O Herdeiro do Mundo

275 - Traidores

Boooom!

 

Em um movimento de Romeo, houve uma enorme explosão. Um forte vento soprou, jogando rochas e areia por todos os lados. Várias pessoas levaram as mãos para o rosto, tentando se proteger da poeira levantada. Quando Natalia já ia gritar pelo nome de sua mãe, Rael surgiu, saindo de um portal ao lado delas. Elisa estava nos braços do jovem rapaz e foi colocada de pé ao lado da filha, mas mal conseguiu ficar de pé por ainda estar se tremendo. Lágrimas silenciosas não paravam de correr pelo rosto de Elisa. Agora ela não tinha mais nenhuma nobreza de antes, parecia apenas uma coitada qualquer que mal conseguia conter o nervosismo de seu coração disparado no peito e, ainda assim, foi salva pelo seu filho. Ela não podia estar mais nervosa, quando se lembrava de todas as coisas feitas, se enchia de vergonha e nojo de si mesma. Se Natalia tivesse contado a verdade para ela, com certeza teria feito de tudo para ajudar Rael, e não faria nada para atrapalhá-lo. Mas isso não era a pior parte, ainda havia outra coisa que Elisa não conseguia sequer imaginar o que Rael faria quando descobrisse. Mesmo ela tinha se sentindo terrivelmente mal por apenas pensar naquilo novamente. Ela até chegou a apertar involuntariamente o próprio bracelete do infinito por medo, o que chamou a atenção dos olhos de Rael.

 

― Se você quer ser perdoada agora, fique viva. Eu não vou ficar salvando você a todo o momento. Afinal, você nunca fez isso por mim antes ― disse Rael. Rael tinha notado a ansiedade e aflição dela, e por isso decidiu tomar seu bracelete. Ele estendeu a mão e bruscamente tomou o bracelete do infinito dela. Rael queria as informações e todos os segredos que ela possuía, como em todas as vezes que ela mandou caçá-lo, ou algo referente ao pacto que envolvia Natalia.

 

                Elisa não reagiu. Deixou que Rael tomasse seu bracelete sem relutar, mas seus olhos por um instante pareceram ficar ainda mais inquietos.

 

― Rael, obrigada, obrigada, obrigada, obrigada...! ― Natalia não conteve as lágrimas nos olhos quando abraçou sua mãe de lado. Mesmo que Elisa tenha sido muitas vezes dura com ela mesma, ainda era a sua mãe. Não importa o que uma mãe e filha passem, elas sempre saberão seus papéis e em quem contar e confiar.

 

― Eu já dei a chance que você queria. Se o seu pai não aproveitou, o problema não é mais meu ― Rael disse sério para Natalia enquanto transferia todos os artigos do bracelete de Elisa para o dele. Ele nem mesmo estava olhando para a transferência, apenas deixou tudo de Elisa em um local especifico do seu bracelete. Deixou para examinar depois, quando tivesse tempo. Ao terminar, empurrou o bracelete de volta para as mãos de Elisa, que o segurou estremecida. Depois, virou-se e foi em direção a poeira.

 

                Onde Romeo estava, tudo era como um mundo de poeira, ninguém nem mesmo podia ver Romeo naquele meio. O golpe que ele deu foi tão poderoso que abriu uma gigantesca cratera no chão. Elisa teria sido morta com toda a certeza, caso tivesse sido atingida.

 

― Você não sabe esperar um pouco, Romeo? Está com tanta pressa assim de ser morto por mim? ― perguntou Rael friamente, se aproximando da poeira em passos lentos. Rael sabia que a diferença de poder era grande, e agora ter salvado Elisa foi somente porque ele estava pronto e com suas técnicas de velocidade ativadas no máximo. Rael imediatamente ativou o nível 2 da Essência Demoníaca, deixando seus olhos escuros e veias espalhadas pelo rosto.

 

                Romeo não era um simples reino final como Arthur. Arthur era apenas um nível um, enquanto Romeo estava no nível três. Somente essa diferença de níveis já era o suficiente para se ter o poder aumentado em cerca de 20% a mais que Arthur. A outra diferença era que Romeo não estava com nenhuma grande lei ativada, ele estava lutando com todo o seu poder e, naquela época, Arthur, para manter o uso de uma poderosa lei ativada, estava usando 50% de seu poder naquela luta. Colocando dessa forma, Romeo era praticamente duas vezes mais forte que Arthur.

 

Zuuuup!

