O Herdeiro do Mundo

233 - Violadoras Versus Devoradora

Violeta devoradora foi engolida pelas chamas que causaram danos em sua pele e vestido. Mas não chegou nem perto de ser nada grave, sua regeneração agiu quase que instantaneamente, recuperando qualquer dano que Emilia poderia ter causado nela.

― Você é muito fraca! ― a devoradora surgiu saindo das chamas e lançou um tapa no rosto de Emilia, sem dar tempo dela se defender, Emilia foi arremessada para baixo. O corpo de Emilia bateu contra algumas rochas e saiu rolando no chão por mais alguns movimentos. Emilia ficou um pouco ensanguentada devido a esse golpe.

Zuuuuup!

Quando a devoradora se deu conta, um mostro grotesco e gigante que seria a antiga Violeta surgiu. Ela apareceu subitamente por trás da devoradora. Cada mão de Violeta estava pelo menos duas vezes maior que o normal e suas garras eram largas, vermelhas e extremamente afiadas.

Vraaaap! Boooom!

A garra direita rasgou o ar, unhas vermelhas sangue afiadas como lâminas cortaram contra a devoradora que ainda estava se virando com um ar surpreso. Violeta agora tinha cerca de três metros de altura e seu corpo estava abominável, irreconhecível. Toda sua pele estava escurecida e com escamas em várias partes, e possuía chifres grandes na cabeça e uma calda vermelha. O rosto era de um monstro assustador, parecia a face um demônio com olhos vermelhos enormes, ninguém mais diria que ela uma vez teve forma humana, muito menos de uma mulher incrivelmente linda.

Boooooom!

O golpe acertou a devoradora em cheio, fazendo-a ter partes de seu corpo rasgado. A devoradora foi atirada rumo ao chão com tanta força que, quando ela bateu no solo, o lugar até se tremeu enquanto ela afundava. O monstro que antes era Violeta abriu a boca carregando uma imensa quantidade de energia vermelha e atirou como se fosse um dragão cuspido um fogo incrivelmente potente. Aquela energia massiva voou contra o chão para o buraco que a devoradora foi enviada.

― Sua...! ― a devoradora estava saindo e já ia reclamar quando foi coberta em cheio pelo ataque constante de Violeta. O ataque de Violeta era um enorme raio destrutivo vermelho, concentrado e massivo, como se fosse uma arma gigante atirando laser. O poder daquele ataque era avassalador, muitas vezes mais poderoso do que seu estado normal.

Booooooooom!

A ilha inteira começou a estremecer. O poder de Violeta transformada não era para brincadeira e ela estava fazendo o seu melhor para eliminar sua inimiga o mais rápido possível. Um buraco foi formado rapidamente no lugar onde o poder estava sendo lançado. A ilha não parava de tremer tamanho era a força daquele ataque.

Violeta continuou flutuando no ar e atirando a rajada de energia enquanto a ilha tremia. A devoradora embaixo gritou e começou a desaparecer virando pó durante o ataque. Emilia estava de pé não muito longe, segurando uma pedra azul em uma mão, ela usava essa pedra para passar energia ao cetro na sua outra mão. Ela viu o que tinha acabado de ocorrer e estava surpresa. Violeta tinha combinado antes que usaria todo seu poder na primeira chance que tivesse para exterminar ela o mais rápido possível, mas ela não pensou que conseguiria de primeira e ambas estavam ali, tentando entender se aquele era mesmo o resultado correto. Como que a energia que sentiram da devoradora tinha desaparecido?

Violeta, vendo que a devoradora tinha sido obliterada na terra e sumido dentro de seu ataque, fechou a boca encerrando-o por completo. Havia se formado uma cratera gigante com um buraco enorme. A ilha ainda tremia mesmo após o ataque de Violeta.

O corpo de Violeta estava monstruoso e poderoso, mas não parecia correr nenhuma aura nele. Somente seres com o poder de Emilia acima podiam sentir o real nível de Violeta naquele momento. Na visão de Emilia, que podia ver o poder de Violeta, ela via ondas de fumaça escura fluido e jorrando do corpo de Violeta. Era uma aura sombria e maligna, como a de um verdadeiro monstro mortal. O instinto assassino de Violeta naquele estado seria o suficiente para matar um inimigo fraco de medo, literalmente. Era uma aura terrível, muito acima de cultivadores e bestas normais.

