O Herdeiro do Mundo

038 - Visão Compartilhada

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Sneed

James e seus homens pararam de rir e olharam quase todos juntos na direção de Rose. Se Rael estava tão arrogante certamente era devido o apoio dessa garota. Mas James achou Rael estúpido, porque o seu grupo estava bem acima do poder daquela garota. É claro, ele tinha três membros no quinto reino com níveis: três, quatro e seis. Isso poderia ser comparado a Rose, mas eles estavam em maior numero, tinham até mesmo um sexto reino com eles.

― Você acredita mesmo que pode se segurar no poder de sua parceira? Pergunte a ela sobre nossos níveis e lamente por ter cruzado meu caminho ― disse James.

― Lamentar? Eu vou é agradecer se vocês me ajudarem a avançar de nível. Estou é grato por ter encontrando vocês aqui. Não se preocupe não pretendo fazer Rose lutar por mim. Rose você pode se afastar ― disse Rael para eles e no final olhou para ela. A garota ficou relutante mais obedeceu. Ela queria ajudar, mas Rael não queria aceitar essa ajuda porque tinha medo que isso interferisse na sua evolução. Ele não sabia as regras de matar, se só precisava dar o golpe final ou se precisava causar todos os danos que levassem a morte.

― E acha que nós acreditamos que ela não ajudará você? Não sou estúpido como Sergio foi. Não sou mole como ele ― disse James e se virou para seu parceiro no sexto reino. ― Colene, se a garota tentar interferir na luta você pode aleijar ela um pouco, mas não machuque o rosto dela e não pegue muito pesado ― disse James. Colene fez um sim e grudou os olhos em Rose. Rose tinha se afastado cerca de cinquenta metros e ficou ali parada em pé sem qualquer expressão.

― Correram alguns boatos na cidade, que você derrubou um homem no quinto reino chamado Terry com apenas um golpe. Eu não sei como você fez para comprar ele ou como você fez para conseguir aquela pontuação no teste, eu simplesmente não posso acreditar. Vou até mesmo deixar que meu parceiro mais fraco acabe com você ― disse ele se virando para um moreno de cabelos curtos. ― Laurem, acabe com ele ― disse James. Laurem sorriu dando alguns passos a frente enquanto deixava sua aura amarela dominar o corpo.

― Pra um idiota desses não vou usar técnicas nem armas ― disse Laurem. Rael sorriu para si mesmo sem demonstrar isso. Esses idiotas continuavam o subestimando.

Laurem saltou contra Rael e começou a mandar uma enxurrada de socos. Rael começou a se esquivar de um lado a outro enquanto seus punhos se cruzavam para conter alguns ataques. Rael começou a fazer uma expressão de quem estava tendo dificuldade enquanto ia caminhando para trás. Laurem ficava cada vez mais animado achando que estava na vantagem e isso o fazia atacar ainda mais abrindo a defesa. James e os outros estavam conformados, porque pelo que eles viam, Rael não estava tendo chance.

No meio da enxurrada Rael abriu um sorriso, Laurem tinha aberto completamente a defesa achando que Rael não tinha qualquer chance. Ele nem percebeu quando o punho direito de Rael voou em seu peito na altura do coração.

Booom!

Laurem voou quatro metros para trás e caiu rolando. Rael tinha dado o golpe com toda a força que juntou na hora para matar de uma vez, mas falhou. Laurem se levantou quase sem conseguir respirar e vomitou uma pequena quantidade de sangue. James e os outros arregalaram os olhos surpresos. Rael também estava surpreso, essa mesma força tinha quase matado Terry e o arremessado por dezenas de metros, sendo que ele estava até mesmo de armadura pesada. Laurem estava usando apenas vestimentas comuns com ele, como aquilo poderia ser possível? Então Rael se lembrou que Laurem tinha a liberação da proteção. A terra fortalece a defesa, sem mencionar o fato que Laurem estava no nível três.

― O que aconteceu Laurem? Qual é o problema? ― perguntou James um pouco preocupado.

― Esse cara, ele parece fraco, mas o golpe dele é realmente forte, acho que ele não trapaceou quando bateu aquela pontuação no teste ― assumiu Laurem. Ele levantou as mãos juntas na altura dos olhos, fechou os punhos e começou a acumular energia que fluía pelo seu peito e era guiada aos braços até chegar ao antebraço.

― Espadas de Terra! ― rugiu Laurem. Em ambos os antebraços, foram criados montes de terra que se transformaram no formato de lâminas de espadas. Essas lâminas ficavam grudadas nos antebraços e seguiam por cerca de meio metro depois das mãos.

Laurem partiu novamente para cima de Rael. Os ataques agora eram cortantes e muito mais ágeis. Laurem atacava de lado girando os braços muito mais rapidamente do que quando apenas tentava socar, isso deu a Rael uma maior dificuldade. Rael defendeu alguns ataques com o braço direito e percebeu que perderia mais peças de roupas se continuasse daquele jeito, esses ataques afiados cortavam o tecido facilmente.

