O Herdeiro do Mundo

103 - O Casamento

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Nego

A cerimônia seguia com um público conversando e outros cochichando. Não era comum o noivo faltar ainda mais tendo ele mesmo feito o pedido de casamento.

                Quem estava feliz com o decorrer desse atraso era Elisa. Ela via o tempo de Rael cada vez mais curto e já sorria pensando no momento que levaria sua filha de volta pra casa. Romeo, ao contrário, não se importava muito, estando no poder da família ele já estava trabalhando em outros meios para continuar firme. Ele não queria mais depender de uma filha inútil.

                Natalia estava tensa, ela se sentia ansiosa e preocupada. Rael não ia faltar assim, ele nunca faria isso com ela. Ela sentia o quanto era querida por ele, no toque, nas palavras, no beijo. Havia um laço poderoso que envolvia eles que Natalia não podia negar. Se ele faltasse é porque algo ruim aconteceu.

                Mara também pensava parecido com a prima. Rael já tinha dito que amava muito Natalia, mais vezes do que ela mesma. Se ele faltasse seria por algo bem sério.

                Quando Elisa já estava prestes a chamar o marido para retirar sua filha do altar Rael entrou já arrumado com um terno azul, as mesmas roupas usadas no casamento dele com Mara. Quando ele entrou o público inteiro se silenciou.

                Havia ali várias pessoas importantes de diversas famílias que não poderiam perder aquele casamento. Todos admiraram Rael silenciosamente porque o viam com um quinto reino. Se eles pudessem imaginar que o mesmo já estava no sexto…

                Natalia sorriu de alívio e de felicidade quando Rael parou ao lado dela. Ele tinha se vestido as pressas mas estava bem arrumado. Violeta é claro, o ajudou.

― Por um momento eu pensei que você não viria. ― disse Natalia baixinho.

― Só não viria se tivesse morrido. ― disse Rael e sorriu para a garota.

― Obrigada por não me abandonar aqui sozinha. ― disse ela.

― Eu jamais faria isso. ― disse Rael de volta olhando sua linda irmã.

                Mara do outro lado se encheu de alivio, porque ela também tinha ficado preocupada.

                Elisa quase quebrou o Marcador Temporal em suas mãos. Ela ficou furiosa e já lançou um olhar severo na direção do público do outro lado.

                A cerimônia ocorreu em silêncio e conforme as perguntas do mestre de cerimônia. Natalia e Rael disseram sim e assinaram seus nomes. Rael teve que usar o nome falso.

                Houve uma salva de palmas quando o mestre de cerimônia declarou os dois casados e mandou beijar a esposa.

                Rael levantou o véu de Natalia e beijou ela de leve na frente de todos. Os dois se beijavam e sorriam, pareciam ser um belo casal comum. Elisa estava espumando. Ela não aguentou, olhou mais uma vez na direção do público e saiu empurrando algumas pessoas que estavam pelo caminho.

                O mestre de cerimônia passou a Rael o certificado de casamento. Rael guardou no bracelete assim como ele tinha o de Mara guardado.

                Nas horas seguintes o recém casal foi cumprimentado por muitas pessoas importantes. Todos vieram desejar felicidade, até mesmo os invejosos. Entre esse meio de pessoas, uma moça muito bonita chamou a atenção de Rael. Era uma morena de olhos grandes, extremamente sensual em uma calça de couro colada, na cor marrom. Ela claramente se insinuou para Rael mais de uma vez. Rael achou ela bem atraente no modo geral, mas seu interesse não passava disso.

Ele já tinha duas lindas Violadoras, duas mulheres celestiais, Isabela, Mara e outros planos. Ele já tinha traçado uma linha na sua cabeça de bloqueio sobre qualquer coisa a mais desnecessária. Mesmo que o olhar da morena fosse bem tentador, Rael não deu importância. No fim ele estava seguro com Natalia.

                Rayger e Neide vieram como todos dar seus parabéns e foi nessa hora que Rael passou a carta para Rayger, a carta do próprio Rayger do mundo alternativo. Quando Rayger recebeu a carta ele já sentiu a essência de seu poder e olhou mais uma vez para Rael. Natalia estava do lado mas não estava entendendo o que estava rolando.

― O que anda fazendo com Mara deve ser parado imediatamente. Depois de ler a carta você saberá. ― disse Rael.

― O que é isso? ― perguntou Rayger em estado de confusão.

― Eu estive alguns anos no futuro. Parece loucura, não? Bom, basta ler a carta. ― disse Rael e já estendeu um papel dobrado para Neide. Era uma lista de coisas que ela deveria conseguir pra ele. Agora, juntando também a herança de Emilia, o conhecimento de Rael tinha avançado de nível.

