O Herdeiro do Mundo

300 - Rika Versus Nero (Parte 1)

Nota autor: Encerrei todos os desafios para liberações de capítulos. Não haverá datas especificas mas aqui e ali serão liberados capítulos de Herdeiro do Mundo a parti de agora sem qualquer desafio mais.

Existência Ilimitada é um livro meu como cerca de 50% já desconfiavam. Até o lançamento dele "Do livro físico", ele será apagado do site. Os áudios de EI também irão entrar em pausa. O foco total agora do canal e tudo mais será em Herdeiro.

Como eu disse não serão mais exigidos desafios ou doações para liberações de novos capítulos. E estamos na reta final do ultimo arco nesse mundo pequeno. O Arco do Espectro Sombrio, o arco da morte.

Em breve também veremos Rael renascer. Boa leitura a todos!

_________________________________________________________________________

 

O céu estava quase completamente escuro, de forma que parecesse o anoitecer, mas só estava dessa maneira devido aos raios de sol não conseguirem penetrar as vastas nuvens escuras, que continuavam se alastrando incessantemente. Quem olhava para o céu neste momento certamente tinha a ligeira sensação de que algum fenômeno apocalíptico estaria prestes a se iniciar.

 

Em alguns determinados pontos aleatórios do continente Sul, pessoas com auras mortais surgiam e matavam alguém para depois simplesmente desaparecerem. Felizmente, esses ataques surpresas aconteciam esporadicamente. A energia que separava o mundo dos vivos e o mundo dos mortos estava se desfazendo e, com isso, alguns mortos estavam entrando em cena para aumentar mais os seus números.

 

_____________________________________________________________________________

Quando Violeta e Emilia mataram os últimos dois reinos finais daquele grupo, elas se viraram a tempo de encarar Nero, o reino final no ápice. Elas souberam de imediato que esse homem era o imperador. Atrás de Nero estavam outros reinos finais os seguindo.

 

― Esses são os últimos, pelo que posso ver, mas o que será que está acontecendo com o céu? ― Alice perguntou, fazendo uma pausa e olhando para cima com calma. Vendo que seus últimos alvos estavam vindo de boa vontade para a morte, Alice não teve pressa em exterminá-los.

 

Violeta e Emilia se entreolharam e depois avançaram para matá-los de uma vez. Quando elas estavam passando por Alice, algo ocorreu. Subitamente, as três violadoras morderam os lábios, percebendo que havia uma erva Alada Brilhante na proximidade. Elas não poderiam saber que estava nas mãos de Nero porque não dava para ver direito ainda devido a distância mas, naquele segundo, mesmo se vissem já seria tarde demais. Os dois corpos monstruosos de Emilia e Violeta despencaram do céu sem mais nenhuma força restante, enquanto atrás delas estava Alice, também em queda e lutando para não desmaiar.

 

As três ficaram inconscientes poucos segundos após sentirem a sua única fraqueza. Uma vez que sentiam a essência da erva, no mesmo instante todas as suas habilidades seriam bloqueadas junto ao seu poder de cultivo. Com isso, ficava impossível elas tentarem fugir. As três estavam agora mais fracas do que qualquer pessoa normal sem cultivo.

 

No meio do ar, durante a queda, Emilia e Violeta voltaram para suas formas humanas. As duas caíam nuas, exibindo seus corpos perfeitos. Tanto as mulheres quanto os homens que as vissem, imediatamente se encheriam de luxúria. Nos homens isso era várias vezes mais poderoso, mas as mulheres também sentiam fortes atrações pelas violadoras. Não era apenas a questão dos corpos delas serem perfeitos, havia também uma aura sexual que não podia ser sentida, mas era transmitida pelo ar e atingia a todos que estivesse ao redor. Isso era a maldição trabalhando sobre elas. Qualquer um, não importava quem, ao ver aquelas mulheres nuas ficariam completamente excitados.

 

Nero continuou com uma expressão fria, sem se incomodar. Ele estava acostumado com mulheres bonitas devido a ver diariamente sua filha, mas até ele teve o coração levemente descontrolado naquele momento. Os reinos finais atrás ficaram estremecidos, suas calças quase não seguraram as cabeças tamanho era o desejo de possuí-las.

 

Nero se aproximou das violadoras e lançou sua energia, envolvendo os corpos das três. As três tiveram seus corpos envolvidos por uma aura marrom, leve e sutil, que reduzia a velocidade da queda. Cuidadosamente, elas foram transportadas até o chão enquanto Nero flutuava próximo a elas. O imperador evitou olhar diretamente para Violeta e Emilia, seus desejos já estavam intensos demais, e olhar as duas de perto poderia fazê-lo perder o último fio de controle que ainda o continha.

