O Herdeiro do Mundo

231 - A Invasão dos Devoradores

De volta para o grupo de Rael, uma questão foi levantada por Duval: Se eles eram do clã Torres, porque não trouxeram um esquadrão para ajudá-los? A pergunta foi lançada no ar e todos os novos companheiros olharam na direção de Rayger, a quem a pergunta foi dirigida.

― Isso não é um problema de vocês. Se querem continuar e ajudar, uma das coisas que devem fazer é guardar essas perguntas para vocês mesmos. ― disse Rayger duramente.

A verdade sobre isso é que Rael não queria o clã Torres envolvido. Rael não confiava em ninguém além dos seus e, portanto, não aceitaria ajudas externas nessa parte, mesmo se fosse os melhores homens de Rayger. A questão principal para a falta de confiança de Rael se dava pela preocupação sobre as violadoras. Qualquer chance da fraqueza delas ser descoberta por mais alguém era um risco que Rael não aceitava correr de nenhum modo.

As violadoras eram extremamente poderosas e não precisavam de proteções, mas uma vez descoberta sua fraqueza, se tornavam mais fracas que seres humanos sem cultivo algum, o que seria fácil para qualquer um machucá-las. Sempre que Rael se lembrava do estado de Emilia naquele dia onde Rayger demonstrou saber isso, ele sentia um nó no estômago porque, para ele, aquelas mulheres eram levemente imbatíveis, e vê-las caírem tão facilmente era algo assustador.

― Desculpe-me. Não foi minha intenção ser petulante. ― Duval se desculpou, mantendo um tom sério. Entre seus homens, Duval era como um senhor respeitado e temido, mas perante a Rayger, ele era como um jovem aprendendo respeito. Rayger tinha um cultivo maior, tinha mais sabedoria e muito mais status que qualquer um ali, ninguém ousaria ofender ou criar caso com aquele homem.

― É provável que a invasão ocorra a noite. Por isso, não precisam ficar tão tensos por enquanto... ― disse Violeta após alguns segundos.

― Por que a noite? ― perguntou Astrid.

― Eles são fracos contra a luz do Sol. ― disse Emilia em seguida.

Quando Astrid ia perguntar mais alguma coisa, todos se viraram em direção a uma forte rajada vermelha, que subiu aos céus de repente, tendo início na direção da caverna. Violeta e Emilia se olharam apressadas e confirmaram com a cabeça, em seguida já subiram voando e foram em direção ao local como um fleche, sumindo em segundos da visão de todos.

O poder de Violeta e Emilia estavam em um nível que nenhum dos homens ali faziam ideia, tudo que eles podiam imaginar é que essas duas estivessem muito além de um reino final.

― Começou! ― disse Rayger, apertando suas manoplas azuis metálicas. Ele e Neide se olharam apreensivos. Naquela manhã, eles tinham se despedido de Mara e seus filhos. Mara sabia a verdade, que eles poderiam morrer naquela batalha, e por isso queria ajudar, não só ela como Natalia também. Violeta teve que hipnotizar as duas para não irem em teimosia, fazendo com que as duas passassem aquele dia em casa.

_____________________________________________________________________________

Momentos antes da onda de energia vermelha, Violeta devoradora chegou ao outro lado e foi surpreendida por imensa queimação que se seguiu de cima e de baixo, sem mencionar a luz do Sol que começou a torrar seu rosto. Ela tinha saído da outra dimensão em um estado noturno enquanto aqui ainda era de tarde.

― Aaaaaaaah! ― seus devoradores gritavam enquanto vários eram mortos por causa do Cristal de Ureno preso nas paredes, no solo e também por causa do Sol.

― Malditos! ― Violeta rugiu e usou uma imensa quantidade de poder para destruir tudo em cima e embaixo deles, fazendo com que os cristais de Ureno dessas áreas serem dizimados tamanho foi seu ataque. Mesmo destruindo parte da armadilha, Violeta ainda estava sofrendo com os raios do sol, por isso havia preparado uma técnica para o caso de aqui desse lado estivesse de dia e o lançou para o céu. Esse foi o ataque que as pessoas fora da barreira viram.

