O Herdeiro do Mundo

291 - Elixir do Desejo Sexual

Rose explicou para Rael que Emilia e Violeta haviam saído para cumprir tarefas referentes a produzir uma invocação mística. Elas precisavam sair para conseguir os materiais, tanto dos ingredientes quanto para construir um caldeirão para produzi-la.

 

― Nastácia está cultivando em outro vão da caverna, minha mãe está lá dentro, e Alice... Bem, ela está no quarto como de costume. Acho que está cultivando, ela não gosta de ser importunada ― disse Rose, com medo que Rael tivesse interesse nela. Até Rose admitia que Alice era extremamente bela, ela pensava que se Rael ficasse na presença da jovem violadora, provavelmente a esqueceria. Ela não sabia que entre Alice e Rael havia um suposto código de respeito porque Alice, diferente de Emilia e Violeta, não conversava muito com a celestial. Era realmente difícil fazer amizade com Alice.

 

― Bom, eu ia fala sobre esse assunto com Violeta e Emilia, mas já que elas estão resolvendo isso, acho que poderemos sair agora mesmo. Com sua mãe, mais tarde eu converso ― disse Rael. Rose sorriu de alegria e os olhos dela brilharam.

 

― Eu quero muito ver o Ralf também! Quero comer muitos doces! ― disse a Celestial animada e pulou, abraçando Rael com alegria.

 

                Do outro lado da parede, Rika deu um sorriso satisfeita. Sua filha ficava definitivamente feliz na presença de Rael, e nada deixava uma mãe mais feliz do que ver a felicidade de sua filha. Rika a cada instante tinha ainda mais respeito e amor por Rael.

 

― Oh, sim. Vamos voar nele, ele as vezes pergunta de você ― disse Rael, levando a garota agarrada a ele enquanto criava um portal. Com Rael agora sendo capaz de usar portais, ele mal usava os cristais de teleporte, embora isso consumisse uma certa quantidade de energia. Rael e Rose sumiram entrando em um portal e Rika ficou ali, ainda parada. Ela não deixou Rael senti-la, mas ainda assim pegou todos os pensamentos do jovem, e isso incluiu alguns sobre Elisa.

 

_____________________________________________________________________________

 

                Naquela manhã, Rael fez um passeio comum com a jovem Celestial e de tarde eles arrumaram um local escondido em uma caverna, montaram o colchão e ficaram juntos a tarde inteira. Rose estava insaciável, quanto mais ela sugava Rael, mais ela o queria. Era difícil Rael se acostumar com o infinito prazer de sentir uma Celestial. O corpo da jovem Celestial era de puro prazer. Cada toque, cada ação, cada beijo era carregado de um profundo conforto, algo que a diferenciava das demais mulheres de Rael. Quando atingia o clímax, Rael sempre sentia estranhamente fraco durante o momento.

 

― Minha mãe disse que eu só vou crescer como ela se eu engravidar... ― disse a garota deitada, agora ao lado de Rael depois que eles fizeram uma pausa. Eles estavam cobertos do peito para baixo por uma coberta. A caverna que eles estavam há muito estava vazia. Assim que eles chegaram duas bestas do tipo raposa fugiram, deixando o local para eles.

 

                Rael agora já sabia a estranha forma delas engravidarem. Podia parecer diferente de sua outra forma antiga, mas não era tanto. O corpo de Rose sugava energia do corpo de Rael enquanto criava a sua própria, essa energia aos poucos vai se armazenando no corpo dela e aumentava a cada vez que eles completavam o ato. Todo o processo era feito com uma poderosa sensação de prazer que começava semelhante a uma transa normal, mas depois se tornava muito mais intensa, principalmente no final. Embora ela sugasse a energia de Rael, era coisa mínima e era a energia natural que Rael recuperava sozinho, essa energia era passada através do ato sexual onde ela também perdia um pouco de sua energia, a mesma que se recuperava. Essas energias ficavam sendo armazenadas no ventre da garota, tanto a dela quanto a de Rael. Mas era tão pouca quantidade no momento que o corpo da jovem não aparentava qualquer diferença.

 

                Na antiga forma de gravidez delas, elas faziam isso tudo de uma única vez, unificavam as cabeças e energizavam até nascer as crias. Os machos e fêmeas da espécie gastariam em torno de 10% de sua energia base para produzir esse filho, tudo de uma só vez. Então, em pouco meses, a nova cria Celestial nasceria. Já no processo humano, isso não podia ser dessa forma, porque chegava um momento que não havia mais como doar nenhuma energia, isso estava diretamente interligado ao prazer e desejo sexual, sem explosão, sem energia armazenada. Enquanto as mulheres da espécie poderiam doar a energia a qualquer momento, os homens só poderiam doar algumas vezes de tempo em tempo, semelhante ao processo humano correspondente ao desejo sexual. Então, mesmo se Rael quisesse acelerar o processo, chegaria a um momento onde ele não conseguiria mais, onde ele já estaria completamente satisfeito e a coisa nem subisse mais. Se fosse por Rose, eles provavelmente só parariam para comer.