 

Os homens de Nero ficaram a uma distância de 100 metros. Eles não olharam mais para as três mulheres perfeitas, seus corações estavam tomados em medo de perderem o controle de seus próprios corpos e desobedecerem uma ordem direta de seu imperador.

 

Quando Nero pousou com as três em terra firme, ele retirou a sua energia de cima delas. Nero ficou flutuando uns cinco metros a cima das três e analisou a mais jovem, que estava vestida. Alice parecia a mais jovem delas, mas certamente era a mais bonita. Suas belas feições em desenvolvimento e seu corpo preso na juventude davam a ilusão de que ela ficaria ainda mais bela quando crescesse e se tornasse uma adulta.

 

― ‘Essas mulheres são muito perigosas. Até um inimigo pode se sentir tocado e não querer matá-las’ ― Nero pensou estupefato, sua calça embaixo estava tão apertada quanto a de seus homens mais distantes. Nero só resistia devido a estar acostumado a beleza de sua filha. Consequentemente, ele trocaria essas três por sua filha novamente, o amor de Nero por Nastácia já era algo doentio.

 

Zuuuuuuuuum! BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM!

 

― AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! ― os homens de Nero de repente gritaram em uníssono após um relâmpago descer dos céus, consumindo-os de imediato. Esse relâmpago acertou todos os dez homens e os danos foram transmitidos de um a outro. Os dez últimos homens de Nero de repente caíram, estremecendo no chão com seus corpos carbonizados por causa do relâmpago. Uma bela mulher de cabelos e azuis como o mar emergiu das nuvens, era Rika. Ela respirava com certa dificuldade, o tempo todo ela tentou acompanhar Violeta e Emilia, mas só havia alcançando-as naquele momento. A celestial reuniu uma boa quantidade de poder para matar instantaneamente aqueles dez homens, caso contrário, ela não conseguiria enfrentar todos ao mesmo tempo.

 

Nero lançou um olhar frio para a bela mulher que descia flutuando do céu. O vestido de Rika esvoaçava violentamente enquanto o seu poder de raios cobria seu corpo. Diferente dos outros, os raios de Rika eram azuis tal como seus olhos e seus cabelos.

 

Nero segurava as ervas em mãos e mesmo assim percebeu que não estava fazendo efeito naquela mulher. Também percebeu que Rika era mais fraca que as demais mulheres, então rapidamente entendeu que ela não era uma violadora, mas isso não explicava o porquê dela ser tão bela quanto uma. Rika parecia uma verdadeira deusa dos raios enquanto descia dos céus no meio de seu majestoso poder.

 

― Volte imediatamente para o seu continente, e eu o deixarei viver. ― Rika blefou com uma voz fria, demonstrando autoridade. No último ataque, para matar os dez homens, ela havia gasto metade de seu poder. Lutar contra um ápice do reino final não seria uma boa ideia.

 

Nero jamais iria recuar sem encontrar sua filha Nastácia, ainda mais depois de perder todos os seus homens, e sabendo que atrás dele tinha três belas violadoras sob controle.

 

― É você quem comanda essas mulheres? ― perguntou Nero. A pergunta dele foi direta e simples, pegando Rika de surpresa. Rika, que também não era burra, entendeu que Nero parecia saber algo sobre elas.

 

― Não sei sobre o que está falando. Agora vá, é o meu último aviso. ― disse ela no mesmo tom de antes.

 

― Terá que me matar antes, senhorita. ― disse Nero e teve seu corpo coberto em raios amarronzados. O imperador do continente Norte sutilmente deixou uma erva cair perto das mulheres sem que a celestial percebesse e continuou mantendo outra na cintura. O corpo de Nero explodiu em um violento poder quando subiu aos céus.

 

Rika e Nero se encararam a uma distância de aproximadamente cem metros um do outro. Ela mordeu os lábios nervosa porque Nero não era covarde. Sua liberação também era o Raio e isso foi a única coisa que a deixou menos preocupada. No entanto, um reino final é dono de uma imensa força e um poder sem igual. Rika teria que lutar com cuidado se não quisesse perder ou sofrer ferimentos severos. Mesmo que ela tivesse como vantagem sua resistência absoluta a raios, Nero ainda poderia ter outra combinação e complicar a sua vida.

 

― Você não me parece uma ser humana normal, sua aura exala uma sensação selvagem, bestial... Que tipo de mulher você é? ― perguntou Nero com o mesmo tom frio de costume. Ele não esperava ouvir uma resposta, assim como não sabia se ela poderia responder aquela analogia.