O Céu se encheu de nuvens vermelhas, formadas pelo ataque de Violeta, e cobriu o sol da tarde. Assim, três dos problemas enfrentados pela sua chegada foram removidos. Com um rápido olhar, Violeta constatou a morte de cerca de 40 devoradores, um número inicial relativamente alto comparado a apenas 200 homens que ela tinha sob controle. A barreira de Emilia foi destruída facilmente no primeiro ataque quando Violeta usou sua técnica especial para o céu, mas isso consumiu cerca de 25% de seu poder total, coisa que ela não pretendia fazer de início, mas se viu obrigada devido a situação grave em que estava.

A sorte de Rael e companhia não foi ruim porque Violeta devoradora veio de tarde e em um momento que Violeta e Emilia estavam próximas. Se elas estivessem mais próximas dos devoradores, teriam causado mais prejuízo na Violeta devoradora, mas elas não esperavam que ela surgiria enquanto ainda havia sol.

Zuuuuup!

Violeta e Emilia pararam flutuando acima e à frente dos devoradores, a uns vinte metros de distância. As duas Violetas se olharam pela primeira vez, ambas tinham olhares decididos sobre o que viria a seguir, mas ainda sim era estranho ver a si mesmo como se fosse uma outra pessoa.

― Eu estava certa. Havia outra de mim desse lado. ― disse a devoradora com um sorriso para a Violeta normal.

― Você precisa ser destruída. Fez a escolha errada ao vir para este mundo. ― disse Violeta normal.

Violeta devoradora lançou seus sentidos e constatou que só havia essas duas mulheres no local. Ela não podia sentir mais ninguém além da barreira.

― Só vocês duas para me destruir? Talvez você não tenha percebido, mas meu poder é superior ao de vocês. Mesmo que agora eu tenha feito um belo gasto, ainda não há qualquer comparação. Vocês duas apenas seriam mortas se lutassem contra mim. Eu proponho que se juntem a mim, meu mestre é muito melhor do que aquele demônio nojento que nos consumia diariamente. Além disso, ao virar uma devoradora, toda a maldição se acaba, e vocês serão libertas de amar um homem forçadamente. Não é isso o que vocês querem? ― perguntou Violeta devoradora. Todos os devoradores ainda estavam atrás dela, alguns tinham acabado de se recuperar de quase morrerem por uma das razões, sendo o sol ou armadilha.

― Sair de uma vida escrava para se tornar escrava de um monstro pior? Eu recuso! ― disse Violeta normal e seus olhos se encheram de raízes que se espalharam pelo rosto. Ela levantou casualmente a mão direita e uma poderosa rajada de pura energia vermelha foi atirada na direção de Violeta devoradora e seus homens. Entre eles, Rita e Natalia ainda estavam vivas, escondidas próximas a Violeta. Como estavam aglomerados, Violeta e Emilia não perceberam, elas nem sequer estavam dando atenção aos demais devoradores.

― Se espalhem! Comecem a caçar! Eu cuido delas! ― rugiu Violeta e subiu flutuando enquanto usava um escudo de energia vermelha para conter o ataque de Violeta normal.

Emilia já estava com seu cetro escuro em mãos e aprisionou cerca de vinte devoradores em uma caixa invisível quando estes tentaram voar. Ela se concentrou e a pedra branca do cetro ficou laranja. As chamas começaram a queimar os devoradores presos na barreira criada por Emilia.

― Cuidado! ― gritou Violeta normal e empurrou Emilia para fugir de uma rajada da Violeta devoradora que passou raspando próximo ao peito da mesma. Essa rajada atrapalhou a concentração de Emilia, que cancelou a barreira e as chamas, libertando novamente os devoradores. Emilia queria apenas ajudar com alguns para diminuir os números para os outros que aguardavam, mas com Violeta devoradora de olho nas ações dela aquilo não seria facilmente possível.

