O Herdeiro do Mundo

322 - A Partida

Capítulo em áudio-->https://www.youtube.com/watch?v=PFm42uSBahI

 


O quarto que ficava o portal era gigantesco. No centro, havia um enorme círculo com formação de símbolos que Violeta certamente demorou dias, talvez semanas, para criá-los. Violeta não era muito boa com simbologia e, portanto, teve bastante trabalho antes da chegada de Emilia, que a ajudou em muito na aceleração do processo. Violeta só sabia como criar um portal devido a possuir pergaminhos e livros antigos com este conteúdo em seu bracelete desde os tempos passados. Após o círculo de formações estampado no chão, havia alguns pilares erguendo um tipo de espelho gigante, que estava voltado para o chão. Esse espelho tinha cerca de dois metros de circunferência e em sua moldura também havia bastante traços e símbolos quase irreconhecíveis.

 

Rael e todos os demais podiam sentir um intenso poder das leis fluindo tanto do espelho quanto do chão. É claro que nem todas as leis presentes poderiam ser compreendidas por todos. Alguns entendiam poucas coisas, outros, algumas outras, e assim seguia-se.

 

― Violeta, isso vai mesmo funcionar? Você tem certeza que não cometeu nenhum erro? ― perguntou Alexia, depois de uma breve análise. Nem a própria Alexia podia ter certeza se Violeta havia feito um bom trabalho.

 

― Eu fiz com todo o cuidado que pude, e Emilia me ajudou bastante nas partes finais. Eu já o revisei e não encontrei nenhum erro. O portal será aberto durante o intervalo de um minuto, tempo suficiente para sermos transportados para algum mundo comum aleatório, ideal para Rael se fortalecer e se acostumar. Eu tenho comigo a formação que nos trará de volta para esse mesmo lugar; esta formação se carrega a cada dois meses. ― explicou Violeta, que iniciou respondendo a Alexia e concluiu explicando a todos qual seria o plano.

 

Rika até poderia transportar todos para um novo mundo, mas seria apenas para um outro mundo pequeno, e isso não estava nos planos dos demais.

 

Com as palavras de Violeta, todos se olharam e ninguém tinha qualquer dúvida, a maioria sabia o quanto Violeta era inteligente e minuciosa com os detalhes.

 

Nastácia seria a única a permanecer no esconderijo, mas Natalia a visitaria com frequência. Tudo isso já tinha sido combinado. Como as despedidas já foram feitas, eles já estavam no quarto do portal, prestes a partir rumo ao desconhecido.

 

― O mundo para o qual seremos enviados é aleatório. Embora seja um mísero mundo comum, ainda poderemos nos deparar com pessoas incrivelmente poderosas. Em relação a isso, eu sugiro não chamarmos nenhuma atenção. Precisaremos encontrar um esconderijo e analisar o mundo aos poucos e com cautela. Existem muitos homens e seres por todo o universo que têm conhecimento sobre violadoras, não seria sensato nos deixar sermos descobertas agora. ― lembrou Violeta, antes de qualquer coisa ― E também temos companhia de duas antigas bestas celestiais em forma humana, ― Violeta continuou quando todos se viraram para as belas mãe e filha, que ainda prestavam atenção na explicação: ― Rika e Rose também são mulheres lindas e não seria difícil despertarem atenção, e por isso devemos ter bastante cuidado. Estamos indo para esse mundo apenas para cultivarmos e deixar que Rael amplie o seu poder, esse é o único objetivo.

 

― E quanto tempo passaremos nesse mundo? ― perguntou Keylla curiosa.

 

― Ficaremos nele até Rael atingir o décimo quinto reino. Dentro desse período, ele já estará adaptado ao poder de um mundo mais forte que o seu de nascimento. Enquanto estivermos lá, eu estarei preparando um novo portal para um mundo mais avançado. Emilia e eu faremos. ― Acrescentou Violeta.

 

Ouvindo as explicações, todos acharam a ideia bastante simples, não parecia haver problemas ou qualquer outra coisa perigosa e, de fato, não havia mesmo. Desde que tudo saísse como o planejado e que não se deparassem com ninguém poderoso, não teriam problemas futuros. Com Rael possuindo agora o corpo de uma criança, também não haveria perigo dele se envolver com qualquer outra mulher, apenas isso já o manteria longe das piores situações.

 

― Se já está tudo pronto, vamos. ― disse Alice, depois de alguns segundos em silêncio. Violeta acenou concordando e perguntou se alguém tinha qualquer outra pergunta. Todos permaneceram em silêncio.

 

― Se não há mais dúvidas, eu farei a ativação do portal. Quando eu chamá-los, todos devem entrar no círculo juntos. Haverá um tempo de carga sobre o qual o portal irá brilhar um pouco e depois seremos todos transportados para este novo mundo. Só estou avisando para que vocês não se assustem quando estiver acontecendo.

