O Herdeiro do Mundo

125 - Batalha Contra os Elders

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Nego

Rael estava ciente do que rolava em volta e do que precisava fazer, mas aquele poder adquirido era algo tão misterioso que nem mesmo ele entendia. Ele sentia o poder transbordando por dentro e o seu corpo estava leve como uma pena. Isso fazia ele constantemente se concentrar em seu poder na tentativa de entender melhor.

Os elders que estavam vendo Rael parado pensaram que essa seria a chance perfeita para atacar. Rael parecia estar desligado.

― Senhor patriarca, não sabemos o que aconteceu com ele, mas é melhor o senhor recuar. Nós teremos de lidar com isso! ― disse Sauro antes que os outros pensassem em fazer alguma bobagem.

― Recuar para um mero… Sétimo reino? ― Helks foi o primeiro a perceber que agora Rael não estava mais ocultando poder. Todos os elders lançaram seus sentidos em seguida, pegando essa nova informação.

― Mas agora a pouco ele estava no quinto reino… ― disse outro elder.

― Ele estava mesmo escondendo poder. ― observou Sauro.

― Ainda é só um sétimo reino, eu não vou recuar. ― disse Helks.

― Deixem isso com a gente, eu e o elder Tom vamos acabar com ele usando nossa combinação, ele não terá qualquer chance! ― disse um dos elders que tinha chegado com o patriarca.

― Então vamos nessa, Paulo! ― concordou Tom e saiu voando para o alto, ficando uns trinta metros de altura acima. Tom tinha uma aura branca que mostrava que ele seguia o caminho da luz.

Dessa vez Sauro não gritou, aqueles dois juntos, combinando suas forças estavam em um nível bem diferente de Treves. Agora só podiam esperar por um resultado melhor.

Rael se virou para Paulo, que vinha correndo por terra. Ele tinha acabado de entrar em sua zona de alcance.

― Prisão de Terra! ― rugiu Paulo se agachando e concentrando seu poder em suas mãos, ele bateu no chão uns quinze metros antes de chegar a Rael. Ondas de energia amarelas correram das mãos de Paulo e se dirigiram pela terra, indo parar nos pés de Rael, tudo foi bem rápido. Uma grossa camada de terra subiu se formando e cobriu os pés de Rael chegando até na altura do joelho. Rael olhou em volta, se vendo preso.

― Agora morra, sua aberração! ― gritou Tom do alto. Paulo embaixo continuou com as mãos no chão em formação, mantendo sua técnica ativada para Rael não escapar.

Rael desistiu dos pés e olhou para cima observando Tom.

― Técnica Secreta: Ataque das Cem Lâminas Luz! ― disse Tom mirando as palmas juntas na direção de Rael. O ar em volta dele se encheu de luzes brancas, que se transformaram em varias lâminas afiadas sem qualquer empunhadura, era uma centena inteira de lâminas espalhadas e flutuando pelo ar. O elder fez um movimento com a mão e parte das lâminas e virou para Rael, ele repetiu os movimentos e varias outras lâminas foram se virando na mesma direção. Todas estavam sendo miradas para o ponto em que Rael estava. A cada movimento da mão do elder, elas se viravam obedecendo.

― Morra agora! ― gritou Tom e fez um último movimento para frente. Elas partiram lentamente e qualquer um poderia ter tempo de fugir no instante em que visse. Mas depois de três segundos sob aquela lerdeza, elas dispararam como flechas em formas de vulto.

Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom! Zuuum! Booom!

As lâminas cortavam o ar e atingiam o local que Rael estava. O impacto destruía o chão e levantava poeira, fazendo com que todos não pudessem mais ver Rael.

Eram lâminas após lâminas indo na mesma direção em meio a poeira onde Rael estava e todos os elders se sentiram aliviados. Depois daquilo não havia maneira alguma de Rael ter conseguido escapar, ele só poderia estar morto.

Paulo depois de ver a maioria das lâminas acertar o lugar certo até cancelou sua técnica, se levantou e esperou.

Helks e Sauro fizeram uma expressão de alivio quando as lâminas finalmente encerraram. Agora, era só a poeira baixar e eles verem o resultado.

Aaaaauuuuuuaaaa… ― Paulo gemeu, fazendo todos se virarem. Rael não estava no meio da poeira. Ele estava nas costas de Paulo com as garras enfiadas, atravessando das costas até o peito do homem.

