O Herdeiro do Mundo

150 - Batalha Nas Montanhas

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Nego

― Homens, recuar! ― gritou o homem que Rael mandou Rika poupar. Mas é claro que ninguém conseguiria fugir.

Rika abriu os olhos e seu poder foi espalhado por todas as direções. Linhas de raios cruzavam o ar em busca de cada inimigo que tentava fugir. Os que ainda estavam parados ela deixou por um bom motivo porque tinha outros planos para com eles. Tanto pelo chão quanto pelo ar as linhas de raios os encontravam, e um a um eram atingidos em suas costas e gritavam de agonia, recebendo aquela poderosa descarga elétrica. Rika poderia usar Memórias Finais para roubar as informações deles, mas se fosse fazer isso em todos ela não conseguiria evitar que alguns fugissem. Por isso, ela deixou os que estavam parados para esse fim.

Os inimigos eram rápidos para fugir, mas as linhas de raios eram quase instantâneas em seus ataques, evitando que eles tivessem qualquer chance. Uma vez atingidos, eles eram paralisados dentro de uma constante e intensa onda de choque consecutiva. As linhas ficavam ligadas de Rika a cada inimigo. Os mesmos ficavam paralisados em suas posições recebendo choques e gritando de dor.

― ‘Rael, tente segurar alguns desses vivos. Eu posso ajudar você a conseguir informações.’ ― disse Rika mentalmente para Rael enquanto continuava eletrocutando seus alvos. Mesmo para um décimo terceiro reino, não era tão simples exterminar várias pessoas do décimo e décimo primeiro reino em instantes, como Rika estava tentando fazer.

Havia cinco homens parados, amedrontados demais para fugirem, entre eles o homem que deu ordem de recuar. Quando ele percebeu que cada um dos seus que tentou fugir foi pego por aquelas linhas de choque, suas pernas começaram a tremer, isso sem mencionar ouvir o grito de cada um deles, que era aterrorizante.

―Aaaaaaaaaah!

―Aaaaaaaaaah!

―Aaaaaaaaaah!

―Aaaaaaaaaah!

―Aaaaaaaaaah!

Eram homens gritando por todos os lados.

― Brisa leve! Movimento de Terra! Impulso do Trovão! ― Rael ativou suas três técnicas de velocidade e, estando com a armadura, ele já era muito mais forte, ele acreditou só precisar disso para aleijar alguns homens.

Zuuuuuup!

Rael sumiu como um vulto de perto das meninas e do meio dos guardas. Ele apareceu nas costas dos cinco.

― Impacto Invisível!

― Impacto Invisível!

― Impacto Invisível!

Rael acertou a perna de três deles e quando foi para o quarto o homem, o que Rael mandou poupar, esse conseguiu reagir a tempo e cortou com a espada na direção do peito de Rael. Rael tentou ativar o Espaço Ilusório, mais sentiu uma forte dor na cabeça e isso o fez falhar em usar a habilidade:

― Zuuuuuuump! Brash!

A armadura de Rael protegeu boa parte do dano. Enquanto era levemente quebrada, Rael foi arremessado para trás com um ferimento de leve no peito, mas, se não fosse pela armadura, ele com certeza teria morrido. Além disso, agora Rael estava sentindo uma dor infernal na cabeça e não estava conseguindo ficar lúcido. Ele gemia no chão e agarrava as mãos na própria cabeça.

― Pelo menos você eu irei levar, jovem mestre! ― disse o homem furioso, correndo na direção de Rael.

Zuuuuup!

Quem apareceu na frente dele foi Natalia, que a era a segunda mais rápida. Ela já estava com as Garras de Fogo ativadas em ambas as mãos.

― Corte Profundo! ― gritou ela, rasgando o ar com um soco na direção do estômago do homem. As garras dela explodiram ainda mais em poder. O homem só teve tempo de entender que ele não deveria matar essa menina, porém não esperou que um simples terceiro reino pudesse criar problemas até que…

Booooom!

Ele foi socado com força, tendo alguns machucados no peito por causa das garras em chamas e, mesmo para um décimo reino como ele, aquilo ainda foi problemático.

― Maldita Pirralha! Esqueçam as ordens, vamos morrer de qualquer jeito, então matem todos! ― gritou o homem, lutando para se recuperar o mais rápido para tentar matar Natalia. Os quatro homens deram passos à frente e três deles gritaram enquanto tinham suas pernas destruídas pelo efeito do impacto invisível. Eles caíram atordoados de dores no chão vendo a perna deles literalmente explodir. Todos eles ficaram aleijados no mesmo instante.

― Que porra aconteceu?! ― disse o homem, ainda se recuperando do estômago, olhando os seus de lado. Somente um deles não tinha caído, e esse também estava chocado.

Zuuuuup!

― Linha Flamejante! ― Rugiu Natalia de frente ao homem, mirando o punho em chamas. Quando o homem voltou-se para ela, a linha de fogo quase como um laser cortou o ar contra ele. A intenção de Natalia era torrar o peito dele. O homem não teve tempo de se defender. O punho se moveu como se tivesse carregando uma espada de fogo de três metros e atingiu o peito do homem. Na mesma hora a armadura do homem foi despedaçada, e a linha de fogo facilmente atingiu a pele do infeliz, criando sérias queimaduras.

