O Herdeiro do Mundo

314 - O Poder Além de um Reino Final

Capítulo-->https://www.youtube.com/watch?v=O2F5myaq64Y

 

Antes de Rael entrar no portal, as guardiãs e Mara avançaram até ele preocupadas sobre o que ele pretendia fazer.

 

― Eu estarei com Alice, ela não vai deixar nada me acontecer ― disse Rael para elas.

 

― E Natalia? Você vai deixá-la sozinha? ― perguntou Mara.

 

― Ela não está sozinha, Alexia está com ela. Com Alexia, Natalia ficará segura, na medida do possível, e não há nada mais que possamos fazer ― disse Rael de volta.

 

― O que vai ser: você vem ou não? O tempo que fico parada aqui eles aparecerem lá e começam uma nova matança ― disse Alice de repente, um pouco entediada.

 

― É claro que vamos ― disse Rael querendo se apressar.

 

― Nós não podemos ir com você? Aqui não há mais inimigos ― disse Mara.

 

― Por que não vão ajudar o clã Torres? Seus pais podem estar passando por problemas ― disse Rael. Mara não teve o que fazer, a não ser concordar. As guardiãs também queriam continuar lutando, então aceitaram acompanhar Mara, visto que Rael e Alice tinham outro tipo de plano. Com Alice, os reinos finais morreriam em um golpe e Rael iria acompanhá-la apenas para sugar suas energias.

 

Com isso, Rael abriu um portal para elas e as mesmas partiram, depois Rael embarcou no portal criado por Alice.

 

Alice e Rael voltaram para o ponto dela e imediatamente sentiram auras próximas. Novos portais eram abertos e Alice era a primeira a entrar. Rael entrava atrás e quando chegava encontrava apenas fumaça escura no ar que ele logo começaria a sugar. Portais após portais e Alice continuava a matar e Rael a sugar as fumaças.

 

― ‘Já avancei dois níveis!’ ― Rael pensou surpreso, e com o coração eufórico. Ele continuava preocupado com Natalia, mas não havia nada que ele pudesse fazer, além do que Alexia continuava lá a protegendo de qualquer risco físico.

 

O clã Torres estava sob forte pressão. Havia menos mortos, porém os espíritos estavam mais poderosos.

 

Romeo estava dando trabalho para os três. Ralf, Neide e Rayger tinham que lutar juntos para segurar o falecido patriarca.

 

― Não importa o quanto vocês tentem resistir! Não são mais páreos para mim! Hahahahaha ― Romeo rugia e avançava sobre eles com um poder muito acima do que um reino final. Isso sem mencionar o elders, que continuavam a atacá-los.

 

A chegada de Mara e as guardiãs ajustaram um pouco a batalha. A barreira em chamas de Isabela matava instantaneamente qualquer um que ficasse em seu alcance, mesmo se fosse um reino final. E apenas essa habilidade já dava uma brusca mudança no cenário, pois ela havia matado três elders de uma só vez, deixando todos ao redor impressionados. Isabela tinha atraído a todos e depois usado sua habilidade, não era atoa que dentro das qualificações das guardiãs ela era considerada a guardiã defensiva.

 

Elisa, por sua vez, não estava sofrendo muito. Eram poucos os espíritos que a atacava porque o maior foco estava no novo patriarca e sua esposa, e ela só ficaria com restos. E esses eram cercados pelos homens que estavam sob o comando de Neide. Eles não esqueceram do olhar de Ralf sobre eles, os fazendo lembrar que não seria bom deixar Elisa se machucar.

 

Quando Elisa parou e pensou em seu estado atual, ela se sentiu demasiada estranha. Ela já tinha se sentido livre das correntes, mas não se sentia aceita até aquele momento. Depois que Ralf mostrou que a reconhecia e aceitava depois de tudo, ela se sentiu muito feliz e com vontade de continuar a viver. Ela perdeu seu antigo mundo, seu orgulho e dignidade, mas em troca recebeu aceitação. Mesmo Neide, que aparentemente a odiava, agora não demostrava remorsos.

 

Elisa tinha achado que sua vida seria de agora em diante um lixo, a única diferença do antes de agora é que todos iam saber quem ela era de verdade e antes não sabiam. Mas vendo como as coisas tinham começado a mudar, ela se sentiu estranha e bem mais animada.

 

_____________________________________________________________________________

Um total de três horas haviam se passado depois de todos os acontecimentos acima. Rael e Alice praticamente limparam seu território e foram centenas e centenas de energias sugadas por Rael. A cada vez que ele sugava menores eram as quantidades de energia recebida.

