O Herdeiro do Mundo

219 - Rael VS Príncipe Allan

Allan ativou seu poder e uma forte aura azul o cercou, demonstrando possuir o elemento Água. Esse minúsculo fato fez Rael pensar em Andréa, mas foi só por um instante. Allan não esperou Rael dar qualquer sinal de seu poder, ele avançou como um vulto, encurtando rapidamente toda a distância que havia entre os dois.

                       O público viu quando o príncipe parou ao lado de Rael e, tão rápido quanto ele chegou, desferiu um chute na perna direita de Rael atrás do joelho.

Crack! Crack!

Todos puderam ouvir o forte barulho de ossos sendo quebrados enquanto Rael parecia perder a força da perna e a curvava enquanto caia no chão ajoelhado. As duas princesas que estavam sentadas se levantaram preocupadas. Mesmo que Alana não quisesse a vitória de Rael, ela também não queria que ele sofresse. A princesa só tinha avisado aos irmãos sobre os planos do pai.Do outro lado, Natalia e Mara que já estavam em pé ficaram com os olhos mais atentos. Neide estava sentada calmamente e assim ficou ao lado de Rayger, eles pareciam não ter se preocupado como os demais. A multidão que assistia em volta entrou em um silêncio de morte vendo tal cena, era óbvio que aquilo iria acontecer para eles, a força de um sétimo reino, não se comparava nem de perto com a de um décimo.

                       Até mesmo o príncipe ficou um pouco surpreso. Ele tinha sim cantado vitória antes do tempo, mas acreditou que Rael pudesse lhe dar mais trabalho. O príncipe sabia que Rael não estava fingindo, porque além dos sons de ossos quebrando ele também sentiu os mesmos quebrarem em seu chute.

― Peguei pesado? Lamento muito, pelo que ouvi dizer, você derrotou décimos primeiros reinos. Então eu achei que seria mais difícil derrotá-lo. ― disse o príncipe em um tom irônico.

― Samuel! ― Natalia gritou preocupada e foi segurada por Neide, que se moveu como um vulto. Natalia pretendia saltar para ajudar Rael mesmo que ele estivesse dentro da barreira. Mara, embora estivesse preocupada, estava se segurando. A expressão que Rael fazia na arena não parecia ser de dor.

― Natalia, se acalme. Ele está apenas fingindo. ― disse Neide no ouvido da jovem, causando um alivio. Só depois Neide soltou a garota preocupada.

                       Do outro lado, o imperador tinha um olhar um tanto preocupado. Ele acreditava que Rael venceria desde que estivesse transformado, mas sem a transformação ele não sabia dizer ao certo. Os outros dois príncipes estavam sorrindo e cochichando coisas um para o outro, a vitória de seu irmão mais velho já parecia estar garantida.

― Já quer admitir a derrota? Com uma perna quebrada você não poderá mais lutar! ― disse o príncipe cercando Rael.

                       As grandes famílias ficaram satisfeitas com aquele resultado, desde que o príncipe vencesse, Rael não poderia ter chances de receber mais nada. O resultado parecia agradar a maioria das pessoas.

― Eu sabia que ele não era de nada! ― Alguém comentou.

― Tudo dentro do esperando. ― comentou outro.

                       O burburinho havia se espalhado pelas arquibancadas. Enquanto isso, Rael ficou de cabeça baixa como se tivesse rendido ao príncipe.

― Apenas desista. Se você tentar qualquer coisa, eu quebrarei outros membros. A menos que você queira sair daqui se arrastando ou morto, é melhor desistir agora. ― disse o príncipe.

                       Rael tinha conjurando algumas paredes protetoras de terra na perna que se quebraram durante o ataque do príncipe, isso fez todos pensarem que eram os ossos de Rael e, agora, ele estava fingindo fraqueza para saber quais eram todas as intenções do príncipe. Obviamente o príncipe queria aleijá-lo e humilhá-lo, como ele mesmo havia ameaçado anteriormente.

