O Herdeiro do Mundo

320 - Primeira vez de Rika e Rael

Capítulo em audio--> https://www.youtube.com/watch?v=LHrRajLlQls

 

Naquela manhã, Rael estava tomando um café reforçado em casa, com Natalia e Mara. Ele tinha voltado na noite anterior e dormiu com as duas, depois de um longo tempo em cultivo. Conforme Mara pedia, ele sempre tocava em seu ventre. Rael agia de modo comum e algumas vezes mantinha um tímido sorriso, podia parecer que ele estava aceitando e seguindo naturalmente, mas saber que teria filhos o deixava bastante ansioso.

 

― Minha mãe disse que, com alguns meses, será possível ouvir o coração dela batendo, ou até mesmo sentir seus movimentos ― disse Mara de volta, enquanto Rael alisava a mão em seu ventre. Natalia estava parada em pé ao lado da prima enquanto Rael estava de frente, levemente agachado.

 

Desde que Natalia tinha ficado mais poderosa, a moça levava Rael e Mara à loucura na cama. Natalia nunca foi completamente passiva na cama, mesmo antes de ter controle do Espectro. Ela sempre soube se impor e fazer coisas que agradavam aos dois. Mas agora, como estava mais ousada e completamente segura de si, ela agia de maneira pura e instintiva, sem esquecer o fato de que um corpo renascido tem melhorias naturais nesses quesitos. O corpo de Natalia correspondia melhor ao sexo e, dessa forma, ela não só se sentia melhor como também transmitia essa sensação aos parceiros, principalmente a Rael, é claro.

 

― Estou pensando em chamá-la de Samantha, tal como o nome da minha filha da outra versão. O que você acha, Rael? Natalia adorou a ideia ― disse Mara e o rapaz se levantou depois de retirar a mão do ventre dela. Mara soltou a blusa, deixando o belo tecido vermelho cobrir novamente sua barriga.

 

― Eu acho uma boa ideia, tenho certeza que eles ficarão felizes em saber disso ― disse Rael satisfeito e Mara fez um sim com a cabeça.

 

― Eles estiveram aqui ontem, mas você estava em cultivo. Eu contei a eles o que pretendia fazer e eles ficaram mesmo felizes. A minha outra versão está com um corte de cabelo diferente e disse que vai pintá-lo. Ah! Ela engravidou novamente, e dessa vez vai ser um menino ― disse Mara, contando alegremente sobre sua outra versão.

 

A outra versão de Mara, Rael e Samantha ainda estavam nesse mundo, mas agora moravam um pouco longe, em uma pequena cidade e usando outros nomes. Apenas Samantha estava utilizando o seu nome original.

 

― Oh! Ainda bem que eles ficaram bem ― disse Rael, feliz com o entusiasmo de sua esposa.

 

― Mara esqueceu de contar que Samantha conheceu um rapaz, agora ela tem um namorado ― disse Natalia, conforme Rael se virou para ela: ― É um jovem mestre, de uma família mediana. Estamos torcendo para que tudo dê certo entre eles. ― disse Natalia. Ouvindo isso, Rael concordou satisfeito com a cabeça, se lembrando das investidas constantes da jovem. Até hoje ele não esquecia das vezes em que Samantha deu em cima dele, isso sem falar nos beijos que ela lhe roubava furtivamente.

 

― Minha mãe estava pensando em alterar seus nomes oficialmente e deixá-los morar no clã conosco. Agora que Romeo se foi e temos o controle, não seria mais um problema trazê-los para cá ― disse Mara. Rael se lembrou de Neide ter comentado algo a respeito na época, mas como estavam resolvendo muitas questões ao mesmo tempo, ela disse tudo muito rápido e depois deixou para explicar melhor em uma outra hora.

 

― Tudo bem por mim, não acho que seja uma ideia ruim. Se os dois trocarem de nome, não haveria problemas futuros. ― disse Rael naturalmente.

 

Rael e as meninas conversaram um pouco mais enquanto tomavam café. Mas Rael não tirou da cabeça nem por um momento o seu dia com Rika. Era hoje. Estava combinado que antes do almoço ele se encontraria com a celestial para passar um tempo com ela.

 

Depois do café, Rael se despediu das meninas e partiu, sumindo no portal. Como Mara agora estava grávida, a pressão e cobrança por tempo havia diminuído bastante por parte dela. Natalia também não ligava muito, ela entendia que Rael precisava trabalhar bem o seu tempo com todos os seus.

