O Herdeiro do Mundo

039 - Visão Compartilhada 2

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Sneed

James e Colene conseguiram se conter. O medo de a pouco se transformou em raiva. Eles claramente perceberam o braço azul de Rael fazer algo estranho e raciocinaram que Rael só conseguiu vencer graças aquilo. Além disso aquele braço era mais resistente que o resto do corpo de Rael e aquilo era facilmente perceptível

― Aqueles babacas deram bobeira ― disse James irritado. Notou que agora Rael estava no nível quatro. Ele ficou um pouco confuso. Ele sabia que existia alguns meios de ocultar a força, mas Rael não parecia ser alguém que faria isso. Já era um milagre ele está no terceiro reino com quinze anos. Então ele se lembrou de Isabela que tinha 35 anos e estava no sétimo reino. Isso o fez repensar melhor.

― Ele aumentou o poder ou estava escondendo até agora ― disse Colene do lado.

― Eu já notei. Fique de olho na garota eu vou lutar ― disse James dando um passo a frente. ― Se quer uma coisa bem feita faça você mesmo, então aqui vou eu ― disse James e retirou do bracelete um par de bumerangues em formas de lâminas nas pontas. Depois retirou três adagas. Rael continuou com sua Espada de Terra ativada e não tirou os olhos de James.

― Parece que você conseguiu matar alguns lixos. Você também tem alguns truques estranhos, mas eu prometo a você que isso acaba agora, eu James Lizael vou tirar sua vida sem falhas ― disse James com todas as armas juntas em mãos. Ele as arremessou as armas para frente e todas elas ficaram flutuando no ar em um pouco acima da cabeça dele. Juntou as mãos em frente a boca, deixando os dois dedos da mão direita principal apontando para cima e a palma da mão esquerda aberta de lado apoiando a mão.

― Ligação de Controle! ― rugiu James. Sua aura amarela se espalhou nas armas acima de sua cabeça e todas foram envolvidas por uma intensa energia amarela. Depois a aura sumiu e elas começaram a cair. James rapidamente pegou todas.

Rael ficou olhando sem entender, ele não entendia direito que tipo de técnica havia sido usada ali.

― Vou mostrar a você o poder de um verdadeiro futuro líder ― disse James e arremessou o primeiro bumerangue, Rael desviou a cabeça e o mesmo passou rasgando sumindo nas costas de Rael, em seguida sem esperar ele já atirou outro. James se atrapalhou quando tentou segurar as três adagas e uma delas caiu no chão. Ele ignorou e correu em seguida segurando as duas adagas uma em cada mão.

Pela visão de Rose Rael viu os bumerangues sumirem na floresta voando. Ele focou sua atenção inteira em James que veio cortando e estocando com as adagas. James era rápido e sabia se movimentar bem para sair dos contra ataques de Rael.

Colene abriu um sorriso de meia boca, agora que James tinha usado aquela técnica Rael definitivamente não tinha chance. Ele viu quando a adaga caída no chão afundou suavemente na terra. James tinha mais de três maneiras de matar seu inimigo em um curto espaço de tempo. Mesmo Colene no sexto reino teria dificuldade em lutar com James se o mesmo usasse aquelas técnicas. James estava indo com tudo contra Rael.

Rael ainda estava com o Movimento de Terra ativado e até com a espada de terra. Mesmo assim não estava tendo tempo fácil. James era só um, mas não era comparado aos outros três juntos. James era muito mais rápido e fazia Rael se concentrar ao máximo para evitar receber golpes de James.

Rael então viu os bumerangues voltando pela visão compartilhada e conseguiu desviar sem olhar para trás surpreendendo James mais uma vez. James acreditava que Rael conseguia desviar dos seus antigos parceiros por conta da detecção de aura, ele não imaginava que os seus bumerangues também pudessem ser vistos pelos olhos das costas de Rael, porque aquilo não tinha outra explicação. Mesmo os ataques de James em pontos cegos, Rael via, não era atoa que seus parceiros tinham morrido tão miseravelmente.

A luta continuou e os bumerangues fizeram a curva nas costas de James. James continuou atacando sem se preocupar. Os bumerangues voltaram e James se agachou deslizando por baixo. Rael teve que saltar e girar no ar para escapar de James e dos bumerangues.

― Peguei você! ― gritou James. Saindo da terra atrás uma adaga voou visando a nuca de Rael por trás dele. O braço direito entrou na frente e rebateu a adaga, que bateu e voou afundando de volta no chão novamente. Se não fosse pela visão de Rose Rael com certeza teria sido morto agora. James e Colene não estavam acreditando que Rael conseguiu evitar outro golpe mortal.

Rael voltou ao chão irritado. Ele não estava dependendo apenas de sua força para lutar e ainda por cima estava tendo dificuldades. Se Rael estava irritado por não conseguir vencer James, imagine James que não sabia que Rael estava usando os olhos de Rose.