 

A expressão de Romeo era como a de um verdadeiro lunático. Ele saiu do meio da poeira e surgiu de frente a Rael, direcionando um poderoso soco em forma de rocha. O braço direito de Romeo tinha se tornado como um braço de rocha gigante, e a força que aquele golpe exercia seria considerada terrivelmente avassaladora. Rael fechou a expressão e levantou imponentemente o seu braço direito.

 

BOOOOOOOOM! Zuuuuuup...

 

Uma explosão tão grande quanto um relâmpago pôde ser ouvida. O corpo de Rael foi suspenso no ar e ele foi atirado por cerca de 100 metros, Rael bateu em uma casa e atravessou suas paredes, saindo rolando do outro lado e caindo no meio de uma rua.

 

                Em seguida, o olhar de Romeo caiu sobre Elisa e as meninas. Rael levaria um tempo para se recuperar do golpe. Nem mesmo Rael esperou que a força daquele golpe seria tão poderosa.

 

― Mulher, você nunca deveria ter me traído desse jeito. Eu terei o enorme prazer em arrancar a sua cabeça aqui hoje, na frente de todo o clã. Depois matarei vocês duas, e por último cuidarei daquele maldito bastado. Isso se ele ainda estiver vivo ― disse Romeo em uma voz fria.

 

                Os elders e todos os demais guardas ficaram com expressões completamente chocadas. O poder do patriarca não era algo para se brincar. O patriarca exalava uma aura pura e tensa, tão fria como a morte e causando uma forte pressão no ar, fazendo com que algumas pessoas não aguentassem ficar próximas. O corpo do patriarca também parecia ter crescido de tamanho quando ele ativou seu poder em meio a ira.

 

― Elisa, Rael não vai te salvar mais agora ― Mara jogou sua antiga espada de lâmina vermelha normal para ela porque sabia que Rael tinha tomado todos os seus pertences. Mesmo Elisa naquele estado segurou a espada com as duas mãos e se preparou, ela estava posicionada no meio das meninas e o alvo de Romeo era evidentemente ela. As meninas tinham acabado de reativar suas armaduras e seguravam suas armas, prontas para receber Romeo.

 

Zuuuuuup!

 

                Natalia foi capaz de ver seu pai se movendo a uma velocidade sobre-humana mas, mesmo ela o acompanhando, não era capaz de fazer os outros terem a mesma percepção. A velocidade atingida por Romeo com todo seu poder ativado seria considerada ainda maior que a velocidade de Natalia.

 

― Woooooooooooooooooooooooom! ― Mara rugiu direcionada a Romeo. Mesmo que o efeito fosse mínimo, já o faria diminuir um pouco sua força de ataque. Natalia, que era a mais rápida, avançou na frente, logo após o rugido de sua prima. O rugido causou um pequeno desequilíbrio em Romeo e foi nesse momento que Natalia surgiu. Ela se avançou como um pequeno tornado, rasgando contra o braço rochoso com suas duas adagas e girando o corpo em um mergulho. As adagas cortaram contra o braço e várias partes se racharam e quebraram partes do braço rochoso, esse era o braço que ia na direção de Elisa. Saindo no ombro de Romeo voando, Natalia tentou contornar rapidamente para dar mais apoio a sua mãe. Nesse momento, Mara entrou no caminho e também golpeou contra o braço de Romeo, destruindo mais uma parte das rochas.

 

― ‘Essas duas...!’ ― Romeo estava incrédulo que Natalia e Mara estavam complicando a sua situação, mesmo em meio a tanta velocidade. Mas mesmo assim ele não parou. Seu braço rochoso rugia contra o peito de Elisa, se não fosse pelas meninas, ele teria chegado lá muito antes e com muito mais poder de impacto.

 

Booooom! Zuuuuuup!

 

Elisa defendeu com a espada que Mara havia dado a ela, mas ela não conteve a força do golpe e foi arremessada violentamente para trás, batendo de costas contra a parede de uma casa já um pouco destruída e continuou sendo arremessada pela força do golpe. Um só golpe e a espada que Mara havia arrumado para Elisa já estava danificada com rachaduras. O braço de Romeo havia diminuído de tamanho devido aos ataques das meninas e, se não fosse por isso, Romeo teria conseguido eliminar Elisa unicamente com aquele golpe. Com o braço diminuído, sua força de ataque era drasticamente menor.

 

Zuuuup!

