O Herdeiro do Mundo

304 - O Ataque dos que já Morreram

Capítulo em audio--> https://www.youtube.com/watch?v=0-1_FFi6FJk

 

Rael ficou um tempo chocado com esse fato, mas rapidamente entendeu o que estava acontecendo. Tudo isso tinha ligação com o Espectro Sombrio, só podia ter essa explicação, uma vez que até mesmo o tempo tinha mudado.

 

Com tantas mortes ocorrendo por todo o continente, o céu escuro era um claro sinal de que o Espectro Sombrio estava mais poderoso, e isso iria fazer o mundo dos mortos ficar mais próximo do mundo dos vivos, permitindo que espíritos cruzassem a passagem entre a morte e a vida deliberadamente.

 

― Rael, quero ver como você vai se sair agora. Muita gente odeia você, tantas que nem podem ser contadas. Você foi muito vigiado durante esses dias, e todos desse lado conhecem as pessoas que estão envolvidas com você. ― disse Reges em uma forma obscura, todos os homens tinham olhares sombrios para Janete e Rael.

 

Rael não disse nada, ele conjurou sua armadura e ativou todas as suas técnicas de velocidade. Janete fez a mesma coisa, ativou seu Movimento de Terra e sua amadura magica, a dela parecia com a de um gorila. Uma armadura magica chamada Gorila Demoníaco das Rochas: Uma armadura marrom, com algumas partes de proteções extras formados por espinhos prateados nos ombros e braços. No peito, uma proteção de metais extras com mais espinhos, e o resto do corpo era protegido pela junção de metais poderosos. O elmo redondo, contendo uma abertura para os olhos e a boca. As mãos dessa armadura pareciam ter dedos maiores e mais poderosos. Janete também tinha um bastão longo, grosso e prateado, que segurava com as duas mãos. Podia não parecer, mas a moça já estava familiarizada com a sua arma e armadura. Quando ela moveu o bastão em volta do corpo mostrou uma excelente maestria e agilidade, algo que a mente dela tinha de forma automática, conforme conjurava aquela armadura.

 

― Todos que tiverem envolvimentos com você, Rael, serão mortos! Essa é uma vingança mais do que justa, e todos nós concordamos! Não pense que você vai se salvar dessa vez! ― Reges gritou atirando suas adagas e já fez novas surgirem. As adagas atiradas tinham como alvo Janete, e não Rael, o que fez o jovem enrugar as sobrancelhas.

 

Rael saltou na frente de Janete e a protegeu usando seu braço direito rapidamente. Ele estava com sua armadura de dragão ativa, mas a parte do braço direito na armadura era ainda mais resistente, essa defesa tinha relação direta com o braço de Rael. Durante aqueles cinco dias de confinamento, o seu braço havia se curado completamente.

 

Rael não teve tempo de impedir uma série de ataques que se moveram contra ele e Janete nos momentos seguintes. Ele só pôde continuar tentando proteger Janete o máximo possível. Embora a armadura dela fosse forte, Janete não tinha a mesma força que Rael e, consequentemente, uma hora sua defesa acabaria e a armadura iria se desfazer.

 

Janete era uma combatente do tipo defensivo e era muito ágil, a armadura dela aumentava sua defesa e velocidade de movimento. Utilizando o bastão, ela era capaz de dar altos saltos e ter uma gama de golpes rápidos em conjunto com defesas cruciais e a ter também boas esquivas. Infelizmente, seu nível de poder não era suficiente para encarar tantos inimigos, ainda mais que esses inimigos eram décimos segundos reinos.

 

Rael invocou Ralf, que já surgiu rasgando o ar e matando rapidamente dois décimos segundos reinos que estavam prestes a atacar Rael.

 

Ralf tinha poder comparado a alguém dentro do reino final e sua agilidade poderia ser considerada bem mais rápida do que a de Natalia e Rael. Ralf era uma besta do elemento Ar (Vento) e sua velocidade era extraordinária, abatendo inimigos tão rápido que, na maioria das vezes, esses nem sabiam o que tinham acontecido antes de desaparecerem.