― Aaaaaaaaaaaaaaaah! ― o homem gritou como um porco e se jogou para trás, fugindo do constante ataque da garota. Se ela fosse mais forte teria o feito em dois, ou até atravessado o peito do infeliz.

― Eu te matarei e depois estuprarei o seu corpo morto! ― rugiu o homem com tanta raiva que ele mal respirava.

Rael ainda estava caído no chão tomado por fortes dores. Os guardas e o capitão ainda estavam chocados com o poder de Rika, e suas atenções estavam todas voltadas para ela e os inimigos que continuavam gritando dentro dos ataques. Eles pensavam que os três jovens ainda estavam seguros no meio deles.

Rika também estava ocupada mantendo ataque para exterminar todos de uma só vez, por isso ela não estava podendo ajudar Rael no momento.

Mara foi a mais rápida a perceber Rael e Natalia lutando do lado.

― Chefe, eu acabo com ela para você! ― disse o homem no décimo primeiro reino que não tinha sofrido o Impacto Invisível. Ele carregava uma lança que estava com alguma técnica de ilusão ativada, fazendo parecer que havia várias lanças na mão dele. Ele saltou para estocar e matar Natalia.

― Woooooooooooooooooooooooom! ― um feroz rugido ecoou na direção deles. Isso fez o ataque do homem parar, porque ele se sentiu aterrorizado de medo. No mesmo instante, ele pousou no chão, soltou sua lança e começou a e tremer inteiro de medo enquanto se encolhia no chão, agarrando-se ao próprio corpo em um estado de lástima. O homem que ameaçou Natalia também começou a tremer apavorado. Ambos nem pareciam estar lúcidos, eles pareciam estar presos em algum tipo de pesadelo da própria mente.

― Natalia, você está bem? ― perguntou Mara preocupada, parando ao lado da moça.

― Estou. O que você fez? ― perguntou Natalia curiosa.

― Habilidade da armadura. Ela deixa os inimigos em pânico por algum tempo.

― Isso é incrível! ― disse Natalia admirada.

― Acho que você é a mais incrível porque pode voar. ― disse Mara de dentro do elmo e já se virou na direção de Rael.

― Jovens mestras! Deixem eles conosco! ― disse os guardas, que finalmente perceberam o que estava ocorrendo depois do rugido. Eles correram e cercaram todos os cinco.

Mara e Natalia se dirigiram para ver Rael.

― Marido, o que aconteceu? O golpe foi muito forte? ― perguntou Natalia, segurando as costas de Rael e o apoiando no próprio peito. Mara do lado ajudou e analisou o ferimento na armadura. Havia um leve corte no peito com algumas pequenas manchas de sangue no processo, mas era um golpe que foi de raspão graças a armadura, que ficou levemente danificada naquela região.

― Aaaaaai…! ― Rael continuava apertando a cabeça e gemendo, sentindo como se agulhas afiadas o cortassem por dentro.

― Mara, ele ta sofrendo. O que eu faço? ― perguntou Natalia nervosa, abraçando Rael. Todos eles ainda estavam de armaduras ativas.

― Eu não sei, o golpe não foi sério… Ele não deveria estar se sentindo assim, a não ser que tenha sido envenenado. ― disse Mara sem pensar muito.

Um a um os inimigos foram perdendo a vida eletrocutados até a morte. Eles tinham expressões miseráveis de olhos esbugalhados e bocas abertas, pele escura, roupas queimadas misturadas com a carne e o corpo ainda em fumaça. Eles caíam no chão mortos, e os que estavam no ar desabavam do céu depois de serem soltos pelas linhas elétricas que se desfaziam aos poucos.

Todos os dezesseis homens morreram nas mãos de Rika em um pouco mais de dois minutos. Só depois Rika voltou sua atenção a Rael e todo o resto.

Três homens estavam reclamando de dores, aleijados no chão sem qualquer reação, e agora o décimo primeiro reino estava se recuperando do terror causado pela habilidade Mara, ele se levantou e sacou uma nova lança, mesmo sendo avisado pelos guardas a não reagir.

― Se você ainda ousa reagir… Matem-no, homens! ― ordenou Salomão, o capitão. Os guardas avançaram com armas na mão, e o chefe dele foi o segundo a se recuperar, se levantando ao lado de seu parceiro com uma lança.

― Se afastem! Deixem esses dois para mim. ― disse Rika, que tinha acabado de chegar flutuando por cima deles. Os guardas pararam na mesma hora, obedecendo Rika.

Os dois no mesmo instante congelaram de pavor. Eles correram os olhos em volta e viram o resultado do que aconteceu com os outros, todos estavam mortos sem restar ninguém vivo.

Rael não estava consciente, mas ele queria tirar informações daquele homem, por isso pediu para ela poupar um. Ele tinha esquecido da habilidade Memória Finais de Rika.