― Como ele está ali? ― perguntou um dos outros elders.

― Paulooooooo! ― gritou um outro mas não saiu do lugar.

― Maldição! ― disse Sauro. Nem mesmo tinha conseguido ver os movimentos de Rael.

― Eu não vi nada! ― admitiu Cássio.

― Ele é só um sétimo reino. Todos, voem como Tom está fazendo e ficaremos seguros! ― disse Sauro que pensou rapidamente em seguida.

Ninguém ficou pensando a respeito. Imediatamente todos estavam no céu trinta metros acima do solo. Até a esposa de Helks que estava longe do grupo subiu para os ares porque ela tinha acompanhado todos os acontecimentos.

Os cultivadores mais fracos embaixo. Depois de verem Rael matar dois grandes elders com certa facilidade se espalharam fugindo. Ninguém mais queria assistir aquela luta. Era perigoso demais ficar perto de Rael.

― Aqui estaremos seguros até pensarmos em alguma coisa. ― disse Sauro olhando Rael que continuava no chão os observando em silencio.

― Esse garoto só é forte assim por causa dessa transformação estranha, ele parece até mesmo um monstro. ― disse outro elder.

― Vamos achar um jeito de matá-lo, vocês não precisam ficar preocupados. ― disse Tom chegando perto do grupo. A esposa de Helks estava se aproximando, quando de repente Rael desapareceu de onde estava.

Todos lançaram seus sentidos e seus olhares nos arredores a procura de Rael. Cada um deles estava com medo porque Rael só precisava encostar aquelas garras e poderiam ser facilmente fatiados.

― Essa não! ― o primeiro a perceber foi Sauro. Rael estava segurando a esposa de Helks pelas costas dela. O braço direito estava cruzado na frente impedindo ela de avançar e as mãos da mesma estavam rendidas para trás, sendo seguradas pelo braço esquerdo normal de Rael.

Todos os elders e o patriarca seguiram o olhar de Sauro e descobriram Rael. Imediatamente, todos ficaram pálidos de medo ao perceber que nem no ar estavam seguros.

― Você! Largue a esposa do patriarca agora mesmo! ― gritou Cássio.

― Se você ousar machucar minha esposa eu esfolarei você vivo! ― ameaçou Helks.

― Largue ela agora! ― gritou outro elder.

Todos ficaram esperando para ver o movimento de Rael. Sauro se preparou para fazer seu movimento. Ele e o patriarca eram os mais rápidos, mas Rael estava de olho em Helks.

― Se vocês se moverem um só passo, eu rasgo essa mulher agora mesmo. ― disse Rael com uma voz fria enquanto as pontas das garras balançavam no peito da esposa do patriarca. A mulher que antes era fria como uma cobra e ria de cada perda de Rael, agora se tremia de pavor, porque ela viu o que Rael fez com os últimos dois elders que estavam no mesmo nível dela, décimo reino.

Apesar da resistência e poder de um décimo reino ser muito maior, nada parecia resistir ao poder ganho de Rael. Isso deixava todas aquelas pessoas velhas com medo. Eles não eram velhos na aparência, mais cada um deles já tinham vivido muito mais que cem anos.

― Samuel, se acalme. Por que você não a solta e negociamos, hã? ― propôs Sauro, que de todos com certeza era o mais calmo.

― O que tem para negociar? Vocês já mataram todos, esqueceram? ― perguntou Rael sempre em um tom frio.

A esposa de Helks era uma mulher com aparência de uns trinta cinco anos. Ela não chegava a ser feia nem bonita. Ela continuava se tremendo porque podia sentir que não sairia viva das garras de Rael.

― Você ainda tem a sua vida. ― disse Sauro.

― Vocês não são mais oponentes para mim. Eu posso acabar com todos facilmente, igual como vocês fizeram com minha falsa família. Eles não eram mesmo minha família de verdade, mas eu os amava como se fossem. E vocês tiraram todos eles de mim. O que posso fazer é dar o troco que vocês merecem.

― Se você machucá-la, eu juro que eu vou arrancar pedaço a pedaço de sua pele! ― ameaçou Helks de novo, flutuando três metros a frente, ficando à frente de todos os elders.

― Eu vou ser gentil e deixar pelo menos você se despedir dela adequadamente, coisa que você não me deixou fazer. ― disse Rael e soltou a mulher, que nem acreditou quando aquela gigantesca mão saiu de sua frente e teve os braços atrás liberados.

