O Herdeiro do Mundo

270 - O Verdadeiro Nível de Cultivo

Naquela tarde, a cidade estava quase sem nenhuma movimentação. A única movimentação eram de guardas. Chegando a frente da residência do patriarca, as duas esposas de Rael encontraram um enorme numero de guardas. Esses guardas estavam entre o décimo e o décimo segundo reino. Eles estavam conversando e contando detalhes uns para os outros, seguros por não esperar que nada demais iria ocorrer. Eram centenas de homens.  Quando as duas chegaram em frente a entrada, todos pararam de conversar e se viraram.

 

                No primeiro instante, eles pensaram que elas estavam sob a escolta do grupo que mais cedo fora capturá-las, mas no segundo seguinte, perceberam que esse não era o caso. A duas estavam sozinhas, e não acompanhadas.

 

― Onde estão meus pais? Digam imediatamente! ― Mara rugiu, demonstrando uma frieza de congelar os ossos. Furiosa, Mara agora parecia a mesma jovem fria do início que era antes de conhecer Rael. Natalia não estava apresentando nenhum mal humor, mas também não sorria, ela estava apenas séria.

 

― Levem as duas para Romeo! ― disse um dos superiores. Um grupo de quatro homens se aproximaram como borrões das duas. Mara e Natalia reagiram como deveriam. Quando os homens tentaram capturá-las, elas dançaram em meio ao caos como borrões e, em um instante, os quatro homens foram atirados de costas para trás. Todos eles receberam golpes e foram arremessados por mais de vinte metros. Quando isso aconteceu, houve uma pausa de congelar o ambiente. Quatro homens do décimo reino foram estapeados e lançados para longe por Mara e Natalia. Mara aparentava ser um simples sétimo reino, e Natalia não passava de um mísero terceiro reino. Isso deixou todos em estado de confusão.

 

                Os homens ficaram no chão se rebolindo de um lado a outro de dores, eles não estavam em condições de se levantar. Aquela cena foi tão chocante ao ponto de congelar todos. Mara e Natalia se olharam e ambas fizeram um sim uma para outra, então as duas levaram os dedos para o anel e calmamente removeram o anel de bloqueio. Naquele instante, duas poderosas auras foram explodidas com tanta força que os ventos ao redor se tornaram caóticos. Os homens mais próximos chegaram a recuar alguns passos. As duas continham uma intensa aura vermelha que queimava, aumentando a temperatura próxima. As duas tinham liberações diferentes que não eram de fogo, mas devido ao registro de Alexia, ambas tinham seus elementos Fogo muito maiores no corpo, sem mencionar que o décimo primeiro reino era o reino do Lendário Poder Elemental, onde o elemento se torna mais poderoso em um cultivador. Enquanto Mara estava no décimo primeiro reino nível 3, Natalia estava no décimo primeiro reino nível 2.

 

― Elas estão no reino Elemental? Como isso pode ser possível?! ― Um dos guardas perguntou.

 

― Essa forte aura... Isso não pode ser verdade! ― disse outro.

 

― A liberação de Natalia é Vento, por que hoje está parecendo ser Fogo?

 

― Como essas duas podem estar no décimo primeiro reino?!

 

― Mara era da liberação Força... O que é que está acontecendo aqui?!

 

                Os guardas não paravam de exclamarem entre si surpresos. Alguns tinham expressões contorcidas de descrenças.

 

― Que barulho é esse o que está acontecendo aqui!? ― a voz de Romeo surgiu e ele saiu flutuando a dez centímetros do chão de dentro da residência, acompanhado de Elisa. Logo a atenção de Romeo e Elisa foram puxadas para as duas jovens beldades e suas poderosas auras.

 

― Mas o quê...!? ― Romeo olhou em descrença para as duas e Elisa arregalou os olhos. O poder de Natalia estava muito longe de um simples terceiro reino, como era antes de seu casamento com Samuel.

 

― Natalia e Mara... Estão ambas no décimo primeiro reino?! ― Romeo quase gritou fazendo uma careta. Mesmo Romeo, que geralmente era um homem frio que não dava importância para assuntos que não eram de seu interesse, agora estava com uma expressão feia formada.

