O Herdeiro do Mundo

181 - Vingança

Os quatro homens ainda estavam perplexos com tudo que tinham ouvido. Eles ainda não estavam certos que de que Samuel era o mesmo Rael.

― O garoto que matamos naquela noite era bem diferente de você, ele nem se quer tinha o braço direito ― disse Bores depois de se acalmar um pouco.

― Oh vocês ainda tem duvidas? Eu ganhei alguns traços da minha mestra por isso minha aparência mudou um pouco. Minha mestra deu a mim esse braço ― disse Rael exibindo o braço direito como um troféu. ― Foi graças a minha mestra que eu tive a chance de me tornar um cultivador e ser quem eu sou hoje. E agora vim cobrar a vida de vocês.

                Os homens ali não duvidavam das palavras de Rael, no entanto, ele parecia ser apenas um simples sexto reino. Como Rael esperava poder se vingar com apenas aquela força? Eles não deixaram de pensar isso.
                Os homens olharam na direção da porta de trás e perceberam Rayger ali parado. Rayger não estava se escondendo, estava apenas por fora da barreira como Rael pediu esperando a batalha acabar. Rael deixou bem claro que não queria ajuda, e disse para Rayger não se envolver na luta não importa o que acontecesse.

― Senhor Rayger isso é alguma piada?! Isso é algum tipo de brincadeira?! ― gritou Ruam olhando para aquela direção mas não houve nenhuma resposta. Rayger até ouviu mas ignorou como deveria fazer.

― Não adianta pedi ajuda, ele não virá ajudar vocês ― disse Rael friamente.

― Nos ajudar? É mais fácil ele vim ajudar você que é genro dele ― disse o mesmo.

― Não se preocupe, eu pedi a ele para não se intrometer nessa batalha. Lixos como vocês eu mesmo posso dar conta. Dragão Azul de Raios ativar! ― rugiu Rael e seu corpo foi coberto por uma armadura azul com feixes brancos tendo no peitoral o rosto de um dragão.

                A armadura mágica de Rael surpreendeu mais ainda os homens. Porque a aura mostrada por Rael cresceu mais ainda. Os homens ainda tinham duvidas em seu coração sobre tudo aquilo, principalmente sobre Rayger, se ele ia mesmo apenas ficar de fora.

― Jovem mestre insolente! Se acha mesmo que pode nos assustar com toda essa baboseira está enganado. Esse seu poder não é suficiente para matar nem mesmo um de nós. Eu Bores Igaraia irei tirar sua vida! ― Rugiu o moreno de chapéu e sacou uma lança longa enquanto liberava uma poderosa aura cinza.

― Brisa Leve!  Movimento de Terra! Essência Demoníaca! ― Rael ativou duas técnicas de velocidade e seu poder demoníaco no limite que ele podia usar naquele momento. No nível dois.

                Todos os homens entraram em estado de combate e sacaram suas armas...

Zuuuuup!

Quando foram perceber Rael já tinha surgido a frente de Bores.

Booooom!

Um forte soco foi dado com o braço direito. Um poder dourado explodiu na mão de Rael acertando o peito do mesmo.

Vuuuuup!

O corpo de Bores voou vários metros para trás e bateu contra a porta dupla quebrada. As portas mesmo estando naquele estado miserável não se quebraram, e isso quase entortou os ossos de Bores que gemeu batendo contra elas, ele acabou vomitando uma boa quantidade de sangue. Bores caiu para frente de cara pro chão, ele tentou se mover, mas vários de seus ossos haviam se quebrado com o impacto.

                Os outros três ficaram chocados com o poder exibido por Rael, porque aquilo ia muito além do poder de um sexto reino. Agora isso parecia explicar o fato do porque ele não precisaria da ajuda de Rayger.

― Todos vocês vão morrer aqui hoje pelas minhas próprias mãos. Vocês pagarão pela covardia do que fizeram comigo anos atrás ― disse Rael. O braço direito de Rael foi coberto em fogo por cima da armadura. A quentura do local esquentou e todos os três saltaram para trás tomando distancia de Rael. Eles finalmente começaram a levar aquilo a sério.