― Já basta!Isso perdeu a graça. Eu já sei suas intenções, então não preciso ouvir mais nada. ― disse Rael de repente, se levantando como se nada tivesse acontecido diante de todos. A perna de Rael que parecia estar quebrada agora estava inteira novamente.

― O quê?! ― Allan ficou surpreso. Ele não pensou muito, vendo que Rael se levantou, lançou um soco com toda sua força no rosto de Rael:

Boooom! Crack crack...

O soco explodiu no rosto de Rael, mas esse não saiu do lugar. Em contra partida, a mão do príncipe se tornou um bolo de sangue, como se esse tivesse batido a mão em uma parede de aço. Os dedos do príncipe ficaram a maioria quebrados e ossos e sangue se misturaram caoticamente.

― Aaaahh...! ― o príncipe gemeu enquanto saiu caminhando de perto de Rael. O que tinha ficado no rosto de Rael eram pequenos lapsos de energia marrom do tipo Terra. Com o poder adquirido com a fusão de Rose, Rael era capaz de usar seus elementos instantaneamente e criar defesas em qualquer parte do corpo sem exigir qualquer esforço. Era como se o corpo de Rael chegasse próximo à defesa absoluta do seu braço direito.

― O que houve? ― alguns perguntaram, se levantando de seus lugares.

― Ele não estava com a perna quebrada?

― O príncipe quebrou a mão? Mas eu não o vi fazer nada...

                       A multidão tinha se levantado de seus lugares e estavam todos perplexos com aquele resultado.

― Essa energia... Ele...! ― A matriarca da família Luante foi uma das que se levantou de seu lugar. Ela era uma mulher solteira que tinha assumido a família por ser o único ser no reino final em todo o clã. Sendo a mais forte ela era uma mulher respeitada, mas sua idade certamente era avançada. Apesar de aparentar possuir uns trinta anos, ela teria muito mais e ainda assim era uma belíssima mulher.

                       Do outro lado, o patriarca e sua esposa da família Solar também se levantaram. A esposa era um décimo segundo reino, beirando o reino final, enquanto o patriarca era o reino final daquela família.

                       Na verdade, não era somente as pessoas importantes que se levantavam, era praticamente 90% de toda a arena. O que tinha ocorrido diante de todos parecia muito surreal. O jovem Samuel tinha muitas histórias e feitos por trás dele, mas a maior parte das pessoas só acreditaria vendo, porém, depois de hoje, onde a maioria das pessoas importantes estavam reunidas, certamente, Samuel não iria somente deixar boatos. Ele estava criando uma imagem real de sua verdadeira força.

― Como esse garoto adquiriu tanto poder! Ele está muito mais forte de quando enfrentou Arthur! ― disse Ariel para sua filha do lado. Eles já sabiam que Arthur tinha sido morto por Andréa devido a ligação da alma. Com ela, eles puderam ver toda a luta entre Rael, Andréa e Arthur. Eles estavam irritados, mas o que poderiam fazer? Eles não podiam se meter com Rael, nem tão pouco buscar vingança de alguém capaz de matar um reino final, eles não tinham esse poder. Atrás de Ariel, os elders estavam todos reunidos pelo mesmo choque:

― Pai, o que você quer dizer? ― perguntou Samara com um semblante preocupado.

― Eu não tenho certeza, mas parece que ele está manipulando o poder das leis... ― disse Ariel. Outras pessoas do décimo segundo reino acima pensavam a mesma coisa. Aquele poder que Rael apresentou parecia ser esse.

                       O príncipe ainda estava tentando se recuperar de sua mão quebrada. O choque em seus olhos, o medo, tudo era o resultado de não acreditar nas palavras de seu pai. Do outro lado, na arquibancada, os dois outros príncipes agora tinham expressões de espanto. Já o imperador parecia inquieto, apesar de está mais aliviado. Se ele tivesse que sacrificar um filho pelo crescimento e soberania do império Grinfem, ele o faria. O imperador estava cansado de viver pressionado entre as cinco grandes famílias, ele queria usar Rael para acabar de uma vez por todas com esse problema.

