O Herdeiro do Mundo

121 - Luta Contra os Elders (Parte 1)

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Nego

Eram muitos cultivadores indo contra Rael, o chão chegava a tremer devido a marcha de ataque. Ninguém estava subestimando Rael e por isso já iam com suas técnicas e suas energias ativadas de armas no punho.

― Brisa Leve, Espada de Terra. ― disse Rael ativando suas técnicas e partiu de encontro contra a multidão que vinha.

Boooooom! Zuuuup! Boooooom! Boooooom! Zuuuup! Boooooom! Boooooom! Boooooom!

Aaaaaaaaaaaaah!

Aaaaaaaah!

Aaaaaaaaaaaaaaaaaah!

Vários cultivadores eram acertados e lançados à dezenas de metros pelo braço direito de Rael. Alguns sofriam impactos tão poderosos que arrastavam todos que estavam atrás, junto a ele. Outros, tinham seus peitos abertos pela espada de terra de Rael ou cabeças arrancadas. Era uma verdadeira chacina!

Rael era ágil como um animal no meio dos vários ataques, se esquivava e contra atacava rapidamente. Cada ataque era dado para matar e com força total. Os gritos agonizantes de cada vítima eram gritos de morte e desespero após um ataque fatal que consumia seus últimos segundos de vida.

Os que passavam voando depois do golpe de Rael já tinham seu peito completamente estourado, literalmente. E não importava o reino, sétimo, oitavo, nono, o resultado era o mesmo. Alguns nem chegavam a voar, o soco de Rael atravessava o peito destruindo os ossos instantaneamente. Quando isso acontecia, Rael puxava a mão completamente tomada de sangue com um pouco de nojo.

A batalha continuou feroz, mesmo com vários mortos caindo um após o outro. Os três elders estavam de olhos arregalados vendo seus membros serem tão facilmente eliminados.

Havia uma roda de ataques infindáveis e Rael estava no centro dela. Ninguém conseguia entender como ele se esquivava tão agilmente sobre todos eles.

― Isso é mesmo real? ― perguntou o primeiro elder que havia falado com Rael quando chegou. Ele parecia ser aquele com idade média entre os três.

― Carlos, eu estou vendo a mesma coisa que você, então acho que é real. ― disse o da outra ponta que era o mais novo dos três.

― Isso não pode ser possível. Ele é só um mero quinto reino. ― disse Sauro com um olhar fixo em Rael. Por ser o mais velho e mais experiente, ele entendia muito bem que aquele resultado à frente de seus olhos não poderia ser real.

― É melhor interferirmos. Ele já matou mais de vinte dos nossos. ― disse o mais novo.

― É um pouco vergonhoso, mas você tem razão,Treves ― concordou Sauro.

― Parem todos! Vocês não são páreos para ele. Se afastem! ― rugiu Sauro e deu alguns passos a frente com os outros dois elders de cada lado.

Os que ficaram vivos saíram de perto de Rael e só então foram perceber os seus vários companheiros mortos. É claro que muitos deles viram que Rael matou um ou outro, mas só se deram conta dos números quando se afastaram.

Rael matou um total de vinte e oito cultivadores em pouco menos que três minutos de batalha. Os cultivadores mortos estavam entre os três reinos como já escrito antes e nenhum deles precisou de mais do que um golpe.

Rael ainda estava com os olhos escuros e suas habilidades ativadas. Ele ainda não tinha demonstrado todas as suas habilidades porque sabia que ainda teria que enfrentar os elders. Era a primeira vez que Rael enfrentava um clã inteiro.

Os corpos se espalhavam inertes pela rua. Nem parecia que um mero jovem de quinze anos tinha mesmo matado todas aquelas pessoas.

Rael tinha amolecido um pouco seu coração depois de saber a verdadeira historia de Thais, mas ainda assim ele não tinha ficado mole o suficiente para poupar quem entrava em seu caminho com motivos reais. Diferente de Thais, aquelas pessoas queriam mesmo prejudicá-lo, e já tinham ido longe demais. Heitor foi um monstro criado nesse clã, então Rael não pouparia qualquer um que levantasse a espada contra ele.

― Você é um jovem cultivador muito talentoso, isso não há como negar. Eu pessoalmente não acredito que você seja um mero quinto reino como tenta nos mostrar, alguém com um poder tão baixo não faria tudo isso. ― disse Sauro calmamente.

― Por que conversa? Vocês não pretendiam me aleijar? A propósito, meus familiares estão bem? Torço para que estejam. ― disse Rael em um tom bastante sério encarando os três a frente sem o menor medo.

― Estão bem sim e você irá vê-los em breve. Treves, aleije-o! ― disse Sauro dando a ordem para o elder mais novo. Treves dos três parecia ser o mais fraco. Porém, ele estava em um reino que Rael não podia identificar.

