O Herdeiro do Mundo

252 - Chegando ao Castelo Orany

Rael não teve nenhuma pressa enquanto contava calmamente a história verdadeira deles para Isabela. Como estavam sob a supervisão de Violeta, não havia perigo algum, mesmo que estivessem em um continente mais poderoso.

 

                Rael contou quase tudo, até os detalhes sobre as celestiais, a soberana Alexia e até mesmo sobre as violadoras. Isabela podia ver Violeta de longe e naquele momento começou a olhar aquela mulher com muito mais respeito, embora houvesse um claro toque de ciúme em seu olhar.

 

                Isabela sempre desconfiou que Violeta não era uma mulher normal. Não havia como em sua cabeça tal mulher ser apenas uma cultivadora do reino final. Isabela sempre teve o pressentimento que Violeta era muito maior que apenas isso, e não estava errada.

 

― É assim que é. Minha meta é concluir a minha vingança, salvar Natalia da maldição e partir para um novo mundo, junto com todos que devem me acompanhar. Eu devo continuar trilhando o caminho que levará a recuperação de todo meu poder, o nosso poder, para assim salvar também as violadoras da maldição ― explicou Rael, terminando o assunto.

 

― O que quer dizer com todos que devem te acompanhar?

 

― Você não entende? Eu não posso levar todas as pessoas desse mundo. Por exemplo, Mara, Natalia e a princesa Anita. Elas vão acabar ficando aqui.

 

― Mas elas são todas suas mulheres... não seria justo ― mesmo que Isabela não as aceitasse completamente, não significaria que teria raiva. Então Isabela rapidamente as defendeu, porque pensou em seu coração que iria odiar se Rael fizesse o mesmo com ela.

 

― Isso é diferente, e há varias razões. Vou precisar deixar pessoas confiáveis nesse mundo para quando eu partir a coisa não desandar por aqui. Violeta também me disse que no outro mundo não posso levar ninguém que não seja ao menos um reino final.

 

― Por quê?

 

― Algo a ver com a atmosfera ser mais pesada. As pessoas que nascem lá já estão habituadas, mas levar pessoas daqui seria um problema.

 

― E você vai partir sem nunca mais olhar para trás, é isso?

 

― Claro que não. Eu vou fazer o que tiver de ser feito e voltarei para fazer visita algumas vezes. Mas não entendo por que você de repente ficou preocupada com isso.

 

― Eu não aceitaria o fato de ficar para trás enquanto você se vai, e acho que nenhuma de suas esposas pensaria diferente de mim. Uma mulher deve sempre acompanhar o seu homem ― sendo uma guardiã, Isabela não conseguia pensar diferente e acabou tomando as dores dessas mulheres que Rael pretende deixar para trás quando partisse, embora Rael ainda não tivesse mencionado nada com nenhuma delas. Como tudo ainda estava em andamento e não haviam prazos, Rael não tinha pressa e não ficava pensando muito sobre isso.

 

― Você e Keylla são minhas guardiãs e minhas esposas destinadas. Eu jamais deixarei vocês para trás ― disse Rael, aliviando o coração de Isabela.

 

― E a história de apenas reinos finais poderem ir?

 

― E você acha que não vai conseguir esse poder até chegar a hora? Seu cultivo aumenta junto com o meu, e o meu aumenta bem rápido. Você e Keylla estarão ambas prontas para quando a hora chegar ― garantiu Rael.

 

― Agora que você disse o nome Keylla várias vezes, ela não é tão estranha pra mim... ― admitiu Isabela. Ela virou o rosto olhando para o chão e pareceu se distrair com alguns pensamentos como se tivesse recebendo visões do passado.

 

― Está se lembrando de alguma coisa? ― perguntou Rael.

 

― Acho que estou ― disse a bela guardiã. Mesmo ela ouvindo a voz de Rael do seu lado, sua cabeça ainda parecia estar em outro lugar.

 

― Devem ser visões de nossas vidas passadas ― disse Rael.

 

― Nós morávamos em lugar tão lindo assim, Rael? Nossa, Keylla também é linda! ― disse ela, como se naquele momento estivesse vendo algo que nem Rael viu.

 

― O que você vê? ― perguntou Rael interessado.

 

― Eu vejo um rio corrente. Tem algumas rochas grandes em volta e você está de pé em uma delas, olhando na mesma direção que eu. Acho que estou atrás de vocês dois.

 

― Dois? Quem está comigo?

 

― Uma mulher bonita, de cabelos escuros e olhos azuis. Ela tem a mesma altura que a minha e possui a pele branca também. Ela está apresentando um documento a você, parece ser um convite para alguma reunião.

 

― Deve ser Keylla mesmo... ― confirmou Rael. Isabela parecia distraída enquanto continuava revivendo sua memória antes perdida.

 

― Rael, chegou sete homens muito poderosos ― ela continuava narrando como se estivesse vendo o corrido naquele exato momento ―, eles se ajoelharam e disseram está esperando por ordens suas. Você afirma que tem uma reunião hoje e os manda se preparar, mas eles já parecem preparados. Eles têm poderosas armaduras e vários acessórios mágicos.