― Não será hoje que perderei minha vida pra um lixo como você! ― rugiu Ruam o de cabelos amarrados e concentrou seu poder roxo nas duas espadas medias que usava em ambas as mãos. Ele amplificou o poder de ataque de ambas e partiu contra Rael.

― Espada de Terra! ― Rael ativou mais uma técnica. Uma lâmina de terra foi criada no antebraço esquerdo por cima da armadura. Mesclando entre o braço direito em chamas e a lâmina de terra, Rael se protegia e contra atacava Ruam e os dois trocaram golpes por alguns segundos sobre uma fúria constante.

Tuuum! Tuuum! Tuuum! Tuuum!

― Ataque das Lâminas Duplas! ― Rugiu Ruam. Um brilho ofuscante roxo deixou as lâminas ainda mais brilhantes, e como sombras ele moveu as mãos mais rápido. Rael ficou confuso com os muitos ataques vindo simultaneamente e ativou o Espaço Ilusório. Em vez de defender ou recuar, Rael avançou contra o mesmo de peito aberto e já se virando enquanto preparava o braço em chamas. Ruam atacou formando diversas linhas de lâminas roxas que passavam pelo peito, cintura, rosto e pescoço de Rael.

― Que droga! ― Ruam ainda chegou a gritar quanto Rael cruzou.

― Morra ― disse Rael e bateu contra as costas do mesmo usando a mão direita enquanto desativava o Espaço Ilusório.

Booooom!

Uma onda quente se espalhou com o impacto. Ruam foi parar no fundo do salão batendo de peito contra a parede. Seu corpo e seu rosto bateram com força na parede deixando uma enorme marca de sangue, mas não danificou a mesma, o corpo dele bateu e escorregou deixando uma grande quantidade de sangue escorrendo pela parede. O corpo de Ruam caiu no chão e ficou se tremendo enquanto ainda queimava.

                Dois ataques e dois décimos reinos estavam praticamente mortos. Bores ainda estava gemendo de dores no chão perto da porta, o máximo que ele tinha conseguido fazer foi se virar e ficar de peito para cima, tendo dificuldades até em respirar.

                Reinaldo já tinha preparado seu ataque por isso ele não esperou resultados. Assim que Rael socou jogando Ruam contra a parede do fundo e todas as rápidas cenas se sucederam, ele já partiu para cima de Rael em um ataque vertical usando um enorme martelo escuro. Ele pretendia esmagar Rael completamente o pegando por trás.

                Alex por outro lado. Depois de ver os dois ataques de Rael. Ele segurava seu machado tremendo e já correu com os olhos procurando uma rota de fuga. Vendo a janela mais próximo ele correu e saltou na direção da mesma.

                Rael levantou a lâmina de terra junto com o braço direito na intenção de defender o poderoso ataque do grande martelo. O martelo descia a todo vapor carregando uma estrondosa aura amarela elétrica.

Boooooom!

Brash... A lâmina do braço esquerdo de Rael se quebrou e pedaços da armadura que cobriam o braço direito também. Um vácuo de fogo e raio foi gerado com o impacto. Isso empurrou Reinaldo para trás que teve dificuldades em manter o machado em mãos. O ataque deveria abrir uma cratera nos pés de Rael, mas como o lugar estava protegido nada aconteceu além de Rael tremer levemente as pernas, graças a armadura todo o impacto do dano foi contido.

Zuuuuup!

Rael sumiu e apareceu nas costas de Reinaldo.

― Impacto Invisível! Impacto Invisível! ― Rael bateu duas vezes, uma vez em cada ombro do mesmo. Reinaldo reagiu girando o machado em um ataque horizontal tentando acertar Rael. Rael apenas ativou o Espaço Ilusório e saiu de perto recuando enquanto martelo cruzou seu corpo como um fantasma.

                Alex bateu com a cara na barreira tentando cruzar a janela. No desespero ele continuou tentando forçar sua passagem se empurrando mais ainda contra a barreira.