 

                Rael tinha descoberto isso conforme Rose explicou o processo e também porque ele fez uma análise no corpo dela. Na verdade, Rose estava longe de virar adulta pelo que Rael estimou, apenas cerca de 2% estava desenvolvido. Se eles praticassem todos os dias até cansarem, ainda levaria mais quatro meses até a gestação. Rael não disse nada a jovem, se ele estimou esse tempo, era possível que Violeta também já tenha percebido a mesma coisa. Rael não sabia se demoraria pelo fato dela ser uma jovem da espécie. Como ele ainda não havia feito com Rika, não tinha como saber.

 

                Rose não fazia isso com Rael pensando em ter filhos, ela fazia porque se sentia bem e queria dividir essa sensação de conforto com Rael. Que mulher não se sentiria bem ao ver seu homem mergulhado em conforto com elas? Rose não pensava diferente. Ela estava completamente acostumada com Rael, com o cheiro, o gosto dos lábios e todo o corpo em si. Para Rose, não havia alegria maior na vida do que está unida aquele jovem sobre um forte e quente ato sexual. Ela adorava sentir Rael vivo nela, sentir a forma como Rael a agarrava e a maneira bruta que ele ficava quando se aproximava do clímax, os beijos, os apertos, os cheiros, as arfadas, Rose amava todas essas sensações.

 

― Espero que você demore um pouco a crescer, eu gosto de você assim, desse jeito ― disse Rael, sorrindo para a Celestial. Como ele sabia que demoraria, ele acabou dizendo isso para deixá-la feliz. Rose sorriu de volta, se desmanchando para o rapaz. O sorriso de Rose era puro, não tinha segundas intenções, era apenas a mais pura demonstração de afeto e felicidade.

 

                Rael não aguentou aquele lindo sorriso dela e se virou, a apertando em um abraço carinhoso, que logo se transformou em beijos e mais uma rodada foi iniciada quando Rael subiu por cima dela encaixando as partes. Isso fez Rose estremecer e gemer alto no ouvido de Rael enquanto seu coração disparava em mais série de sensações confortantes.

 

_____________________________________________________________________________

 

                No esconderijo, Emilia tinha acabado de montar o caldeirão e, tanto ela quanto Violeta estavam olhando para o enorme caldeirão metálico com três símbolos mágicos. A barreira vermelha do poder de Emilia ainda estava desaparecendo.

 

― Eu só consegui colocar um símbolo potencializador, um acelerador de criação que vai reduzir o tempo das criações em cerca de 25%, e um de retenção, que vai ajudar a não perder a qualidade das produções, melhorando as chances de sucesso. Infelizmente, não consegui colocar o símbolo Proficiência, que aumentaria a taxa de sucesso para cerca de 50%. Não me culpe, eu já quebrei dois cadeirões tentando e seria chato quebrar outro ― disse Emilia.

 

― Já está bom. Se isso fosse criado por mim, não teria nenhum símbolo magico de qualquer maneira ― disse Violeta satisfeita. Ela começou a retirar vários ingredientes para começar a produção. O caldeirão estava em uma caverna e, por baixo dele, havia uma perfeita formação de rochas como se fosse um forno. No meio das rochas tinha várias pedras espirituais do tipo Fogo, que ajudariam a esquentar o mesmo.

 

― Você vai começar agora? ― perguntou Emilia.

 

― É claro que vou, isso demora e as chances de sucesso são bem menores que a criação de pílulas. Quanto antes começarmos, melhor ― disse Violeta. Emilia se agachou e concentrou seu poder nas pedras espirituais embaixo da formação de rochas, as pedras começaram a pegar fogo e a esquentar o caldeirão. Depois, Emilia voltou a olhar Violeta, que continuava jogando ingredientes harmoniosamente dentro do caldeirão.

 

― Você sabe que dar esse tipo de invocação para Rael é perigoso, não sabe? A harpia pode acabar sendo extremamente bonita, e nós duas sabemos a fraqueza dele.

 

― E qual é o perigo? Ela ainda é um ser místico e obedecerá a Rael. ― disse Violeta enquanto atirava mais algumas ervas.

 

― Nosso Rael se apega muito fácil. Tenho medo que ele queira colocar a droga de um espirito místico em sua lista pessoal, se é que você me entende ― disse Emilia, bufando levemente.

