O Herdeiro do Mundo

126 - A Batalha Segue (Parte 1)

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Nego

Os elders tentaram fugir o mais rápido que seus sentidos poderiam alcançar, mas foi inútil, eles tentaram recuar em cima da hora e não tiveram tempo. As lâminas os acertaram em várias partes do corpo. Perna, peito, braços, ombros eram aproximadamente vinte lâminas para cada elder, e nenhuma delas errava seu alvo.

Os elders atingidos além de sofrerem com ferimentos profundos, ainda foram queimados violentamente. Alguns viraram bolas de fogo enquanto caíam, rumo ao chão.

Cinco elders despencaram dos céus depois da chuva de lâminas. Três tinham morrido na hora com lâminas perfuradas até em suas cabeças, outros dois em estado grave, o que ficou ainda pior após a queda, sem mencionar as queimas. Somente um dos elders não fora atacado, o elder que havia espancado Rita. Esse ficou trêmulo no ar, depois de subir mais ele observou seus companheiros com olhos arregalados.

Sauro estava curando seu patriarca quando viu seus companheiros caindo dos céus. Ele sabia que Rael tinha ganhado um grande poder com aquela transformação bizarra, mas não esperava que Rael pudesse vencer todos os elders juntos tão facilmente.

― Aberração maldita! ― disse Sauro parando a cura. Helks ainda estava se lamentando da morte da esposa e nem percebeu seus homens morrendo.

― O senhor precisa fugir agora mesmo, aquele garoto não é alguém que devemos nos arriscar enfrentando. ― disse Sauro. Mas Helks não estava ouvindo, estava preso sobre aquela dor constante no peito. Ele não sofreu tanto quando perdeu seu filho Heitor como estava sofrendo agora. Essa mulher à frente tinha o acompanhado durante toda sua jornada, eles dividiram tudo juntos.

― Senhor…!

Lá em cima, o elder viu a bola de fogo desaparecer e ficou surpreso por não ver Rael, que deveria está no centro dela antes.

― Me procurando? ― perguntou Rael nas costas do mesmo.

― Você! ― o elder se virou apressadamente e tomou um soco no estômago com o braço esquerdo de Rael. O braço direito de Rael não estava mais em chamas.

Booom!

― Uuuuuh… ― ele gemeu com o soco e chegou a perder o ar.

― Você estava espancando a minha Rita antes dela ser morta, acha que eu me esqueci? Um lixo como você…Vou dar uma das mortes mais miseráveis que possa existir! ― disse Rael, no mesmo tom frio de costume.

O elder se encolheu diante do forte instinto assassino que fluía de Rael, era tão intenso que chegava a fazer até os ossos tremerem.

― Perdoe… Eu só… Estavas-seguindo ordens… Eu… Não queria fazer aquilo… ― o elder tentou se explicar enquanto puxava fôlego para falar.

Booom!

Ele recebeu outro soco no estômago com mais força. Rael não estava pegando leve.

― Se está conseguindo falar, ainda não sentiu o suficiente. Como um velho como você pode ter coragem de levantar a mão para uma simples menina? ― Rael estava furioso. As íris prateadas dos olhos até tremiam quando o elder olhava a face de Rael. O elder sentiu que sua vida estava por um fio.

O elder tentou falar mas mal estava conseguindo respirar. Rael virou a mão esquerda e aplicou um tapa no pé do ouvido dele, lembrando que ele também fez isso com Rita.

Zuuuuuuuuuuuum!

O elder flutuou para o lado atordoado, ele tentou se recuperar no desespero pra fugir voando. Rael aplicou um ultimo tapa nas costas dele com o braço transformado.

― Agora fuja e morra como um cão sem dono como você merece. Implantei em você a mesma marca que fiz na mulher do patriarca, só que muito mais fraca. Em resumo, você morrerá mais lentamente. ― Rael soou frio.

