O Herdeiro do Mundo

264 - Rael versus Reges (Parte 2)

Reges tinha consciência de que usando essas duas habilidades até mesmo um reino final teria problemas com ele. Essas eram suas garantias contra Verom, que agora estava sendo usadas contra um reles júnior.

 

Quando ele encontrou Rael como um dos supostos traidores tentando cercá-lo, já imaginou que Rael não fosse tão fraco assim. A partir dos testes de lançamento de adagas e alguns poucos golpes cruzados, ele viu a diferença entre suas forças. O que ele não esperava é que Rael fosse tão forte a ponto de, mesmo usando dois movimentos mortais simultaneamente, ainda estava com certa desvantagem.

 

Vruuum booom! Vruuum boooom!

 

Rael começou a abrir portais e aparecer nas costas de Reges ou nas laterais. Rael abria portais aleatoriamente para escapar das adagas ou atacar Reges.

 

― ‘Esse maldito! Que tipo de habilidade é essa?’ ― Reges estava sofrendo agora porque Rael estava completamente imprevisível. Mesmo que ele sentisse uma energia surgindo ao lado liberando um portal, no momento que ele se virava Rael já saía atacando, era quase instantaneamente.

 

                Rael tinha percebido que se usasse o Espaço Ilusório a todo instante ele não iria aguentar e teria que fugir, mas usando a habilidade herdada de Alice, ele poderia conseguir vantagem, escapando das adagas e ainda atacaria Reges no mesmo tempo. Rael não estava bem familiarizado com essa nova habilidade, mas a usou bem durante a batalha, ferindo Reges em várias partes do corpo com a espada de terra.

 

― ‘Por que não parece estar fazendo efeito?’ ― Rael estava se sentindo perturbado porque mesmo ele causando vários ferimentos em Reges, aquele homem parecia não sentir qualquer dor.

 

                Reges teve que saltar de lado para escapar das oito adagas que chegaram a procura de Rael. Rael já tinha embarcado no portal e reaparecido a uns 500 metros de distância, fazendo as adagas se virarem e partirem rugindo enquanto cortavam o vento em velocidade.

 

                As adagas não desistiam de perseguir Rael por nenhum instante, mesmo que ele sumisse e aparecesse longe, elas dariam a volta e continuavam perseguindo o jovem.

 

― ‘Esse garoto maldito! Eu não vencerei essa luta se continuar assim, mesmo usando minha Técnica Mortal de Sacrifício!’

 

                Reges era o único em todo clã que possuía uma técnica misteriosa que transformava os danos recebidos em lâminas de ataque. Os danos que ele sofria durante a conjuração da técnica era. indolores, por isso ele não sentia qualquer dor quando Rael o atingia com a lâmina, mesmo que fossem golpes que rasgavam fortemente a sua carne. Mas isso não queria dizer que ele não estava em risco de vida. Essa técnica consumia sua energia natural e vital, de modo que mantê-la ativada por muito tempo seria extremamente perigoso.

 

                Reges correu os olhos analisando o tanto de ferimentos espalhados pelo seu corpo. Eram dezenas deles, alguns de raspão, outros mais fundos e alguns até perigosos. Se ele estivesse sentindo dor agora, ele não estaria podendo lutar com força total, seu corpo mal estaria se movendo tão livremente como agora.

 

Reges ainda mantinha duas adagas comuns em suas mãos e sempre estava preparado para as aparições de Rael. As vezes ele ainda lançava suas adagas, mas no geral isso não funcionava muito, o braço azul de Rael era muito rápido e sempre o protegia a tempo.

 

― ‘Essa luta não pode mais ser estendida!’ ― pensou Reges decidido. Rael tinha feito dois portais, se afastando mais e de repente reapareceu por trás dele. Reges não se virou. Em vez disso ele liberou uma imensa onda de energia por todo o corpo. Cada ferimento que Rael causou, cada ataque de raspão se tornaram lâminas saindo e se espalhando do corpo de Reges, como se fosse um verdadeiro porco-espinho.

 

                Rael, que estava atacando com a espada de terra, de repente sentiu a pressão quando viu as lâminas se espalhando do corpo do mesmo. As varias lâminas vermelhas eram longas e tortas correndo em varias direções e, como eram muitas, não havia como não atingirem seu alvo. Três laminas perfuraram o braço esquerdo de Rael, que se viu obrigado a usar o Espaço Ilusório para fugir para longe. As adagas dessa vez nem chegaram perto de Reges e já percorreram para a nova direção em que Rael havia aparecido, há quase 600 metros.