 

― Se ele fizer isso não será um problema. Invocações são leais e não podem desobedecer seus mestres, e eu entendo bem o que você quer dizer. Invocações não passam de seres corpóreos prontos para obedecer os seus mestres, ela não causará problemas a Rael, mesmo se ele continuar estúpido. Ultimamente estou pensando em trabalhar nisso ― disse Violeta quase pensativa.

 

― O que quer dizer? ― Emilia ficou curiosa.

 

― Da maneira que Rael está agora. Ele ainda é muito inocente. Eu jamais imaginei que quando ele descobrisse o prazer sexual ficaria tão cego. Do jeito que ele está, nós nem poderíamos viajar para outros mundos, seria muito perigoso.

 

― Eu acho que sei sobre o que você está falando... ― concordou Emilia.

 

― Os deuses, eles são os seres mais puros e mais poderosos do universo, e são naturalmente perfeitos em forma corpórea. se uma deusa conseguir fisgar nosso Rael, esqueça, nem nós conseguiríamos salvá-lo e ele iria se entregar completamente a essa mulher. Enquanto estivemos aqui, em um planeta de baixo nível, devemos domá-lo, porque depois não teremos mais chances.

 

― Se descobrissem que o herdeiro está aqui, nem precisariam de uma deusa para enfeitiçar a mente dele, bastava a força bruta. Nós sozinhas podemos com algumas forças, mas não aguentaríamos resistir a todos, nem mesmo Alexia. Enquanto Rael não recuperar todo o seu poder, não podemos deixar que ninguém descubra a identidade dele.

 

― É por isso que estou preocupada. A falsa Nastácia quase descobriu tudo sobre ele. ― disse Violeta um pouco irritada, se lembrando da ingenuidade de Rael. Principalmente quando se lembrava dele se referindo a Alice.

 

― Violeta, você é idiota! Se desde o começo Rael nos tivesse como parceiras sexuais, isso nunca aconteceria. Ele não seria facilmente enganado por outras mulheres e nem cairia em outros encantos. Você sabe disso. Nós somos a essência da luxúria, e existem poucos tipos de mulheres que se comparariam a nós ― disse Emilia.

 

― E você acha que eu não penso nisso? Acha que não trabalho dia e noite com isso martelando a minha mente? Eu trabalho e penso todos os dias, mas Rael segue as regras dele, ele preferia uma mulher humana como Nastácia do que nós. Isso tudo graças a ele ter descoberto sobre a maldição. Se não fosse por Alexia, nem estaríamos com esses problemas e preocupações.

 

― Aquela fedelha dragão idiota! Quando me lembro do que ela contou a Rael, sempre fico irritada! Humpf! ― Emilia bufou indignada.

 

― Esqueça o resto, agora temos que lutar com o que temos. E também é nossa sorte Rael pensar diferente, ainda mais depois de libertar Alice... ― disse Violeta. Nisso Emilia teve que concordar, se Rael pensasse diferente seria muito perigoso manter Alice sob controle, ainda mais porque ela viveria abaixo de comandos, e mesmo Violeta e Emilia, que eram violadoras mais comuns, odiavam completamente os comandos.

 

                Depois de lançar os ingredientes, Violeta lançou sua própria energia dentro do caldeirão. Essa energia começou a formar um líquido vermelho, que tomou de conta de todos os ingredientes, o tornando homogêneo.

 

― Já está bom... ― disse Emilia, observando que Violeta parou de lançar energia. Elas foram interrompidas por Rika, que estava chegando caminhando.

 

― O que estão fazendo? ― perguntou Rika, se aproximando curiosa. Rika estava toda arrumada como de costume. Desde que ela começou a tentar conquistar Rael, ela dificilmente não seria encontrada maquiada e perfumada.

 

― Preparando ingrediente para produzir uma invocação mística ― disse Violeta, como se não fosse nada demais. Rika ficou ali parada em silêncio, pensando se deveria ou não dizer o segredo de Rael. A mulher que se passou por Nastácia e Rael queria esquecer foi descoberto por Rika.

 

― O que foi, Rika? Você parece querer nos contar alguma coisa ― observou Emilia.

 

― Você conseguiu a informação que eu pedi? ― perguntou Violeta de repente, ficando animada. Como Rael não quis contar, ela fez um pedido a Rika. Se Rika descobrisse o que Rael estava ocultando dela, então Violeta daria um elixir do desejo sexual a celestial, que faria Rael ter um imenso apetite sexual por quem ele visse. Rika queria que a primeira vez dela durasse horas e horas incessantemente.

 

― Você vai manter o acordo de antes? ― perguntou Rika.