O elder em seu desespero e medo partiu voando sem olhar para trás, sumindo no horizonte em poucos segundos. Rael se virou para os últimos dois abaixo.

― Senhor patriarca! O Senhor precisa ir rápido! ― Sauro balançou o homem que ainda olhava o que restou do corpo da esposa. Sauro sabia que poderia sim vencer Rael, mas havia uma chance também de morrer, e se ele falhasse o patriarca nessa hora precisaria ter conseguido pelo menos fugir. Se os dois morressem para Rael não haveria mais ninguém para comandar a cidade e proteger as pessoas.

― Ir? Vocês dois não vão a lugar nenhum! ― disse Rael pousando próximo a eles do lado. Rael continuava com aquela mesma expressão vazia no rosto.

― Você…! ― Helks se virou ouvindo a voz de Rael. Seu olhar era de pura fúria.

― Senhor patriarca, eu cuido dele. O senhor precisa fugir, caso eu não possa! ― disse Sauro apressadamente e tentou segurar o braço de Helks.

― Saia, seu covarde! Eu não fugirei! Esse monstro matou minha esposa! ― rugiu Helks.

― E todos os outros elders também! ― lembrou Sauro.

Zuuuup!

Rael não estava nem ai com a conversa dos dois, por isso partiu como um fleche deixando sombras escuras pelo ar enquanto corria.

Helks e Sauro perceberam Rael chegando entre os dois. O braço direito de Rael girou com as garras cortando em um arco a altura do peito dos dois que estava lado a lado. Se esses dois estivessem no mesmo nível dos elders mortos, Rael teria acertado seu ataque, mas eles estavam um reino frente e por isso seus reflexos eram melhores. Ambos conseguiram evadir, saltando para trás.

Helks podia estar furioso e meio desconcentrado diante de tudo, mas como guerreiro, ele jamais perderia seus instintos de luta.

― Até que vocês dois são rápidos. ― elogiou Rael em um tom irônico.

― Você morrerá aqui hoje, jovem, não importa o poder que tenha. ― disse Sauro furioso. Era a primeira vez na vida que ele enfrentava um problema tão insistente.

― Foi isso que vocês todos pensaram, enquanto morriam nas minhas mãos até aqui. ― disse Rael e se virou para o corpo da mulher de Helks: ― Isso foi o que sobrou da sua esposa? Eu sinto muito, não queria ter exagerado. A propósito, a carne dela queimada fede demais. Vocês não acham? ― perguntou Rael com sua expressão vazia, parado diante do cadáver.

― Seu monstro! Você me paga! ― Helks sacou uma lança verde com a lâmina banhada a ouro e avançou contra Rael, soltando uma poderosa aura amarronzada pelo corpo. Os fios elétricos se espalhavam por Helks, mostrando que ele tinha a mesma liberação do filho morto.

― Patriarca, não! ― Sauro gritou correndo também e concentrou poder nas mãos, formando poderosos punhos de gelo com espinhos. Os dois foram para cima de Rael no mesmo tempo. O patriarca que estava descontrolado e Sauro para proteger o patriarca, caso Rael conseguisse o atacar de alguma maneira.

― Rastro do Trovão! ― gritou Helks, ativando sua técnica. A lança nas suas mãos irradiou uma intensa aura amarela e tremeu rugindo. Os raios explodiam violentamente na lança sobre as mãos de Helks.

Rael ativou seus sentidos no máximo. Os dois homens que o atacavam agora não eram mais apenas décimos reinos. Eles avançaram tão rápidos na direção de Rael que sombras eram deixadas para trás. O primeiro a chegar foi Helks.

― Rasgarei você em mil pedaços! ― rugiu Helks e estocou com a lança, segurando com as duas mãos em direção a Rael várias vezes, uma após a outra. Os ataques eram tão velozes que rastros da lâmina eram deixados no ar junto a fios de energia.

Zuuup! Zuuup! Booom! Zuuup! Zuuup! Booom! Zuuup! Zuuup! Booom!