 

― Essa besta de novo! Foi ela que me...! ― quando um dos mortos estava prestes a reclamar, foi morto novamente por garras afiadas e vorazes, que o abriu em vários pedaços antes de sumir como um amontoado de fumaça.

 

Quando raios azuis surgiram mostrando Rika não foi nenhuma surpresa para Rael. Apenas Janete não fazia ideia da presença oculta daquela mulher. A bela celestial, tão linda quanto uma deusa, saiu de um espaço visivelmente inexistente, já lançando centenas de descargas elétricas contra vários inimigos. Os inimigos atingidos ficavam paralisados recebendo uma forte descarga e facilitavam a vida dos aliados em acabar todo o serviço com um único golpe. Até mesmo Janete poderia facilmente matar os inimigos paralisados com ataque da Celestial. Se um inimigo ficasse muito tempo tomado pelos raios, ocasionalmente morreria torrado. Se alguém tentasse acertar Rika para libertar os outros, também se tornaria outro alvo dos incontáveis raios. Os inimigos sendo eletrocutados sofriam horrores enquanto gritavam e seus corpos eram violentamente sacudidos.

 

Mesmo com todos esses poderosos ataques sincronizados, os inimigos não cessaram sua investida. Lâminas voaram no ar, golpes cortantes, rajadas de energias e diferentes técnicas se espalhavam por todo o local devido a esse confronto.

 

O chão ao redor se partia, criando crateras que se enchiam de lama e água. Mas adiante, inimigos seriam atirados dentro do rio, sumindo em meio as águas. Tudo havia se tornado uma bela amostra do mais profundo caos.

 

BOOOOM! BOOOOOM! BOOOOOM! BOOOOM! BOOOOOOOOM!

 

Várias explosões poderiam ser ouvidas no acampamento. Os homens já mortos que morriam novamente gritavam e viravam fumaça, sumindo no ar. Em poucos segundos de batalha, os quatro conseguiram eliminar metade dos homens. Reges focou seus ataques em Janete, tentando danificar a armadura dela, e como ela não era tão rápida quanto Rael para se defender das lâminas, sofreu vários ataques na base do pescoço da armadura. Graças a armadura ela conseguiu ficar bem. Rael fez tudo o que pôde para proteger Janete, mas ele também tinha outros alvos querendo derrubá-lo. Com isso, Rael conjurou o seu clone para ajudar na batalha, aumentando seus números.

 

― Você não pode proteger todos os seus aliados, Rael! Entregue a vida desta mulher agora! ― Reges rugiu liberando seu ataque de sangue, onde sairia vários tentáculos com lâminas de sangue em volta do seu corpo. Todos esses ataques lançaram-se na tentativa de causar um estrago maior na armadura de Janete. A mesma tinha acabado de tirar a vida de um décimo segundo reino preso no ataque de Rika.

 

Rael apareceu de lado e, com a mão direita tomada em chamas, cortou os tentáculos, impedindo que os ataques chegassem ao seu alvo. As lâminas de Reges foram destruídas a cerca de um metro de atingirem Janete. Janete percebeu e pulou mais para trás, fugindo do alcance de Reges, que nesse momento soltou um grito doloroso, tendo suas veias de sangue danificadas. Ao que Rael notou, eles pareciam estarem vivos normalmente, como se tivessem um novo corpo vivo. A única coisa que mudava era a aura da morte que constantemente emanava deles.

 

Reges recuou fugindo de Rael no momento que teve suas lâminas de sangue cortadas, mas o jovem o perseguiu.

 

― Venha! ― Rael gritou pulando perto de Reges e desferiu outro poderoso golpe com seu braço direito em chamas, dessa vez visando o peito de Reges. Reges usou algum tipo de técnica desaparecendo de perto de Rael e reaparecendo a uns vinte metros. Ele aparentava está ferido e parecia querer se recuperar. Rael, por sua vez, também se moveu como um borrão atrás do mesmo, sem dar nenhum tempo de recuperação. Reges não ficou parado e novamente recuou usando técnicas de velocidade enquanto sacrificava rapidamente a vitalidade daquele novo corpo que tinha agora. Em meio as fugas, ele ainda atirava adagas, sempre na direção de Janete para irritar Rael. Rael não podia defender todas, algumas ocasionalmente acertariam causando danos na armadura de Janete, que continuava a suportar todos os ataques. Se não fosse pela armadura, Janete já teria sido morta.