 

Sempre que Natalia e Mara ficariam sozinhas, elas ficavam um tempo juntas e depois seguiam com seus afazeres. Natalia saía para treinar o seu poder e Mara iria cultivar no vulcão. Isso ocorria porque Alexia havia aconselhado Natalia a aprimorar o controle de seu poder parar ficar ainda mais forte. Por sua vez, Mara precisava cultivar bastante por estar atrasada. A moça tinha acabado de chegar no décimo segundo reino, o Lendário Poder das Leis, e estava cultivando o mais rápido que podia. Mara queria acompanhar sua prima, mas essa tarefa não seria nem um pouco fácil.

 

― ‘Você já deve saber, mas mesmo assim eu devo adverti-la: Uma mulher grávida não pode renascer devido a formação do bebê. Eu sugiro que você se esforce enquanto ainda está com a barriga pequena e consiga logo chegar ao ápice do reino final. Depois você pode descansar e curtir o restante de sua gestação. Depois de amamentar a criança por no mínimo seis meses você poderá renascer, mas não antes disso.’ ― Alexia tinha avisado Mara, que já estava bem ciente de sua situação atual. Se por um lado ter engravidado do homem que a ama era um sonho, pelo outro era certamente um atraso em seu cultivo.

 

― ‘Agora eu tenho uma semente com Rael. E essa linda menina nos trará bastante orgulho! Farei dela uma poderosa cultivadora!’ ― Mara não pensava negativamente, ela tinha sido avisada antes por Neide e por Alexia sobre esse delicado assunto. Ela sempre esteve ciente, mesmo antes de engravidar.

 

Natalia, por outro lado, se divertia enquanto treinava suas habilidades. Ela aplicava punições nas almas de Heitor e Romeo e os faria aparecer fisicamente em frente a ela. Os dois apareciam como dois mendigos em estados deploráveis, sempre machucados e gemendo de dores.

 

― Natalia, eu imploro a você. Por favor, tenha compaixão por mim! Eu peço para que destrua o meu espirito e me deixe partir para o além. Eu sei que cometi erros com você e tenho certeza de que já paguei por todos; e por isso te imploro! Por favor, me destrua! ― Heitor era o primeiro a desabar de joelhos, na frente da bela jovem. O homem estava acabado e penoso, ele passava horas sendo torturado constantemente numa pequena dimensão criada por Natalia, onde ela tinha o aprisionado junto a Romeo. Nessa dimensão eles tinham um carcereiro que ficava os maltratando incessantemente. Mesmo enquanto Natalia dormia, eles ficavam sofrendo torturas infindáveis e, como os seus corpos eram espirituais, qualquer dano se recuperaria quando fosse chegado o momento certo.

 

― Natalia, me deixe desaparecer também! Eu já paguei por tudo! Estou cansado desse mundo! Liberte-me e me deixe morrer de uma, eu imploro! ― Romeo também tinha se ajoelhado. Ele não estava em um estado melhor que Heitor, os dois estavam praticamente do mesmo jeito. Destruídos psicologicamente, completamente sujos de sangue e vestindo trapos, que era apenas uma casca para cobrir seus corpos.

 

― Libertar vocês? Estão brincando comigo? Pelas minhas contas vocês nunca poderão pagar pelo que fizeram a mim. Nem hoje, nem em mil anos! ― disse a jovem, com um sorriso frio e ar maligno. Antes, Natalia era só uma jovem gentil e pura que não sabia diferenciar amigos de inimigos. Agora, no entanto, ela tinha um ar perverso e sua maldade para aqueles que merecia não parecia ter limites.

 

― Você não tem esse direito de fazer isso comigo, Natalia! Eu ainda sou o seu pai! Eu n-...! ― Romeo se excedeu por não aguentar as palavras frias de Natalia e se levantou em um pico de fúria mas, enquanto ele falava, sua boca foi rasgada de um lado a outro do rosto e vários de seus dentes foram arrancados sem qualquer explicação, como se uma mão invisível tivesse puxados os dois lados do rosto com uma lâmina e arrancado alguns dentes simultaneamente. Romeo caiu no chão rolando e gritando enquanto seu rosto desfigurado era tomado por um mar de sangue. Heitor, que estava do lado estremeceu apenas por olhar aquela cena e ficou em silêncio, de cabeça baixa. Ele não ousou fazer o mesmo e terminar como Romeo.