Rael saltou para trás recuando uns dez metros e retirou o sobretudo e a camiseta, armazenando ambos para dentro do bracelete. Todos viram o braço azul de Rael e as pequenas veias escuras. Por um segundo Laurem até parou de atacar. Rael não se preocupou em mostrar pois em seus pensamentos aqueles homens já estavam todos mortos.

― Aproveitem bem a visão por que essa é uma das ultimas coisas que verão em vida ― disse Rael um pouco irritado. Aquela luta estava sendo um pouco mais difícil que o normal.

― Movimento de Terra! ― rugiu Rael e seu corpo ficou mais leve. Dessa vez ele mesmo partiu para cima de Laurem. Os dois iniciaram uma nova troca de golpes. Rael havia ficado mais rápido e isso fez Laurem começar a recuar. Os ataques das espadas de terra contra o braço direito de Rael explodiam causando grandes impactos. Rael não sofria nenhum dano defendendo com o braço azul.

James e todos estavam fazendo caretas porque não compreendiam aquele tipo de coisa. Eles nunca tinham visto uma pessoa com pele azul daquele jeito. Sem mencionar o fato que Rael conhecia uma técnica muito usada pelo seu próprio clã.

― Se continuar assim ele irá perder ― disse um dos parceiros de James para o mesmo. James sinalizou para esse e para o outro do quinto reino. Os dois silenciosamente preparam a mesma técnica usada por Laurem, as Espadas de Terra e ficaram prontos.

Rael continuava avançando concentrado tentando criar uma outra brecha para mais um golpe. Ele acreditava que um novo golpe bem aplicado finalizaria completamente Laurem. Laurem apesar de parecer mais rápido, desde o soco tomado, estava se sentido meio ruim na barriga. Uma queimação bem incomoda e as vezes ainda cuspia um pouco de sangue.

― Rael cuidado atrás de você ― gritou Rose mentalmente. Rael não viu aqueles dois cultivadores se aproximando com velocidade pelas costas e prontos para apunhalá-lo.

Foi então que uma imagem sobre-pôs a visão de Rael. Era como se ele estivesse vendo a luta por dois ângulos diferentes. Ele ainda estava se preparando para se virar e desviar dos ataques quando essa imagem veio, quase ao mesmo tempo que Rose acabou de falar. Rael então conseguiu rebater Laurem e se esquivar jogando o corpo entre os outros dois que passaram retos, isso tudo sem olhar para trás. Ninguém entendeu aquela cena. Rael parou cansado atrás dos dois que se juntaram a Laurem e ficaram olhando Rael.

― Rose? Foi você que me fez ver? ― perguntou Rael surpreso.

― Sim fui eu, eu compartilhei minha visão com você ― disse ela de volta. Rael então se lembrou de Rika passando visões para ele da época que ela passou as informações sobre o encontro com Mara. Era basicamente a mesma coisa, mas ele não pensou que essas visões poderiam ser passadas em tempo Rael. O mais estranho, é que apesar dessas imagens se misturarem na visão de Rael, ele conseguia entender perfeitamente os ângulos e não se atrapalhava nem um pouco. Talvez pelo fato dele já está com Rose a algum tempo.

― Pode continuar fazendo isso por mim? ― perguntou Rael.

― Posso sim ― disse Rose e continuou olhando e compartilhando a visão.

― O clã Asura é mesmo uma vergonha, tentaram me pegar na traição. Vocês me dão pena, eu vou adorar matar vocês ― disse Rael provocando e partiu para cima dos três. Eles se separaram cercando Rael, uma ótima tática de combate a três. O que Rael não conseguia ver Rose vinha por ele e Rael sempre tentava deixa suas costas para Rose, assim a visão compartilhada era aproveitada ao máximo.

Pela visão de James. Rael estava defendendo e esquivando sem ver, além disso, ele atacava os oponentes que estavam de guarda baixa tão rápido como um raio. Rael se virava já atacando como se tivesse certeza que seu alvo estava naquele local. Colene e James estavam incrédulos. Porque eles tinham certeza que Rael não tinha olhos nas costas. Então como aquilo era possível? Parecia que Rael estava tendo mais vantagem agora lutando contra três do que antes quando só estava lutando contra Laurem.

Vale ser mencionado, que nenhum lutador espera um ataque de alguém que está de costas. E os ataques de Rael quase sempre acertavam seus alvos e na maioria eram acertos incríveis, que chegava até a derrubar seus alvos por alguns segundos.

Quando aquela rodada de ataques fez uma pausa. Os três parceiros de James estavam todos cheios de hematomas, olhos marcados, dentes quebrados. Eles estavam lutando em três contra um cara que estava aplicando uma surra grande neles, um simples terceiro reino para eles. Aquilo não podia está acontecendo.

― Deixe-me acabar com isso mais rápido ― disse Rael estendendo as mãos fazendo a mesma pose do uso de Espadas de Terra. Os três fizeram uma careta porque acharam que Rael só estava tentando tirar uma casquinha deles.

― Espadas de Terra! ― gritou Rael e as energias formaram a terra e logo após a espada no braço esquerdo. Rael manteve o antebraço levantado e olhou bem a lâmina.