 

― Filha, você está tão forte assim... ― Elisa estava surpresa, mas não parecia estar nem perto de Romeo. Romeo parecia que estava quase tendo um infarto, agora a pouco ele havia chamado a filha dele de imprestável e inútil, alguém que não teria futuro nenhum e, naquele momento, ela estava consolidada no nível 2 do reino Elemental, isso era apenas um nível abaixo de sua prima mais velha. Considerando que Natalia tinha apenas um pouco mais que 15 anos, ela era como um lendário gênio nunca existido em todo esse mundo, e provavelmente em muitos outros também.

 

― Natalia... Com o Lendário Poder Elemental... Isso... Isso... ― Romeo estava quase gaguejando. O choque dele era tão grande que ele tinha se esquecido até de manter sua pose de patriarca. Elisa tinha lágrimas rolando pelos olhos com extremo orgulho de sua filha, mas ainda assim tentava manter as aparências.

 

― Romeo, você está vendo nosso poder! Agora devolva meus pais ou nós seremos bem rudes. Não pense que porque estamos no reino Elemental somos mais fracas que você! ― disse Mara, que não aguentou mais esperar.

 

                Não havia como não ter choque. Se Romeo, que deveria ser o homem mais controlado ali, estava com uma face atordoada, o que dirá os outros? Podia-se dizer que a pessoa mais controlada no momento era Elisa, mas as lágrimas ainda banhavam seus belos olhos. Elisa também era uma mulher bonita, Natalia tinha puxado boa parte da beleza de sua mãe. No entanto, ela tinha um olhar terno com a filha, um olhar de pura admiração.

 

                Natalia nesse momento era considerada o maior gênio em toda a história por todos ali presentes, não somente Natalia mas Mara também. As duas eram como monstros e seus futuros não poderiam ser mais segurados.

 

                Naquele momento o corpo de Romeo tremia, ele nunca tinha colocado fé em sua própria filha. Quando ela ainda estava cultivando, tirou tudo dela e a empurrou contra Heitor para garantir seu futuro no comando do clã. Essa filha serviria apenas como barriga de aluguel para outra família. Logo após, ele praticamente a negociou para se manter no poder com Samuel. E agora ele estava tão arrependido, que não sabia nem o que deveria fazer naquela situação. Se arrependimento matasse, Romeo sentia que poderia morrer milhares de vezes e ainda não seria bastante.

 

                Naquele momento, o clã Torres praticamente tinha parado. Até os homens feridos no chão tinham esquecidos suas dores e olhavam as duas jovens mais poderosas. A aura delas continuava varrendo com força todas as direções possíveis. Podia-se dizer somente em olhar que aquelas auras eram muito mais poderosas do que um simples reino do poder elemental. Era quase auras de reinos finais. A pressão e força que exercia superava qualquer décimo primeiro reino e até alguns do décimo segundo reino.

 

― Romeo, eu não vou falar de novo! Entregue meus pais e eu espero que eles estejam bem! Porque se eles não estiverem... Eu não vou poupá-lo!― Mara apertou os punhos decidida, ela estava prestes a fazer seu movimento.

 

                Romeo estava suando enquanto procurava uma forma de contornar sua situação. Romeo era um homem que sabia de suas escolhas e as enfrentava de frente. Ele nunca tinha valorizado sua filha, e agora ela era para eles o maior monstro em todo o Continente Sul. Sem sombra de dúvidas, uma jovem com menos de 20 anos ter alcançado o  lendário poder elemental não era algo para se pensar, nem sequer em um devaneio mais insano isso poderia ser verdade, mas ali estava Natalia e Mara, e ambas tinham alcançado esse reino.

 

― Amor, devemos recuar. Ainda temos tempo de inventar algo e se desculpar com Mara e nossa filha. Se elas estão nesse nível de poder, o que dirá aquele jovem Samuel? ― Elisa disse baixinho do lado de seu marido, que ainda não havia se recuperado do choque. Na realidade, ninguém havia. Os homens constantemente olhavam para seus companheiros em expressões interrogativas, como se quisessem ter certeza de que aquela era a mesmo a realidade. Uns até balançavam as cabeças uns para os outros para confirmarem como se eles mesmos entendessem a pergunta dos outros.