 

― É claro que vou, já até fiz o elixir ― disse a violadora, mostrando uma pequena garrafa com um líquido rosa: ― Desde que ele tome isso, a sede sexual de Rael vai ser exponencialmente aumentada em pelo menos dez vezes que o normal, ele ficará quase que completamente insano. Se ele estiver na sua companhia, imagina o que ele não fará com você? ― enquanto Violeta dizia de uma maneira sapeca, o corpo de Rika estremecia em pensamentos. Há muito tempo ela estava aguardando a chance dela. Ela queria ser dominada, ser imprensada, ser apertada, ser penetrada fortemente por Rael. Ela queria que a primeira vez entre eles fosse incrivelmente marcante, de modo que Rael a desejasse mais do que havia desejado qualquer outra mulher. Rika queria ser mais do que especial para Rael.

 

                Emilia ficou com um pouco de inveja por ter reconhecido o elixir. Era o mesmo que o próprio Imperador Demônio usava nelas quando queria deixá-las louca. Quando ele as forçava a tomar aquilo, mesmo se ele não as tocasse, ela ficariam incontroláveis e se tocariam loucamente durante horas. Agora ela entendia no que Violeta estava trabalhando. Se Rael se apegasse a esse nível de prazer na companhia de Rika, então ele estaria mais seguro. Rika só estava abaixo das violadoras na cadeia sexual que nesse momento cercavam Rael e poderiam ter o ato consumado.

 

― Mas você não tome isso, nem mesmo uma gota. Se você tomar isso em vez de Rael, você pode até mesmo machucá-lo ― disse Violeta, entregando a garrafa para a celestial ― o que você vai dizer a ele para beber isso não é problema meu, mas que funciona, com certeza funciona. Mesmo o herdeiro não conseguirá resistir a esse elixir.

 

― Obrigada ― disse ela, recebendo a garrafa e dando uma breve olhada. ― Eu vou contar, mas vocês devem me prometer que Rael só terá essa informação depois que ele se deitar comigo ― disse Rika, fazendo a garrafa ir para seu bracelete.

 

― Isso não é problema, podemos até mesmo mentir e dizer que foi Alexia quem nos disse ― disse Emilia no mesmo instante. Como ela não gostava da soberana, era fácil para ela fazer isso e culpá-la.

 

― Não precisam se preocupar, vocês podem dizer que me pegaram pensando nisso depois do que acontecer entre ele e eu. Não importa o que seja dito, ele não conseguirá mais me evitar ― disse Rika confiante.

 

                Violeta e Emilia tinham de concordar. O corpo de uma adulta celestial não se comparava com nenhuma das mulheres já tocadas por Rael. Apenas Alice ganhava, mas essa não estava contando. Com o elixir tomado, a sensação então seria ainda mais poderosa do que foi com Alice. Rael definitivamente não esqueceria de sua transa com Rika. Se funcionasse, poderia até mesmo reduzir as fraquezas que Rael sentia por mulheres como elas imaginavam.

 

― A mulher que se passou por Nastácia, era a própria mulher que deu vida a ele nesse mundo. Andréa era, na verdade, Elisa ― disse Rika. Quando Rika disse isso, Violeta e Emilia quase se engasgaram com as próprias palavras que estavam para dizer.

 

― Era por isso que ele estava tão preocupado naquele dia! Hahahahahahaahahahahahaha! ― Violeta gargalhava, quase passando mal. E Emilia ria do outro lado, era inevitável as duas não rirem do que o destino armou para o jovem. A mulher por trás da falsa Nastácia sendo Elisa não podia ser mais engraçado. Não era por menos que Rael não tinha contado a ninguém ainda, ele estava com medo de ser caçoado.

 

                Violeta teve que fazer uma pausa para mexer o líquido vermelho com uma colher grande de madeira, também feita por Emilia.

 

― O que é tão engraçado? Na minha antiga espécie, uma mãe poderia ter um filho com o próprio filho, não entendo porque humanos são tão diferentes ― disse Rika. Ela já tinha começado a entender um pouco os humanos, mas ainda não tinha se acostumado com todos esses pormenores.

 

― Mas agora você é uma humana Celestial, Rika, e tudo é diferente nessa forma ― disse Violeta.

 

― Com a própria mãe... Ela não tem o mesmo sangue, mas ainda assim é, de fato, surpreendente e inacreditável ― disse Emilia depois de alguns segundos.

 

― Hahahahahaha! Se ele tivesse me contado isso teria sido muito melhor para ele, ele ta ferrado na minha mão agora hahahaha! ― Violeta não conseguia parar de rir da situação.

 

 

― Só depois que ele ficar comigo, não se esqueçam! ― advertiu Rika em seu estado sério, e saiu com um sorriso contente por ter adquirido o elixir. Ela se virou e partiu sem dizer mais nada, deixando as duas violadoras ainda rindo do segredo de Rael.
_______________________________________________________________________________
A novel entrou em hiatus por tempo indeterminado. Obrigado a todos!




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.