― Alex não seja covarde e me ajude aqui! ― rugiu Reinaldo e já partiu correndo de novo na direção de Rael. Mas antes que ele pudesse completar seu novo ataque o martelo caiu sozinho de suas mãos. Ele perdeu a força dos dois braços enquanto duas enormes feridas surgiam em cada ombro. Sangue jorrou para todos os lados e pedaços de ossos quebrados se espalharam, os dois braços de Reinaldo se tornaram inúteis, largados sem movimentos sobre o próprio corpo. Ele parou próximo a Rael e gemeu de dores.

                Alex vendo aquilo, saltou para outra janela e tentou novamente forçar sua passagem, para descobrir o mesmo problema de antes. Uma parede invisível não o deixava sair.

― Dói não dói? ― perguntou Rael olhando Reinaldo. ― Imagine o que passei quando era criança e vocês fizeram tudo aquilo comigo. ― disse Rael dando alguns passos a frente. Ele segurou os dois braços sem movimentos de Reinaldo com cada uma de suas mãos e levantou o pé direito encostando na cintura do mesmo.

― Espere... o que vai fazer?... ― perguntou Reinaldo entrando em desespero.

― Se não servem mais, porque não se livra deles de uma vez? ― perguntou Rael friamente e puxou empurrando o pé. Os braços facilmente soltaram-se por já estarem quase caindo.

― Uaaaaaaaah! ― Reinaldo gritou enquanto caia de costas. Jatos de sangue jorraram de seus ombros, os braços de Reinaldo ficaram sendo segurados pelas mãos de Rael.

― Desgraçado! Seu filho da puta! ― rugiu Reinaldo do chão e ele mal conseguia se levantar sem os braços. Ele ainda encarava os braços nas mãos de Rael.

― Você parece pensar que pode ter a chance de tê-los de volta não? Deixe-me acabar com sua esperança ― disse Rael friamente. Lançou os dois braços para cima. Carregou poder em seu braço direito o cobrindo novamente em chamas, e lançou o fogo no ar em alta intensidade. As chamas queimaram a carne dos braços e o que sobrou foram ossos caindo no chão aos pés de Rael.

― Desgraçado! Você vai morrer! Vai morrer! Alex mate ele! ― Reinaldo rugiu agitando o corpo de um lado a outro deitado no chão. Sem os braços era impossível para o mesmo continuar lutando.

                Alex já estava pálido. Ele percebeu que não era possível fugir e viu o que aconteceu com seus outros três companheiros. Ele se tremia enquanto encarava Rael de cima da janela.

― Vou morrer? E quem vai tirar minha vida aquele covarde ali da janela? ― perguntou Rael olhando Alex. Vendo a luta já praticamente ganha. Rael desfez a armadura voltando a sua forma original.

Alex sentiu como se seu corpo inteiro tomasse um choque, ele rapidamente somou suas chances de sair vivo lutando e tomou uma atitude no instante seguinte.

                Ele saltou da janela e se ajoelhou a uns três metros de frente a Rael depois de fazer seu machado voltar para o bracelete.

― Jovem mestre por favor me poupe, naquele tempo eu não sabia que aquela missão era para tirar a vida de uma criança. Eu fui tolo para participar de tal ato e estou puramente arrependido. Por favor poupe minha vida e de hoje em diante, eu Alex Barong serei seu eterno servo. O senhor poderá me pedir qualquer coisa! ― disse o mesmo de cabeça baixa.

― Seu covarde! Lixo! Se tivesse me ajudado poderíamos ter saído vivos daqui! Covarde! ― rugiu Reinaldo de volta cada vez mais irritado.

― Você obedecerá mesmo qualquer pedido meu? ― perguntou Rael com um tom um pouco impressionado.

― Sim qualquer coisa desde que o jovem mestre poupe minha vida.

― Idiota lixo! Ele matará... cofcof! ― Reinaldo tossiu enquanto falava.

                Rael sorriu friamente e se virou dando alguns passos para trás. Ele caminhou na direção de Bores, o que estava caído perto da porta.

― Você...! ― Bores não estava completamente consciente, ainda estava zonzo mas ele viu Rael surgi em sua frente.