 

― Isabela, continue ― Rael se interessou porque pareceu uma visão próxima de sua traição e queda.

 

― Tem um homem moreno entre os sete ajoelhados, o nome dele é Roram Asfrod. Ele te olha com certa atenção, como se quisesse te dizer algo, mas aparentemente você não percebe essa intenção dele.

 

― O que mais? Continue!

 

― Você está falando algo com Keylla e me chama, querendo confirmar algo conosco...

 

― O quê, Isabela? ― perguntou Rael e notou que Isabela agora olhava ciente para ele.

 

― Eu não sei, a visão acabou. Tive a sensação de ter estado lá agora mesmo ― disse ela, e ainda tentou se concentrar para ver se voltava, mas foi em vão.

 

― Que estranho, você foi a primeira a ver tão profundamente... ― disse Rael.

 

― Desculpe, eu não consigo mais voltar. Parece que isso é tudo o que me lembro. Acho que me lembro disso por ter ficado pensando se Roram queria dizer algo a você naquele momento.

 

― Talvez ele quisesse, mas pelo visto não demos atenção. Bem, tanto faz.

 

                Rael fez uma pausa e olhou em volta, como se quisesse repensar sobre o que ia dizer.

 

― Voltando ao ponto, minha vingança também incluirá o seu mestre. Romeo não será poupado.

 

― Tudo bem, eu agradeço ― disse ela, um pouco desanimada.

 

― Não está animada com isso? Por culpa de Romeo que ele foi morto, sem contar que é o homem que tenta escravizar você.

 

― Um pouco, talvez ― admitiu ela depois. Infelizmente os sentimentos de Keylla e Isabela eram devotados ao seu protegido, de modo que isso não atrapalhasse seu trabalho principal, que seria proteger Rael. Qualquer sentimento a mais por qualquer outro ser seriam facilmente sobrepujados pelo verdadeiro sentido da existência delas. Nesse ponto, elas eram ainda mais ligadas a Rael do que as poderosas violadoras.

 

― Isso é bom, seu mestre era importante pra você, não pode esquecer isso ― disse Rael, mesmo sem saber tudo. No entanto, Rael sabia que Isabela não tinha mais o apoio da família e todo o resto. Certamente ela deve ter dependido muito de seu mestre enquanto não o tinha por perto.

 

― Eu não esqueci ― disse Isabela baixinho, ela não parecia querer falar sobre isso, então Rael abandonou o assunto.

 

― Bom, agora nos reunimos de novo e isso é muito bom ― disse Rael, abrindo um sorriso.

 

― Nós vamos voltar? Eles não vão me seguir mais? ― Isabela ainda estava receosa em relação a ser perseguida.

 

― Você ficará escondida, não tenha medo. Tem um lugar que eles nunca te encontrariam. Além disso, assim que eu voltar, já iniciarei a minha vingança. Está na hora de acabar com a raça daquele patriarca idiota! ― disse Rael se lembrando de Romeo.

 

― Então, vamos? ― Isabela não queria mais ficar naquele lugar, ela só havia ficado ali até aquele momento por não haver outro jeito. Estando com Rael, que tinha a companhia de poderosos aliados, ela não tinha mais o que temer.

 

― Só tenho que fazer mais uma coisa antes ― disse Rael se lembrando de Andréa. Como ele esqueceria Andréa?

 

                Com Isabela de companhia, eles seguiram para a capital principal. Isabela já tinha obtido as informações sobre o castelo real e onde estaria a torre do pilar, o que ela não sabia é que o objetivo de Rael estava quase no mesmo local. Rael facilmente ligou o ponto quando ouviu que o castelo principal era protegido pelo Imperador Nero. Sendo o caso, sua filha estaria sobre os olhos atentos dele.

 

                Violeta agora levava Rael e Isabela em duas bolas de energia, que a seguiam com velocidade lado a lado atrás dela. Embora ainda fossem extremamente rápido, isso já diminuía a velocidade total de Violeta em 50%, porque agora ela estava transportando duas pessoas. Mas a velocidade de Violeta ainda deixava qualquer reino final para trás muito facilmente.

 

― Rael, o que vamos fazer agora?

 

― Resgatar uma princesa. O nome verdadeiro dela é Nastácia, mas eu a conheci com problemas de amnésia, então não sabia na época e demos o nome de Andréa a ela ― explicou Rael. Essa era a única parte que ele ainda não havia dito, embora tenha dito que foi salvo por uma amiga contra Arthur.

 

                Quando Rael contou que Arthur morreu, Isabela quase não esboçou expressão, o que fez Rael pensar que ela não tinha mesmo nenhum ódio contra ele, mesmo assim ela ainda ficou um pouco satisfeita com a notícia.

 

― Essa princesa é importante pra você? É outro de seus casos? ― Isabela podia não demonstrar, mas por dentro ela queimava de raiva. Ela mal descobriu que amava um homem e este mesmo homem estava cercado de mulheres.

 

― Bem, não posso dizer que não rolou nada entre nós, mas ela é responsável por salvar a minha vida contra Arthur. Foi dela que falei antes. Eu devo muito a ela e não posso deixá-la aqui se estiver mesmo com problemas.