― Desgraçado como você fez isso? ― perguntou James furioso. Essa técnica levava meses de pratica e somente pessoas do quinto reino em diante poderiam usá-la perfeitamente. Por causa do alto consumo de energia um cultivador comum poderia ficar apenas por está com essa técnica em uso. Rael estava com duas técnicas ativas e ambas eram do clã Asura. James não podia está mais furioso. Mesmo que a técnica parecesse incompleta na visão deles, por estar somente em um braço, já era considerado muita coisa para Rael.

― Acabem com esse desgraçado de uma vez! ― rugiu James perdendo a paciência. Os três apertaram os dentes e partiram contra Rael. Eles estavam muito mais ferozes e irritados que antes.

Zuum! Booom! Zuum! Boom! Boom! Zuum! Zuum!  Boom! Zuum! Zuum! Boom! Boom!Zuum! Zuum!

Por mais que eles cortassem em pontos cegos Rael esquivava, se agachava, saltava, defendia alguns. Aquilo estava sendo um terror para eles. Além disso, agora Rael contra atacava com a espada de terra que tinha muito um maior alcance. Então eles estavam sofrendo corte nas pernas, nos braços, por mais que fossem de raspão já seria um problema.

James estava de olhos arregalados. Ele realmente não entendia o que estava acontecendo. Rose realmente não havia movido um dedo, a moça estava apenas parada ali próximo vendo toda a batalha sem qualquer interferência e mesmo assim, aqueles três inúteis não conseguiam tirar a vida de Rael.

Rael estava muito animado com a batalha. Sua velocidade não tinha aumentado, mas por ver a maiorias dos ângulos ele conseguia ser bem mais esguio no meio daqueles três. E claro, ele as vezes tentava arrancar uma cabeça, um braço, mas os inimigos sempre conseguiam evitar, na maioria das vezes por pouco. Isso não queria dizer que Rael não sofria danos, ele tinha alguns cortes no peito, no braço esquerdo e alguns na calça.

A luta continuou e os três começaram a avançar mais, tentando deixar Rael sem espaço. Os ataques continuavam correndo de um lado a outro e Rael parecia ficar cada vez mais lentos, isso porque conforme eles cercavam Rael a visão de Rose ficava mais difícil. Os inimigos percebendo que essa tática estava funcionando foram ainda mais ousados avançando mais perto. James e Colene se aliviaram ao ver Rael agora tomando alguns ataques na coxa e alguns de raspões nas costelas. O fim dele parecia estar próximo.

― Rael! Eu vou ajudar você! ― gritou Rose mentalmente dando um passo a frente.

― Não! Fique ai! Eu dou um jeito, eu tenho que dar um jeito sozinho! ― disse Rael de volta. Rose apertou as mãos deprimida. Ela estava muito preocupada com Rael, até chegava a morder levemente a boca.

Rael se sentia furioso. Porque apesar de todas as chances que teve, desperdiçou sem matar nenhum deles. Se aquele era o limite do seu corpo era realmente uma decepção.

― Ele é meu! ― gritou Laurem avançando com a espada de terra para decepar Rael.

― Preciso de poder! Preciso de poder! ― Pensou Rael e sentiu seu braço direito queimar enquanto uma energia quente se espalhava, semelhante ao momento de antes dele socar o artefato Equilíbrio. Rael não tinha tempo para conferir nada. Ele apenas levantou o punho direito fechado e socou contra a lâmina na direção de sua cabeça.

Booooooom!

O punho explodiu soltando uma forte descarga elétrica. A espada de terra de Laurem se desfez sendo destruída na mesma hora. Uma explosão elétrica cercou Rael e todos que estavam próximos a eles. Os três cultivadores recuaram um passo atrapalhados tendo todos tomados uma descarga de choque que os desorientou por um segundo. Foi o suficiente para Rael girar a lâmina de terra em volta e golpear contra os pescoços.

Um deles teve sua cabeça arrancada e caiu morto no chão de um lado e sua cabeça rolou do outro. O outro teve o pescoço cortado um pouco mais que a metade e caiu para trás morrendo em poucos segundos enquanto uma poça de sangue se formava. O ultimo teve o pescoço cortado na metade e agachou-se no chão se engasgando no próprio sangue até a morrer.

James e Colene ficaram ali parados descrentes. Quem ia acreditar que Rael que estava prestes a morrer viraria o jogo?

Rael olhava o braço direito que agora estava normalizando, as energias estavam sumindo. Mas segundos atrás esse braço havia se coberto de energias elétricas amarelas, semelhantes aos raios de Rose e Rika.

Rael esqueceu completamente o braço sentindo seu nível aumentar para o quarto reino nível quatro.

― Isso! Isso! Isso! ― Rugiu Rael sorrindo, e seus olhos sedentos grudaram em James e Colene. Naquele momento Rael parecia um psicopata comemorando a morte de seus companheiros. Os dois deram um passo para trás instintivamente. Rose do outro lado suspirou aliviada. Ela quase partiu para ajudar Rael.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.