 

― Se você não vai embora por bem, só me resta matá-lo. ― disse Rika com sua expressão séria e natural, deixando o seu corpo prestes a explodir de raios a qualquer momento. Nero também não disse nada, fez o mesmo com a sua aura.

 

ZUUUUUUUM! ZUUUUUUUUM! BOOOOOOM! BOOOOOM! BOOOM! BOOM!

 

Os dois voaram um ao encontro do outro e, durante o caminho, Rika enviou uma sequência de pequenos raios azuis. Esses raios foram interditados pelos raios amarelos de Nero e explodiram no ar. Nero já estava a preparar o punho quando Rika recuou, avançando pela lateral. O plano da celestial era se aproximar, mas não iria encará-lo de frente.

 

Zuuuuum! BOOOM! BOOOM! BOOOM! BOOOM!

 

Mais raios saíram de encontro a Nero. Dessa vez, ele só conseguiu se defender de três, o quarto raio o acertou nas costas, fazendo o corpo dele se tremer violentamente no ar. Ele cuspiu uma pequena quantidade de sangue abismado, o poder elemental de Rika claramente superava o dele, até mesmo seus raios tinham outra coloração e intensidade.

 

Rika continuou circundando Nero e enviando suas cargas de ataque a todo momento que encontrava uma brecha. Nero possuía uma poderosa defesa e na maior parte sua aura o protegeria naturalmente de Rika. Mas Rika era insistente e não deixava de atacar, mesmo que seus ataques fossem simples, cada acerto causaria sérios danos em Nero.

 

Nero fez o mesmo mandando descargas nela, mas no fim percebeu que isso não adiantava em nada, quando seu poder a atingia não causava qualquer dano a bela mulher.

 

― ‘Ela é imune a raios? Como? Nem mesmo eu que também sou um reino final no ápice não sou!’ ― Nero se sentiu frustrado: ― ‘Minhas melhores técnicas de longo alcance são todas utilizando o Raio. Eu terei que enfrentá-la de perto, forçando uma luta física com essa mulher’ ― Como Nero tinha a combinação da Força, ele confiava em seus ataques corpo-a-corpo.

 

Rika pensou que estava tudo bem se a luta continuasse naquele nível, mas Nero de repente aumentou a velocidade de perseguição a ela em busca de um confronto direto.

 

― ‘Droga! Ele já percebeu’ ― a celestial pensou irritada. Rika tinha lançado alguns ataques direcionados à erva na cintura do imperador, mas não teve sucesso em destruí-las. As ervas estavam protegidas pela aura de Nero, então, mesmo que acertassem, o dano seria transferido para o corpo do homem. O que ela não sabia é que havia uma outra Alada Brilhante próxima das três violadoras.

 

Alice, Violeta e Emilia estavam com bastante dificuldade em respirar. Constantemente as violadoras tossiam sem nem mesmo despertar. Parecia que suas gargantas estavam a cada instante mais fechadas, sem haver nenhuma passagem de ar. Isso tudo por ter uma erva Alada caída próxima a elas. Se ficassem por muito tempo em contato direto com a erva, certamente morreriam. A luta de Rika não poderia continuar por muito tempo, caso contrário, as violadoras pereceriam sem haver sequer uma chance de resistência.

 

― ‘Ele ficou ainda mais veloz!’ ― Rika estava sendo perseguida por Nero, que não se importou de distanciar-se das três mulheres caídas. Os dois cortavam abaixo dos céus em uma imensa velocidade.

 

Rika mordeu os lábios com mais força e um pouco de sangue fluiu de um pequeno ferimento. Ela passou o dedo nesse corte e em seguida riscou a palma de sua mão direita com o seu sangue. Ela virou-se voando de costas e fez um rápido encantamento com as mãos, enquanto Nero se aproximava cada vez mais rápido.

 

― Como uma Humana Celestial, aos céus eu ordeno! ― a voz de Rika reverberava majestosamente enquanto continuava fazendo encantamentos: ― Sou a Filha Celestial dos Raios, mãe das violentas forças da natureza! Eu exijo que os céus me apoiem! ― Conforme a voz dela ecoava, as nuvens escuras tremularam e começaram a girar, contorcendo-se no céu em uma frenética espiral. Parecia o preâmbulo de uma intensa e violenta tempestade de raios.

 

Nero ficou de queixo caído, ele nunca tinha visto alguém invocar uma técnica tão poderosa assim antes. O imperador se sentiu ligeiramente preocupado e cada parte de seu corpo arrepiou-se, mas nem por um momento deixou de manter a sua perseguição. Em vez de pausar e ver o resultado daquela conjuração, ele lançou sua consciência no bracelete e retirou diversos anéis mágicos que serviriam como sua proteção. Ele estava se preparando para o pior, imaginando que algum ataque muito poderoso iria cair sobre ele a qualquer momento. Isso parecia óbvio devido aos céus que não parava de rugir violentamente.