 

                Colocando dessa forma, Isabela não tinha o que dizer. Mas ainda assim não ficou muito satisfeita e evitou olhar para Rael naquele momento enquanto ambos eram levados pelas esferas de energia de Violeta.

 

                A altura em que eles voavam eram tão alta que fazia tudo parecer apenas pequenos pontos embaixo.

 

                Violeta começou a reduzir a velocidade porque pareceu encontrar a cidade.

 

― Rael, eu acho que estamos chegando ― disse Violeta.

 

― Sim, também estou vendo ― disse Rael de volta.

 

                A cidade se estendia gigantesca embaixo, mesmo parecendo distante sobre o olhar deles. Na altura em que estavam, mesmo os reinos finais não seriam capazes de senti-los. Eles até poderiam ver no seu os três pontos, mas somente se olhassem fixamente por certo tempo, mas apenas nessa ocasião.

 

― O castelo deve ser ao norte― disse Rael.

 

― O que você pretende fazer? Invadir e tomar a garota à força?

 

― Com a sua força não seria nenhum problema, Violeta ― disse Rael, esperando depender de Violeta para executar aquela tarefa. Rael não pensaria duas vezes em depender de Violeta se precisasse. Como naquele continente ninguém conhecia a fraqueza dela, não seria um problema.

 

― Pode ser, pelo menos assim vamos embora mais rápido. O que você vai querer que eu faça? Devo matar alguns guardas? Ou apenas que machuque alguns, até capturar a moça e fugir depois?

 

― Eu não sei, mas não quero que eles fiquem nos seguindo. Se bem que atravessar a fronteira sozinhos é quase impossível ― disse Rael, quase pensativo.

 

― Nesse caso vou fazer as coisas do meu jeito ― disse Violeta enquanto começava a descer lentamente. O castelo entrou na visão deles, sendo um dos maiores pontos na paisagem pequena distante. Era fácil distinguir o castelo devido as altas torres e tudo mais.

 

― Eu também matarei o imperador Nero. Tem alguma objeção, Rael?

 

― Nenhuma. ― disse Rael de maneira firme, se lembrando do que passou por causa de Arthur. Ele não seria burro de cometer o mesmo erro. Rael não ia depender da sorte de Nero conseguir atravessar uma fronteira ou não.

 

― Ótimo, pelo menos você está mais inteligente ― disse Violeta satisfeita, ainda que salvar essa princesa não fosse algo que Violeta queria fazer, mas como era um desejo de Rael ela cumpriria.

 

― Estamos chegando perto... ― disse Isabela.

 

― Vou deixar vocês dois aqui. Sozinha eu trabalho mais rápido ― disse Violeta e libertou Rael e Isabela das bolhas em que os carregava. Com Rael e Isabela livres, Violeta poderia fazer tudo ainda mais rápido.

 

                Isabela e Rael foram deixados a quase duas quilômetros acima. Apesar de terem decido um pouco mais que antes, ainda seria alto o suficiente para ficarem seguros, fora do alcance dos demais. Já Violeta desceu como um borrão em direção ao castelo. Enquanto descia, contornava a área como se estivesse fazendo sua última análise antes de cumprir o seu objetivo. Ela foi focando todos os alvos que precisava abater. Violeta não precisava, mas ativou 20% extra de seu poder, deixando seus olhos escurecidos com algumas raízes em volta, assim ela iria cumprir essa missão imposta por Rael em poucos segundos.

 

                Rael e Isabela viram quando o vulto desceu em giros e de repente congelou no ar. O que ocorreu em seguida foi estranho. Violeta, a duzentos metros de chegar ao castelo, de repente parou. A bela violadora ainda olhou na direção de Rael antes de fechar os olhos e começar a cair desorientada de costas devido a um súbito desmaio.

 

― Rael, tem algo errado! ― gritou Isabela assim que viu aquela cena. No mesmo instante, Rael se estremeceu, percebendo o que estava ocorrendo. Havia alguma Erva Alada Brilhante próxima, e talvez estivesse no jardim do castelo, mas não tinha como ele ter certeza. A erva fez efeito assim que Violeta entrou na proximidade. Essa erva poderia estar até em uma das torres, não havia como ter completa certeza, mas em algum lugar ela estaria. Essa era a única forma de derrubar uma violadora facilmente.

 

                No solo, vários cultivadores que nem sonhavam em olhar para cima de repente começaram a ver uma bela mulher cair dos céus após captar a força de um poderoso cultivo. E o motivo era muito simples: enquanto Violeta estava em controle de seu poder, facilmente ocultou toda a sua aura, mas agora, enquanto caía vulnerável, ela deixou o seu cultivo ser sentido antes de apagar completamente devido sua fraqueza ser exposta.

 

 

Uma vez que uma violadora enfraquece, seu cultivo fica quase que inexistente e ela se torna ainda mais fraca que uma humana sem cultivo, o que significava que até mesmo uma queda como aquela poderia resultar na morte de Violeta.

________________________________________________________________________________
Capítulo ptrocinado por: Marcos Vinicius 

20,00 para próximo capítulo. Boa leitura a todos!




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.