 

Rael compreendeu que, como Reges não conseguia eliminá-lo, estava tentando pelo menos matar Janete, que era próxima a Rael. Essa tática covarde não era apenas usada por Reges, mas por muitos outros em volta. Rika e Ralf já haviam percebido e por isso cercavam Janete, tentando fornecer proteção a sua aliada mais fraca.

 

― ‘Esse maldito só fica fugindo!’ ― Rael ficou irritado e como Janete era o foco, decidiu mudar um pouco as coisas.

 

Com um rápido movimento de portais, Rael apareceu ao lado de Janete. Ao ver Rael protegendo Janete, Rika e Ralf abriram mais espaço para terminar de exterminar os outros. Durante esse processo, mais homens estavam surgindo do nada. Esses homens se juntaram e lutavam com os homens de Reges, e isso manteve Ralf e Rika mais ocupados.

 

― Rael? ― Janete perguntou confusa, quando viu o jovem abrir um portal ao lado dela.

 

― Você precisa ir, Janete. Eles querem tirar a sua vida. Se isso continuar, sua armadura não vai aguentar ― disse Rael. Janete hesitou, pensando em ficar para ajudar, mas seu poder comparado ao de Rael e os outros ainda era bem fraco. Isso só a fazia ficar em perigo e depender da proteção dos outros, também os colocando em risco.

 

― Tome cuidado... ― disse ela relutante e entrou no portal. Rael o fechou em seguida e se focou em Reges.

 

― Eu vou matar você, dessa vez com muito mais prazer ― disse Rael e já avançou em velocidade com o seu braço direito em chamas. Reges esquivou mandando novos ataques de longa distância em Rael, que foram esquivados, e se surpreendeu quando Rael parou repentinamente e abriu a boca. Uma rápida junção de energias de raios foi rapidamente acumulada e essa poderosa rajada foi atirada em sua direção.

 

BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM!

 

Reges foi pego completamente de guarda baixa e destruído instantaneamente, se tornando um aglomerado de fumaça e desapareceu no ar junto com a explosão de raios, formando uma cratera imensa perto da margem do rio. Isso chamou atenção de todos, mas somente por um curto instante, antes da batalha retomar na mesma intensidade. Eles não pareciam temer a morte embora sentissem dor, era como se achassem que não poderiam ser destruídos definitivamente.

 

Rael se voltou para ajudar Ralf e Rika no extermínio dos oponentes que restavam e os poucos que ainda estavam aparecendo. Não eram os mesmos homens mortos, eram novos. Parecia que esses mortos recentemente não podiam voltar mais ao mundo dos vivos.

 

_____________________________________________________________________________

O clã Esperança estava sofrendo um intenso e impiedoso ataque do mesmo tipo. O falecido patriarca Helks havia retornado com todos os seus falecidos homens e estavam focados a matar todos os discípulos de Rael. Dois irmãos de Janete e uma das irmãs já tinham sido mortos depois do desaparecimento de suas armaduras, Ana conseguiu se safar por pouco da morte porque avançou rápido para a sua residência e gritou desesperada para todos os outros fazerem o mesmo. Ninguém estava entendendo o que acontecia e como aqueles homens de repente surgiram.

 

Isso não somente causou um estado de confusão entre os cidadãos. Todos aqueles que Rael permitiu continuar a viver na cidade, começaram a querer matar Ana e os outros discípulos, destruindo toda a boa fé que Ana havia colocado sobre eles. Essa traição foi a pedido de Helks, que disse que tinha voltado para reclamar seu posto e ordenava para todos os seus antigos seguidores matarem os traidores. Somente os homens mais leais que Ana separou a dedos estavam lutando do lado certo, mas morriam miseravelmente pelos outros devido a estarem em minoria. Eram muitos inimigos contra poucos aliados.