― Neide consiga pra mim tudo que puder dessa lista. Depois quando eu tiver tempo vou curar minha esposa Mara e já criar alguns novos acessórios. Vou precisar de tudo que conseguir dessa lista. ― explicou Rael.

― Curar minha filha? ― perguntou Neide preocupada enquanto aceitava a carta.

― Seu marido vai entender melhor depois de ler a carta. Não é nada sério no momento. Você só precisa se focar na lista. ― disse Rael.

― Vocês poderiam me dar licença? Eu vou ler isso em outro lugar. ― disse Rayger um pouco pálido enquanto tirava a carta do envelope, em seguida ele já se virou caminhando. Ele sentiu a própria energia nela e não fazia ideia do porquê, não foi atoa que ele ficou tão chocado.

― Genro você está me assustando. O que aconteceu? ― perguntou Neide olhando de Rael para a lista.

― Eu alguma vez decepcionei você? Apenas confie em mim. Eu vou resolver o problema da minha esposa depois, não é nada sério por enquanto. Apenas se concentre na lista. ― repetiu Rael com firmeza. Até Natalia ficou um pouco curiosa, mas não disse nada para não atrapalhar os dois.

― Dessa vez você não facilitou minha vida genro, tudo que está nessa lista são coisas bem raras. ― observou Neide.

― Mas eu sei que você vai conseguir tudo. Você quer ver Mara melhor não quer? ― perguntou Rael, sorrindo. Sempre que Neide olhava Rael, ela nunca podia dizer o que se passava na mente dele. Rael podia criar barreiras, usar vários elementos, o que ele estava planejando com aquela lista de objetos raros? Não seria muito difícil pra ela, na verdade ela só disse aquilo tentando arrancar alguma informação.

― Eu farei o meu melhor. ― disse ela fazendo o papel sumir nas mãos guardando no bracelete.

― Agradeço. ― disse Rael de volta. Neide já saiu de perto de Rael e foi falar com a filha. Perguntando se a mesma estava bem.

                Rael e Natalia falaram com outros convidados até Mara aparecer. Ela acabou sendo uma das últimas a parabenizar os dois.

― Vocês não fizeram nenhum plano sobre a lua de mel, não é? Podem ficar na nossa casa. Durante três dias começando hoje eu irei ficar com meus pais. A escrava também não estará lá. Vocês terão três dias sozinhos, então, aproveitem!

― Tenho muitas coisas a fazer desde que retornei. Assim que esses três dias passarem eu vou curar você e preparar umas coisinhas novas, tanto pra você quanto pra Natalia, e também está chegando a hora de você saber porque amo tanto essa garota. ― disse Rael com olhar bem sério para Mara.

― Minha mãe me perguntou se estava bem. Samuel do que você está falando? ― perguntou Mara preocupada.

― É sobre sua cultivação. Ela não está fazendo bem pra você, mas não fique pensando nisso porque depois eu vou resolver ― garantiu Rael. Explicando a situação e mantendo ela calma.

― Então vou apenas esperar. ― disse Mara.

― Você se tornou importante pra mim. Mas eu não posso continuar evitando, você também tem o direito de saber a verdade. ― disse Rael, deixando ela ansiosa. Natalia do lado ouvia toda a conversa.

― Que verdade? ― perguntou ela.

― Um passo de cada vez, ― disse Rael sorrindo. Mara entendeu que ele não contaria nada agora, deu um último sorriso e saiu deixando os dois. Ela não beijou Rael porque em dias de casamento uma garota não podia beijar o futuro noivo de outra ou recém casado por pelo menos aquele dia.

_____________________________________________________________________________

                A noite veio. O pessoal continuava bebendo e conversando. Varias beldades de outras famílias importantes tinham olhos em Rael. Ele tinha as duas mulheres mais importantes do clã Torres, tinha apenas quinze anos e já estava no quinto reino. Venceu o último evento da cidade Améria, venceu o torneio familiar derrotando um sétimo reino, era um mestre em alquimia e ainda dizia os rumores que sua mestra balançou toda a capital e o clã Torres em apenas um aparecimento. O nome Samuel agora era conhecido por todas as grandes famílias e havia ordens expressas, de que se houvesse qualquer chance, as mulheres deveriam aproveitar e tomarem para si tal homem também. Porque o futuro do mesmo só poderia ser imensurável.

                Mesmo as filhas de patriarcas e elders mais importantes que eram tão lindas como princesas estavam de olho em Rael. Ele era o jovem gênio mais promissor que havia surgido nos últimos anos.