O homem de nome Treves era um cara branco de estatura mediana com cabelos loiros. Ele tinha em torno de uns trinta anos, mas obviamente tinha muito mais.

― Vamos ver se você é tudo isso mesmo. ― disse Treves e como um vulto chegou a frente de Rael aplicando um soco contra o rosto. Rael levantou o antebraço azul e defendeu o golpe.

Booooom!

Os raios atingiram de leve a mão do elder que rapidamente soltou do braço de Rael e deslizou se agachando de lado, avançando pela lateral de Rael.

Booooom!

Ele aplicou um golpe contra o estômago de Rael usando a mão esquerda que foi deixada de lado, Rael não teve tempo de se defender e deu alguns passos para trás. Ele chegou a ficar sem ar encarando Treves enquanto tentava respirar com a mão esquerda por cima do peito.

― Eu não vi nada demais em você, deve ser apenas alguém com sorte. ― disse Treves e olhou a própria mão direita levemente machucada pelos raios de Rael.

― Não existe maneira de um quinto reino vencer um décimo. O Lendário Poder Oculto não é algo que um mero jovem como você possa entender. Treves está apenas no nível um mas para você isso já é demasiado. ― disse Sauro satisfeito.

Quando um cultivador atinge o décimo reino, ele se torna mais sutil, suas habilidades fluem com a leveza de uma pena. O corpo passa por uma gigantesca mudança. Todos os atributos aumentam. Força, resistência, velocidade, poder e é nesse reino que os cultivadores começam a voar. É o reino mais desejado por todos, as pessoas que o atingem geralmente estão entre 121 a 150 anos. Nessa idade eles aparentam ter em torno de 30 ou 40 anos.

― Sério? Cof cof! Pra mim pareceu apenas um soco de alguém um pouco mais forte. ― disse Rael se recuperando e tirou a mão esquerda do peito: ― Em todo caso eu também não mostrei todo meu poder. Se vocês não pudessem superar o poder que estava usando até aqui eu ficaria extremamente desapontado. ― disse Rael com um sorriso frio. Seus olhos agora estavam normais.

― Não banque o arrogante, jovem. Você sabe que esse é o seu limite. ― disse Treves com um olhar sério. Rael já era muito forte para dizer que era mais forte ainda. Nenhum daqueles homens poderiam acreditar nas palavras de Rael. O soco de Treves pode não ter parecido ser nada sério, mas se dado em qualquer um dos outros poderia ter feito a pessoa desmaiar na mesma hora. Rael ter ficado apenas com falta de ar foi um grande milagre.

― Bom, se vocês não acreditam então deixem que eu mesmo mostre. ― disse Rael e desfez a espada de terra da mão esquerda.

― Vou deixá-los ver uma parte maior do meu poder. ― disse Rael sorrindo. Os olhos escuros voltaram e raízes escuras se espalharam pelo rosto. Ele estava ativando uma porcentagem maior de sua essência demoníaca herdada de Violeta. Sua aura colorida tornou-se mais escura e mesmo escura dessa vez era possível os outros verem.

Com exceção dos três mais fortes, todos os outros cultivadores recuaram alguns passos para trás. A aura de Rael estava mais intensa e muito mais fria. Ele parecia com um demônio vindo das profundezas do inferno.

O poder em volta de Rael era como ondas escuras que banhavam o chão ao redor. Os olhos de Rael continuavam escuros e as raízes espalhadas.

― Movimento de Terra! ― Rael ativou outra técnica de velocidade junto a brisa leve.

Brisa Leve aumenta em 100% a velocidade de movimento de usuários do tipo vento. Somente um tipo de técnica de aumento de velocidade poderia ser ativado, isso porque é muito difícil controlar duas técnicas do mesmo padrão ao mesmo tempo, sem mencionar a alta quantidade de energia que isso consumiria.

Já o Movimento de Terra aumenta em 50% a velocidade de movimento e 10% a resistência a ataques físicos. Embora não seja melhor que a Brisa Leve. As duas juntas já deixam Rael 150% mais rápido. Como Herdeiro, tendo todas as combinações quase como liberações naturais, Rael podia usar as duas sem menor problema e sem muito gasto de energia.

Agora,além de uma aura escura, uma transparente e outra amarela circulavam Rael devido as duas de movimento ativadas simultaneamente.

Os três ficaram um pouco surpresos. Rael estava usando duas técnicas de movimento e ainda parecia muito bem. Mas será que aquilo iria durar muito?

Zuuup!

Como um vulto Rael avançou sobre Treves. Este arregalou os olhos surpreso e não teve nenhum tempo de levantar a mão a para se defender.