 

Romeo estava determinado a matar Elisa e em um piscar de olhos já estava no ar por cima dela, enquanto ela ainda estava avançado devido ao impacto do primeiro golpe. Elisa já tinha vomitando um pouco de sangue e Romeo mais uma vez baixou o braço em um poderoso soco para afundá-la contra o chão e terminar o serviço.

 

BOOOOOOOOM!

 

O corpo de Elisa foi estilhaçado fortemente contra o chão e uma cratera de quase cinquenta metros de profundidade foi aberta em volta dela.

 

                Romeo deu um sorriso doentio parando no ar e observou o que havia sobrado da mulher que por muitos anos esteve ao seu lado. Romeo não teve nenhum arrependimento, essa mulher não podia lhe dar filhos. Eles tentaram por muitas vezes, mas ela não conseguia, e agora que ela tinha aceitado os termos de Rael, ele a considerou uma traidora, podendo finalmente se livrar dela na frente de todos e ainda estando com a razão.

 

― Mãaaaae! ― Natalia tinha gritado em desespero e algo estranho ocorreu. O corpo de Elisa desapareceu do meio da cratera e reapareceu perto de Mara, lá estava ela novamente de pé, segurando a espada de Mara em mãos. A espada estava inteira, sem danos, e o corpo de Elisa não estava nem um pouco ferido. Mas, de seu nariz, uma pequena quantidade de sangue descia sutilmente.

 

― Mas o que aconteceu?! ― Mara estava chocada, sem entender ao certo o que houve. Em um instante Elisa parecia ter morrido, mas no outro reapareceu ao lado de Mara. Isso não surpreendeu os elders e muito menos Romeo, mas ainda foi irritante para eles ver aquela cena.

 

                No passado houve um torneio entre as grandes famílias e Elisa foi o décimo segundo reino vencedor na época. As habilidades de Elisa como esposa do patriarca estavam além da compreensão de muitos e era tão respeitada como um reino final, mesmo sem ser. Nesse torneio muitos presenciaram essa misteriosa habilidade de Elisa, assim como muitas outras que ela possuía.

 

― Você usou a técnica Inverter Imagem... Quantas vezes acha que pode usar isso para se salvar, hein? ― perguntou Romeo friamente.

 

― Mãe! ― Natalia tinha voado em retorno assim que viu sua mãe inteira novamente.

 

― Elders, isso é uma ordem: Matem essas três traidoras! Me ajudem a terminar com isso rapidamente! ― gritou Romeo. Os cinco elders que ainda estavam ali parados de repente despertaram e sacaram suas armas, prontos para obedecer ao comando do patriarca.

 

― Quem ousar encostar em minhas mulheres ou em Elisa pode se preparar para perder a vida! ― disse uma voz firme e fria. Quando todos se viraram, lá estava Rael com uma expressão séria. Mas rapidamente todas as atenções se voltaram para o braço direito do rapaz, que estava enorme e parecia pulsar diante dos olhos deles, como se ainda estivesse crescendo. Os olhos de Rael estavam escuros e havia muitas veias escuras espalhadas pelo rosto e corpo. Rael, pela segunda vez, havia ativado a transformação máxima que podia da Essência Demoníaca.

 

                Naquele momento, o corpo meio humano e meio demoníaco atraiu toda atenção em volta.

 

                Rael não havia se ferido muito com o golpe de Romeo anteriormente, mas ser arremessado para longe o deixou bastante irritado. Além disso, Romeo tinha a liberação da Terra mas sua combinação era a Força. Os golpes de Romeo seriam tão poderosos quanto uma montanha, e se Rael não lutasse a sério desde o principio poderia ter uma série de problemas. Agora que Rael tinha atingido o reino elemental, poderia ativar facilmente sua transformação, principalmente se estivesse com ódio, como estava agora.

 

                O braço azul de Rael estava monstruosamente musculoso, e tão grande que quase poderia se arrastar no chão. As vestimentas da parte do braço haviam se rasgado na parte do ombro e todos agora poderiam presenciar seu braço inteiramente azul.

 

― Mas não pensem que por vocês ficarem parados agora serão perdoados, todos vocês serão transformados em escravos! Isso ainda deve ser melhor que morrer, eu acho ― Rael continuou provocando os elders enquanto continuava caminhando sem pressa.

 

― Monstro. Você finalmente assumiu quem você é de verdade ― disse Romeo, agora flutuando e encarando Rael de cima.

 

― Oras, é como você vê? Não me importo, suas palavras para mim não valem nada de qualquer forma ― rebateu Rael, parando e olhando para cima.

