O Herdeiro do Mundo

154 - Convencendo As Esposas

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Nego

Dragões eram ditos como as bestas mais perigosas do mundo e, há centenas de anos estavam extintos. Alexia não parecia nem um pouco com um dragão, contudo, Rika e Rose também não se pareciam nada com um unicórnio Celestial.

Natalia ficou com um ar de espanto mas não sabia se levava aquilo mesmo a sério, porque Alexia era bonitinha demais para ser um dragão.

― Marido, isso é alguma piada? ― perguntou Mara que também não acreditava.

― Não é uma piada. Eu disse a verdade, sou verdadeiramente um dragão. Meu último corpo ainda reside escondido em uma outra dimensão. Eu sou um imenso e perigoso dragão, mas para salvar a minha espécie, do mesmo modo que a raça celestial, eu tomei o corpo dessa garota que estava a beira da morte, fazendo um pacto com ela. Assim, eu poderia transar com o herdeiro e gerar filhos.

                Alexia explicando daquela forma fez as duas compreenderem a coisa era realmente séria. Porém, ela ainda era uma criança e estava falando em… Transar?

― Você ainda é uma menina… ― disse Natalia um tanto quanto chocada.

― Não sou uma menina! Sou uma adulta Soberana em corpo de criança. Parem de pensar besteira, eu falei em sexo mas não é para agora. Será somente quando Rael estiver pronto, ele ainda não me suporta. ― disse Alexia.

― Não seria o contrário? ― perguntou Natalia novamente.

― Se Rael estivesse pronto para mim, eu garanto a vocês que eu não seria só essa garotinha que vocês estão vendo agora. ― disse Alexia, um tanto quanto impaciente.

― Marido que história é essa agora? Você está me traindo, até com crianças? ― perguntou Mara com um tom de voz não muito agradável.

― Eu não sou uma criança, já disse! Que droga!Vocês parecem não me levar a sério, então deixe-me mostrar a vocês: ― os olhos de Alexia brilharam e Mara e Natalia sentiram seus corpos serem tomados por uma força maior. As duas se levantaram sozinha e ficaram paradas em pé sem conseguir falar nem se mexer. Rael percebeu e no mesmo instante já se virou preocupado para Alexia.

― Fique calmo, eu disse que não as machucaria. Estou apenas mostrando que não sou uma criança. ― disse ela, aliviando um pouco Rael. Mara e Natalia só conseguiam mover os olhos. Elas estavam chocadas por de repente não poderem controlar os seus corpos e Rael certamente não teria aquele poder. Elas podiam ver no rosto de Alexia os olhos dela brilhando levemente, indicando que ela estava usando algum tipo de poder.

― Eu posso manipular o corpo de qualquer pessoa abaixo do décimo primeiro reino. Eu poderia obrigar vocês a fazer qualquer coisa por mim, esse é apenas um entre dezenas de meus poderes. Eu posso até mesmo ler a mente de vocês e saber tudo o que estão pensando. Não pensem que eu estou brincando, eu sou mesmo um poderoso dragão, e resido nesse corpo pelos motivos citados antes. Agora vou libertar vocês, vocês se sentarão e ouvirão todo o resto. Mas dessa vez vocês não duvidarão de mim. ― disse Alexia e conforme ela disse, as liberou as meninas, que se moveram levemente sentindo o controle do corpo voltar. As duas olhavam Alexia agora com muito mais intensidade. Nem Mara nem Natalia duvidavam dela agora.

― Sentem-se. ― disse Alexia. As duas olharam para Rael e o mesmo fez um sim com a cabeça. Rael poderia parecer calmo, mas ele estava muito ansioso com andamento daquela conversa. Ele gostava muito daquelas duas e queria que elas entendessem e percebessem que ele não tinha culpa de novo. A mesma história se repetia igualmente com ele e a raça Celestial.

                Mara e Natalia voltaram para seus lugares. Mara tinha um olhar impotente enquanto Natalia tinha um ar mais curioso.