 

― Tempestade dos Céus, eu ordeno! Destruam este meu inimigo agora! ― Quando Rika terminou de falar, o eco de sua voz perpetuava aquela imponente ordem, como se fosse o julgamento de uma verdadeira deusa. Os céus começaram a piscar violentamente enquanto raios e mais raios se reuniam numa fúria indescritível.

 

Naquele momento, em todo o continente Sul, muitos olhavam para o céu perplexos. Primeiro o céu tinha escurecido, e agora ameaçava explodir furiosamente em raios. As pessoas assistiam ao desenvolver desse evento com seus corações vibrando.

 

Vraaaaaaaaaaaaaaaaap! CABOOOOOOOOOM!

 

Uma enorme junção de relâmpagos desceram  violentamente dos céus. Quando Nero já estava quase alcançando Rika, ele parou de olhos esbugalhados e ativou todos os anéis em mãos. Foi então que os raios o atingiram com toda a força. Rika, que estava a poucos metros do imperador, fora empurrada no ar e cuspiu um pouco de sangue. Para lançar essa poderosa técnica, a celestial consumiu também uma pequena parte de sua vitalidade.

 

― ‘Eu espero que isso seja suficiente...’ ― pensou ela, limpando a boca ofegante. Ela tinha parado cerca de 200 metros do ponto em que os raios atingiram Nero. Uma intensa neblina escura tinha se formado no local e Rika ficou preocupada porque não viu nenhum corpo caindo dos céus. A não ser que o imperador virasse um completo pó, seu corpo teria despencado devido ao poder de ataque.

 

_____________________________________________________________________________

O raio que explodiu violentamente em Nero ecoou um forte trovão, que se pôde ser ouvido por todo o continente Sul. No clã Torres, Natalia, Mara e Heitor foram pegos de surpresa. Todos tinham visto a imensa luz azul no céu e segundos depois o estrondoso trovão a rugir. Todos viraram suas atenções para o céu completamente assustados.

 

Mara foi a primeira a se recuperar do baque e, vendo Heitor ainda atordoado, saltou de surpresa com a espada nas duas mãos, sem dizer absolutamente nada. A moça cortou contra a frente da porta. Heitor sorriu um momento antes da espada chegar nele, mostrando a  Mara que estava atento, e sumiu, reaparecendo atrás de Natalia, já com a garra na garganta de sua jovem prima.

 

― Eu pretendia brincar um pouco com vocês antes de trazê-las para esse lado, mas estou curioso em saber o que está ocorrendo naquela parte. Então, venha comigo primeiro, Natalia. ― disse Heitor, fazendo menção de fechar as garras no pescoço da bela jovem.

 

― Nataliaaaaaaaa! ― Mara só pôde gritar preocupada enquanto a garra estava se fechando no pescoço de sua amada prima. Uma vez que a garra se fechasse, não importa a defesa de Natalia, ela certamente morreria.

 

O que aconteceu a seguir foi incrivelmente chocante para Mara e Heitor. Um poder escuro e sombrio foi liberado pelo corpo de Natalia, fazendo jovem aparentar estar quase sem vida. A garra que estava se fechando no pescoço dela subitamente desintegrou-se. Heitor, assim que perdeu sua mão, deu um passo atrapalhado para trás, fugindo desesperado. Natalia se virou para ele, agora com uma expressão tão fria quanto a morte. Todo o seu corpo emanava uma energia mortal e aterrorizante. Até mesmo Mara não ousou dizer uma palavra sobre o que acontecia.

 

― Não pode ser! Você está nela...! ― Heitor estava tão assustado que parecia estar vendo um demônio em vez de sua antiga noiva. Ele se concentrou para desaparecer, mas foi bloqueado pela mão estendida de Natalia.

 

― Dessa vez você não vai fugir. Atacar este corpo é imperdoável. ― a voz de Natalia soava normal, mas não parecia ela quem estava falando, ela mal tinha forças para fugir de Heitor segundos atrás. Essa aura também não pertencia de nenhum modo a ela.

 

 

― Não... Não! Por favor, não... Eu não quero ser destruído... Não, eu não...! ― Heitor estava visivelmente desesperado. De repente, Natalia abriu a boca e um vento invisível começou a sugar Heitor. Mara ficou boquiaberta acompanhando toda a cena, cheia de confusão em sua mente por tentar entender o que estava acontecendo.