 

                Rael olhou o sangue escorrendo de seu braço esquerdo, os ferimentos só não foram piores por causa do uso do Espaço Ilusório e em seguida fugiu no portal. Caso ele não tivesse essas habilidades, ele teria sofrido muito mais danos e talvez até morrido, apenas com aquele movimento.

 

                Com apenas um rápido pensamento, seus ferimentos do braço se fecharam enquanto uma leve aura esverdeada havia pairado sobre os machucados. Com o controle maior de seu poder, Rael agora era capaz de usar suas habilidades mais rapidamente e com muito menos esforço.

 

Zuum! Zuum! Zuum! Zuum! Zuum! Zuum! Zuum! Zuum!

 

Olhando as oito adagas voando novamente em sua direção, Rael subitamente teve uma nova ideia. Nesse momento, as lâminas que cercavam o corpo de Reges tinham acabado de voltar para a pele.

 

                Reges estava ali respirando com dificuldade vendo Rael um pouco distante. Reges ainda estava se recuperando dessa última habilidade usada quando viu o portal surgir em suas costas. No momento que ele ia se virar, foi atingindo várias vezes nas costas. As oito adagas perfuravam suas costas violentamente, quase atravessando o seu corpo. Reges pensou que encontraria Rael saindo do portal, mas dessa vez Rael sequer apareceu.

 

                As adagas saíram sozinhas do corpo de seu ativador, se viraram e rugiram novamente em direção a Rael. Reges ficou ali cuspindo uma grande quantidade de sangue e com os olhos arregalados em fúria. Rael usou sua própria habilidade contra ele, se não fosse por ele está com essa a técnica ativada, a luta teria terminado naquele instante.

 

                De longe, Rael acompanhou a cena depois de fechar os portais que havia mandado as adagas. Mesmo que Reges não gritasse, ele ainda sofreu os danos e Rael percebeu isso. Usando a mesma tática, Rael avançou contra as adagas e Reges acompanhou cada movimento dele. Rael viu que Reges estava prestando atenção, mas mesmo assim não se incomodou.

 

― ‘Se você pensa que eu vou cair no mesmo truque pela segunda vez, moleque...’ ― Reges cuspia ódio enquanto concentrava mais uma vez seu poder, apenas esperando o momento certo. No momento que o portal se abrisse ele enviaria suas adagas longas e cortariam saindo do outro lado e pegando Rael desprevenido.

 

                Rael chegou perto das adagas e abriu um portal rapidamente, em seguida já abriu outro próximo a Reges. Reges se virou furioso e mandou suas longas lâminas de sangue contra o portal. As lâminas entraram sumindo no portal viajando através da habilidade de Rael e surgiram em um outro ponto isolado. As adagas de Reges reapareceram em outro ponto aleatório também e de repente um novo portal tinha surgido nas costas de Reges.

 

― ‘Ele...!’ ― Reges não teve tempo de reagir quando sentiu uma mão suavemente tocar em seus ombros direito e esquerdo.

 

― Impacto Invisível! Impacto Invisível! ― Rael rapidamente recuou em seguida e fechou os dois portais.

 

― Aaaaaaah! ― Reges gritou, perdendo forçadamente várias de suas lâminas, que foram quebradas com o fechamento repentino do portal. Ele ficou ali se estremecendo inteiro, olhando o seu oponente parado a alguns metros dele flutuando no ar. Reges tinha várias lâminas grandes que entraram e tentaram alcançar Rael, mas o rapaz tinha armado tudo, esperando que Reges fizesse mesmo esse contra golpe. Reges iria se gabar de não cair no mesmo truque duas vezes, mas dessa vez ele fora novamente enganando.

 

                Rael havia aberto o primeiro portal para adagas serem enviadas para um outro ponto. Em seguida, fez Reges pensar que o portal aberto para as adagas seria o segundo que ele abriu próximo a Reges, que também foi para outro ponto e no último instante, ele abriu o terceiro portal para sair nas costas de Reges e o pegou completamente de guarda baixa. Logo após o seu golpe, ele fechou os três portais. Quando ele fez isso, Reges praticamente perdeu uma enorme quantidade de sangue que deveria retornar ao seu corpo.

 

― Seu maldito! Como você pode ter tantas habilidades estranhas? ― Reges perguntou, respirando com dificuldades. O sangue que ele perdeu agora foi suficiente para o fazer o corpo dele suar frio.