― Isso não precisa ser difícil para vocês. Eu quero ser amiga das duas e quero tratá-las como irmãs. As duas são importantes para Rael e para mim não será diferente. As últimas pessoas que tentei ser amigas não me aceitaram, eu espero que vocês sejam mais inteligentes. Natalia, você tinha falado antes que queria ser minha amiga, não é? Aquilo foi sério, eu senti, mas agora você parece ter ficado com medo de mim. ― observou Alexia, que tinha acesso a mente de qualquer um naquela sala.

― Eu não sabia que você era um dragão quando abracei você antes, você é tão… Tão fofa. ― admitiu Natalia sem jeito.

― Eu entendo, mas você ainda quer ser minha amiga, depois de tudo que eu disse? ― perguntou Alexia calmamente.

― Se você cuidar do meu marido, eu serei. Eu ouvir dizer que dragões eram muito poderosos, se as histórias que li e ouvi forem verdades, você não terá problemas em proteger Rael. ― disse Natalia.

― Sim, eu posso proteger ele contra os males desse mundo pequeno. ― disse Alexia. Mara ouviu aquilo e alguns parafusos rodaram em sua cabeça. Rael sempre fazia inimigos, se ele tivesse a proteção de um dragão, então ele não passaria por tantos apertos. Colocando dessa forma, aquilo tinha um ponto positivo. Alexia ainda era uma criança, então nada entre eles poderia ir muito longe, provavelmente ainda nem teriam nada. Mara ficou calculando as vantagens contra as desvantagens. Depois de tantas mulheres, mais uma estava entrando na vida de Rael.

― Se as duas forem se tornar minhas amigas e me tratarem bem, eu as tratarei bem de volta e como um presente de amizade eu posso agora mesmo aumentar o poder de vocês em um reino inteiro e mais um pouco. Deixarei as duas no oitavo reino nível cinco. Duas mulheres como vocês devem imaginar que mesmo na evolução acelerada que estão fazendo, esse tipo de aumento já é bem grande, assim vocês terão mais poder para proteger o marido de vocês. ― disse Alexia jogando suas fichas na mesa.

                Mara e Natalia ouvindo aquilo imediatamente sentiram seus corações esquentarem. Elas queriam mesmo poder proteger Rael e aquilo caiu como um presente dos céus. Natalia praticamente já tinha aceito tudo sem problemas. Mas Mara ainda relutava pensando no futuro. Porque agora Alexia era uma criança mas eventualmente ela iria crescer e se tornar uma bela adolescente. A partir desse ponto, seu marido teria que passar algum tempo com as tantas mulheres e Mara já sabia que havia muitas, aceitar mais uma assim tão facilmente não era uma tarefa simples.

― E digo mais: Eu não só aumentarei os poderes de vocês como também tornarei o elemento fogo que vocês possuem muito mais poderoso. Esse elemento de combinação de vocês, será ainda mais poderoso que a própria liberação, vocês serão como deusas manipulando o elemento fogo. Inclusive, registrarei vocês aos meus ancestrais, permitindo que vocês usem o poder secreto da minha linhagem. ― disse Alexia, que podia perfeitamente ler os pensamentos de Mara.

                Alexia não precisava da permissão das duas, mas ela queria que elas virassem suas amigas para mostrar a Violeta e a Emilia o que ambas perderam por terem recusado antes, isso sem esquecer o fato que Alexia já tinha se vingado. Com Rael sabendo a verdade, muitas coisas iriam mudar entre ele e as violadoras.

― Prima, vamos apenas concordar. Isso vai ser bom pra todos. ― disse Natalia se virando pra Mara. Mara foi iluminada por todas aquelas vantagens e acabou aceitando. Era a primeira futura esposa de Rael que ela iria aceitar numa boa sem brigas além de Rose, mas isso é porque envolvia muitas vantagens.