Rael no entanto puxou a mão direita para trás, e usando a palma bateu de leve nas costas da mulher, que foi empurrada meio metro para frente. Naquele instante, todos arregalaram os olhos porque pensaram que Rael estaria perfurando ela com as garras, mas não foi isso o que aconteceu. Ela seguiu voando rapidamente se afastando o mais depressa de Rael que podia. Aparentemente, ela não tinha nenhum ferimento.

― Meu amor! ― Helks saltou sobre a esposa e os dois se abraçaram no ar um pouco emocionados. Mas Helks não tirou os olhos de Rael, nem ele nem os outros elders.

― Você só tem mais quinze segundos. ― disse Rael no mesmo tom frio.

― O que você quer dizer com isso? ― perguntou Cássio.

― Rápido, me mostre as suas costas, senhora Elvira! ― o elder Sauro foi o primeiro a perceber que algo estava errado.

Elvira, a mulher do patriarca, levantou a parte de trás da blusa e todos puderam ver: havia uma marca vermelha no local em que Rael havia batido nela, localizado na região da coluna, no meio das costas.

― O que você fez? ― perguntou Helks no mesmo instante.

― Cinco segundos. ― disse Rael sem responder a pergunta.

― Alguém faz alguma coisa! ― disse Helks preocupado. Sauro lançou seus sentidos encostando a palma por cima do local e percebeu que Rael tinha plantado algum tipo de poder nela, algo que não era natural.

― É um tipo de implante de aura quente. ― disse Sauro após a analise.

― Ta ardendo! Ta ardendo! ― Elvira começou a gritar agoniada. O ponto vermelho nas costas dela começou a soltar fumaça enquanto seu suor descia.

― Seu maldito!O que fez com a minha esposa?! Tire isso dela imediatamente se não quiser ser morto como um animal! ― ameaçou Helks olhando Rael, que continuava parado no mesmo lugar mantendo sua face sem qualquer expressão.

― Vocês não estavam zombando e rindo da minha família queimada? Por que não experimentam a dor de passar pelo mesmo? ― perguntou Rael no mesmo tom.

― Sauro, faça alguma coisa! ― gritou Helks segurando os braços da esposa que não parava de gritar, cada vez mais desesperada. Ela gritava, apertava os olhos, mordia os lábios e se debatia nos braços do marido, que não podia fazer nada além de segurá-la.

― Aaaaaiii! Aaaaaaai! Aaaaai! Aaaaaaah!

As costas de Elvira foram piorando. Chamas apareceram, queimando a pele dela de dentro para fora. Sauro tentava usar suas técnicas curativas o mais rápido possível e nada adiantava, nada que ele fizesse tinha qualquer efeito sobre aquele poder implantado.

O corpo da mulher se tornou aos poucos um mar de chamas que consumia toda a pele dela, a deixando vermelha. Seja lá o que Rael tinha implantado nela, a consumiu de dentro para fora lentamente, fazendo ela gritar de dor desesperada por quase dois minutos inteiros antes de morrer. Dois minutos que deixaram todos abatidos. Ela poderia ter ficado viva mais tempo gritando em dor se não tivessem soltado o corpo dela, a deixado cair para morrer com a queda. Eles não tiveram escolhas, as chamas que cresciam no corpo dela queimavam até quem a segurava. Helks ficou com queimaduras em seus braços enquanto olhava o cadáver agora inerte da esposa terminar de queimar no solo. Com a queda, vários ossos dela se quebraram, deixando uma visão ainda pior.

― Não importa o que seja feito, eu ordeno! Matem esse monstro agora mesmo! ― rugiu Helks tomado pela ira, depois de voltar a olhar na direção de Rael. Em seguida, ele se virou com um semblante triste e desceu para perto da esposa.

Agora só restava ele mais sete elders ao todo. Ele e Sauro eram os únicos no décimo primeiro reino, todos os demais estavam no décimo reino.

― Senhor, espere, o que vai fazer? ― perguntou Sauro enquanto o seguia preocupado.

― Cale a boca, Sauro, e faça alguma coisa você também! Eu dei uma maldita ordem!Será que você é surdo? ― Helks bufou enquanto pousava suavemente ao lado do que sobrou de sua esposa.

― Deixe-me ajudar o senhor com esses braços. ― Sauro não ligou para a ordem de Helks. Helks estava triste enquanto olhava sua esposa morta e deixou Sauro começar a cuidar de seus braços.