 

― Você pode ter sido meu pai sim, e daí? Isso não muda o fato de que sempre me tratou mal e sempre foi um grande merda. Você foi culpado pela morte de Rael e eu jamais o perdoarei por isso, sem mencionar todos os maus tratos que você fez a mim e a minha mãe! Eu te odeio, Romeo! Te odeio tanto que nem mesmo consigo expressar esse ódio com palavras! ― assim que concluiu, Natalia se virou para Heitor: ― E você, Heitor? Acha que só porque ficou calado que eu vou te perdoar? Você me espancou e arrancou de mim a minha pureza! Algo que deveria ser especial para mim se tornou o meu maior pesadelo! Você é tão culpado quanto o meu pai! ― Disse Natalia furiosa, com uma expressão assustadora. Natalia era linda, e mesmo quando fazia uma expressão maligna, seu rosto ainda permanecia belo. Olhando para aquela bela mulher e prestes a clamar por perdão, Heitor sentiu sua boca se rasgar e seus dentes serem arrancados furiosamente também. A dor era suficiente para fazer qualquer um perder a consciência. Heitor caiu no chão rolando e gemendo desesperadamente, agora acompanhando Romeo. Natalia sorriu satisfeita ao vendo o sofrimento dos dois e depois olhou ao redor para ter certeza de que continuava não havendo ninguém na proximidade. Sempre que ela treinava o domínio de seus poderes, escolhia locais afastados e longe de qualquer cidade ou vila, geralmente em cima de alguma montanha, como agora, de modo a ter uma visão privilegiada das redondezas.

 

_____________________________________________________________________________

Rael encontrou Rika no local marcado. Tratava-se da mesma pequena cidade, que agora estava abandonada depois do caos com a invasão do Norte e dos espíritos do Espectro. Como todas as pessoas dessa cidade tinham sido mortas, Rika capturou a cidade e a assumiu como proprietária, ganhando legalmente o direito de Rael como recompensa por ter ajudado na grande batalha contra os invasores.

 

― Você e minha filha podem usar essa cidade também, em vez de se atracarem em locais inapropriados ― disse a celestial, vendo Rael olhando em volta. O local estava abandonado quase que completamente. Rika só cuidava de uma casa específica, a que seria utilizada para o ato.

 

Eles entraram em uma casa de porte médio. Era a melhor da cidade, porque a maioria estava destruída ou danificada. Rika tinha preparado um quarto nos fundos e, conforme eles foram se aproximando do local, o coração de Rael começou a bater mais forte no peito. A aura sexual de Rika já estava envolvendo o rapaz, o deixando duro mesmo apenas por caminhar ao lado da voluptuosa celestial.

 

Rael e Rika mal entraram no quarto e já se agarraram em um intenso beijo. A celestial não parava de lançar sua aura sexual no jovem, que enlouquecia  de vontade cada vez mais. Roupas foram tiradas e o vestido azul daquela bela mulher removido junto com sua calcinha e sutiã, exibindo um corpo escultural que fez o coração do jovem parar por alguns segundos. Era um corpo adulto e puramente evoluído, os seios dela eram grandes e volumosos, completamente perfeitos, junto a um corpo muito bem desenvolvido, com coxas e quadris definitivamente atraentes. Rika era uma mulher adulta maravilhosa, e isso o deixava ainda mais ansioso por tocar aquela mulher.

 

Rael também teve suas roupas removidas entre beijos e chupões e os dois ficaram nus, frente a frente. Rael passava constantemente as mãos nas coxas ou bunda de Rika e apertava firmemente, indicando o seu desejo para com ela. A celestial, por sua vez, massageava o membro de Rael, que não podia estar mais duro. Ela brincava com a cabeça do membro do jovem, esfregando-o entre as pernas. Rael já tinha tocado e chupado o local especial da celestial, ele sabia o quanto ela estava quente e molhada.

 

― Você me quer, Rael? ― perguntou a mulher, esfregando a cabeça dele pelas beiradas do seu local especial. Essas ações deixaram Rael quase fora de si, principalmente por causa da aura sexual que envolvia completamente o jovem, o entorpecendo de vontade. Rika fingia não estar com tanta vontade apenas para provocar Rael, mas na verdade ela também estava louca para sentir aquele jovem dentro dela.