 

Depois das explicações, Violeta entrou no círculo, ativou sua energia e realizou alguns movimentos complexos, que fizeram os símbolos no chão brilharem. Depois, a violadora realizou outros movimentos e tocou a mão nos pilares que sustentavam o espelho. Agora, tanto os símbolos do espelho quanto os do chão brilhavam em cores únicas.

 

― Vocês podem vir agora ― chamou Violeta. Rael e as guardiãs entraram juntos e as demais logo os seguiram, se juntando ao círculo. As guardiãs sentiram que não podiam sair do lado do menino e, portanto, estavam cada uma de um lado do mesmo.

 

Quando todos chegaram no centro, os símbolos no chão pareciam ter ganhado vida e estavam circulando em volta e brilhando intensamente. O chão em que eles pisavam incandesceu-se e ficou tão forte que era até mesmo difícil continuar com os olhos abertos. As mãos de Rael foram apertadas por Isabela e Keylla, que estavam cada qual de um lado e, após um poderoso clarão, tudo piscou se tornando impossível ter qualquer tipo de visão. Uma rajada de luz do espelho foi atirada sobre todos que estavam no círculo e seus corpos desapareceram completamente, como se virassem poeira.

 

Após a forte rajada, o intenso brilho se estabilizou, os símbolos retornaram aos seus locais no chão e tudo se normalizou, como se nada tivesse acontecido. Agora, tudo o que restava era um enorme quarto silencioso e sem nenhum tipo de presença.

 

_____________________________________________________________________________

Em um mundo qualquer, no meio de uma furiosa tempestade de raios e trovões de um local montanhoso, Rika e Rose surgiram de mãos dadas e caíram sentadas no chão, assustadas com a mudança brusca de visão. Rika foi a primeira a se recuperar e já estava ajudando sua filha a se levantar também.

 

― Mãe, onde estão os outros? ― perguntou Rose curiosa, depois de olhar em volta e não encontrá-los. Rika ficou um tempo em silêncio lançando seus poderosos sentidos ao redor, mas não sentia nenhuma presença, nem mesmo a essência de Rael, que ela deveria sentir igualmente como sentia a de Rose.

 

― Elas não estão por perto, e Rael não parece estar presente nesse mundo. Será que alguma coisa saiu errada? ― perguntou Rika preocupada. Obviamente Rose não saberia a resposta, a jovem celestial apenas continuou olhando em volta como quem poderia encontrar qualquer um dos outros a qualquer momento.

 

― Vamos dar uma olhada com calma nas redondezas, e se eles não estiverem aqui, iremos pular para um outro mundo ― disse a Celestial e puxou a mão da filha, que a seguiu em silêncio.

 

_____________________________________________________________________________

Em um outro mundo, sobre um enorme mar, uma pequena menina de cabelos vermelhos como fogo caía do céu quando se recuperou e flutuou rapidamente para não tocar nas águas. Ela subiu mais alguns metros e calmamente olhou em volta, achando estranho não encontrar ninguém consigo. Alexia lançou seus sentidos por todas as partes desse mundo e não encontrou a presença de seus aliados.

 

― ‘Violeta cometeu um erro? E eu pensando que poderia confiar nos cálculos daquela ruiva!’ ― pensou Alexia um pouco irritada. Como ela não tinha certeza de sua suposição, subiu aos céus e depois partiu voando com velocidade para o norte, enquanto continuava lançando seus poderosos sentidos na esperança de que os outros tivessem apenas sido transportados para outros pontos separados dela.

 

― ‘Se tiver acontecido o que eu estou pensando, Rael e os outros mais fracos poderão estar com problemas’ ― pensou Alexia preocupada. Ela torceu mentalmente para estar enganada sobre o que tinha acabado de imaginar, seria um péssimo cenário. Ela concentrou mais o seu poder e continuou voando, ainda mais apressada.

 

_____________________________________________________________________________

No meio de uma pequena vila de pessoas simples que mais pareciam nativos com poucas vestimentas, um brilho surgiu no céu acima deles e duas belas mulheres caíam sem muita resistência. Elas desabaram desorientadas por quase cinco metros e caíram diretamente no chão. Keylla e Isabela se levantaram rapidamente em alerta e conjuraram suas três esferas de energia, ativando um poder que varreu tudo ao redor. O poder delas contra aquelas pessoas era tão intenso que as derrubavam, fazendo deslizarem alguns metros para trás. Cabanas de madeira próximas não aguentaram a pressão e foram destruídas e seus destroços, jogados para trás apenas com a ativação de suas energias. Quando as duas perceberam o quão fracas eram essas pessoas, elas contiveram seus poderes e fizeram as esferas sumirem.