 

                Natalia era apenas considerada a maior beldade do clã e com um cultivo bom no início. Todos tinham inveja de Samuel por saber que ele poderia se deliciar daquela bela garota, mas isso era a única coisa. Agora, no entanto, todos podiam ter muito, muito mais inveja, invejar até os confins de sua alma e de suas existências, e se tivessem outras vidas eles ainda continuariam a invejá-lo. As duas esposas de Rael, eram lindas, e também eram verdadeiros gênios nunca vistos antes.

 

― Filha... Você está tão forte... ― Romeo deixou as palavras escaparem de sua boca e ainda estava extremamente nervoso.

 

― Pai, solte os pais de Mara ― foram as únicas palavras de Natalia em retorno. Ela nem sorriu nem fez uma expressão fria, ela apenas mandou, o seu tom não soava como um pedido,  mas sim como uma ordem. Isso deixou muitos ali surpresos. A maioria conhecia a jovem de temperamento doce, simples e gentil. Natalia era um amor com a maioria das pessoas e nunca teria a coragem de falar assim com seus pais antes. No entanto, agora ela estava falando e em um tom extremamente sério.

 

― Filha, eu nunca pensei que você pudesse chegar tão longe assim... ― disse Romeo, se recuperando um pouco de seu susto, depois continuou ― Contanto que você esteja disposta a me ouvir, eu aceitarei você de volta como filha e cuidarei de você. Agora, saia de perto dessa traidora e volte para mim ― essas foram as palavras de Romeo depois de pensar um pouco.

 

― Traidora? O que foi que fizemos para você nos acusar assim? Romeo, eu não estou brincando, devolva os meus pais ou eu vou começar a massacrar vocês. Eu não estou brincando! ― Mara estava ficando vermelha de raiva. Porque ela já tinha feito o mesmo pedido várias vezes e não foi atendida. Além disso, ela não conseguia sentir a energia de seus pais, o que a deixava ainda mais preocupada.

 

― Devolva o senhor Rayger e a senhora Neide! Se Mara for uma traidora, então eu também sou! ― disse Natalia no mesmo instante. Ela não parecia nem um pouco indecisa.

 

― Eu sou seu pai! Você deve me ouvir, agora saia de perto dela! ― Romeo ficou um pouco mais alterado e falou mais alto. Ele não queria se levantar contra a própria filha gênio, mas ele queria se livrar de Mara o mais rápido possível.

 

― Mara é minha prima, ela e eu somos esposas de Samuel. Se você levantar sua espada contra ela, também estará levantando contra mim. Eu não sou mais a garotinha obediente e fraca que ouvia suas ordens antes, agora eu tenho minhas próprias escolhas! Pai, mãe, soltem o senhor Rayger e a senhora Neide agora! ― Natalia novamente ordenou.

 

― Filha, eu não posso fazer nada... Eu não posso ir contra a vontade de seu pai... ― Elisa deixou mais algumas lágrimas caírem por seu rosto e se sentia cada vez mais aflita. Romeo, ao contrário, estava mais enfurecido.

 

― Mulher fraca! ― disse ele, olhando a esposa do lado e depois voltando a olhar para as duas.

 

― Muito bem, se é assim que vai ser, vocês não me deixam escolha. Homens, capturem-nas imediatamente.

 

                Os homens ainda não estavam recuperados mas eles instintivamente deram um passo a frente e explodiram suas auras. Nesse momento, centenas de auras foram explodidas. Romeo e Elisa ficaram parados a frente a residência assistindo ao que iria ocorrer.

 

                Em um simples instante, Mara e Natalia foram cercadas. Dezenas de cultivadores entre os três reinos acima do décimo, foram para cima delas. Todos tinham a intenção de segurá-las e contê-las, e não de machucá-las como foi uma ordem de captura.

 

Boooom! Boooom! Boooom! Boooom! Boooom! Boooom! Boooom!

 

As duas eram como borrões em meio aos homens, eles as vezes achavam que tinham conseguindo segurar o braço de uma, mas na verdade, estavam segurando o braço de algum companheiro. Em meio ao caos, a velocidade delas nem podia ser acompanhada além de Romeo, Elisa e alguns poucos do décimo segundo reino, mas mesmo que acompanhassem, esses do décimo segundo reino ainda não conseguiam pegá-las.