 

― Quero muito...! ― disse o rapaz suspirando, e recebeu mais um beijo caloroso da celestial. Eles seguiram se beijando até a cama, onde Rael sentou-se e ela se acomodou lentamente em seu colo, mas não se encaixou a ele. Eles se beijaram por mais alguns segundos e Rika segurou o membro de Rael com uma mão, prestes a colocar dentro enquanto se posicionava para recebê-lo.

 

― Vamos sentir um ao outro agora... ― disse a bela celestial com uma voz quente e lentamente o encaixou, deslizando por ele enquanto se sentava.

 

Rael perdeu a respiração quando sentiu toda a textura macia e quente dentro de Rika. Ele teve a sensação de ser apertado forte e deliciosamente dentro dela, como se uma boca deliciosa o estivesse chupando de todas as direções. Ele gemeu sem aguentar mais e abraçou a celestial, que também estava em transe naquela sensação. Abraçados, e se apertando com certa violência, Rael explodiu dentro de Rika, sentindo a sensação se intensificar ainda mais. A celestial teve o seu primeiro orgasmo e se estremeceu inteira nos braços de Rael. Como Rose, a coisa da celestial envolveu completamente o membro de Rael, sugando cada gota que fora expelida, e durante aqueles segundos de prazer, os dois se sentiram tão bem que mesmo se estivessem prestes a serem mortos agora, eles não se soltariam e seguiriam até o fim.

 

Depois daquela explosão, quando a sensação estabilizou e voltou a ser algo mais controlável, Rika tinha uma expressão de completude, plenamente satisfeita. A celestial envolveu a cabeça de Rael com os dois braços e começou a beijá-lo enquanto movia o quadril, fazendo a cabeça deslizar de um lado a outro dentro dela durante a cavalgada, apenas para intensificar ainda mais as sensações que já estavam surreais. Os beijos deles eram interrompidos por suspiros e gemidos longos do mais profundo prazer, Rael abraçava as costas da Celestial e ela, a cabeça do jovem. Os dois não tinham planos de se soltarem ou pararem de se beijar, tudo estava incrivelmente bom.

 

Qualquer mínimo ato encaixado com aquela mulher virava um mar de prazeres. Toques, caricias, beijos... Tudo era especial e único entre os dois.

 

Os dois fizeram até a noite e quase não se desgrudaram em momento algum. Foram poucas vezes que tiveram que desencaixar nas trocas de posição, e somente para isso. Rael não conseguia ficar mole para ela, mesmo após várias horas fazendo sem parar. Chegou um momento em que ele explodia, mas não saia quase nada nessa explosão. O jovem não conseguia ficar mole porque a aura sexual de Rika e todas as sensações em questão não o deixavam perder o fôlego. Uma humana celestial adulta, em si, era um perfeito paraíso de prazeres.

 

― Estou tão viciada nessa sensação... Ter você dentro de mim é muito mais forte e intenso do que eu jamais pensei que fosse possível... ― disse a celestial, ainda encaixada com o rapaz. Já era noite e os dois estavam com fome, mas não estavam conseguindo parar. Rael tinha que admitir que ela não era uma violadora, mas certamente as sensações não ficariam longe do que possuir uma. O corpo de Rika era viciante o suficiente para não deixá-lo amolecer.

 

Toda vez que ele explodia, seu corpo enfraquecia semelhante ao que ocorria com Rose. Mas, com Rika, as sensações eram amplificadas e mais intensas, dando uma forte sensação de que eles nasceram somente para aquele ato, como se Rika existisse para Rael e vice-versa. Ao contrário das explosões de Rael, os orgasmos de Rika não diminuíam com o tempo e sempre seriam intensos ao máximo possível, fazendo ela perder boa parte do juízo tamanho o prazer sentido. Quando ela alcançava o clímax, tinha que tomar bastante cuidado para controlar o seu poder e não se deixar levar. Se ela perdesse o controle como sua filha durante o orgasmo, ela destruiria facilmente todo o quarto, e até mesmo a casa onde eles estavam. Mesmo controlando o poder, seus raios corriam pelo corpo dos dois, a sorte de Rael é que ele tinha resistência absoluta contra o elemento Raio.