― Muito bem, vamos apenas acertar os pontos. Você vai crescer um dia e todo o rolo entre vocês vai começar. Isso já é esperado, mas como fica a divisão? Você não pretende tomar nosso marido por muito tempo, não? ― perguntou Mara que, mesmo olhando para uma pequena menina, sabia que estava falando com um grande ser.

― Eu posso ver na mente de vocês o quanto o sexo é incrível, e entendo bem. Sobre isso, não se preocupem, eu não tenho muita sede sexual além do necessário. ― disse a mesma.

― Então nós aceitaremos, mas você vai manter sua promessa de proteger nosso marido. ― lembrou Mara que não estava brava, eram tantas vantagens que ela praticamente engoliu o ciúme. Dessa vez Rael tinha conseguido uma mulher que faria uma enorme diferença na vida de todos.

― Vocês serão mesmo minhas amigas? ― perguntou Alexia.

― Sim, seremos. ― disse Natalia gentilmente.

― Mais fácil aceitar você do que certas outras mulheres. ― disse Mara, se referindo a Janete e Ana. Alexia facilmente captou e sorriu para si mesma, se lembrando que Rael havia mesmo traído as duas. Ele traiu, mentiu e toda a coisa a mais. Rael não podia esconder nada de Alexia, e foi por essa razão que ela o liberou da caverna naquele dia, porque mesmo irritado com o acordo, Rael iria mesmo ser aliado dela.

― Vamos começar! Eu irei aumentar o poder de vocês duas agora mesmo e fazer tudo o que é necessário. ― disse Alexia se levantando: ― mas aviso que doerá bastante, é uma dor necessária para o grande aumento de poder que ambas receberão.

                Natalia e Mara se levantaram um tanto ansiosas. Rael se lembrou da dor que teve quando passou pelo aumento com Alexia e ficou com o coração apertado olhando as meninas. Ele não queria que as duas passassem por tanta dor, mas aquilo era inevitável. Se elas queriam evoluir e Rael gostaria de vê-las ficando mais fortes, esse era o modo mais rápido possível. Caso ele não estivesse por perto, elas poderiam se defender futuramente. Rael nunca esqueceu o que Heitor fez com Natalia e Mara.

― Saiam de perto dos móveis, vão para aquele espaço vazio. ― disse Alexia guiando as meninas com o dedo apontando. As duas se dirigiram até lá em silêncio. Elas não ficaram com medo da dor que sentiriam, elas queriam muito aquele aumento de poder e aquela tal vantagem com o elemento fogo.

― Muito bem, vou começar. Farei simultaneamente nas duas. ― disse Alexia e seus olhos brilharam. Os corpos das duas foram levemente suspensos no ar, saindo poucos centímetros do chão, devido a casa não ser muito alta como o castelo de Alexia:

― Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!

― Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah!

                As duas gritaram, sentido a mesma dor que Rael teve na caverna. E Rael teve o coração apertado, vendo-as sofrerem enquanto aquela poderosa energia invisível as cercavam e entravam em seus corpos. A duração não foi alta, durou aproximadamente dez segundos, e ambas caíram no chão de quatro. As duas ainda respiravam aceleradas e se tremiam, mas elas já conseguiam sentir seu poder no oitavo reino nível cinco.

― Está feito! Eu também já fiz o registro de vocês e cumpri tudo o que prometi. Agora a combinação de fogo está em torno de 125% de poder total, sendo até mais forte que a liberação de vocês. Espero que tenham gostado. ― disse Alexia.

                Rael tinha corrido pra ajudar as duas.

― Meninas, vocês estão bem? ― perguntou Rael, levantando primeiro Natalia e depois ajudando Mara a se pôr de pé. Os corpos das duas ainda estavam quentes.

― Eu estou mesmo no oitavo reino! ― disse Natalia admirada.

― Eu também! ― disse Mara que agora recebia ajuda de Rael.