― Violeta... Nós conseguimos? ― Emilia perguntou apreensiva. Violeta, como monstro, não podia se comunicar com facilidade, e como não tinha certeza do resultado ela não disse nada e continuou esperando, como se imaginasse que algo não estava certo.

Boooooom!

― Uaaaaaah!

Quando Violeta percebeu, sofreu um golpe forte nas costas e foi arremessada para baixo contra a terra. A devoradora tinha reaparecido atrás dela.

O corpo da devoradora estava também diferente, mas ainda tinha as curvas de uma mulher e uma beleza humana, diferente da Violeta que virou um verdadeiro monstro. A devoradora estava com raízes pelos olhos e rosto, mas no corpo tinha vários cristais vermelhos pulsando como se estivessem dando mais energia a ela. Nos braços, tinha fileiras de cristais que circulavam todo a sua extensão e formava punhos poderosos feitos de cristais. Os cristais também forneciam uma certa armadura a ela. Foi um desses poderosos punhos que arremessou Violeta para longe.

― Vocês tentaram me enganar, fingiram que não iriam usar a transformação para tentar me pegar de surpresa! Mas devo dizer que isso não vai funcionar! ― a devoradora com o corpo cheio de cristais olhou na direção de Emilia. Os dois braços da devoradora e suas pernas tinham coberturas de cristais, essas coberturas certamente não estariam ali de enfeite. Defesa e ataque de Violeta devoradora tinham sido elevados com aquela transformação.

― Você usou seu clone para nos fazer pensar que tínhamos vencido! Droga! ― disse Emilia e começou a se transformar. Veias escuras se espalharam pelo seu corpo, suas roupas começaram a serem rasgadas, enquanto camadas de músculos gigantes e escuro cresciam. Não demorou muito para Emilia ficar em uma forma parecia que a Violeta, tendo também três metros de altura e uma pele horrenda escamosa. Qualquer um que visse Emilia ou Violeta agora, não iriam acreditar que tais monstros grotescos eram realmente duas mulheres incrivelmente belas e perfeitas.

Violeta saiu do buraco no momento que Emilia tinha acabado de se transformar. Sangue escorria pelo corpo monstruoso de Violeta. Ela lançou um olhar para Emilia e fez um sim com a cabeça.

― Estão planejando alguma coisa? Seja lá o que for, não irá funcionar. Vocês duas não podem me vencer. Essa minha transformação tem um pouco mais de poder que essa de vocês. ― disse a devoradora, exibindo um sorriso bonito que ainda era humano.

Emilia também tinha ganhado chifres e cauda, a transformação delas não eram muito diferentes uma da outra, nesse ponto elas pareciam a mesma criatura.

― Por que vocês não desistem e se juntam a mim? Vocês duas não têm escolha. Se me irritarem, eu posso decidir matar o jovenzinho que libertou vocês e te colocarem de volta no sono profundo. Assim, só precisarei ir atrás de vocês nos locais que já conheço muito bem. ― disse a devoradora.

Violeta saltou em uma velocidade monstruosa, deixando um buraco atrás e uma formação de poeira que subiu, ela partiu em direção a devoradora. Do lado, Emilia pulou para um pouco mais longe segurando um cetro agora deformado. Sim, o cetro escuro de Emilia agora estava gigante e deformado, ele também sofreu uma transformação junto a Emilia.

_____________________________________________________________________________

Rael não podia esquecer a face do Espectro Sombrio, e agora ele estava ali nas costas de Natalia devoradora. Só foi possível ver porque tinha um enorme rasgo na blusa dela.

― Essa marca representa uma maldição que tinha antes da minha transformação. Uma vez que você é transformado em um servo de Cristalandio, qualquer maldição deixa de existir.

― Você tinha essa marca desde que era uma pessoa normal? ― Rael perguntou apreensivo.

― Desde criança, mas era invisível. Como eu disse, ela só apareceu depois que fui transformada.

― E você nunca percebeu? Quando estava normal em sua forma humana, isso nunca te fez qualquer mal?