Boooom! Brooooft! Truduf…

O soco com o punho direito coberto em raios explodiu no rosto de Treves. Este foi lançado como um vulto contra uma parede e seu corpo girou no ar antes do impacto, o fazendo bater de frente. A parede da casa desmoronou com Treves caindo para dentro. O queixo dos outros dois elders desmoronou diante daquilo. Ninguém acreditava que Rael tinha pego Treves completamente de surpresa.

― Seu maldito lixo! ― rugiu Treves saindo de dentro do buraco na parede. Seu rosto estava inchado e um olho esquerdo dele sangrava, isso sem mencionar a quantidade de ferimentos queimados espalhados.

Rael se preparou mantendo o sorriso frio. Treves liberou uma intensa energia vermelha.

― Eu vou aleijá-lo tão rápido que você nem saberá o que aconteceu seu maldito! ― rugiu Treves.

Zuuuup!

Boooom!

Punhos se chocaram levemente e Treves rapidamente tirou seu punho de perto do de Rael para não sofrer mais danos.

ZuuuuP!

Ele deslizou pelo lado de Rael como um fleche. Rael se virou e viu Treves levantando o pé para pisar embaixo do joelho de Rael, ele pretendia quebrar a perna de Rael. Rael ativou o Espaço Ilusório imediatamente e a perna de Treves cruzou a de Rael, atravessando-a. Depois Rael girou o corpo desativando a habilidade, enquanto se agachava levemente e mergulhou sua mão esquerda por baixo da perna de Treves, o puxando para cima. Isso causou desequilíbrio em Treves, fazendo-o começar a cair para trás.

Enquanto ele caía, Rael juntou mais energia em seu braço direito e socou contra o peito de Treves. Este, por sua vez, levantou os braços em forma de X, defendendo o poderoso soco de Rael.

Boooooom!

O solo em volta tremeu e o corpo de Treves afundou no chão criando várias rachaduras no chão de cimento.

Zuuuump!

Quando Rael percebeu, Carlos, o elder que parecia um pouco mais velho que Treves, já estava sobre ele com o corpo explodindo em energia cinza. O punho dele estava erguido no ar mirando o rosto de Rael. Rael só teve tempo de ver aquilo e receber em seguida o ataque.

Boooom!

O soco no rosto de Rael o fez voar desnorteado para trás. Rael bateu em uma carruagem que se quebrou, com ele dentro dela. O elder não pegou leve.

Rael pela primeira vez sofreu um dano considerável. Ele, além de momentaneamente perder parte do movimento do corpo por estar tonto, sentiu o sangue descendo pelo rosto e sua testa latejando de dor. Aquilo o deixou extremamente furioso.

― Treves, você está bem? ― perguntou Carlos, dando a mão para ajudar o companheiro.

― Eu não precisava de sua ajuda, Carlos. Eu ainda poderia dar conta dele sozinho. ― reclamou Treves e ignorou a mão estendida de Carlos. Ele se levantou sozinho, sentindo seus braços dormentes. Era inacreditável que um mero quinto reino tivesse todo aquele poder. Algo estava muito errado em toda aquela historia.

― Vocês conseguiram me irritar no limite! ― disse a voz de Rael. Todos se viraram quando ele saiu do meio dos destroços da carruagem.

Rael saiu meio lesado e quase caiu sozinho. Se segurou com dificuldade na parede da casa ao lado. Os olhos de Rael ainda estavam meio fechados e sangue escorria pela face dele. O golpe dado por Carlos o pegou desprevenido e em cheio. Rael queria testar seus limites aos poucos, mas ele acabou se dando um pouco mal.

― Esse imbecil não consegue nem ficar de pé e ainda está resmungando? ― perguntou Carlos um pouco irritado.

― Saia! Ele é meu! Eu mesmo acabarei com ele! ― reclamou Treves olhando Rael e deu um passo a frente.

― Vocês acabarem comigo? Hahahahahahahaha! ― Rael começou a gargalha. Ele tinha tomado um forte soco mas nem por isso estava com medo daqueles três.

― Enlouqueceu. ― disse Carlos depois de ver a cena.

― Louco ou não, eu mesmo terminarei com ele, e que você não me atrapalhe, Carlos! ― reclamou Treves avançando para frente e já parou em seguida. O corpo de Rael começou a ser coberto por uma energia azul que foi se transformando em metal.

― Quem decide quem vai acabar com quem aqui sou eu, e não vocês. ― disse Rael de dentro do elmo que tinha acabado de ser montado. Todos viram chocados a armadura azul de feixes brancos em forma de dragão.

Seu rosto foi completamente curado por uma energia verde que se formou em volta do elmo e todos os sentidos de Rael voltaram. Em seguida, ele tirou a mão da parede.

― Agora vou mostrar para vocês o meu verdadeiro poder. ― disse Rael estendendo o braço direito que se cobriu com fortes ondas de raio.

_____________________________________________________________________________
Capitulo liberado por doação. Agradeçam a: Iuri Muniz Barreto Souza




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.