 

― ‘Eu consegui!’ ― Rael ficou eufórico ao perceber que atingiu um décimo segundo reino, o Lendário Poder das Leis. Seu corpo foi cercado por símbolos que brilhavam intensamente, se espalhando e queimando por toda a sua pele, mas era uma sensação suave e não chegava a incomodar. Ao mesmo tempo, Rael também sentiu sua cabeça esquentando.

 

Uma estranha sensação de autoconhecimento preencheu a mente de Rael. Ele viu em sua visão uma série de símbolos e palavras antes desconhecidas. Vozes ecoavam junto como ao que parecia um tipo de mantra.

 

― ‘Essas são as Leis, que aprendemos conforme o nosso poder avança!’ ― Rael pensou surpreso. Ele começou a ter um entendimento praticamente instantâneo sobre os primeiros símbolos das leis. Eles não eram muito diferentes do poder que Rael utilizava antes, e isso só fez Rael aumentar ainda mais seu entendimento.

 

Alice ficou do lado em silêncio, assistindo a evolução de Rael. Ela viu passo a passo ele sugando as energias e ficava surpresa, porque essa energia da morte faria mal até mesmo ela. Graças a Rael, cerca de 20% de todo o poder que seria do Espectro virou uma pequena parte do seu próprio poder. É claro que Rael não conseguia sugar a energia completa de cada espirito, ele sugaria apenas uma pequena parte e o restante deixaria de existir. Mas apenas esse ato já daria um enorme prejuízo ao Espectro.

 

_____________________________________________________________________________

No clã Torres, a situação tinha piorado depois de matarem Romeo e ele sugar todos os elders ganhando um poder imensurável. Ele era o único espirito a atacar, mas seus ataques ultrapassavam em muito os limites normais do que eles poderiam ter. Era como se ele estivesse no limite máximo do poder que ele teria em um reino final além do ápice.

 

Mara já tinha sido obrigada a recuar porque a moça não tinha mais poder suficiente para ajudar. Eventualmente alguém teria que proteger Mara, e isso dava brechas na batalha. Mara era ainda um décimo primeiro reino enquanto todos os outros eram reinos finais no limite.

 

BOOOOOOOOOOOM!

 

Com um forte soco de rocha, Romeo lançou Neide e Rayger para trás. Eles tinham se juntando para atacar em dupla, mas nem assim tiveram chance. Eles foram facilmente contidos. Ralf já tinha perdido uma de suas asas e não estava mais podendo lutar no céu. Atualmente ele se mantinha no chão e só podia olhar irritado para o alto, a única coisa que pôde fazer foi sair na direção de Elisa para ficar perto dela e protegê-la pessoalmente.

 

Romeo atacava Isabela e Keylla, que tinham entrado na frente quando ele tentou finalizar Rayger e Neide. Isabela os protegeu com o seu Escudo em Chamas enquanto Keylla fez algumas tentativas de ataque.

 

― Tudo isso é inútil! Vocês não podem mais comigo! ― Romeo rugiu e disparou uma chuva de rochas contra as belas mulheres. Entre defesas e danos, as duas recuaram com ferimentos mediados e sangue saindo de suas bocas.

 

Mara, vendo aquela cena de longe, imediatamente puxou o anel para pedir apoio de Rael ou de uma violadora, quem estivesse mais próximo, mas algo inusitado ocorreu. Os corpos de Keylla e Isabela de repente explodiram em poder e flutuaram no ar como se as duas ficassem inconscientes. Romeo continuou atirando rochas gigantes de energias que eram destruídas facilmente nas barreiras que envolvia as duas.

 

― Elas estão evoluindo para acima de um reino final? ― Até mesmo Mara reconheceu o evento, com bastante surpresa. Os corpos de Isabela e Keylla irradiavam muito poder. Quando as duas se recuperaram, havia uma esfera de energia flutuando em volta de cada uma delas. Enquanto a de Isabela era vermelho fogo, Keylla possuía uma azul gélida.

 

― Esse poder...?! ― Romeo ficou estupefato e paralisado olhando as duas. Aquele era um reino desconhecido até mesmo para ele. Esse era o poder de um décimo quarto reino, mas ainda não tinha um nome nesse pequeno mundo. Eles só podiam saber que era um poder um reino acima do Reino Final, que obviamente já não era mais o reino final.