― Me deixava cansada as vezes, mas nada tão difícil de suportar. Meu mestre disse que essa marca é de um monstro chamado Espectro Sombrio, um tipo de ser que controla o mundo dos mortos. Uma vez que eu virei serva, esse ser foi destruído e a marca dele, agora visível, demonstra a sua destruição. É isso o que você queria saber? Eu te contei, certo? Agora, por favor, pare suas violadoras e aceite o nosso acordo, eu quero muito ser salva para amar você. ― disse a devoradora a frente, que continuava rendida por Rael. Ela contou tudo que sabia sobre aquilo porque foi um pedido de Rael e Violeta havia dito que ela poderia responder qualquer dúvida que surgisse.

― ‘Então, nesse momento quem carrega a marca do Espectro Sombrio é Natalia e eu nunca imaginei. Se não fosse por isso, talvez eu nunca fosse descobrir.’ ― pensou Rael.

― Você sabe quem implantou essa marca em você? Não há como ter nascido com ela, correto?

― Não nasci com ela, essa marca foi implantada por um ser elevado. Pessoas normais do meu mundo não poderiam fazer isso. ― disse Natalia, mantendo a calma respondendo Rael.

― Se você fosse procurar por esse ser, saberia como achá-lo? ― perguntou Rael.

― Não saberia, apenas sei que a tenho desde muito nova. ― disse Natalia.

― Rael, se você continuar demorando Emilia e Violeta podem acabar se machucando na luta contra a nossa líder. Por favor, ordene que elas parem logo aquela batalha e se junte a nós. Eu quero ser salva e viver com você. ― disse Rita, tentando apressar um pouco o jovem.

― Rael, eu também quero amar você. Pare logo essa batalha, vocês não têm como nos vencer. ― disse Natalia embaixo.

― Natalia, sei que essa não é você, mas eu agradeço por compartilhar o que sabia sobre essa marca. Agora, adeus. ― disse Rael e, decidido, perfurou as costas da moça com a lâmina de Ureno. Natalia gemeu de dor e fez uma careta mostrando os dentes afiados que antes estavam ocultos. Mas já era tarde, a lâmina já tinha atingido o seu coração.

― Nós te demos uma chance! ― Rita fez surgi sua lança e avançou contra Rael, tentando o acertar. O jovem se esquivou para o lado, fugindo da zona de ataque de Rita. Rita era um simples sétimo reino, então para Rael ela era muito fácil de vencê-la.

Rita não queria lutar contra Rael, ela só queria salvar a sua aliada em potencial e por isso agachou para tentar puxar a lâmina das costas de Natalia. O que foi um erro, o punhal também era feito de Ureno e ela gritou quando o agarrou, suas mãos perderam a força e começaram a ser derretidas no punhal.

― Eu sinto muito por você também. Se houvesse uma forma de salvá-las eu a faria, mas infelizmente não há. Adeus. ― disse Rael e perfurou as costas de Rita com outra adaga. Rita caiu por cima de Natalia e as duas ficaram morrendo dentro do tempo estimado.

― Me perdoem, eu não posso mais salvar vocês, mas posso salvar as pessoas que ainda estão vivas e vão continuar vivas por causa de todo o esforço feito aqui hoje. ― disse Rael olhando as duas e depois se virou, olhando na direção das três poderosas energias. ― Se bem que ainda falta o principal.

Rael não podia sentir o verdadeiro poder daquelas três seres, mas ele ainda podia sentir que eram poderosos e cautelosamente se aproximou, enquanto ocultava sua aura ao máximo. No primeiro sinal de Violeta ele deveria agir e usar o bule com a Erva Ilusa, que era a fraqueza de uma violadora. Ele só poderia fazer quando Emilia e Violeta recuassem.

____________________________________________________________________________

Violeta lutava contra a devoradora trocando golpes de garras contras punhos de cristais, ela sempre usava o Espaço Ilusório para escapar de golpes críticos. Violeta também tinha um determinado tempo de ativação daquela técnica, assim como Rael.

Violeta era como um monstro gigante enquanto a devoradora mantinha sua estrutura humana pequena e natural enfrentando a mesma. Mesmo com a diferença de tamanho, o poder de ambas não pareciam nenhum um pouco diferentes uma da outra.