― Acha que não conheço seus truques, irmãzinha Emilia? Quando estávamos na mão do demônio eu aprendi muito sobre cada uma de vocês. Por isso sei os seus pontos fracos. ― disse Violeta devoradora flutuando próximo a elas com um sorriso satisfeito. Emilia e Violeta normal se afastaram, saindo de lado para ganhar um pouco de distância.

Os devoradores já tinham se espalhado pela ilha e estavam a caminho da única saída guardada pelos outros. Os devoradores recém atacados por Emilia ainda estavam se recuperando.

― Emilia, vamos atacar juntas! ― disse Violeta com seu rosto e olhos enraizados. Emilia também entrou no estado, aumentando suas capacidades e apontou o cetro se preparando para a devoradora à sua frente. Ela ignorou os outros devoradores porque sabia que não poderia ser feito nada sobre isso.

― Vocês estão me menosprezando demais. ― disse Violeta devoradora, sempre mantendo seu sorriso frio e, mesmo sem usar nem mesmo um pouco de poder aumentado, ela partiu contra as duas.

_____________________________________________________________________________

O céu acima tinha ficado vermelho e isso dava um ar apocalíptico no cenário da ilha. As árvores, as plantas, a terra, tudo refletia um pouco da cor do sol escurecida em vermelho, como se fosse sangue. Isso fez os homens do reforço terem calafrios sobre o que estaria por vir. Mesmo Rayger e Neide também ficaram um pouco ansiosos com a batalha que se iniciara.

Keylla, por sua vez tinha, o coração disparado no peito enquanto olhava preocupada para Rael próximo a ela. Ela queria lutar ao lado de Rael para assegurar que ele não se ferisse de nenhuma maneira, mas Rael não permitiu, o que ele iria fazer tinha que ser feito sozinho. Keylla só podia permanecer e lutar contra os devoradores ajudando esses homens com Neide, Rayger, Rika e os outros.

― Genro, onde você está indo? ― perguntou Neide vendo Rael já começando a cruzar a barreira. Rael parou apenas para explicar.

― Vou me preparar para quando Violeta chamar a mim. ― explicou o rapaz e em seguida entrou na barreira. Keylla continuou ali parada próximo, preocupada. Ela não sabia, mas Rael tinha dado uma ordem para que ela ajudasse Rayger e Neide na batalha. Desse modo, mesmo sem saber, ela não podia lutar contra o desejo de seguir o seu amado.

― Tome cuidado, genro. Não vá fazer nada perigoso. ― lembrou Neide. Rael fez um sim enquanto sentiu as várias energias se aproximando em velocidade para essa direção, mas também sentiu duas energias paradas em outro canto. Uma das energias Rael conhecia bem porque foi ele quem fez as liberações:

― ‘Rita?!’ ― se perguntou Rael mentalmente e voou sem pressa na direção dessas duas energias enquanto ocultava o seu poder para não ser percebido pelos demais. Rael queria ir mais rápido, porém não podia porque seria descoberto. Dessa forma, ele só podia manter um voo lento e ser cuidadoso enquanto começava a contornar os devoradores que vinham em linha reta.

_____________________________________________________________________________

Neide e Rayger só podiam deixar o jovem seguir o plano enquanto aguardavam para cumprir sua parte.

Não demorou muito para eles avistarem um pouco mais que uma centena de devoradores famintos se aproximando em alta velocidade, alguns pela terra e outros voando.

― Essas coisas são bizarras! ― disse Vergil após ver os olhos vermelhos cristalizados e os vários cristais pelo corpo de onde seriam feridas fatais. Eles eram como monstros, exatamente descritos como Rayger tinha dito para eles antes.

Apesar deles virem e estarem próximos, ainda não era possível sentir as energias porque os mesmos não haviam cruzado a barreira.

― Se preparem! Ao meu sinal, perfurem os corações daqueles que estiverem desnorteados! ― disse Rayger. Ele e Neide seguraram duas bolas nas mãos. Pareciam como bolas de sinuca, eram azuis e escuras. Violeta havia feito para eles, eram bombas de Cristais de Ureno, mas como eram extremamente difíceis de se fazer, ela só conseguiu fazer algumas poucas.