 

Rayger e Neide estavam se recuperando quando viram o poder estrondoso das duas guardiãs. Eles sentiram uma poderosa e intensa pressão irradiando das duas, principalmente da esfera que as acompanhava.

 

― Como aumentaram o poder assim? Elas nem sequer renasceram! ― Romeo estava confuso enquanto encarava suas inimigas a frente: ― Não pensem que eu vou aceitar isso! ― Romeo rugiu e juntou todo o seu poder em uma imensa rajada de pura energia de terra. O ar em volta de Romeo parecia se rachar de tanto poder que ele estava acumulando, parecia que ele queria destruir o mundo inteiro junto com elas. Ele apontou as duas mãos para a frente e lançou a imensa aura de ataque. Era como uma montanha de energia de Terra sendo lançada contra as duas.

 

― Deixe isso comigo. ― disse Keylla e flutuou a frente. Ela concentrou sua esfera flutuante de energia próxima ao peito. Uma energia azul pura envolveu toda a frente como um imenso escudo saindo da esfera, tudo isso ocorreu muito rápido. O poder de Romeo foi totalmente contido dentro de um tipo de rede da energia da esfera e foi completamente anulado. Quando o poder se chocou, ele literalmente explodiu dentro do poder de Keylla.

 

BOOOOOOOOOOM!

 

Um misto de confusão e perplexidade ficou estampado no rosto de Romeo. Ele não imaginou que todo aquele poder que levaria o clã Torres a completa destruição fosse contido tão facilmente.

 

Zuuuuuuuuuuuup!

 

Quando Romeo foi entender o que aconteceu Keylla já estava parada em frente a ele, tocando em seu tórax com a mão. Mesmo com toda a sua defesa poderosa de Terra, não foi possível resistir ao toque daquela mulher. O corpo de Romeo foi completamente congelado em segundos.

 

― Você não vai morrer tão rápido pra voltar novamente. Dessa vez deixarei você preso aqui quantas horas forem necessárias ― disse Keylla. Ela liberou um pouco de gelo para que ele respirasse, fazendo um pequeno caminho até a boca e, depois, com a mão estendida, guiou o corpo congelado até o chão. Mesmo de longe, ela controlava o bloco de gelo que era Romeo facilmente e o pousou suavemente no chão.

 

Romeo ficou preso no gelo, sentindo toda sua pele queimando devido as ondas de frio intensas, mesmo assim ele conseguia respirar. Ele não acreditava que foi tão facilmente derrotado por um simples ataque e que todo seu poder lançado agora não tinha feito qualquer efeito em Keylla.

 

― Essas esferas de energia são muito bonitas ― Neide disse se aproximando das guardiãs. Segundos antes, ela e Rayger pensaram que todo o clã iria ser destruído e mal tinham se recuperado do choque.

 

Isabela e Keylla tinham uma esfera de energia que teria mais ou menos o tamanho de uma bola de futebol. Essa esfera continha a cor de seu elemento e ficava voando em volta delas como se tivesse vida própria. O poder que cada esfera irradiava era de uma poderosa e intensa pressão, emanando constantemente energias em volta.

 

― Este é considerado o primeiro reino após o renascimento e a recuperação total de seu antigo poder. Eu não me lembro a nomeação deste reino ― admitiu Isabela depois de pensar um pouco. Em suas memórias não havia qualquer rastro do nome desse reino. Apesar de que nem todos os lugares seguiam os mesmos padrões de nomes. Enquanto aqui um décimo terceiro reino seria o Reino Final, em outros mundos poderia ser diferente.

 

― Mas o poder recebido é um absurdo, eu sinto como se meus sentidos e minhas forças tivessem triplicado desde o último nível em que estive. ― disse Keylla em seguida, olhando a própria esfera. Com a palma da mão estendida na frente e um comando mental, a esfera estava parada ali, flutuando imponentemente sobre a mesma, girando e soltando ondas de energias em volta. Qualquer um podia dizer que Keylla tinha pleno controle daquela pequena bola de energia.

 

Quando as duas avançaram de reino, todos os ferimentos desapareceram, e elas recuperaram todo seu poder no auge, em força total.

 

_____________________________________________________________________________

Rael continuava lá parado recebendo uma série de informações aleatórias e consistentes sobre o poder das leis. ele não sabia dizer se com todos acontecia mesmo, mas acreditava que não.

 

Alice estava parada próxima a ele. Depois que Rael sugou várias partes e o Espectro uma outra parte, agora raramente aparecia algum espirito morto pelo mundo. Aparentemente tudo estava nas mãos de Violeta no outro mundo.