― É claro que estão, eu disse que deixaria vocês neste nível. Agora, se me permitem, eu tomarei o marido de vocês por um tempo. Ele e eu temos que investigar um problema de saúde que ele está tendo recentemente. ― disse Alexia. Mara e Natalia na mesma hora compreenderam do que ela falava e se sentiram animadas, pensando em Rael sendo curado. Se Alexia tinha o poder de aumentar o nível de um cultivador tão facilmente, então ela com certeza poderia curar qualquer problema de Rael.

                Rael e Alexia foram para um dos quartos vazios que as meninas usavam para cultivar. Chegando lá, Alexia fez alguns movimentos de mãos usando seu poder e bateu a mão no chão invocando uma formação de símbolos no piso. Rael ficou parado, assistindo os símbolos brilharem e ganharem vida se espalhando em linhas por todo o piso, eram linhas vermelhas bem brilhantes como fogo.

― O que está fazendo? ― perguntou Rael curioso.

― Estou preparando uma porta do tempo para sua memória bloqueada. Se você não se lembra do que ocorreu quando aquele monstro gritou com você, temos que descobrir o porquê, pois foi ali, naquele momento, que seu poder foi bloqueado. Antes de tentar remover a corrente do seu peito eu preciso saber exatamente o que ocorreu.

                Rael ficou esperando ela terminar de montar tudo. O processo durou cerca de três minutos. O símbolo formado no chão era como uma estrela de oito pontas. Entre vários espaços dentro da formação das estrelas tinha luas cheias espalhadas. Todo o símbolo era desenhado nas cores vermelhas e pulsava brilhando no chão.

― Sente-se no centro e feche seus olhos ― disse Alexia. Rael obedeceu e se sentou no centro da estrela. Ele cruzou as pernas, deixou as mãos sobre as coxas e fechou os olhos.

― Quero que você comece a pensar no mundo morto. Pense cuidadosamente nos detalhes, como as energias, os ciclones de poder e tudo de que se lembrar. Dos fantasmas sem consciência e até mesmo de Heitor.

                Enquanto ia falando, Alexia caminhava em volta de Rael em círculos, ela ia correndo os olhos em volta. As paredes, o piso, tudo começou a brilhar como se houvesse uma luz piscando sem parar.

― Se concentre em todas as memórias daquele dia, fixe sua mente e não tenha medo de mergulhar em seus pensamentos. Se você não se concentrar, não conseguiremos ver o que realmente aconteceu. ― disse Alexia parando de frente a Rael. Ela se agachou, fechou os olhos e tocou com a palma da mão direita o rosto de Rael.

                As paredes, o piso, a janela e a porta fechada, tudo no quarto piscava incessantemente. Alexia continuava de olhos fechados com a mão no rosto de Rael. De repente em um piscar de olhos, Alexia se viu parada de pé fora do quarto, ela estava dentro da dimensão do mundo morto que Rael viu. Ela estava ali parada em pé e ao lado dela estava Rael, só que agora ele estava em pé também.

― Alexia, o que houve? ― perguntou Rael, olhando o próprio corpo.

― Você conseguiu, nós estamos dentro da sua memória. Veja: ― disse ela apontando para cima. Rael olhou e viu ele mesmo voando atrás de Neide, que estava carregando o seu corpo após a batalha no clã Sarbaros.

― Como isso é possível? Estamos mesmo dentro da minha memória! ― admirou-se Rael.

― Vamos indo, não podemos ver o que você não viu. ― disse ela e flutuou seguindo a outra imagem de Rael. Rael também fez o mesmo. Tanto ele quanto Alexia estavam em um tipo de estado espiritual, mas não era o mesmo de quando Rael estava naquele mundo, era algo ainda mais leve.

                Os dois seguiram e entraram na casa. Eles tiveram de assistir Heitor aparecer de novo como um filme repetido, em seguida todo o resto até o surgimento da criatura saindo da bolha negra.

― Finalmente saberemos o que aconteceu. ― disse Alexia. Ela e Rael continuavam acompanhando de perto a imagem de Rael que repetia os movimentos de sua memória.

_____________________________________________________________________________
Capitulo liberado por doação, agradeçam a: Isaac Junior