 

― Isabela, eu não sinto Rael, nem os outros ― disse Keylla olhando em volta. As pessoas que pareciam pertencer a uma civilização antiga, estavam se levantando. Homens, mulheres, jovens, crianças e idosos ainda estavam se recuperando do surgimento das duas.

 

― Eles não estão por perto, também não os sinto... ― disse Isabela.

 

― Que tipo de lugar é esse? Essas pessoas são humanos normais? Eu não consigo sentir nenhuma energia neles ― disse Keylla, olhando as pessoas em volta.

 

― Realmente, eles parecem não ter nenhum cultivo... ― disse Isabela com um ar pensativo e continuou: ― Pelo que Violeta disse, nós iríamos para um mundo comum, que seria mais forte que aquele mundo pequeno. Por que parece que caímos em um outro mundo pequeno, em um ainda mais fraco que o de onde viemos? Será que os outros também estão aqui?

 

― Não sei se caíram aqui conosco, mas vale darmos uma olhada. De todo o modo, não teremos como voltar sem a ajuda de Violeta. ― concordou Keylla. Quando as duas já partiriam em voo, as pessoas recuperadas se ajoelharam em frente a elas em uma distância cuidadosa e começaram a fazer uma forte reverência com os braços, enquanto repetiam incessantemente as mesmas palavras:

 

― Nós recebemos com louvor as deusas Sol e Lua! Nós recebemos com louvor as deusas Sol e Lua! Nós recebemos... ― enquanto eles continuavam saudando as duas belas mulheres, mais pessoas se juntavam para fazer o mesmo.

 

― Eles têm algum problema na cabeça? Nós destruímos algumas de suas cabanas e eles ainda parecem felizes com a nossa presença? ― perguntou Keylla com um ar levemente incrédulo.

 

― Parece que eles acham que somos deusas... ― disse Isabela um tanto quanto descrente da situação que se meteu com Keylla.

 

_____________________________________________________________________________

Numa grande e densa floresta de um outro mundo diferente, três irresistíveis mulheres caíram sentadas e, já preparadas, olhavam ao redor extremamente atentas. Alice, Emilia e Violeta se levantaram e lançaram seus sentidos para todas as direções possíveis. Além delas, não havia mais ninguém próximo, com exceção de algumas bestas.

 

― Violeta, o que aconteceu? Você disse que todos nós seriamos transportados para o mesmo ponto ― perguntou Emilia ao lado da ruiva.

 

― Sim, e todos deveriam estar aqui conosco. Eu não sei o que pôde ter dado errado ― disse Violeta.

 

― Bem, estamos em um mundo comum. ― disse Alice, depois de uma rápida análise: ― Pelo menos isso parece estar correto.

 

― E os outros? Consegue sentir se estão aqui também? Se estão, eu não consegui senti-los por milhares de quilômetros ― disse Emilia em seguida. As violadoras eram incrivelmente poderosas e seus sentidos espirituais eram descomunais.

 

― Isso não era para ter acontecido. Eu fiz tudo certo, e tenho certeza de que não cometi nenhum erro na hora da ativação do portal ― disse Violeta com um ar preocupado: ― Emilia, você mexeu em alguma coisa enquanto eu não estive por perto? Alterou algum dos símbolos?

 

― Eu só fiz o que você me mandou fazer. Todos os símbolos estão de acordo com o me pedira, sem nenhuma falha. Fiz com extrema cautela porque eu não entendo nada de portais. Eu deixei isso bem claro no dia em que me pediu. ― explicou Emilia, parecendo bem firme em suas palavras.

 

― Então, como fomos separadas dos demais? Isso não faz sentido algum ― disse Violeta inconformada.

 

― Não adianta ficar reclamando agora. Vamos explorar o local e ver se descobrimos algo ― disse Alice que, de todas as três, parecia ser a única a não estar surpresa. Violeta e Emilia concordaram porque não tinham outros planos e seguiram a jovem violadora que tomou a liderança.

 

Enquanto seguia na frente, sem ser observada pelas demais violadoras, Alice mordeu levemente seus lábios, aparentando lembrar-se de algo ruim. Mas ela não deixou que as outras percebessem sua expressão e se recompôs no instante seguinte.

 

_____________________________________________________________________________

Em outro mundo, em meio a um terreno aberto de terra e rochas, um menino ruivo surgiu caindo alguns metros do céu. Ele nem chegou a alcançar o chão na queda, conseguiu pousar em pé sem problemas, por já estar acostumado a atravessar portais.

 

No primeiro instante, Rael calmamente olhou os arredores e não encontrou ninguém. Ele se lembrava bem das explicações de Violeta e esse cenário não fazia nenhum sentido para ele. Rael lançou seus sentidos e descobriu que uma presença fraca estava se aproximando rapidamente de suas costas. Quando Rael se virou, se deparou com um menino loiro voando a toda velocidade, cortando os céus em sua direção. Rael levantou a mão direita e conjurou um escudo, que parecia uma pequena parede de vidro borbulhante, apenas a alguns centímetros a frente de sua palma, no momento exato em que o menino o alcançara:

 

BOOOOOM!