― Eu só vim terminar de colher sua vida ― disse Rael juntando fogo no braço direito que se acendeu como uma tocha.

― Nãooo... ― Bores mesmo zonzo entendeu o que ia acontecer.

Booooom!

                Rael afundou o peito do mesmo com um soco. Bores esbugalhou os olhos e vomitou uma enorme quantidade de sangue. Do mesmo jeito que ele gemeu vomitando tudo aquilo de sangue pra fora ele parou. Seu peito ficou amassado no chão, carne e ossos ficaram amostras sobre as vestimentas rasgadas, o que sobrou dele estava praticamente irreconhecível.

― Agora vamos para o próximo ― disse Rael e voltou caminhando com o braço em chamas. Ele passou por Reinaldo e Alex ignorando os dois e foi até Ruam.

                Reinaldo continuava deitado sentindo as dores nos ombros. Ele olhava de lado para o parceiro que continuava de cabeça baixa achando que seria poupado.

― Seu cretino idiota! Ele jamais poupara um bosta como você! ― disse Reinaldo rangendo os dentes.

                Ruam ainda se tremia inconsciente com o corpo em chamas quando Rael surgiu por trás.

Booooom!

Um soco foi aplicado e as costas do mesmo foi esmagada no chão. Depois daquilo o corpo parou de se tremer e Rael foi voltando para o centro.

                Rael sentiu seu poder ter outro aumento. Do nível um ele foi ao dois com a morte de Bores e agora com a de Ruam ele foi para o três.

― E aqui voltamos ― disse Rael diante dos dois. Alex continuou de cabeça baixa esperando ser poupado.

― Eu queria pelo menos ver você morrendo antes lixo ― disse Reinaldo olhando Alex. Ele estava com mais raiva de Alex do que de Rael.

Booooom!

Dessa vez quem morreu foi Reinaldo, tendo o mesmo destino dos outros dois. Peito esmagado, carne e ossos espalhados. Sangue jorrou de todos os lados. Alex sentiu Rael se virando para ele e não ousou levantar a cabeça. Ele estava se tremendo até a alma. Rael era como um demônio que não poupava ninguém.

― Então você disse que obedeceria a qualquer pedido meu não foi? ― perguntou Rael.

― Sim jovem mestre! Eu farei qualquer coisa que me pedi ― disse Alex se tremendo.

― Poderia tirar a própria vida? Esse é o meu primeiro pedido para testar sua lealdade ― disse Rael. Alex levantou a visão e encarou o olhar frio de Rael e sua expressão séria. O braço de Rael ainda estava em chamas.

― Jovem mestre eu...

_____________________________________________________________________________

                Do lado de fora Rayger estava satisfeito. Um a um as auras dos quatro iam se apagando o que indicava que Rael estava eliminando eles. Só restava um agora e depois disse estaria tudo feito.

                Lá de cima a Keylla acompanhava os fatos impressionada. Ela deu tempo para ver se realmente precisaria usar o dardo e acabou descobrindo que precisava.

― ‘Impressionante, se esse jovem mestre não fosse casado eu acho que tomaria ele para mim huhuhu...’ ― ela pensou isso brincando, mas foi algo quase sério referente a como ela se sentia por Rael. Ela encaixou o dardo dentro do cano metálico, levou aos lábios enquanto deixava sua aura correr no cano. Mirou com cuidado em Rayger já tendo consciência da força do vento e soprou.

Zuuuuuuf...

O dardo voou cortando o ar com impulso. A pequena ponta da frente tinha a lâmina como a de uma agulha. Ele levou apenas segundos para bater no pescoço de Rayger. Quando o dardo bateu na pele, a agulha penetrou depositando a toxina que causaria ilusão.

                Rayger pensou que fosse um mosquito e bateu com a mão logo após. O dardo que foi feito para se desmanchar em energia depois de usado, evaporou na mão de Rayger. Rayger ficou confuso e esfregou o local novamente mas não suspeitou de nada.

 

― ‘Como você vai se virar com um reino final jovem mestre Samuel?’ ― pensou Keylla guardando o cano metálico em seu bracelete e voltando a assistir o que ocorreria em seguida.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.