O Herdeiro do Mundo

057 - Desejos Expostos

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Sneed

 

Rael e Rose voltaram da caverna. Rika e Violeta ainda estavam na mesa esperando.

― Pensei que eu ia ter que buscar vocês na marra ― disse Violeta olhando de lado.

Rael e Rose se sentaram lado a lado e ficaram de frente para as duas que estavam do outro lado da mesa. Depois começaram a se servir.

Rika e Violeta constantemente olhavam para ele. Rael estava cercado de belas mulheres e o futuro parecia tão bom, ao mesmo tempo tão incerto.

Enquanto comia Rael notou que havia uma porta nova do lado esquerdo da parede que antes não existia. Como ele passou vários dias fora ainda não tinha notado toda as mudanças realizadas por Violeta.

― E aquela porta ali? ― perguntou Rael.

― Estou reformando o lugar, aumentando. Com a chegada de Rika e Rose eu percebi que esse lugar estava pequeno ― explicou Violeta.

― Eu achei que não podia mexer nesse lugar por ele ser em um subterrâneo ou algo assim ― disse Rael confuso.

― Esse lugar está integrado a minha mente, ao meu poder, é afinal o meu santuário. Sendo assim eu posso reformá-lo o quanto desejar ― explicou Violeta.


Depois do almoço Rael foi olhar o novo espaço e ficou surpreso com o tanto de quartos que encontrou. Ao fundo estava sendo preparado uma nova sala e uma cozinha separadas.

As paredes estavam todas em ordem, a única coisa que parecia faltar eram os moveis da cozinha e da sala, porque até os quartos estavam arrumados. Tinha doze quartos e todos com cama de casal, seis de cada lado do corredor. Isso sem mencionar os dois banheiros ao fundo.

― Você pode escolher qualquer um que não tenha nome, esse é meu ― disse Violeta. A porta que ela mostrou tinha o nome dela, a do lado era de Rika, ao lado do de Rika tinha o de Rose. Todas as três em quartos do mesmo lado do corredor.

― Então tanto faz, ficarei com qualquer um desse outro lado ― disse Rael sem se importar.

― Você não pensou muito desde que chegou aqui. Eu não posso ajudar na sua evolução, mas existe uma pessoa que pode. Rika a mãe de Rose domina melhor o elemento raio e pelo que sei, você está tentando desenvolver esse poder no braço não é? Por que não pede ajuda dela durante esses dias? ― perguntou Violeta. Rael então abriu um sorriso animado. Porque ele vinha sim fazendo um treinamento sobre o braço depois das coisas que tinha visto ocorrer nos combates.

Rika concordou sem pestanejar, ambos foram para a caverna de treino. Os dois então iniciaram o treinamento.

Rika tocava bastante no braço direito de Rael explicando sobre os impulsos elétricos de energia e os pontos em que ele deveria se concentrar, tal como ela fazia demonstrações. Rael já tinha desenvolvido uma grande força com esse braço combinando com raios, o que surpreendeu Rika, porque ele estava seguindo o caminho certo mesmo sozinho.

O braço direito de Rael não podia ser usado com técnicas, mas ele ocultava uma energia latente que poderia ser ativado nas batalhas sem o uso de qualquer técnica o que era uma vantagem astronômica perto da pequena desvantagem que tinha.

Rael não tinha tanta intimidade com Rika como tinha com Rose. Mas foi se acostumando, porque ela sempre tinha que ficar perto dele demonstrando os movimentos e explicando a essência do elemento raio que Rael estava tentando dominar no braço direito.

Os dois ficaram um bom tempo da tarde treinando. Rika pedia para Rael atacá-la em vez de atacar rochas e isso fazia o treinamento render mais.

A cada ataque, Rika reclamava com Rael dizendo que ele poderia fazer melhor e insistia que ele se esforçasse mais. Rael sempre atacava e ela defendia facilmente, mas a diferença de reinos era enorme também. Rael ainda era alguém do quarto reino afinal.

Por causa dos constantes pedidos de Rika, Rael começou a atacar com mais força, ele também estava se esforçando mais e a cada ataque Rika tinha um pouco mais de trabalho para defender. Ela não chegava ainda nem perto de se ferir, mas o fato é que aos poucos Rael estava fazendo ela se mover do lugar durante as defesas.

―Você está melho-rando ― disse Rika quando Rael tinha acabado de atacar. A voz de Rika também era linda e isso fez Rael olhar para ela. Ele estava cansado se segurando nos próprios joelhos depois de mais um ataque.

― Consegue falar? Incrível ― disse Rael mostrando um sorriso satisfeito.

― Estou aper-fei-çoando ― disse ela de volta. Algumas palavras ela já falava natural outras ela fazia algumas pausas.