― Como você pode desviar de ataques que não está vendo? ― perguntou James que não conseguiu mais conter a raiva.

― Isso não é problema seu! ― rugiu Rael se concentrando e partiu para cima de James.

Boom! Boom! Boom! Boom! Boom! Boom!

Os dois continuavam trocando golpes numa fúria incessante, os bumerangues vinham e Rael continuava se esquivando graças a ajuda de Rose. Rael estava começando a perder a paciência porque assim como ele, James era muito esguio. Os dois já tinham acertado alguns arranhões um no outro, mas nada muito sério comparado as tentativas insanas de um acabar com o outro.

Rael mais uma vez se esquivou de um bumerangue e novamente a adaga saiu do chão partindo para a nuca de Rael, Rael se esquivou e viu a adaga acertar um bumerangue que não ia na direção dele. O bumerangue voltou girando contra o peito de Rael. Rael levantou a mão direita cansado daquela brincadeira de gato e rato e segurou a lâmina em sua mão. Diferente das adagas e da técnica Espadas de Terra, as lâminas dos bumerangues machucaram a mão de Rael causando alguns ferimentos leves. Rael tinha sentido desde o começo que esses bumerangues eram mais fortes que o comum.

Quando Rael segurou o bumerangue James fez uma careta extremamente feia. As lâminas daqueles bumerangues eram capazes de romper até mesmo os melhores escudos e quebrar as melhores armas, além da lâmina ser um tipo especial raro, ela estava abençoada com sua habilidade.

Mesmo com a mão sangrando Rael preparou o braço e atirou contra James. James é claro se jogou para o lado em mergulho fugindo do bumerangue que passou raspando o seu pescoço. Rael sorriu friamente e mergulhou para frente estocando com o braço esquerdo, sua espada de terra voou na direção de James que agora não tinha como escapar a tempo, ele seria acertado pouco tempo depois quando pousasse no chão.

― Mestre James! ― gritou Colene avançando o mais rápido que podia. Colene criou uma proteção de Terra no braço enquanto corria na mais alta velocidade e mergulhou estendendo o braço para entrar na frente do ataque de Rael. Naquele instante Rael e Colene estavam em um mergulho enquanto James estava se preparando para tentar fugir. A espada de terra estava a menos dois metros de seu peito, por sorte a mão de Colene chegaria antes.

Graças a visão compartilhada Rael conseguiu ver o que aconteceria em seguida e então mudou seus planos. No meio do mergulho Rael virou o antebraço para sua direita de onde Colene vinha mirando a espada na garganta dele. Ninguém podia imaginar que a velocidade de reação de Rael fosse tão rápida, isso tudo graças a Rose.

Não houve tempo para Colene se quer preparar sua defesa corporal, tudo que ele pensou antes era em proteger seu mestre. Se ocorresse algo com James, Colene não seria perdoado quando a Ligação da Alma fosse ativada e eles vissem como James fora morto. O que ele jamais esperava é que Rael mudasse seu alvo no ultimo segundo desistindo de James e isso sem se quer o ver. Para Colene e James, Rael não tinha visto Colene se aproximar, mas não foi o que pareceu.

Colene teve a garganta rasgada miseravelmente pela Espada de Terra que afundou em seu pescoço. Sangue jorrou no ar e o pescoço começou a ser arrancado conforme avançada. O corpo de Colene se chocou com o de Rael e a ultima parte do pescoço foi completamente arrancada. A cabeça caiu no chão e o corpo caiu junto de Rael sem qualquer reação.

James agora tinha recuando cerca de quatro metros de Rael. Ele ficou completamente sem reação. O resultado de sua quase morte tinha levado a vida de seu mais forte companheiro, o único que poderia virar o jogo se ele falhasse. Aquilo era um verdadeiro pesadelo. Desde o inicio daquela batalha ele sempre tentou matar Rael traiçoeiramente e até aquele momento os resultados estavam saindo completamente o oposto.

Rael ainda estava se levantando e sua cabeça estava baixa, sua visão estava focada no chão. James não pôde mais lamentar a recente morte de seu parceiro. Ele concentrou seu controle na adaga abaixo da terra e a fez parti contra Rael. A adaga saiu da terra por trás de Rael e seguia para seu pescoço atrás. Rael lançou a mão direita para trás do pescoço e conseguiu pegar a adaga nos últimos instantes, em seguida ele atirou contra James.

James não teve tempo de fugir e caiu gritando como um animal quando a adaga penetrou e perfurou seu joelho direito. Ele caiu no chão sem conseguir se manter de pé, e sangue se espalhava por seu joelho. A adaga tinha sido atirada com tanta força que a ponta chegou a sair do outro lado do osso.

Rael sentiu seu nível aumentando mais uma vez. Do nível quatro foi direto para o seis. A morte de um sexto reino pelas suas mãos tinha superado e muito o ganho de poder.