 

                Rael armou toda essa jogada porque sabia que Reges era inteligente e aproveitaria a chance para tentar pega-lo de surpresa. O que ele não previa é que Rael já tinha arquitetado todo o resultado. Diferente dos outros quatro guardas que Rael matou antes tão facilmente, Reges não era como eles. Reges era o homem de confiança principal de Romeo e Rael já esperava que fosse um oponente difícil, mas Rael não pensou que ele teria que usar tanto poder assim para vencer essa batalha.

 

― No passado você matou um garotinho que não conseguia se proteger, mas um alvo capaz de revidar você não tem capacidade. Você é um dos piores lixos do clã Torres! ― disse Rael friamente, mesmo tendo consciência que não foi uma vitória fácil.

 

― Lixo, eu? Você que é um lixo, era odiado até pelos próprios pais! Você não é nada além de uma aberração! Voc...!

 

Booom! Booom!

 

Os dois ombros de Reges explodiram e seus braços foram dilacerados com ossos e tudo. Uma enorme quantidade pele, pedaços de carne, sangue e ossos quebrados voaram, se espalhando por todo o ar. Rael podia notar que ele não sentia dor, mas o que ele faria sobre isso?

 

                Reges não sentiu quase nenhuma dor, mas de repente perdeu seus dois braços. Ele ficou aterrorizado quando viu os próprios braços caindo, ainda por cima ao mesmo tempo. Naquele instante, algumas tatuagens brilhando por baixo do seu peito escondido entre as roupas perderam o brilho. As adagas que estavam retornando para atacar Rael caíram a uns 100 metros de distância, despencando do ar e perdendo o poder.

 

                Reges olhou imponentemente na direção de Rael, ele estava com completo ódio daquele jovem. Seu coração gritava ansiando a cabeça dele, mas nesse momento ele não podia lutar. Quando seus braços caíram, as habilidades foram desfeitas e ele perdeu o controle de uma das suas principais habilidades. Logo, ele apertou os dentes sentindo uma dor infernal se espalhando por todo o corpo instantaneamente. Com as habilidades desativadas, Reges começou a sofrer pelos ferimentos que possuía.

 

― Parece que suas habilidades acabaram... ― disse Rael friamente, percebendo a expressão feia que Reges começou a fazer.

 

                Reges era como uma enorme poça de feridas, havia buracos por várias partes de seu corpo, muitas partes de suas vestimentas estavam rasgadas e meladas de sangue.

 

― E agora, você acha que... que eu vou pedir por perdão ou misericórdia? Humf! Isso não vai acontecer, moleque.

 

― Não espero isso de você, e mesmo se implorasse, eu não deixaria você viver. Você é um dos alvos que devem ser eliminados a qualquer custo ― disse Rael friamente. Reges já não conseguia ser frio, tomado por ódio e dores incessantes, suas expressões eram feias e perturbadas, porque sabia qual seria seu destino agora.

 

― Eu não me arrependo do que fiz a você, e ainda faria de novo! Foram ordens dos seus pais e portanto eu não recusaria em obedecer! Eu sempre fui fiel ao clã Torres! Mesmo que me mate, você não será capaz de matar Romeo, ele é muito mais forte do que eu!

 

― Não sou capaz de matar Romeo? Huhuhu... ― Rael riu friamente diante de Reges.

 

― Você não sabe a força do patriarca e da esposa dele. Mesmo Elisa não sendo um reino final, ela é capaz de enfrentar um facilmente, sem ao menos usar técnicas de vitalidade.

 

― Eu não tenho medo de nenhum dos dois, e cedo ou tarde eles vão ter o mesmo fim que você ― disse Rael mesmo se lembrando de Natalia, que queria que eles fossem perdoados.

 

― Hahahahaha! Você está sonhando acordado, fedelho! O reino final que está te ajudando deve ser Neide ou Rayger, mas se você pensa que eles o ajudarão na última batalha, é melhor pensar novamente. Uma traição como essa já era esperada! Hahahaha! Membros do clã não podem trair um clã e sem receberem punição! ― Reges continuava rindo furiosamente, mesmo em meio a dor. Ele estava claramente provocando Rael para acelerar seus passos e tentar matá-lo mais rapidamente. Rael continuou indiferente sobre isso.