― Obrigado por me ajudar, graças a você meu braço está melhorando muito ― disse Rael sorrindo.

― Eu que-ro fi-lhos como agrade-cimen-tos e não pala-vras ― disse Rika e sorriu de volta. Aproximou os lábios e deu um longo beijo no rosto de Rael. ― Quando você der um a minha filha então você me dará um também. Não se esqueça que a Pedra Raios do Mar que você combinou em seu braço foi dada por mim ― disse ela. Quando ela disse aquilo Rael alargou os olhos surpreso, porque ele tinha tido mesmo esse sonho e depois o seu braço passou a ficar daquele jeito, além disse, a pouco ele tinha também fundido um bracelete.

― Por que esse meu braço é tão diferente? ― perguntou Rael.

― Violeta não ia gostar se eu dissesse isso então será segredo. Você tem uma herança que da a você uma essência de todos os seres vivos do universo. Essa herança por sua vez permite que você se integre com outros elementos, mas seu corpo humano é fraco, por tanto, você só pode fazer isso com o braço direito porque ele é a parte mais forte. É possível que no futuro seu braço fique ainda mais poderoso conforme você consiga encontrar outras essências de elementos. Talvez um dia você também possa fazer seu corpo mais forte para não depender apenas do braço direito ― disse Rika mentalmente.

― Quando eu der filhos a vocês? Vocês vão mudar novamente de raça? Vão voltar a ser bestas de novo? ― perguntou Rael curioso.

― É cla-ro que não, nós já evo-luí-mos para o no-sso limite no mo-mento ― disse Rika cansada e passou a falar em pensamentos. ― Por acaso está com medo de ter que se separar de nós?

― Não! Eu só perguntei por perguntar ― explicou Rael sem jeito.

― Vamos continuar, você está melhorando ― disse ela.

― Estou cansado, vamos fazer uma pausa ― disse Rael e se sentou encostado de costas na parede da caverna. Rika ajeitou o vestido e se sentou ao lado de Rael.

― O que mais Violeta não me conta? Me fale sobre isso ― perguntou Rael olhando de lado.

― Não se preocupe eu já disse a maior parte ― explicou Rika com o rosto virada de lado.

― Você não tem saudades de sua antiga espécie? Da sua antiga forma? ― perguntou Rael curioso tentando saber se mãe e filha pensavam igual.

― Não, quando nós evoluímos deixamos nossas indiferenças para trás. Evoluir é crescer e esquecer o passado, não podemos ter saudade de algo que nunca mais voltará. Você não concorda? ― perguntou ela.

― Eu jamais esqueceria o que fizeram comigo. E eu acho que evolui de quando era criança e sobre o que sou agora. Pelo visto nós realmente pensamos diferentes ― disse Rael.

― Não tínhamos os mesmos intensos sentimentos que temos como humanas celestiais, talvez seja por isso que não consigo sentir saudades ― explicou Rika.

Os dois ficaram em silencio por alguns segundos até Rika recomeçar a pensar.

― Você corre riscos desnecessário Rael. Se ficasse escondido conosco em treinamento constante, um dia você poderia pisar em toda sua família sem precisar esperar ou recuar. Violeta acha que isso ajuda você a crescer, mas tudo que vejo é você em perigo. Se eles descobrirem sobre você, certamente o matarão ― disse Rika.

― Foi a escolha que fiz, Violeta ainda não me queria soltar na época, mas eu precisava ver o mundo com os meus olhos. Precisava ver por mim mesmo e saber o quanto ainda preciso crescer ― disse Rael.

― Se você já viu por que não recua agora? Você podia ficar com a gente, eu treinaria você por quanto tempo fosse necessário. Você só precisaria voltar para a sua família quando fosse para por um fim em tudo. Não seria muito mais fácil? ― perguntou Rika.

― Eu já fiz minhas escolhas de como quero fazer isso. Eu sinto que preciso fazer algo também, não sei explicar ainda ― disse Rael se lembrando de Natalia e olhar triste que ela passava quando conversava com ele.

― Essa garota, porque você não pede para Violeta trazer ela para cá? Ela é importante pra você não é mesmo? ― perguntou Rika surpreendendo Rael.

― Rika eu não te passei essa imagem a você! ― reclamou Rael surpreso.

― Quem você acha que eu seria se não pudesse ler os pensamentos de alguém mais fraco que eu? Hã? ― perguntou Rika sorrindo despreocupadamente.

Rael por outro lado ficou vermelho. Porque se Rika podia ver aqueles pensamentos então ela podia pegar os pensamentos dele se lembrando das vezes como Mara. Dos anseios por Rose e até de quando via ela. Rael agora era um jovem inexperiente, para ele era como se tivesse entrando em um novo mundo. Então toda mulher bonita que ele via já imaginava como seria deitar com tal beldade. Isso incluía mestra, filha, mãe e todo o cardápio de qualidade que estivesse disponível.

