado o local ele não podia se transporta imediatamente, só poderia ir voando e mantendo um ritmo calmo para não se deixar ser percebido.

 

                Cerca de trinta minutos depois Rael estava chegando em uma área com muitas montanhas e alguns vulcões próximos. O poder de cultivação dessa área era maior que as outras, aqui as energias estavam concentradas em alguma coisa que Rael sentiu.

 

― ‘Não é uma violadora, é algum tipo de tesouro ou artefato magico, algo muito forte que nem deve ser desse mundo.’ ― Pensou Rael. Ele passou próxima a uma cidade de porte médio e sentiu a energia de alguém que ele gravou bem. ― ‘Aquele menino chamado Isaac está aqui? Por que?’ ― Rael se perguntou, mas não esperou encontra a resposta. Ele continuou voando para o ponto base que sentiu. A energia mais poderosa que fluía dessa área era exatamente do ponto que deveria ser a entrada.

 

                Rael não se esforçou para procura muito, a entrada ficava numa caverna embaixo de um dos vulcões onde a temperatura local chegava a 75 graus.

 

― ‘Os outros cultivadores podem senti essa intensa energia que flui daqui, mas não se aproximam porque não são capazes de aguenta a temperatura.’ ― Pensou Rael e avançou entrando no quente correr rochoso. Quanto mais ele avançava mais quente ficava.

 

                Rael andou por cerca de uns quatrocentos metros até chegar diante de uma porta transparente como ondas de água. O corredor era inteiramente iluminado por pedras de magmas que ficavam espalhadas pelas paredes.

 

― ‘Essa entrada não é bem uma porta, é uma ativação de leis.’ ― Pensou Rael após encosta a mão que atravessou como se a porta fosse ilusória. Havia muitos símbolos na porta indicando um intenso poder das leis.

 

― ‘No momento em que eu atravessar alguma coisa será ativada devido essas leis, parece ser algo referente a um desafio. Essa entrada também impede que eu lance meus sentidos dentro.’ ― Pensou Rael recuando a mão de volta. Ele conseguia ver salões e corredores de pedra a frente, como se fossem parte de um antigo castelo. Seja lá qual fosse o segredo que esse lugar escondia, não era algo tão simples.

 

                Rael ficou em um impasse se entraria agora ou recuaria e esperaria para fala com Violeta e as outras, descobri se elas sabiam algo sobre esse tipo de entrada. Ele ainda estava pensando quando sentiu um poder se aproximando, essa não era outra se não a jovem que estava entrando no caminho de Rael.

 

― ‘O que? Como ela me seguiu? Ela...’ ― A ficha caiu quando Rael entendeu que deixou a matriz montada e ela só precisava de um pouco de conhecimento com as leis para usar. Dessa forma era fácil a jovem ter encontrado a energia e seguido os mesmos passos de Rael. Se ele recuasse e não entrasse agora, era possível que ela entrasse antes dele e tomasse seja lá qual for o tesouro que houvesse nesse ponto.

 

― ‘Não posso esperar! Tenho que entrar agora e de qualquer forma, posso recuar quando bem entender com meu portal.’ ― Com esse pensamento Rael cruzou a entrada transparente, ele não sentiu nada, parecia está passando por um espaço vazio. Quando ele cruzou sentiu um tipo de sensação quente passando por todo o seu corpo e teve instantaneamente três habilidades bloqueadas.

 

― Ola jovem desafiante. Você acabou de entrar no castelo do antigo Deus de Pedra. Só será possível sair dessa área quando você tomar o tesouro do antigo Deus. Alguns de seus poderes estão bloqueados enquanto estiver aqui para que você não fuja do desafio. Se quiser sair desse lugar enfrente o antigo Deus de Pedra e consiga o tesouro. E tome cuidado com as armadilhas locais ― A voz soou alta e cheia de esplendor por todos os pontos em que Rael se virava olhando surpreso.

 

― ‘Ele bloqueou todos os meus poderes de fuga! O Portal, o Espaço Ilusório e até a minha técnica de ocultar aura!’ ― Rael pensou surpreso. Ele se virou e olhou para trás descobrindo que agora havia uma parede atrás de si. Isso significava que não havia como retornar o caminho.

 

― ‘Antigo Deus de Pedra, o que será que isso quer dizer?’ ― Pensou Rael tentando se lembrar se já tinha ouvido isso em alguns dos seus livros, claramente ele não havia visto nada assim antes, as memorias de Rael eram muito boas e não deixava escapar detalhes.

 

― ‘Não tem nada que eu possa fazer além de andar por ai e ver o que consigo descobri. Eu também não consigo mais senti o poder daquela jovem ou de qualquer outro cultivador depois que entrei nessa área. Me pergunto se ela também terá coragem de entrar.’

 

                Depois de sua decisão Rael saiu dando uma olhada no local. Ele percebeu que quando entrou foi levado para outra sala da qual não tinha visto por fora. Agora ele estava em um salão espaçoso com muitas estatuas de pedras espalhadas pelos cantos segurando espadas pesadas.

 

                Rael saiu caminhando e observando tudo atentamente. Em alguns locais do chão de pedra tinham símbolos e poder das leis que seriam ativados no momento que ele pisasse com o pé. Eram claramente armadilhas e ele podia até entender isso.

 

― ‘Se for coisas como essas não será difícil de sair, mas veremos se vai ficar só nisso’. ― Pensou Rael e continuou avançando evitando pisar em locais errados. Ele chegou a um corredor espaço que dava em outras várias salas. Pelas paredes haviam as mesmas pedras de magma iluminando o local, no entanto a temperatura aqui estava normal, bem diferente de antes dele entra.