Os outros elders explodiram suas auras e voaram pelo ar cercando Rael.

― Não deixem ele chegar perto de vocês! Ataquem a distância! ― disse Tom que tinha voado mais alto.

Rael correu a visão em volta lentamente, capturando cada elder. Um elder em especial ele marcou bem. Embora ele não sabia nome, mas ele era o que tinha agredido Rita.
― Ataque Lança do Demônio! ― rugiu um elder do tipo fogo e atirou uma lança em chamas na direção de Rael.

Zuuuuup

Ela foi com velocidade contra Rael, que facilmente a agarrou com a mão direita.

― Destruição da Lança! ― o mesmo elder gritou, ativando alguma outra técnica. Rael mal tinha segurado a lança em chamas e a mesma brilhou em sua mão escura.

Boooom!

Rael foi coberto por uma explosão repentina por causa da lança que segurava e toda área próxima de encheu de fumaça. Os outros elders não sabiam se Rael morreria, então preparam seus ataques.

― Lanças Gélidas! ― disse um outro Elder com a mesma liberação de água de sauro e atirou sete lanças de gelo contra a explosão que tinha se formado em Rael. Elas bateram e ficaram por ali mesmo.

Os outros elders esperaram para ver como Rael tinha ficado. Quando a fumaça finalmente saiu, as lanças de gelo estavam presas no braço escuro de Rael. Rael tinha algumas marcas de queimadura sobre a pele e no rosto por causa da explosão que o pegou de surpresa. Os elder não ficaram muito animados com os poucos danos recebidos por Rael, mas já era alguma coisa.

― Nós conseguiremos! Vamos todos atacá-lo de uma vez! ― rugiu Tom. Os elders se animaram e se prepararam.

― Isso é tudo que vocês podem fazer? Estou decepcionado. ― disse Rael enquanto sua aura vida curava as poucos danos recebidos por causa dos fragmentos da lança.

Em nenhum momento os olhos de Rael mudaram. Eles continuavam escuros e com a íris prateada, as raízes grosas estavam espalhadas pelo rosto, pescoço, ombro e braço direito, que estava deformado e com garras brancas. Sem esquecer que estava completamente escuro.

― Preparem-se para morrer! ― disse Rael, concentrando energia. Seu braço direito vibrou algumas vezes soltando impulsos escuros no ar por alguns rápidos instantes e se cobriu em chamas. As chamas eram tão fortes que tudo em volta ficou quente.

― Ataquem agora! ― gritou Tom, preocupado com o que Rael poderia fazer.

Varias técnicas foram ativadas e atiradas em Rael. Lanças de gelo em dezenas, Bolas de raios, lâminas criadas de luz por Tom de novo, mas não a mesma técnica, flechas de raios, Espetos de terra, Onda de choque criada por habilidade de espada. Rael estendeu o braço transformado para frente acumulando ainda mais fogo e fez a sua energia explodir:

Boooooooooom!

Um banho de chamas explodiu do braço de Rael, o cobrindo como uma enorme bola de fogo que se alastrou, tomando todos os ataques que vinham a caminho. Os ataques foram todos mergulhados na bola de fogo sem ninguém ver o resultado. Essa bola de fogo cobriu Rael em um raio de cinco metros de diâmetro e ficou queimando, evitando que os outros pudessem ver o que ocorria dentro.

― Técnica Secreta: Ataque das Cem lâminas! ― disse Rael de dentro das chamas. Os elders se olharam confusos porque ouviram parte do que Rael disse. Mas eles não podiam ver nada devido o fogo intenso formado pelo poder de Rael. Eles apenas se entreolharam confusos.

Algumas pontas vermelhas em brasas surgiram nas beiradas da imensa bola de fogo e avançavam lentamente para frente enquanto flutuavam sendo banhadas em chamas.

― O que é aquilo? ― perguntou Cássio.

― Parecem lâminas… ― disse outro elder.

Várias e várias pontas queimando surgiram, aumentando muito mais o volume delas por toda a extensão da bola de fogo. Eram dezenas delas espalhadas e mirando várias direções.

― Droga! ― disse Tom que foi o primeiro a entender: ― Fujam todos!

As lâminas banhadas de fogo partiram como vultos na direção dos elders.

_____________________________________________________________________________
Capitulo liberado por doações. Agradeçam a: Isaac Junior