― Começo a entender o que Violeta e minha filha tentaram me passar. Fazer filhos na forma humana é completamente diferente ― disse Rika que obviamente tinha pegado os fios de pensamentos de Rael.

― Eu agradeceria se a senhora ficasse longe da minha mente. Existem coisas que eu quero guarda apenas para mim ― disse Rael mentalmente sem graça.

― Envergonhado? Você não precisa ficar. Eu e Rose estamos aqui por você, minha filha e eu temos o mesmo propósito então você não precisa ter vergonha de mim. Eu posso ser mais velha, mas não gosto que me chame de senhora, porque dentro dos padrões eu sou uma mulher adulta certo? Então me chame de Rika igual você trata Rose por Rose ― disse ela e piscou sensualmente o olho.

Rael pensou no que Violeta havia dito sobre ele mudar os pensamentos depois da relação com Mara e aquilo o irritou. Violeta tinha razão, Rael de fato tinha mudado um pouco depois de descobrir aquele novo mundo. Todo o ódio por Mara quase chegou a evaporar depois das tantas vezes agarrado a ela na cama. Sexo era de fato algo perigoso capaz de contaminar a mente.

― Essa garota parece especial pra você, mas isso é porque você só teve experiência sexuais com ela. Se quiser você pode fazer comigo, quem sabe assim você possa ter mais experiência? O que me diz? ― perguntou Rika olhando de lado. O coração de Rael disparou no peito e seus olhos se arregalaram. Tal beldade dizer essas palavras ainda mais depois dele pensar sobre Violeta dizer que ele precisava de mais experiência, era como musica para os ouvidos.

Rika estava interessada no ato, em saber como era nessa nova forma, mas seu maior objetivo era conseguir filhos o mais rápido possível, sendo as ultimas do sangue Celestial ela tinha uma preocupação eminente que não poderia ser ignorada. Violeta tinha entregue a ela, uma chance de ouro quando fez Rael treinar com ela.

Durante o treino ela procurou se aproximar mais de Rael e ir adquirindo a confiança dele, a aceitação. Mas durante todo o tempo sempre espiou a mente de Rael e sabia o que ele pensava sobre ela, sobre a filha e isso em vez de envergonha-la, fazia era a encher de alegria e crescer a vontade de mostrar suas garras. Tudo bem ela estava querendo usar Rael, mas ele ia gostar disso, então era uma satisfação de lados iguais.

― De mim você só quer filhos, se não fosse por isso talvez você nem olhasse na minha cara ― disse Rael o que pensava apesar de não ser a pessoa mais inteligente do mundo. Ele sabia daquilo depois de ligar todos os pontos. O que não seria diferente dele que só queria sentir as sensações passadas pelas mulheres.

― Preocupado com o fato que depois que você nos dar esses filhos sumiremos? Deixaremos de procurar você? Não faremos isso. Como humanas eu dou a minha palavra que eu e minha filha só teremos você como macho dessa nova forma a partir de agora, de hoje até o dia que morrermos ou que você morra. Não é assim que é mais ou menos o casamentos de vocês? ― perguntou Rika.

Rael já estava acostumado com a presença de Rose e Rika, ele não queria mesmo que as duas fossem embora depois de conseguirem o que queriam. Rika tinha realmente acertado em cima do alvo. Como Rael ficou em silencio olhando. Rika se moveu e subiu se sentando no colo de Rael. Rael passou a senti o cheiro dela mais de perto e o corpo tocando o dele. Ela sentou exatamente em cima do local especial, propositalmente é claro.

― Você quer fazer agora? Quer me beijar? ― perguntou ela deixando Rael vermelho e surpreso. Rael engoliu um bocado de saliva vendo aquela boca deliciosa se aproximando, lábios levemente abertos mostrando alguns dentes perfeitos.

― Aqui mesmo? Nesse chão duro? ― Rael perguntava começando a se tremer de nervoso, mas pensar em como seria fazer com essa mulher deixava Rael quase tão louco do que fazer com Violeta. A forma corporal das duas eram bem parecidas.

― Por que não? Quanto mais vezes fizermos melhor, não acha? ― perguntou Rika mordendo os lábios e aproximando eles dos de Rael. (Quanto mais vezes ela fizesse, maior seria a chance de engravidar).

― Vocês estão treinando? ― perguntou a voz de Rose em pensamentos. Ela estava entrando agora. Rika voltou para sua posição do lado de Rael assim que a filha entrou em cena. Não que ela se importasse, mas ela não queria dar a impressão que tomaria a frente da filha.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.