 

                Os homens estavam sendo lançados um a um para longe. Os golpes delas eram considerados simples: palmadas no tórax, nas costas, no estômago, onde elas acertassem, e cada palma faria homens voarem vários metros e caírem com dificuldades em se levantar. Se eles estivessem indo para atacá-las não seria tão simples e fácil para as duas, mas como eles queriam capturar seria muito mais difícil.

 

                Em menos de um minuto, cerca de 44 homens estavam no chão gemendo de dores. Eram homens dentro dos três reinos citados acima. Descrença estava no rosto de Romeo. Como tantos homens não conseguiam render dois simples décimos primeiros  reinos? Não era somente Romeo, todos que assistiram a tentativa de captura estavam com expressões complexas.

 

― Patriarca, o que está acontecendo? Ouvimos barulhos... ― disse um dos elders do clã chegando flutuando junto a outros sete. Havia um total de oito elders no clã, todos dentro do reino das leis, próximos aos níveis finais, semelhante ao poder de Elisa. Todos eles eram considerados os homens mais poderosos do clã.

 

                Esses oito elders seriam os conselheiros do clã, homens que as vezes saiam por aí para decidirem problemas. Como ocorreu no evento da ilha, quando eles foram levar as acusações ao prefeito local, o acusando sobre as mortes de alguns membros do clã na ilha.

 

― Mara? Natalia? O que está acontecendo...? ― Os elders se sentiram confusos com as cenas assim que chegaram. Guardas no chão machucados, duas jovens inexplicavelmente no décimo primeiro reino. Aquilo estava mesmo certo?

 

― Mandei que capturassem as duas, mas como podem ver, elas não são mais tão simples como eram antes. Minha filha insiste em trabalhar com os traidores ― Romeo respondeu tudo friamente e sem se importar.

 

― Eu avisei mais vezes do que minha paciência suportou, se vocês não vão devolver os meus pais, então mostrarei para vocês o meu verdadeiro poder! ― Mara rugiu furiosa. Ela não estava mais paciente e queria ver seus pais.

 

O que todos viram a seguir foi uma intensa e poderosa transformação. O corpo de Mara foi coberto com uma energia dourada que jorrou do bracelete da armadura mágica. Partes metálicas douradas foram surgindo cobrindo Mara e em poucos segundos ela estava vestida com uma poderosa armadura mágica.

 

Essa armadura era dourada com manchas escuras, possuía no peito uma pedra azul cristalizada. Nos ombros e nas pernas, uma proteção extra que lembrava as ondas da água. Nas mãos, garras vermelhas afiadas de cinco centímetros. O elmo que cobria a cabeça de Mara tinha o formato do rosto de um tigre, tendo até mesmo um focinho na formação da boca e os olhos um pouco puxados, como os de um felino imponente. Nas mãos, surgiu uma espada de lâmina vermelha fogo de porte médio, que ela segurou nas duas mãos. Sua empunhadura era dourada como ouro combinando com a armadura. Tanto a armadura quanto a espada e exibiam auras assustadoras.

 

― Isso é uma arma mágica? É mesmo uma arma mágica? ― um dos elders perguntou estupefato. Os outros elders e guardas ficaram todos de olhos esbugalhados. O poder de Mara cresceu violentamente. Se antes, sem a armadura, ela já era capaz de lidar quase facilmente com décimos segundos reinos, o que dirá agora?

 

― Arma mágica? ― Romeo também estava surpreso. Esse tipo de coisa não deveria existir e ainda assim estava ali, nas mãos de sua sobrinha.

 

                Rael já tinha feito algumas armas mágicas para alguns de seus discípulos, mas as primeiras a ganharem as armas de qualidade haviam sido Natalia e Mara. Tanto Mara como Natalia tinham armas mágicas de altíssimo nível.

 

― Agora devolvam os meus pais! ― Mara rugiu e como um borrão ela saltou contra Romeo, levantando sua espada. Uma forte e poderosa aura jorrava da armadura dela. Ela estava com um intenso instinto assassino. Até os elders foram pegos de surpresa pela reação repentina de Mara.

 

 

                Elisa, que estava próxima, recuou alguns passos para trás rapidamente, sem querer se envolver nisso. Romeo, por outro lado, formou uma expressão fria. Agora ele queria mais do que nunca a morte de Mara.

____________________________________________________________________
Capítulo patrocinado por: Leonardo Schmidt