 

― Não deixem ninguém escapar! Todos eles são discípulos de Rael! Matem-nos imediatamente! Aqueles que me ajudarem a conquistar essa vitória, será nomeado como o novo elder. Rael também já está sendo morto em outro lugar e não vai voltar para se vingar! Temos muitos aliados dessa vez! ― Helks gritava ordens de extermínio de modo a incentivar todos ao redor. A família Alencar, a família Reis e Beatriz estavam com bastante dificuldade em sobreviver nas mãos de tantos décimos primeiros e décimos segundo reinos, todos eram elders de elite em vida, que morreram nas mãos de Rael. Sem mencionar os traidores e vários outros espíritos que apareceram para tentar matá-los.

 

Isabela e Keylla estavam lutando para ajudar, mas era impossível para elas proteger a todos, o que infelizmente resultou em baixas. O pior que, quando tudo começou, ninguém estava perto da residência da matriarca Ana. Todos estavam muito longe e espalhados pelo território, sendo completamente pegos de surpresa. Se não fosse por Keylla e Isabela agirem com velocidade, todos os discípulos de Rael poderiam já estar mortos.

 

No meio de toda a batalha, Thais e Laís ajudavam seus pais, que eram normais e sem cultivo, a atravessarem todo o campo de batalha. Não havia apenas elders atacando, havia vários homens mais fracos que foram mortos ao longo do processo lutando contra Rael. Esses homens eram como formigas: fracos, porém, absurdamente numerosos. O tempo todo Thais e Laís tinham que ficar na defensiva contra esses vários cultivadores que tentavam matar seus pais. Sendo de longe os mais fracos, estavam sendo focados pelos inimigos inferiores.

 

― AAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!

 

Mais um dos elders gritou morrendo nas mãos de Isabela no céu, Isabela e Keylla perseguiam os mais poderosos. As guardiãs não tinham dificuldade em exterminá-los, mas eles estavam espalhados por todo o território, e isso requeria movimentos e certa dificuldade de locomoção.

 

No meio do caos, Janete surgiu saindo do portal e, ao ver a sua família em perigo e alguns irmãos mortos, correu imediatamente para ajudar enquanto o portal se fechava atrás dela.

 

BOOOOM! BOOOOOM ! AAAAAAAAAAAH! AAAAAAAAAAAAAAH! BOOOOM! AAAAAAAAH!
Naquela batalha era impossível não haver mortes de ambos os lados. A família Reis conseguiu alcançar a frente da residência da matriarca Ana para se proteger dentro da barreira de Rael, mas houve um alto preço e Thais acabou se sacrificando para salvá-los. Ela morreu após usar seu corpo como um escudo para proteger sua irmã mais nova do ataque simultâneo de dois elders, que só pôde ver e gritar desesperada. Por causa dos seus pais, Laís foi obrigada a recuar, mesmo vendo sua irmã morrendo nas mãos dos inimigos.

 

Ana não conseguia mais ficar parada assistindo de dentro da segurança de sua residência com a barreira e avançou para fora, ajudando Laís e seus pais a correrem para dentro da residência. Os dois elders lançaram poderosos ataques em parceria contra Ana, destruído a armadura magica dela em segundos e depois tentaram terminar o trabalho, mas só conseguiram atingi-la com uma lâmina perto do coração antes dela conseguir entrar na residência junto com os outros.

 

Os demais inimigos golpeavam a barreira tentando quebrá-la para pegar os de dentro, mas parecia impossível. Um dos irmãos de Janete e uma irmã, queriam sair para ajudar seus pais, Janete e os outros que ainda estavam do lado de fora. Mas eles apenas seriam mortos como os demais. Os homens de Ana estavam sendo triturados na mão de tantos inimigos.

 

Isabela e Keylla continuavam correndo de um lado a outro exterminando vários inimigos, mas eram muitos e, em meio ao caos, era impossível para elas sequer perceberem os que precisavam de ajuda.