― São a maiorias décimos primeiros reinos! ― gritou um dos homens aleatórios do esquadrão de ajuda assim que os devoradores cruzaram a barreira. Os devoradores vinham apressados na direção desses homens como se esperassem uma refeição fácil, todos vinham mostrando dentes e armas em mãos.

Rayger apertou firme a bola na mão e lançou contra um dos devoradores que vinha voando, agora eles já estavam bem próximos. Não foi difícil de acertá-lo. O devorador não conseguiu escapar da bola escura e foi atingido no peito.

Boooom!

Uma explosão tomou conta do ar e uma nuvem de cristal de Ureno se espalhou, derrubando dezenas de devoradores. Os devoradores atingidos pela nuvem azulada e escura, começaram a tossir e ficaram atordoados, tendo também suas peles queimadas pelos fragmentos dos cristais que encostavam nele.

Boooom!

A segunda explosão foi na terra pelos que vinham correndo e vários outros caíram atordoados. Dessa vez, quem tinha lançado era Neide.

― Avancem! ― Rayger deu o sinal.

― Vamos acabar com eles agora! ― rugiu Duval e seus homens partiram com espadas de cristal de Ureno em mãos após darem um grito de guerra. Com os devoradores atordoados, foi fácil matar prontamente várias dezenas.

Boooom!

Rayger lançou outra e mais uma parte caiu, em seguida, Neide lançou outra. Keylla e os demais tinham o trabalho de finalizar os atordoados. Se a luta fosse seguir dessa forma, seria fácil exterminar todos, mas Rayger e sua esposa só tinha duas daquelas bombas e as usaram inicialmente porque eles vieram aglomerados. O resultado desse uso foi bom, um pouco mais da metade dos devoradores foram mortos, restando apenas 75 deles. Foi nesse momento que a batalha teve início de verdade.

_____________________________________________________________________________

Perto da caverna, dois vultos se cruzavam, golpeando o ar de um lado a outra. Emilia se mantinha de longe e ocasionalmente lançava bolas de fogo, tentando acertar Violeta devoradora enquanto essa trocava ataques físicos com Violeta normal. Violeta devoradora teve muitas chances de morder suas adversárias, mas ela sabia que as duas tinham ingerido cristal de Ureno, era óbvio. Na chegada dela, encontrar tal armadilha esperando não haveria outra explicação:

Boooom!

Zuuuuf!

Vraaap!

Ondas de energia vermelha cruzavam o ar, as vezes era a Violeta normal lançando e as vezes da devoradora e por vezes era Emilia atacando com suas bolas de fogo. Emilia e Violeta estavam utilizando um aumento de 40% de seu poder enquanto a devoradora não estava utilizando nada e mesmo assim ela estava tendo vantagem naquela batalha.

― Te peguei! ― Violeta devoradora avançou por trás de Violeta e acertou um soco em cheio em suas costas.

Vuuuuup! Boooom!

Violeta foi arremessada com força contra as paredes do vulcão pela devoradora. Ela bateu nas paredes rochosas e afundou, sumindo de vista. Emilia, que estava apenas dando suporte e atacando de longe, ficou surpresa com a rápida virada de jogo.

― Agora é sua vez, querida Emilia! ― disse Violeta e avançou contra Emilia. Emilia se concentrou e criou várias barreiras invisíveis pelo caminho, tentando segurar a devoradora que vinha voando em sua direção.

BoooomBrashs! BoooomBrashs! BoooomBrashs!

Violeta seguia com o punho estendido, quebrando facilmente todas as barreiras impostas por Emilia. Quando Violeta devoradora quebrou a última, foi surpreendida por uma enorme bola de fogo, formada na ponta do cetro de Emilia!

 

― Recebaaaaaah! ― gritou Emilia e lançou para frente o seu poderoso ataque. O impulso desse ataque fez a própria Emilia ser lançada para trás enquanto a bola de fogo cobria completamente a devor




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.