 

― Ria o quanto você quiser, seu destino não vai mudar. Eu não tenho medo de nenhuma de suas palavras. Aliás... eu tenho até algo para mencionar a vocês. Sabe, a Isabela? Ela pertence a mim, e o tempo todo estava segura comigo. Nem você, nem Romeo ou qualquer um que queira terá o direito de tocar nela, somente eu  ― disse Rael com um sorriso frio. Ele tinha ouvido por Rayger que Reges e seu grupo ficaram fora por semanas sem poder voltar para seus lares enquanto a procurava. Como ele não poderia tirar um sarro naquela hora?

 

― Seu maldito! Então era você quem a escondia! ― Reges não conteve sua raiva. Ele e seus homens ficaram feito baratas tontas sem saber onde mais procurar a mulher que estava o tempo todo com Rael.

 

― Sim, era eu. Se você acha que alguém nesse mundo pode sonhar em tocar em uma mulher minha, pense novamente ― disse Rael, voltando a ficar indiferente.

 

― Humf! Não importa mais nada, ― disse Reges contendo a raiva. ― Agora acabe logo com isso, faça o que deve ser feito! ― disse Reges que continuava flutuando sem demonstrar qualquer reação além de um pouco de raiva.

 

― Desistiu de me provocar? Eu achei que você iria continuar tentando ― disse Rael, exibindo outro sorriso frio. Reges até imaginou que Rael podia ver por trás dele. Mesmo que o poder de Reges tivesse enfraquecido, Rael sentiu constantemente ele reunir energia no peito e imaginou que Reges ainda faria algum último movimento, mesmo sem os braços. Essa energia de Reges era quase imperceptível, de modo que não era qualquer cultivador que poderia sentir.

 

― Eu não tenho mais poder para lutar, então não adianta tentar fugir ― disse Reges, tentando parecer indiferente também.

 

― Nisso você está certo. Eu não permitiria que você fugisse, nem se tivesse em seu poder total ― concordou Rael, olhando o estado miserável do homem a frente. Os ferimentos dos braços não parava de jorrar sangue. Rael suspirou, pensando que se demorasse mais ele poderia morrer até por hemorragia. Então Rael se concentrou e fez surgir seu clone.

 

― Mas o qu...? ― Reges não conhecia essa habilidade de Rael. Ele ainda tinha um último plano para pegar Rael desprevenido, mas acabou sendo surpreendido. Se Rael não iria por conta própria, ele não poderia se sacrificar.

 

                Reges avançou no ar para trás, como se quisesse recuar do clone. Mas o mesmo apareceu de repente em sua frente como um borrão e bateu com a palma da mão em seu peito, destruindo seus principais pontos de poder e a energia que se formava. Com isso, todo o cultivo de Reges entrou em colapso e ele começou a perder seu poder.

 

― Você achou mesmo que eu iria chegar perto de você? Pensa que eu não o vi juntando energia? ― perguntou Rael.

 

                Reges perdeu a força do corpo e foi segurado por suas vestimentas pelo clone de Rael para não cair.

 

― Antes de tudo acabar, eu ainda o farei ser como um humano normal. Você sofrerá tanto como eu sofri naquele dia no penhasco ― disse Rael. Com apenas um movimento de mão, um portal vermelho foi aberto. O clone empurrou Reges para frente e atravessou o portal. Rael seguiu atrás sem muitas pressa.

 

                O novo cenário que Rael via agora era o mesmo de 6 anos atrás quando ele era apenas uma criança aleijada. Lá estava o penhasco sobre o qual ele foi lançado, embaixo estava as rochas afiadas sobre o qual o corpo dele caiu e quase pereceu. Atrás deles estava uma floresta e uma trilha que chegava nesse local.

 

                O clone de Rael segurava Reges próximo a beirada do penhasco. Reges foi forçado a ficar de joelhos e estava sendo segurado pelos cabelos e pelas costas.

 

― Qual é a sensação de voltar a ser um simples humano? Aliais, qual é a sensação de ser aleijado agora? ― perguntou Rael friamente nas costas de Reges. Conforme os pontos de poder foram destruídos, o cultivo de Reges estava se acabando pouco a pouco. A medida que o tempo passava seu corpo ia ficando cada vez mais normal. Não demoraria muito para Reges ser como um simples humano.

 

― Hahahaha! Se você acha que vai me ouvir gritar ou chorar está enganado. Eu nunca tive medo da morte. Mas ainda me lembro de você chorando miseravelmente naquele dia hahaha! ― Reges ainda ria, mesmo com seu estado deplorável.

 

 

― Você pode tentar ocultar sua dor e medo, mas a mim você não engana ― disse Rael friamente.