As duas sumiam, reapareciam, trocavam fortes golpes em uma área e novamente sumiam para aparecer em outra. Emilia tinha recuado e estava energizando seu cetro mais uma vez, utilizando agora também o seu poder monstruoso. As vezes a devoradora lançava ondas de ataques contra Emilia e a mesma utilizava o Espaço Ilusório para não cessar e não ser acertada, ela estava mais atenta depois de sofrer o primeiro ataque.

Quando Violeta as vezes era atingida e voava para longe, a devoradora focava Emilia que era forçada a se esquivar e o usar o tempo do Espaço Ilusório.Assim como Rael e Violeta, ela também tinha um limite de tempo. A técnica irritava a devoradora, mas ela sabia que não era ilimitada, porque se fosse, todas as vezes que depois de um ataque elas as usariam e ficariam imunes sem sofrerem danos, mas por várias vezes elas pareciam evitar usar a técnica. Dessa forma ela percebeu que havia um limite e estava se esforçando para fazer as duas usarem a técnica ao máximo, o que não demorou para ocorrer enquanto a batalha se seguia em um ritmo frenético.

Boooom!

Novamente, Violeta foi lançada e caiu derrubando algumas árvores. Com o tempo do Espaço Ilusório quase acabado, Violeta acabou se machucando de novo. Violeta já estava severamente ferida, ela só estava conseguindo lutar devido a sua forma final mas, por dentro, vários de seus ossos já tinham sido quebrados. O vírus de Cristalandio também queimava em suas feridas, mesmo que ela não se transformasse, também não podia mais se curar sem a ajuda de Rael. A situação dela não era muito boa.

― Técnica interessante, mas não suficiente para me vencer. Agora, por favor, parem essa luta. Não percebem? Vocês não têm chance alguma, isso é apenas suicídio. Eu não quero matar vocês, seria um grande prejuízo para os meus planos. ― disse a devoradora. Ela achou estranho que apenas Violeta estava lutando e por isso olhou na direção de Emilia vendo a violadora fazendo sua preparação.

― Emilia, você sempre foi considerada a violadora das barreiras, mas me lembro bem que você tinha alguns truques elementais, não é mesmo? Léa sempre dizia que você era a bruxa entre as violadora devido a esses poderes e esse cetro. Se pensa que essa pequena quantidade de energia que você está juntando pode me matar, pense de novo.

Zuuuup!

Quando a devoradora menos esperava, Violeta surgiu atrás dela como um vulto. Violeta estava com uma espada pesada em mãos, a lâmina era de Ureno é claro e ela apunhalou contra as costas da devoradora. A devoradora até tentou fugir a tempo mas não conseguiu e teve suas costas perfurada dolorosamente pela lâmina.

― Você ainda com toda essa força! Maldita! ― a devoradora rugiu soltando uma quantidade de sangue pela boca. Violeta subiu para cima dela, abriu a boca e disparou de novo a rajada vermelha, mas dessa vez não foi sozinha. Emilia do outro lado mirou o cetro e atirou sua rajada escura. Agora eram dois ataques contra a devoradora.

― Vocês não podem me matar! ― rugiu a devoradora. O corpo dela foi tomado por uma forte energia vermelha. Essa energia fez a espada de Ureno ser evaporada das costas dela, assim como a curou instantaneamente, fechando o ferimento. Ela ainda apontou a mão para a direção das duas inimigas e mandou uma forte rajada vermelha. A rajada de Violeta foi contida pela rajada dela, não somente contida como ainda rasgou contra a rajada de Violeta. Violeta teve que se jogar de lado para não ser morta pelo poderoso ataque da devoradora, que atingiu os céus. Já com o ataque de Emilia foi diferente, a devoradora não conseguiu superar o poder dela e teve seu ataque consumido pelo de Emilia. O imenso turbilhão negro engoliu a rajada da devoradora e continuou seguindo contra ela.

Violeta lá em cima não ficou parada. Ela sacou uma bola escura que ela tinha guardado para esse momento e atirou contra as costas da devoradora. Essa bola era a mesma bomba de Ureno que ela tinha dado a Rayger.

Boooom!

 

― MALDITAS! ― a devoradora ficou furiosa, porque ela estava preparando uma defesa quando foi atingida por sua maior fraqueza e no instante seguinte foi engolida despreparada pelo turbilhão escuro de Emilia.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.