Booooooooom!

Booooooooom!

Booooooooom!

Booooooooom!

Booooooooom!

Rika matou todos usando sua habilidade Memória Finais e extraiu todas as informações que eles tinham. Local da guida, pagamento da ordem, a ordem em si…Ela só não conseguiu saber quem fez o pedido. Nem mesmo aquele que se dizia ser o chefe sabia. O pagamento para essa missão era de 50 mil moedas de ouro como parte adiantada e os outros 50 mil quando o trabalho fosse completado. Era realmente muito dinheiro.

― Rika, por favor! Ajude nosso marido! Ele não está nada bem! ― Natalia gritou para a mulher, desesperada. Ela não estava se importando de parecer rude uma vez que Rael estava sofrendo. Ela e Mara tinham desfeito as armaduras, somente Rael ainda estava com a dele.

Rika avançou passando pelos guardas que abriram caminho e se agachou perto de Rael. Ela encostou a mão no peito da armadura e lançou seus sentidos no corpo de Rael. Ela percebeu que as energias de Rael estavam em desordem. Por isso ele estava sentindo dores.

― Você pode ajudar? ― perguntou Mara, se esquecendo de ser formal. Tanto ela como Natalia estavam muito preocupadas.

― Me dê alguns segundos. ― disse Rika se concentrando, enviando energia para o corpo de Rael. Ela era muito mais forte, então as energias de Rael não conseguiram lutar contra. Rika sentiu que havia uma formação pesada e tensa no peito de Rael por causa dessa desordem. Lançando seu poder constantemente no corpo de Rael, ela conseguiu controlar essa formação, que se desmanchou em seguida. Rael aos poucos foi parando de gemer e ficou apenas respirando um pouco mais acelerado. As meninas ficaram muito aliviadas de verem seu marido mais calmo.

― Você conseguiu? ― perguntou Mara.

― Quem acha que eu sou, garotinha? ― perguntou Rika, um pouco irritada com o tratamento que recebia. Elas não eram amigas, e Rika não pretendia ser amiga dela.

― Desculpe, senhora Rika. Eu não quis ofendê-la. ― disse Mara se recompondo.

― Não fiquei ofendida… ― disse Rika ainda de mau humor fingindo indiferença.

― Meninas? ― perguntou Rael, acordando nos braços de Natalia. Ele já foi logo desfazendo a armadura e olhando o próprio peito, apenas levemente ferido.

― Marido o que aconteceu? ― perguntou Natalia.

― Eu não sei. Usei uma habilidade que sempre uso, mas senti uma forte dor na cabeça e perdi os sentidos. ― disse Rael.

― Não use mais essa habilidade, ela causou desordem em seu poder. Se não fosse por mim, você ficaria horas sofrendo até se recuperar sozinho. ― disse Rika, falando normalmente para todos. Rika estava deslumbrante, mesmo com seu jeito sério. Qualquer homem babava por tal mulher. Os guardas não conseguiam tirar os olhos dela, mesmo tendo visto o que ela tinha acabado de fazer com os inimigos. Mas é claro que eles não ousavam dizer nada.

― Você matou todos, Rika? ― perguntou Rael se levantando, ainda um pouco tonto.

― ‘Matei. Mas tenho todas as informações que você precisa saber. Um detalhe importante, esses não conheciam a fraqueza das violadoras.’ ― acrescentou Rika mentalmente. Todos ficaram olhando, esperando a mulher falar, mas nada ocorreu. Os guardas ficaram confusos, mas as meninas entenderam que eles estavam conversando pela mente.

― ‘Menos mal, me passe os detalhes.’ ― disse Rael.

― ‘E que história é essa de você contar sobre mim, até para Mara? O que você tem na cabeça, Rael?’ ― perguntou Rika, antes de passar qualquer coisa. Rael já suspirou, pensando que poderia vim bomba com isso tudo.

_____________________________________________________________________________
Capitulo liberado por doação para combo de Natal, agradeçam a: Murillo Batista de Oliveira

_____________________________________________________________________________
Nota de Murillo Batista: Primeiramente queria agradecer ao Edson Fernandes da Costa por esta novel sensacional. E também dizer para esse pessoal que está criticando sobre as doações, eu não acho problema algum. O escritor nos fornece essa novel maravilhosa de graça sem querer nada em troca isso hoje em dia já é raro e quando ele está passando por um problema difícil e entraria em hiato, os verdadeiros fãs deram essa ideia de sistema de doações, eu gostei dessa ideai porque não consigo mas ficar sem ler essa novel, e pra esse povo que estava e está criticando, no começo da novel não vi 1 comentário seu falando bem sobre a novel, sobre ele disponibilizar capítulos sem pedir nada em troca. Então vocês que só sabem criticar, por favor, para com essa inveja já está feio, e se você não tem talento não critique quem tenha

Termino esse meu recado com esse presente para todos os fãs do Herdeiro do Mundo

E mais uma vez quero agradeço ao Edson por topar fazer esse combo próximo ao natal.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.