― Eu não... ― o príncipe ia dizer alguma coisa quando se voltou para Rael. Ele sentiu um profundo instinto assassino que praticamente congelou sua alma. Rael apenas estava parado casualmente esperando o príncipe se recuperar, ele não fez qualquer coisa além de desejar ardentemente a cabeça do príncipe em uma bandeja. Rael estava cansado de pessoas idiotas se metendo em seu caminho e ele iria usar o tolo e arrogante príncipe para dar uma lição a todos. Uma lição para que as pessoas jamais se esquecessem ou duvidassem de quem ele realmente era.

― Em minha última batalha numa arena, eu arranquei o coração de um homem vivo. Agora me pergunto se devo fazer o mesmo aqui hoje. ― disse Rael alto e casualmente. O príncipe rangeu os dentes de pavor e medo, mas em vez dele simplesmente gritar que desistiria da luta, ele preencheu a outra mão esquerda com sua aura azul e sacou uma espada de porte médio. Preenchendo a espada com seu poder, ele saltou gritando na direção de Rael.

― Matarei você agora! ― o príncipe não podia pensar em desistir e passar vergonha diante de praticamente todo o império, além disso, se ele perdesse seria expulso do clã. Aquilo era uma aposta de honra e deveria ser cumprida. O príncipe partiu contra Rael e o atacou com a espada.

Tiiiiim!

A lâmina avançou e bateu na lateral do pescoço de Rael. O príncipe só estava usando uma mão, mas aquilo seria o suficiente para decepar alguém. No entanto, a lâmina sequer fez qualquer arranhão em Rael e este não havia se mexido do lugar. Rael era como se fosse uma barreira defensiva.

― Por que você não morre!? ― o príncipe em seu desespero começou a rir histericamente e continuou atacando Rael em vários locais, rosto, pescoço, ombro. Qualquer local que a espada seguia parecia encontrar uma camada protetora, isso só acabou quando a lâmina se quebrou totalmente e saiu voando de lado depois de mais um ataque impiedoso do príncipe. Em seguida ele caiu no chão soltando a empunhadura, sua mão esquerda também estava machucada e se tremia depois dos vários esforços. Agora ele tinha duas mãos machucadas e estava incapacitado de lutar, ele estava se sentindo dentro de um pesadelo sobre o qual não conseguia se acordar. Para começo de conversa, ele não usou técnicas porque teve uma de suas mãos feridas logo no começo da batalha e agora estava com as duas, impedido-o de continuar lutando.

                       Os reinos finais estavam todos surpresos, isso incluía Neide e Rayger, porque embora os outros não tivessem visto o movimentação de Rael, eles acompanharam. A matriarca da família Luante se tremia, ela não acreditava que alguém tão jovem tinha alcançado tamanho poder.

                       Rael permaneceu parado enquanto o príncipe caiu de joelhos diante dele. O príncipe já não estava normal, tendo tudo que ele possuía e pensar que perderia naquele instante tinha causado um caos na mente dele.

― Já desistiu? Posso atacar agora? ― perguntou Rael parado, encarando o agora deplorável homem a frente.

                       O príncipe encarou o jovem a frente e por mais que ele tentasse falar não estava conseguindo, ele foi tomado por medo. Agora o desespero tinha passado e ele tinha descoberto que o poder de Rael não era de brincadeira, depois de toda aquela rodada de ataques ele sentiu como se Rael fosse invencível e não foi somente ele, várias outras pessoas que assistiram a luta tiveram a mesma sensação.

                       O príncipe ia dizer que desistiria da batalha, mas antes que ele pudesse fazer isso, sua perna direita explodiu sem Rael ao menos encostar nele. Muito sangue e pedaços de ossos voaram e o príncipe gritou em desespero. A maioria das pessoas não viram o que ocorreu, mas durante a onda de ataque desesperada do príncipe, Rael tinha lançado seu ataque sutilmente e com uma velocidade sobre-humana, onde somente os reinos finais viram, usou o impacto invisível e ainda controlou o tempo de ativação do mesmo, fazendo o tempo prolongar e só causar o dano agora.