Rael se esquivava movendo a cabeça e o peito, as vezes jogava o braço direito na frente. Mas isso não ajudava a danificar a lança ou reduzir os ataques. A lança batia violentamente no braço de Rael como aço colidindo com aço, voltava para trás e já avançava rapidamente em outro ponto, obrigando Rael a se movimentar.

Rael também se movia como uma sombra e as vezes, quando não ia consegui esquivar, ele ativava curtamente o Espaço Ilusório.

Sauro percebeu que Rael estava tendo complicações com Helks. E já que estava indo bem, porque não matar Rael rapidamente?

Zuuuum!

Sauro seguiu por trás de Rael aproveitando um ponto cego.

― Colisão Gélida! ― gritou Sauro. Uma energia azulada se formou, aumentando o poder no punho direito de Sauro sobre a luva gélida com espinhos. Ele aplicou um soco nas costas de Rael com toda força usando aquela técnica.

Boooom!

Rael estava tão focado na lança de Helks que não teve como evitar. O punho gélido com espinhos bateu em suas costas e a energia explodiu com força. Isso fez Rael tirar os pés do chão, se desequilibrando devido a onda de impacto do golpe.

Helks percebeu que aquela era sua chance e avançou com a ponta da lança sobre a cabeça de Rael, mas o ataque atravessou novamente como ocorreu com alguns outros golpes que deveriam ter sido acertados.

Rael voou uns quinze metros e teria voado mais se não deslizasse suas garras pelo chão, forçando a reduzir o impacto e reequilibrando o corpo, até finalmente parar.

Sauro ficou inquieto pensando no porquê sua técnica não fez a ativação devida. O local atingido em Rael deveria se quebrar e congelar, causando um dano monstruoso, mas nada disso aconteceu. Ele até ficou olhando seus espinhos destruídos admirado com a dureza da pele de Rael. Ele pensou que somente o braço de Rael seria resistente. Depois ele já reativou a técnica recuperando os espinhos do punho.

Rael estava com muita dor nas costas devido o ultimo golpe recebido, mas na hora ele sentiu que o golpe tinha sido carregado com algum tipo de espinho que se quebrou no momento do ataque junto a uma energia. Rael se virou e olhou as costas, percebendo que a parte onde ele recebeu esse golpe tinha sido por cima de passagens das veias escuras. A região da pele em volta tinha ficado vermelha e gelada, mas as veias estavam bem e continuavam bombeando energia.

― Sauro, não me atrapalhe, eu estava quase conseguindo. ― reclamou Helks.

― Senhor, temos que trabalhar juntos. Se unirmos nossas forças ele não terá chance. ― disse Sauro em seguida. Isso deixou Helks mais satisfeito porque o elder só falava sobre fugir segundos antes.

― Só não me atrapalhe. ― disse Helks. Girou sua lança no ar e já correu novamente em direção a Rael, deixando sombras para trás.

Rael concentrou sua energia no braço direito e o mesmo foi coberto por chamas, como na primeira vez.

Sauro que vinha atrás de Helks partiu voando por cima pensando em outra maneira de vencer Rael.

― Quero ver você fugir agora! ― disse Helks concentrando seu poder enquanto preparava sua lança: ― Clones de energia! ― gritou Helks. O corpo dele brilhou enquanto ele avançava correndo, e mais três Helks´s apareceram, cada um com uma lança, correndo juntos a ele.

― ‘O patriarca usou aquela técnica! Então só me resta usar a minha.’ ― pensou Sauro, voando com velocidade.

― Sopro Especial! ― gritou o elder Sauro de cima. Sua boca concentrou uma quantidade de energia que foi atirada em forma de vento azul na direção de Rael. Parecia ser algum tipo de habilidade congelante.