 

                Mara, Natalia e Elisa estavam um pouco surpresas com a aparência atual de Rael, quem não estaria? Embora ele estivesse com o corpo monstruosamente deformado, seu rosto ainda era bonito mesmo com a aparência demoníaca. Já para os guardas que também presenciaram a fisionomia do jovem, aquilo era quase como uma aberração natural. Homens não sentiriam tanta atração por Rael como as mulheres.

 

― Elders, caso se rendam para esse jovem, vocês estarão traindo o clã e eu não posso permitir isso. Assim como a minha esposa, eu também irei matá-los! ― a ameaça de Romeo era clara.

 

                Entre as duas ameaças, ficar ao lado do patriarca era muito mais vantajoso para eles, por isso naquele momento eles decidiram que ajudariam Romeo e permaneceriam firmes como um clã. Qualquer um que  ouvisse essas opções e testemunhasse a força de Romeo com certeza escolheria continuar lutando, isso sem mencionar a lealdade natural.

 

― Atenção, todos os homens! Quem não ajudar nessa batalha considere-se um traidor! Qualquer homem que não ajudar a eliminar as esposas de Rael ou Elisa serão mortos assim que eu matá-lo! ― gritou Romeo olhando em volta do alto para todos os seus homens. Naquele momento, qualquer tipo de força poderia mudar o rumo daquela batalha. Romeo era forte e acreditava ser capaz de eliminar Rael, mas a maré de uma batalha sempre estaria sujeito a nuances, e Romeu nunca arriscaria sem cautela.

 

                Os homens se entreolharam. Em seguida, olharam para Romeo, para Rael e depois para os elders que já iriam enfrentar as três. Então, eles tomaram suas decisões e mostraram suas armas. Eles iriam continuar a lutar pelo clã, não seria sensato ir contra as palavras de seu patriarca. Era melhor morrer com honra pelo próprio clã do que morrer como um traidor. Esse pensamento era quase o mesmo em todos os corações ali presentes.

 

― Então vocês já se decidiram? Ótimo. ― disse Rael com um sorriso tão frio quanto o de um demônio. O olhar de Rael fez os elders estremecerem. Havia um forte instinto assassino por trás daquele rosto demoníaco de aparência calma.

 

Vruuum! Vruuum! Vruuum!

 

Quando os elders foram perceber, um outro Rael normal já estava no meio deles com o braço direito tomado por fortes raios e chamas que imediatamente causou uma anomalia de poder em meio a eles. O clone tinha usado a habilidade de ficar invisível e ficou esperando a decisão dos elders, quando a decisão foi tomada e Rael deu a ordem, ele já apareceu preparado para o que ia fazer sem esperar reações. Seu punho direito tomado em poder mirou no centro do chão em meio aos elders.

 

Booooom!

 

O clone bateu no chão no meio dos cinco elders e se desintegrou porque naquele momento usou toda sua própria força fornecida pelo verdadeiro Rael. Um imenso circulo de raio e fogo engoliu os elders. Dos cinco elders apenas um conseguiu escapar ileso, o mais velho e experiente Léo. Léo pulou em um rápido movimento para o lado usando seu poder e suas habilidades de velocidade. Dois outros saíram feridos saltando para longe e os dois mais fracos pereceram, sumindo junto com o clone.

 

                O local em que o clone atacou também virou uma cratera gigantesca. Uma tensa energia de raio e fogo misturado ainda soprava pelo ar. Aquela cena fez todos em volta pararem. Os guardas que já iam fazer seus movimentos contra as três ficaram congelados por certo tempo, de repente existia um outro Rael, que simplesmente se matou em um poderoso ataque, levando dois elders de elite e ferindo outros dois. Aquela cena era definitivamente assustadora e incompreensível. Rael por si só já era assustador, agora havia mais um? Eles não puderam deixar de pensar.

 

 

― Isso foi só um clone. Eu posso fazer mais um sempre que for preciso ― disse Rael sorrindo despreocupado e outro clone surgiu ao seu lado. Mas esse clone tinha aparência comum, na forma normal de Rael sem o braço direito monstruoso. No mesmo instante, o clone de Rael cobriu o braço com chamas e se dirigiu para ajudar as três mulheres contra os três elders restantes e qualquer um que desejasse enfrentá-las. Daquele momento em diante, Rael focou toda a sua atenção para Romeo, que flutuava no ar e o fitava furiosamente.

_______________________________________________________________________________
Capítulo patrocinado por: Isaac Junior e Gabriel Bonifacio da Silva