 

O menino loiro atingiu violentamente o escudo e tombou para o lado devido ao impacto. Rael baixou a mão removendo sua técnica de escudo e estudou o menino para avaliar o quanto de dano ele havia sofrido com o incidente. O menino loiro tinha saltado em pé e não apresentava nenhum sinal de ferimento ou ossos quebrados. Rael tinha visto claramente quando o rosto do menino bateu em cheio no seu escudo, foi uma forte pancada, e mesmo assim não resultou em nenhuma fratura visível.

 

Este menino era levemente mais alto que Rael, quase do tamanho de Alexia, e parecia ter, no máximo, doze anos. Possuía uma pele branca, olhos azuis e seus cabelos loiros eram lisos e longos. O porte físico dele era bem definido, mesmo para uma criança de aparência medianamente comum.

 

― ‘Ele é apenas uma criança do reino dois, como que pode ser tão resistente assim?’ ― se perguntou Rael, surpreso com aquele resultado. Embora estivesse um pouco chocado, não se deixou ser percebido, mantendo sempre uma expressão firme e séria. O menino loiro também não disse nada e continuava a encarar Rael em silêncio.

 

― ‘Eu não sei o que aconteceu, mas preciso encontrar os outros logo. É melhor me afastar desse menino por enquanto’ ― pensou Rael e concentrou suas energias flutuando para os céus. O jovem ruivo chegou a ver a boca do menino se mover para falar algo, mas ignorou completamente. Depois de subir, Rael concentrou seu poder e voou a toda velocidade enquanto ocultava o seu poder. Ele não olhou para trás, tudo o que ele queria era se afastar do menino e pensar com calma sobre o que acabara de acontecer.

 

― ‘Esse menino poderia ser um renascido? Não tem explicação, ele não poderia ter um corpo tão resistente como aquele estando em um nível tão baixo assim’ ― pensou Rael enquanto partia em silêncio.

 

Rael já havia se afastado o suficiente e, quando olhava para trás, não via mais o menino e nem sentia mais a presença do mesmo. Por puro instinto, baixou voo e continuou ocultando completamente o seu poder, se embrenhando em uma floresta que surgira e olhou para trás de onde veio. Rael não sentiu qualquer presença, mas teve a forte sensação de estar sendo perseguido.

 

E não estava enganado, uma belíssima jovem de estatura baixa, pele branca e cabelos escuros ondulados passou voando com velocidade, seguindo na mesma direção que Rael antes traçava:

 

 

― ‘Essa garota está no lendário poder das leis... Mas ela é tão nova, não deve ter nem mesmo trinta anos. Violeta estava certa em dizer que as pessoas de um mundo comum são bem mais poderosas.’ ― pensou Rael. Ele não saiu apressado, esperou mais um pouco e depois a viu retornar. A jovem no céu corria sua visão por todos os ângulos procurando por alguém e Rael sentia que era ele o seu alvo. Rael se manteve escondido longe da visão dela por trás das sombras de algumas árvores e esperou pacientemente a mesma sumir, enquanto voltava em direção ao menino loiro. Apenas depois de sentir que estava realmente seguro, Rael subiu novamente aos céus e voltou a voar enquanto pensava no que iria fazer a partir de agora.

_______________________________________________________________________________


Nota autor:

Venho por esta anunciar o lançamento do meu livro -> Existência Ilimitada. Ele está sendo lançado sábado dia primeiro de dezembro as 15:00 em 2018. O lançamento será no céu Heliópolis. O Céu Heliopolis é a biblioteca da Etec que fica ao lado do Bacarelle. Ele será lançado pela Editora Gráfica Heliópolis

SP: São Paulo
Bairro: Heliópolis
Rua: Estrada das Lágrimas 2301

Como vocês sabem, a história de Herdeiro do Mundo e Existência Ilimitada dividem o mesmo universo.
Eu decidi tornar Herdeiro do Mundo gratuito sem nenhum pedido mais a pouco tempo, enquanto por outro lado, retirei Existência do ar para se tornar um livro físico.
Existência Ilimitada não voltará para a Saikay, nem será mais lançada em modo áudio, essa novel, só poderá ser lida através de mídias físicas no momento. As vendas online começarão no futuro breve e eu voltarei com mais informações mais tarde. Para quem não sabe, esse menino loiro que aparece acima é Isaac de Existência Ilimitada 

Na Existência Ilimitada, é contado um pouco da verdadeira história do Herdeiro e como ele era, uma personagem em questão, fala sobre ele para Isaac em uma conversa no qual pede para Isaac, exterminar Rael.