                       O príncipe tinha entrado novamente em desespero, mas dessa vez foi um desespero mortal. Sua perna explodiu sem chances de recuperação. O que ficou foi restos de ossos e fiapos de vestimentas melados com muito sangue. Várias pessoas levaram as mãos a boca com nojo. Rael não era um monstro, mas ele precisava deixar uma impressão assustadora se quisesse que as pessoas o temessem e o respeitassem em qualquer situação. Seguindo o conselho de Neide, era bom ter ambos. Matar o príncipe seria um exagero, mas aleijá-lo como já tinha avisado estava dentro do permitido.

― Você! Você ousou...! ― o príncipe se virou para o pai, que ainda permanecia sentado. O rosto do príncipe estava pálido e ele esperava que seu pai parasse a luta naquele instante e desse uma severa lição em Rael, mas obviamente isso não ia ocorrer. O imperador Elidas tinha um olhar duro de volta pro filho, apesar de parecer um pouco surpreso e assustado. Um imperador nunca poderia voltar com sua palavra, assim como um príncipe.

― Vejo que o príncipe Allan ainda não desistiu. Será que isso quer dizer que ele deseja ser aleijado em outras partes do corpo? ― perguntou Rael friamente, lançando seu instinto assassino novamente como se estivesse prestes a fazer mais um movimento cruel.

― Eu desisto! Eu desisto! Desisto! ― o príncipe gritou desesperadamente, acordando para a realidade. Depois, se voltou para o seu próprio sofrimento após ver Rael dar as costas para ele. Após ouvir as palavras de desistência, Rael simplesmente virou-se e começou a se retirar enquanto o juiz liberava a barreira.

                       O príncipe foi levado em uma maca por alguns curandeiros e alquimistas do castelo. O estado da perna do príncipe era irrecuperável, poderiam até conseguir fazer ele voltar a andar com o tempo, mas lutar novamente, jamais. Somente Rael poderia curar completamente a perna do príncipe, mas isso ele com certeza não faria. O príncipe ameaçou aleijá-lo e Rael havia dado o troco.

― Genro, você foi muito bem! ― disse Neide, assim que ele voltou ao local destinado para o clã Torres.

― Ouvi barulho de ossos quebrando... O que foi aquilo antes? ― Mara se adiantou preocupada.

― Aquilo? Foi simples. Eu... ― Rael explicou o que tinha feito, deixando todos ali impressionados.

― O controle de seu poder está incrível, sua velocidade também. Você está muito mais poderoso do que eu previa! ― disse Rayger elogiando o sobrinho e genro. Ninguém parecia estar se importando com o fato de Rael acabar de ter aleijado um príncipe.

                       O imperador chamou a atenção de todos, trazendo silêncio de volta a arena depois de todos aqueles comentários sobre a batalha:

― Eu, o imperador Elidas, tenho um importante aviso a dar para todos! A partir desse momento, o príncipe Allan Grinfem não faz mais parte da minha família. Esse jovem apenas receberá os cuidados necessários para a recuperação e logo mais será exilado do castelo, de acordo com os desafios impostos antes da batalha. ― o imperador deu o seu veredito. Como havia dado sua palavra, ele não poderia voltar atrás. O imperador tentou parecer duro durante suas palavras, mas era visível que ele estava um pouco infeliz por ter que fazer aquilo com o próprio filho. Logo após voltar ao seu assento, ele ainda lançou um olhar de aviso para os outros dois filhos restantes. Esses, por sua vez, se encolheram em seus lugares, mostrando que estavam arrependidos de terem feito pouco caso de Rael anteriormente.

 

                       Anita sorriu sutilmente com aquele resultado, ela ficou impressionada com a performance de Rael. Alana, ao contrário, ficou em silêncio e se sentou novamente em seu assento. Ela teve que admitir que seu pai tinha razão sobre aquele jovem, e ele poderia mesmo tirar a família imperial do buraco. Diferente de Anita, Alana entendia muito mais sobre o próprio império e, portanto, sabia o que o pai estava fazendo. Mas ela ainda olhou as costas de sua irmã irritada, sua irmã poderia ser uma boa princesa, mas não merecia se tornar imperatriz em seu lugar.