 

Violeta no Mundo Morto continuava voando e controlando sua intensa vontade de matar que corria em seu peito. Mantendo Natalia nos braços até o momento, ela não teve mais problemas e só restava duas horas antes de tudo acabar.

 

― ‘Eu vou conseguir! Eu vou conseguir! Eu vou consegui!...’ ― Ela mantinha esse pensamento na cabeça para ignorar o desejo de matar os seres vivos que queria dominar sua mente. O Espectro não tinha conseguido poder suficiente para ultrapassá-la graças a Rael, que sugou mais uma parte. Colocando de maneira exemplificada, ele havia perdido 25% na ativação do caos no mundo dos vivos e mais 20% por causa de Rael, que absorveu uma grande parte do poder que seria seu e transformou em um pequeno reino para ele. O Espectro não poderia estar mais furioso. Suas investidas ao mundo dos vivos estava começando a gastar mais energias do que ganhava, e com isso ele teve que desistir. Só restava a ele utilizar todos os meios para tirar Natalia de Violeta para ele tentar possuí-la de uma vez.

 

Com isso, ele começou novas investidas com seus poderes que possuía dentro do Mundo Morto. Ele aparecia em lugares aleatórios próximos a Violeta e tentava sugar ela com o poder de grito. Por estar mais forte, sua velocidade era ainda maior e ele conseguia quase sempre chegar bem perto de pegá-las. Violeta sabia que, mesmo ela se entrasse no caminho do grito seria sugada sem escapatória e isso a fazia se tremer de medo. Ela estava lutando pela sua sobrevivência e pelo seu acordo com as outras partes. Proteger Natalia era a única forma dela conseguir permanecer viva, mas ela também tinha que sobreviver, de todo modo. Ela sabia como sumir e aparecer em outros lugares, mas devido a Natalia estar com ela, ela não podia fazer isso.

 

― ‘Só mais um pouco...!’ ― ela mantinha-se concentrada enquanto continuava carregando Natalia.

 

O Espectro, percebendo que esse jogo não estava funcionando, foi obrigado a utilizar suas últimas cartas da manga. Levantando o cetro em forma de cruz para o céu sinistro do Mundo Morto, ele fez com que todo o mundo criasse mais brechas, tanto pequenas quanto grandes. Essas brechas se espalhavam por todas as partes, como se fossem teias de aranhas. Qualquer espirito que tocasse nelas teria parte de seu corpo espiritual enviado para o mundo dos vivos, os enfraquecendo instantaneamente.

 

No Mundo Vivo, o corpo de Natalia também começou a espalhar uma densa aura da morte, nem mesmo Alexia podia com isso e foi obrigada a sair do templo, deixando Natalia sozinha. Alexia estava conseguindo manter lacrado uma parte do poder do Espectro e isso o fez criar mais um sacrifico para retirar Alexia de perto e ter controle de todo o seu poder.

 

O corpo de Natalia, agora livre de Alexia, se levantou e sentou suavemente sobre o altar e fechou os olhos em forma de oração. A aura da morte em volta da jovem se espalhava em todas as direções do templo, enquanto ela parecia se manter concentrada. Isso dava ao Espectro original um aumento substancial em seu poder.

 

Com todos os aumentos de poder agora, o Espectro perseguia Violeta com muito mais afinco. Violeta também se feria constantemente ao passar por finas brechas abertas e parte de seu espirito era danificado, diminuindo seu poder. O processo de cura acelerado já tinha disso cancelado pelo Espectro, que por sua vez focava todas as forças para capturar Natalia.

 

Não demorou muito, uma enorme brecha se abriu na frente de Violeta praticamente em frente ao seu rosto. Um dos braços de Violeta foi perdido ela foi obrigada a soltar Natalia, que caiu no chão. O Espectro surgiu próximo a jovem e encarou Violeta que tinha voltado para pegar Natalia de volta, mas não conseguiu. Com o Espectro próximo, ela não tinha coragem de arriscar tanto a sua vida.

 

― Agora é com você, Natalia! Desculpe, mas eu não posso mais ajudar. Seja forte e resista! ― disse Violeta em um tom receoso e desapareceu, semelhante ao poder que Heitor usou quando enfrentou Mara e Natalia anteriormente.

 

 

O esqueleto então se virou e olhou na direção da bela jovem caída no chão. Natalia ainda estava se recuperando, a jovem estava um pouco atordoada devido a queda e ao que estaria por vir.