Rael aumentou a queima do braço e o levou para frente. Rael tinha que matar Sauro primeiro se quisesse ter uma luta mais produtiva com o patriarca. Mesmo com aquele poder ganho, Rael não seria capaz de lutar muito tempo contra os dois simultaneamente.

O Sopro Especial chegou primeiro sendo barrado no braço de Rael. A princípio, Rael achou que seria algum tipo de habilidade congelante, mas acabou sendo diferente: A habilidade usada por Helks tinha um estranho efeito de cancelar os poderes de Rael por alguns segundos, e isso fez os braços em chamas de Rael se apagar. Além disso, durante o processo do sopro, Rael também não conseguiria ativar qualquer habilidade como o Espaço Ilusório. Ele se sentiu bloqueado como quando teve a Coleira de Controle em seu pescoço.

― Rugindo Trovões! ― Helks saltou junto com seus três clones que tinham a mesma aparência dele, eram idênticos. Todos os clones gritaram a mesma coisa, pulando e preparando a lança.

Boooom! Boooom! Boooom! Boooom!

Rael defendeu os quatro ataques de uma só vez jogando o braço direito para cima e cobrindo o corpo. Rael se surpreendeu porque nenhum deles era falso. Todos eram atacantes físicos, igual o clone de Rael.

― Explosão Final! ― Um dos quatro Helks pulou para trás, mas os outros três continuaram forçando suas lanças elétricas contra o braço de Rael, que foi obrigado a continuar defendendo. Os três Helks que ficaram começaram a brilhar, seus olhos viraram pura energia amarela e feixes de energia foram se espalhando pelo ar. Os olhos deles pareciam vidros se quebrando, enquanto os corpos tremiam e rachaduras iam surgindo por várias partes.

BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM!

Eles explodiram ao mesmo tempo. Uma forte explosão de raio e fogo ocorreu. Rael até tentou se manter no lugar, mas a força do impacto o jogou para fora de seu lugar. Ele saiu voando de costas com vários machucados espalhados pelo corpo. Mesmo que ele fosse imune a fogo e raio, a explosão gerada criou uma onda de choque poderosa que formou um buraco de dez metros no chão, jogando terra e pedaços de pedra para todos os lados. O fato de Rael sobreviver já era um grande milagre.

Enquanto era lançado para trás, Rael sentiu o mesmo vento gelado bater em seu corpo de lado. Ele se virou e viu Sauro se aproximando voando, nas mãos de Sauro estava formado um grande martelo de gelo, feito puramente de energia.

― ‘Droga!’ ― Rael pensou, tentando concentrar suas forças para utilizar o Espaço Ilusório, mas ele mal estava conseguindo controlar a queda, e com o Sopro Especial sendo usado tão diretamente Rael não estava mesmo em controle de suas habilidades.

― Adeus jovem! ― disse Sauro, já quase ao lado de Rael puxando o martelo para trás. Rael preparou seu braço direito para tentar se defender, mas mesmo que ele conseguisse seria fortemente arremessado para longe e sofreria muitos danos, talvez ficasse a beira da morte depois de receber esse ataque que estava a caminho.

Rael sentiu um poder avassalador se aproximando com velocidade. Todos ao redor o sentiram. Tal poder chegou como um vulto vermelho por cima de Rael e Sauro. Sauro se virou antes de completar seu golpe e arregalou os olhos diante de uma imensa lâmina transparente que seguia queimando,em sua direção para parti-lo em pedaços. Ele não teve o que fazer além de cancelar suas ações contra Rael e tomar medidas rápidas, ele levantou o martelo e juntou sua energia para tentar bloquear aquele ataque.

Zuuuuuuuuuuuuuuuuuuum… BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM!

O impacto do golpe foi devastador. Um anel de fogo foi formado do ponto de ataque e se espalhou rápido como um tiro em volta, até sumir a cerca de meio quilometro adiante. Rael, que estava sendo arremessado, foi mais empurrado ainda e continuou voando com impulso.

Sauro foi atirado para baixo como uma bala.