                Rael não tinha olhos para nenhuma mulher naquela noite além de sua irmã. Sua irmã estava tão linda que parecia um anjo encarnado na terra. Além do que quando ele pensava que estava chegando a hora de contar a verdade seu coração disparava no peito. Ele não sabia como se sentia de verdade sobre ela. mas era tão gostoso quando ele beijava aqueles delicados lábios, ele não podia negar esse fato.

_____________________________________________________________________________

                No fim da noite, Rael e Natalia foram acompanhados por guardas até em casa. Assim que eles entraram Rael já trancou a porta atrás e lançou seus instintos por toda a casa. Não havia mais ninguém.

                Natalia estava inquieta com o coração disparado em seu peito. Estava chegando o momento dela se entregar a Rael e ela teria que acabar com todo o seu medo e sua vergonha.

 Na lua de mel o casal tinha que fazer aquelas coisas e isso não podia ser evitado. Ela até viu a maneira como Rael fechou a porta usando todas as travas e a chave. Se alguém de fora viesse entrar não ia consegui mesmo com a chave.

― Certo estamos mesmo sozinhos. Venha, vamos subir. ― disse Rael e puxou a irmã pela pequena mão. Ela estava tão nervosa que se atrapalhou quando tentou andar pisando na aba do próprio vestido e quase caiu. Rael a segurou.

― Você está bem? ―perguntou ele preocupado a segurando nos braço no braço e na cintura.

― Estou bem sim, obrigada. ― respondeu ela. Rael sorriu, se agachou e pegou ela nos braços a levando para o colo. Natalia ficou com as mãos segurando no ombro de Rael. Os dois ficaram se olhando enquanto a garota sorria timidamente.

                Sua irmã com aquele vestido estava mesmo linda. Ela parecia ter até mais corpo usando tantas roupas. Rael teve vontade de beijá-la, mas não fez. Ele pretendia contar toda a verdade a ela e esperar pela resposta. Não importa o que ela decidisse, Rael se contentaria.

                Rael a depositou na cama do quarto dela, que agora pelas regras de casados seriam deles. Natalia se ajeitou sentando ao lado de Rael em seguida. Ela sabia o que os dois tinham que fazer agora mas não imaginava como isso ia começar. Ela só podia esperar as ações de Rael.

                Rael ficou em silêncio do lado dela sentado olhando para o chão. Seria mais fácil tomar Natalia com mulher nos braços do que contar a verdade pra ela. Que situação, desde que chegou ele sempre quis contar, mas pensar que ele não saberia nem por onde começar foi algo que o surpreendeu naquele momento. O coração de Rael estava tão quente que ele achou que tinha fogo por dentro queimando.

                Natalia por outro lado entendeu aquilo errado. Ela imaginou que Rael estava com medo de agir por ter visto o que ela passou. Sendo assim ele estaria preocupado em tentar fazer algo com ela. Natalia já amava Rael, mais do que ela mesma podia imaginar e por isso, mesmo que ela sofresse, ela ia se entregar pra ele, mesmo que tivesse que enfrentar a dor daquele noite duas vezes pior, ela ainda o faria. Essa era a vontade dela.

― Samuel, pode me ajudar a tirar o vestido? ― perguntou ela virando as costas e juntando seus longos cabelos com as mãos de lado. Isso era para abrir as possibilidades de Rael começar a agir.

― Eu ajudo sim. ― disse Rael e se virou. Ele primeiro tirou as duas luvas da mão e depois passou a desatar os nós do vestido dela.

                Em poucos minutos as partes pesadas do vestido foram removidos e guardadas no bracelete. Quando Rael terminou de ajudar ele já se afundou de volta nas suas preocupações. Natalia ficou esperando mas Rael não agia e nem falava nada. A garota não sabia mais o que fazer. Ela esperou alguns minutos parada e começou a tirar o resto das roupas o que chamou atenção de Rael.

― O que você ta fazendo? ― perguntou Rael.

― To tirando o resto do vestido, ele ta me incomodando. ― disse Natalia envergonhada.

                Rael voltou a olhar para o outro lado e a irmã parou de tirar as próprias roupas quando chegou na calcinha e sutiã. Ela ficou um tempo sentada nervosa do lado de Rael mas depois se deitou na cama e se cobriu nas costas dele.

― Samuel, em que tanto você está pensando? ― perguntou ela.

― To pensando em como vou contar isso pra você. ― disse Rael se virando de lado e olhando a irmã coberta dos pés até o pescoço, ela segurava as abas do cobertor amarronzado acima dos ombros com as duas mãos.

― Contar o quê? ― perguntou ela ansiosa. Rael apertou a mão azul enquanto se concentrava prestes a falar.

 


Não esqueça de curtir Herdeiro do Mundo!




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.