 

                Rael continuou seguindo e analisando os locais em que ia passando enquanto ia formando um mapa em sua mente. Ele entrava em quartos e analisava o local facilmente lendo todas as leis. Isso ajudava ele a descobri compartimentos secretos, passagens secretas e evitar armadilhas. Estava sendo uma moleza.

 

― ‘Já encontrei essas duas estranhas pílulas antigas, essa erva escura e essas duas pequenas pedras azuis de poder que ainda não sei para que servem.’ ― Pensou Rael enquanto analisava nas mãos os tesouros já descobertos.

 

― Mais um desafiante entrou na área. Você acabou de entrar no castelo do antigo Deus de Pedra. Só será possível sair dessa área quando você tomar o tesouro do antigo Deus, ou ele for tomado por outro. Alguns de seus artefatos mágicos estão bloqueados enquanto estiver aqui para que você não fuja do desafio. Se quiser sair desse lugar enfrente o antigo Deus de Pedra e consiga o tesouro. Tome cuidado com as armadilhas locais. Agora tem um total de dois desafiantes, vocês têm a opção de juntar ou se enfrentarem para ver quem fica com o tesouro principal, façam suas escolhas. ― A voz soou alta e cheia de esplendor por todos os pontos e o próprio Rael foi capaz de ouvir.

 

― ‘Ela também entrou’ ― pensou Rael sentindo a energia da jovem próxima. Ela não apareceu no mesmo ponto que ele, em vez disso, apareceu em outro ponto aleatório do lugar. Ele podia dizer que ela não estava longe, mas não seria tão fácil dos dois se encontrarem porque esse lugar era grande.

 

                Rael acelerou os passos pensando que agora tinha uma concorrente e ela também sabia ler o poder das leis, era bem possível que assim como Rael, ela tivesse vantagem por saber ler as leis. Rael só não sabia o quanto de leis ela conhecia.

 

                Rael continuou fazendo tudo que ele já fazia antes, porém agora com mais pressa, ele ia passando de salas em salas, recolhendo os tesouros secretos e avançando apressado.

 

― ‘Tem algumas pistas ocultas que parecem guiar para a sala do tal Deus de Pedra, me pergunto que tipo de desafio me espera nessa parte’ ― Pensou Rael após notar algumas observações criadas em formas de leis.

 

― ‘O Deus de Pedra não está mais vivo, sua vontade reside no coração desse castelo em ruinas, para encontrar a sala é preciso ter bons olhos.’ ― Essa era uma das dicas que Rael viu enquanto continuava seu caminho sempre atento para não perder qualquer coisa.

 

                Enquanto Rael avançava de um lado passando por suas salas e corredores, do outro ponto estava a jovem sorrindo friamente. Estando nesse local ela sabia que o menino também estava com suas habilidades de fuga bloqueadas e isso evitaria que ele fugisse dela.

 

― ‘Vamos ver como você se sai sem seu portal, quero ver como ele escapará de mim quando eu o encontra-lo. Ele precisa morrer’ ― Pensou a jovem. Ela sentia Rael e estava tentando fazer os caminhos que a levassem ao menino, mas não se sabia quando ia consegui. Embora os locais indicassem que ela estava chegando perto do menino, sempre havia uma parede no final ou algo que fazia ela mudar a rota. Esse lugar era como um enorme labirinto e as paredes eram poderosas o suficiente para não serem destruídas tão facilmente, sem mencionar as armadilhas que seriam ativadas caso alguém tentasse forçar seu caminho sem segui as regras locais.

 

                Rael por outro lado não estava se importando com o caminho que fazia, ele ia seguindo as pistas para encontrar logo a última parte e enfrentar o desafio final. Embora ele quisesse mata a jovem não tinha a mesma vontade insana que a dela por ele, muito pelo contrário, Rael preferia evitar confrontos desnecessários.

 

                Os dois continuaram fazendo as coisas que faziam e não demorou muito para os caminhos se cruzarem. Rael e a jovem se encontraram em um salão espaçoso que dava para outros corredores e outros pontos do lugar. Cada um saiu de um lado do local e se reuniram no centro. Rael não queria um confronto direto porque preferia não gastar forças desnecessárias que poderiam ser necessárias mais para frente, mas pela cara dela, ele não ia consegui fugir. Ela já veio de espadas nas mãos e poder concentrado para enfrenta-lo. Essa jovem tinha um poderoso instinto assassino que ansiava a cabeça de Rael.

 

― Você não pode mais fugir de mim, agora posso mata-lo ― disse ela com um sorriso frio.

 

― Não sei porque você de repente quer tanto me matar, mas o sentimento é recíproco. ― Disse Rael ativando suas técnicas de velocidade e deixando o braço azul complemente em chamas diante dos olhos afiados da jovem. Os dois estavam parados um de frente ao outro divididos por uns trinta metros de espaço.

 

 

― Você não sabe? O senhor Herdeiro não era o ser mais poderoso que tinha todas as respostas do mundo? Sua existência egoísta acaba hoje! Eu Lana Bunner terei prazer em destruí-lo para sempre senhor Herdeiro! ― Gritou ela e avançou contra o menino ruivo. Quando Rael percebeu que ela sabia seu segredo ficou chocado e até sem reações. Ele nunca pensou que seria tão facilmente descoberto em um mundo com esse.

 

 

_____________________________________________________
Página da novel Existência --> https://www.facebook.com/SoliverBruno/