Zuuuuuuum! Booooom!

Sauro afundou no chão, sumindo dentro da terra com o corpo tomado por chamas. Seu martelo e sua energia defensiva não agüentaram completamente o golpe.

O Patriarca Helks apertou os punhos, começando a entender o que tinha ocorrido. Rael estava a beira da morte e chegou ajuda.

Zuuuuuuup!

Rael foi pego ainda no ar pelas costas, segurado por duas mãos gentis.

― Genro, a quanto tempo não te vejo. Você por acaso deu um retoque no visual? ― perguntou Neide com um sorriso simples.

― Neide! ― disse Rael um pouco surpreso.

― E o que aconteceu com suas roupas? Suas esposas não iriam gostar de saber disso. ― disse ela atrás de Rael.

― Me solta, muita coisa acabou rolando! ― reclamou Rael se afastando da mulher. Embora estivesse nu ele não estava nem ai com esse fato.

― Vista pelo menos uma calça. ― disse a mulher, evitando olhar para Rael.

― Que seja! ― bufou Rael, usando a mão esquerda ele vestiu uma calça como Neide queria, mesmo passando algumas dificuldades. Ele não podia usar a mão com garras, isso porque as garras da mão direita estavam no lugar de seus dedos.

― Genro, por que você se antecipou e veio aqui despreparado? ― perguntou Neide, ficando mais a vontade depois de ver Rael cobrir a parte de baixo. Ela agora exibia um olhar preocupado por causa da transformação e o estado de Rael, que não era nada bom. Apesar de Rael não apresentar, aquela transformação estava o deixando cansado. Antes de Rael falar, uma forte energia vinha voando pelas costas. Rael se virou surpreso e ficou chocado por ver a espada gigante de Neide voando sozinha, vindo na direção a eles. A espada ainda vinha queimando, com um grande poder ativado.

― Não importa mais. Você matou aquele elder? ― perguntou Rael, se virando e olhando para trás ignorando a espada que passou flutuando e ficou esperando ao lado de Neide.

― Quase. ― disse ela.

― Já que começou, termine o trabalho. Eu lido com o patriarca. ― disse Rael.

― Você não está em condições de lutar, genro. Suas energias…

― Eu decido isso Neide, se você quer me ajudar terá que ser do meu jeito. ― disse Rael.

Lá na frente, Sauro se levantou do buraco. Ele conseguiu sair vivo do ataque, mas não ileso. No processo ele teve duas costelas quebradas e os braços um pouco queimados. Se não fosse por sua energia do tipo água, ele teria morrido.

― Sauro! ― o patriarca chegou correndo. Neide e Rael estavam parados, flutuando a quase meio quilômetros deles.

― Senhor, estamos com um sério problema. Aquela mulher é Neide, esposa de Rayger, e ela está no décimo terceiro reino. É impossível que nós possamos vencer alguém no Lendário Poder Final. ― disse o mesmo.

― Maldição! ― reclamou Helks.

― Eu vou ativar minha habilidade proibida e vou fazer de tudo para destruir, ou pelo menos segurar aquela mulher e o jovem. O senhor precisa fugir! ― disse Sauro decidido.

― Mas se fizer isso você vai…

― Não há outro jeito senhor, eu já estou muito machucado e muito velho de qualquer forma. Já vivi o suficiente, como primeiro elder do nosso clã, eu tenho que fazer minha parte para que o senhor possa sair vivo. ― disse Sauro. Rael e Neide se aproximavam voando.

― Eu não quero fugir! ―disse Helks insistindo.

― Não há tempo para discutimos isso! Foi bom servir o senhor. ― disse Sauro e fechou os olhos se concentrando.

― Sauro… ― Helks ia dizer algo, mais desistiu ao ver a energia começar a se formar em Sauro.

_____________________________________________________________________________
Capitulo liberado por doação. Agradeçam a: Daniel Graciliano Freze Sthorc