 

― Eu não queria parar, mas estou morrendo de fome... Eu nunca senti tanta fome assim antes. Fazer sexo é muito bom, mas também é deveras cansativo... ― disse a celestial, por cima de Rael. Eles continuavam encaixados enquanto Rael acariciava os seios dela após outra explosão, ele definitivamente não se cansava de tocar aquela maravilhosa celestial.

 

― Vamos parar para comer algo e depois continuamos. Temos ainda toda a noite para aproveitarmos ― disse Rael, que também não queria parar, mas estava de acordo com a celestial em relação a fome. Rika concordou e os dois ainda terminaram mais uma rodada. Depois, com muito custo, os dois se separaram. A bela mulher de cabelos azuis vestiu apenas uma calcinha e o sutiã ao se levantar. Sabendo que teria suas roupas retiradas em breve, Rika não se preocupou em se vestir completamente.

 

― Vou preparar alguma coisa para o jantar ― disse ela, com bastante ternura em sua voz.

 

― E você sabe cozinhar? Violeta andou te ensinando? ― perguntou Rael curioso, vestindo apenas sua cueca também. Rika sorriu para o rapaz e o respondeu prontamente:

 

― Eu tive que aprender. Afinal, é meu dever como esposa saber cozinhar para o meu marido.

 

― Oh, então é isso? Se é assim, vamos ver se vou aprovar o seu tempero ― brincou Rael de volta. Os dois trocaram mais um beijo antes dela se dirigir para a cozinha, Rael a seguiu logo após.

 

Seja por sorte ou precaução, Rika tinha se preparado para esse momento e havia deixado ingredientes, panelas e todos os utensílios necessários para se preparar e apreciar um agradável jantar guardados na casa.

 

Enquanto Rika preparava o jantar, Rael fazia questão de ficar abraçado por trás dela, cheirando seu belo cabelo azul ou chupando alguma região de seu pescoço. A celestial sorria como uma jovem donzela em companhia de seu primeiro namorado, e não era difícil vê-la rir ou tentar fugir de Rael quando sentia muitas cócegas. Os dois claramente estavam se dando muito bem.

 

― Rael, se a comida ficar ruim a culpa será sua por não me deixar fazer direito ― reclamou ela, ainda sorrindo em um tom brincalhão. Claramente ela não estava achando ruim as investidas do jovem.

 

― Mas eu não tenho culpa se você é tão bela e se vestiu com tão poucas peças assim ― disse o jovem, ainda abraçado a cintura de Rika.

 

― Eu gostaria de ter mais momentos assim com você... ― disse Rika suavemente. A celestial fechou os olhos e deixou sua cabeça relaxada de lado, colando-a ao rosto de Rael por alguns instantes. Os dois ficaram em silêncio para aproveitar o momento, e só o que podia ser ouvido durante esse momento era som das panelas no fogo.

 

Um pouco mais de uma hora havia se passado e os dois estavam acomodados em uma mesa própria para dois lugares:

 

 

― E então, o que está achando da comida? ― perguntou Rika, depois de servir os pratos e Rael ter experimentado o que lhe foi servido. Ela estava bastante ansiosa pela resposta do rapaz. Rael mastigou algumas vezes em silêncio e sorriu docemente para a bela celestial como resposta, mostrando completa satisfação.

_______________________________________________________________________________

Nota autor:

Venho por esta anunciar o lançamento do meu livro -> Existência Ilimitada. Ele será lançado amanhã, sábado dia primeiro de dezembro as 15:00. O lançamento será no céu Heliópolis. O Céu Heliopolis é a biblioteca da Etec que fica ao lado do Bacarelle. Ele será lançado na Editora Gráfica Heliópolis

SP: São Paulo
Bairro: Heliópolis
Rua: Estrada das Lágrimas 2301

Como vocês sabem, a história de Herdeiro do Mundo e Existência Ilimitada dividem o mesmo universo.
Eu decidi tornar Herdeiro do Mundo gratuito sem nenhum pedido mais a pouco tempo, enquanto por outro lado, retirei Existência do ar para se tornar um livro físico.
Existência Ilimitada não voltará para a Saikay, nem será mais lançada em modo áudio, essa novel, só poderá ser lida através de mídias físicas no momento. As vendas online começarão no futuro breve, mas o lançamento fisico dela será amanhã ^^

Na Existência Ilimitada, é contado um pouco da verdadeira história do Herdeiro e como ele era, uma personagem em questão, fala sobre ele para Isaac em uma conversa no qual pede para Isaac, exterminar Rael.