Rael comemorou aquele momento por breves segundos depois de se levantar e então olhou para James. James estava de olhos arregalados e corpo estremecido. Porque agora ele previa qual seria o seu destino, Rael não estava perdoando ninguém, estava matando todos eles como um bando de animais e ainda comemorando. Sergio tinha o avisado para tomar cuidado e ele rio na época. Ele nunca esperou um resultado como aquele.

― Samuel! Saiba que eu tenho a Ligação da Alma! Se você me matar toda minha família vai perseguir a sua e acabar com você! Seu pai! Sua mãe! Sua irmã mais nova! Ninguém poderá salvar vocês nem mesmo o império! ― rugiu James se desesperando quando Rael parou em frente a ele. Rael estava de ótimo humor, porque o ultimo incidente encerrou seus problemas de batalha e ainda por cima deu a ele de mão beijada a vida de um sexto reino, como Rael não poderia está mais feliz?

― Acha mesmo que tenho medo da merda da sua família? Acha que eu ligo para suas ameaças? Você foi um tolo de ter entrado em meu caminho ― disse Rael.

― Eu não sou a droga do Tomas nem do Sergio seu ignorante! Eu sou o filho do grande patriarca Gauro Lizael! Se você me matar não pense que será perdoado ― gritou James encarando Rael desesperadamente. Seu corpo tremia de pavor, porque ele já imaginava que nenhuma de suas palavras teriam efeito em Rael.

― Sabe eu me lembro de não ter nenhum problema com você. Então você cruzou o meu caminho e cresceu seus olhos sobre minha noiva. Eu fico pensando o que faz pessoas como você se acharem donos do mundo ― disse Rael.

James não podia estar mais arrependido, se pudesse voltar no tempo ele desfaria todas as suas ofensas com esse monstro em sua frente, mas era tarde demais. Por coisas tão pequenas ele se deixou levar, e agora se encontrava em uma situação que parecia ser irreversível

― Se você puder me poupar, eu James Lizael dou a minha palavra a você que daqui em diante farei qualquer coisa que me pedir, ou se preferir nunca mais cruzo o seu caminho, eu só peço que não me mate, tenha piedade ― O desespero de James aumentou e ele começou a dizer qualquer coisa que vinha a mente.

― Grande futuro líder você seria hein? Na primeira chance que tivesse ia chorar mais que um bebezinho ― disse Rael preparando a espada de terra com um sorriso frio. ― Minha mestra tinha razão. As pessoas só mostram a verdadeira face quando estão à beira da morte.

― Não espere! Não por favor! Nãaaao!


Rael desfez a técnica Espada de Terra e Movimento de Terra para dar uma relaxada. James agora estava morto ao chão com o peito rasgado caído em uma poça de sangue, a adaga ainda estava presa no joelho dele. O nível de Rael tinha subido mais uma vez e agora estava nível sete. Rose já tinha se aproximado e agora estava ao lado de Rael.

Rael começou a colher os frutos da batalha despreocupadamente. Rose ajudou tirando os braceletes dos outros.

Depois Rael conferiu todos os ganhos. Um pouco mais que quinhentas moedas de ouro, um monte de pílulas inúteis de aumento de nível. Algumas poções para alguns venenos comuns. Algumas armas e até algumas armaduras que Rael não viu nenhum deles usar. Rael armazenou tudo em seu bracelete e olhou uma ultima vez para os corpos mortos. Depois ele vestiu novamente a camiseta e o sobretudo.

― Ainda não sabemos o que está acontecendo aqui nessa ilha, mas tenho a ligeira impressão que não estamos longe de descobrir ― disse Rael que se quer tocou no assunto de tirar a vida daqueles lixos mais uma vez.

― Fico preocupada com a minha mãe, se eu não sinto ela, ela também não pode me sentir. Ela certamente deve ter ido ao ultimo local em que sentiu minha essência ― disse Rose mentalmente de volta. Rose também não ligava pelas vidas tiradas. Ela já conhecia Rael e sabia que ele não matava por qualquer motivo. Aquela era uma razão diferente de Mara, de como ela matou o escravo.

 Você acha? Bem não podemos culpá-la, quem imaginaria que algo isso ia acontecer ― disse Rael de volta despreocupadamente. Ele estava até feliz, porque sentia tirado uma pedra de seu sapato e ainda saído na vantagem pelo aumento de poder.

Os dois apenas deixando aquela área avançando a diante. O evento já estava em andamento e eles ainda não tinha nenhuma das esferas.


Na mesma ilha em outro local. Um grupo de homens vestidos de escuro e usando mascaras de demônios corriam apressados pela floresta. Cada presença sentida eles se aproximavam cercando os participantes e os analisavam. Quando encontravam participantes aleatórios eles apenas ignoravam deixando-o s vivos e seguiam caminho. Eram um grupo de dez homens e todos eles dentro do sétimo reino.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.