 

Infelizmente, também não havia como recuperar os corpos dos aliados caídos em meio a batalha. Esses eram pisoteados e massacrados por inimigos, que zombavam dos que estavam dentro da barreira. Alguns agarraram o corpo de Thais e enfiavam lâminas, outros arrancavam pedaços, e tudo na frente dos pais e Laís, que estavam dentro da barreira e próximos à porta. Tudo isso era uma provocação para saírem de dentro e serem atacados. Ana, gravemente ferida, estava sendo ajudada por Laís, que só podia fazer isso enquanto via aqueles seres maculando o corpo falecido de sua irmã mais velha. Seus pais se tremiam perto da porta mas, sem ter nenhum cultivo, eles não podiam fazer absolutamente nada, a não ser estremecer e chorar em desespero, torcendo para que esse pesadelo acabasse o quanto antes.

 

A festa dos inimigos só acabou quando Keylla desceu dos céus e limpou toda a frente da residência de Ana, matando todos os inimigos e recuperando também o corpo de Thais, no qual pôde ser entregue aos pais.

 

Outra aliada a sucumbir foi Janete, infelizmente. Ajudando sua família a escapar, a moça acabou morrendo com mais outro irmão assim que sua armadura havia desaparecido. Seus pais e o restante dos irmãos conseguiram chegar na barreira e ficou apenas Keylla e Isabela lidando com os demais inimigos.

 

― Não conseguimos matar aquele desgraçado ainda, mas pelo menos acabamos com uma de suas mulheres! ― disse Helks satisfeito, carregando o corpo de Janete em mãos. O semblante da bela mulher era de tristeza. Janete acabou morrendo enquanto pensava em Rael. No momento em que foi aceita por ele, acabou perecendo nas mãos de um espirito covarde e impiedoso. Parecia realmente que a vida de Janete estava destinada ao fracasso total, como ela sempre pensava.

 

_____________________________________________________________________________

Por causa do desmaio de Violeta e Emilia devido a exposição da erva Alada Brilhante, tanto a barreira tinha desaparecido do esconderijo deixada por Emilia, como também o clone deixado por Violeta na caverna das bestas. Isso deu liberdade a Rose que, por usa vez, queria saber o que estava acontecendo do lado de fora. Alice já tinha voltado para o esconderijo, mas nenhuma outra mulher a  acompanhou. Alice não ficou de vigia, e também não se preocupou em explicar o que acontecera, Nastácia e Rose não estavam amarradas no fim das contas e nem sabiam o que se passava.

 

Rose tinha acabado de sair e observava o tempo escuro, ocultando o que seria uma ensolarada tarde. A jovem Celestial ficou surpresa com o tempo e nem percebeu quando um reino final surgiu atrás dela de repente. Esse não era outro se não Arthur, que sorriu friamente concentrando poder em seu braço direito e golpeando para a frente. As costas de Rose foi gravemente ferida pela mão do ex patriarca Sangnos, quase atravessando seu corpo tamanha era a violência naquele golpe. A jovem doce e meiga chegou a se virar, mas não teve tempo de reação, somente conseguindo gritar de uma profunda dor enquanto o seu corpo tremia involuntariamente.

 

― Você é uma das mulheres daquele maldito Rael, você vai morrer aqui e agora! ― disse Arthur, movimentando sua mão ainda dentro do corpo de Rose. A jovem celestial não conseguia reagir devido a intensa dor. Rose não tinha poder suficiente para escapar daquele homem, e sua vida começou a se esvair nas mãos do inimigo.

 

 

_____________________________________________________________________________

Rika, de repente, parou de lutar e seus olhos arregalaram e perderam o foco. Seu corpo imediatamente se tornou um amontoado de raios quando ela gritou desesperada e subiu aos céus, como um enxame de relâmpagos e cortou entre as nuvens para ir atrás de sua única filha. Ela ficou tão desesperada em proteger Rose que nem se lembrou de Rael e seus demais aliados. Naquele momento, Rika estava muito mais rápida do que uma violadora em sua forma final.