O Herdeiro do Mundo

034 - Passeio Pela Cidade de Améria

Autor: Edson Fernandes da Costa | Revisor: Sneed

Rael e Rose receberam um novo quarto e Mara dessa vez foi dormir no seu. Rose ainda estava deprimida por ferir Rael. Ela se sentia ainda mais triste porque quase atrapalhou os planos de Rael. Se Mara tivesse revelado a verdade teria criado problemas para ela, Rael com certeza iria agir em defesa dela, e isso iria colocá-lo em risco. Ela quase quis dormir no sofá, foi Rael que insistiu que ela deveria voltar pra cama. Então inusitadamente além de se deitar com ela Rael ainda a abraçou por trás para mostrar confiança.

― Se queremos que você pare de causar isso, então temos que nos manter firmes e continuarmos juntos, somente assim vamos superar esse problema ― disse Rael mentalmente para a moça. Rose podia sentir a respiração dele em seu pescoço. Mas ela não deixou o corpo se elevar, estava muito deprimida por mais cedo. Naquela posição os dois dormiram.

No dia seguinte depois do café, Rael caminhou pela cidade, com Rose de um lado e Mara do outro. Sair com Mara não era exatamente o que ele queria, mas não pôde evitar. Ela exigiu passear com ele.

Andar com Mara do lado era completamente diferente. As pessoas saiam da frente, corriam quando os viam, se afastavam. Havia uma mistura de medo com admiração da qual Rael não estava familiarizado. As pessoas pareciam que os viam como deuses e aquilo era muito estranho.

Os outros jovens olhavam para Rael com tanta inveja que passavam mal. De cada lado de uma mão Rael tinha uma beldade. De um lado a jovem mestra Mara, a beldade numero dois do clã torres e do outro uma beldade de cabelos azuis que parecia uma fada tirada de um sonho distante.

Rael começou a entender porque ninguém falava do evento. A cada quatro anos o prefeito da cidade, promovia um evento secreto que só seria revelado na hora, por isso chamavam apenas de “O Evento”. Os ganhadores sempre recebiam alguma recompensa boa. No ultimo ano foi promovido um evento chamado “O Último Homem”, os duzentos participantes foram reunidos na arena e lutaram, o ultimo a ficar na arena venceu.

― Samuel se você quiser qualquer coisa basta me pedi que eu compro ― disse Mara quando eles passaram próximos a algumas bancas cheia de itens. Mara queria criar mais laços com Rael. Apenas esconder alguns meros segredos não era suficiente, ela queria mais dele, mais sobre ele. Ela não conseguia parar de pensar em como tinha se sentido na ultima noite antes de Rose estragar tudo.

― Você quer alguma coisa Rose? Mara vai pagar pode pedi o que quiser ― disse Rael mentalmente para a moça. Rose não sabia se deveria pedi alguma coisa depois da ultima noite, mas ela viu alguns vestidos tão lindos e jóias tão brilhantes. Violeta e mãe dela não tinham comprado muitas coisas para ela.

― Já que mencionou eu quero aquele vestido amarelo, aquele rosa, aquele pulseira… ― Rose foi pedindo e Rael fui juntando as coisas. Mara que estava muito feliz por fazer algo por Rael começou a entender que aquilo não era exatamente para ele.

― Samuel você vai usar essas roupas? Essas jóias? ― perguntou Mara um pouco inconformada.

― Não, mas estou querendo e você me disse que pagaria qualquer coisa que eu fosse querer não foi? Não me disse nada sobre coisas que eu usaria ― disse Rael na maior cara de pau com um sorriso.

― Pelo menos compre algo para você assim eu me sinto menos idiota ― reclamou Mara que não podia fazer nada.

Rael então selecionou uma armadura pesada de prata com ornamentos dourados. Era uma armadura da mais alta qualidade da loja e mais cara. O dono da loja ficou saltitante quando Rael a escolheu.

Mara pagou trezentas moedas de ouro nas compras de Rose na loja vizinha e na armadura de Rael ela pagou cinquenta moedas de ouro.

― Mara muito obrigado pelas compras! Rose também agradece ― disse Rael descaradamente se aproximando e beijando o rosto dela. Ela continuava sentido-se feita de idiota. A mulher que tentou matá-la noite passada, estava agora recebendo presentes dela.

O passeio na cidade continuou. Duas horas depois os três pararam em frente a uma barraca para comerem bolo e tomarem chá. Rael notou que seis protetores sempre os seguiam de uma distancia segura. Ele ficou imaginando se a família Torres tinha algum inimigo ou algo assim. Será que Mara de repente havia mesmo ficado tão importante? Da época que ele se lembrava dela, ela com certeza era só uma garota qualquer filha de outro Elder.

Quando eles estavam no meio do lanche, uma bela mulher loira se aproximou com outro homem do seu lado. Eles foram os únicos a terem coragem de chegar a menos de três metros de Mara e companhia.

― Ora, ora se não é a minha querida Mara ― disse a jovem arrogantemente. Rael já tinha notado que ela era outra mulher do clã Torres devido o símbolo no vestido. O homem ao lado dela era alguém bem sério e parecia bem seguro, mas não era do mesmo clã. Rael não deu muita atenção inicialmente, mas em seguida, ele quase tossiu porque se lembrou dessa outra. O nome dela era Ariane filha de outro Elder, tinha a mesma idade próxima a de Mara. Rael também não teve muita intimidade com essa mulher então ele não a conhecia muito além daquilo. Já era impressionante ele se lembrar dela.

― Ariane? O que faz aqui? Não me diga que veio assistir ou participar do evento? Você nem se quer liga para essas coisas triviais ― disse Mara sem se quer se levantar. As duas não pareciam não se dar muito bem.

― Estou visitando a cidade. A propósito este é Adrian meu noivo ― disse Ariane. Rael continuava comendo sem dar atenção junto a Rose. Os dois realmente não se importavam nenhum um pouco com Ariane e Adrian. O bolo de mel que eles comiam, estava muito mais interessante.

― Fico feliz por você. Eu também tenho um noivo, este é Samuel ― disse Mara. Samuel teve que levantar a mão e dizer prazer de boca cheia, ele parecia não ter nenhum modo, na verdade ele estava mostrando que não se importava com Ariane, mas aquilo deixou até Mara sem graça.

― Seu noivo parece bem à vontade ― bufou Ariane de volta. Ela não foi com a cara de Rael.

― O seu noivo parece muito à vontade também. Você já disse a ele que vai lutar por uma posição inferior? Você sabe, não tem qualquer chance contra mim ― disse Mara sorrindo.

― Não seja arrogante querida Mara, você sabe que tenho irmãos fortes. Mesmo que você esteja no quarto reino isso ainda não é tão surpreendente. Meu irmão mais velho ainda pode vencê-la ― disse Ariane de volta. Adrian mexeu as sobrancelhas, mas não disse nada ele tinha percebido que não era capaz de detectar o poder de Mara.

― Sério? Vou esperar por isso ― disse Mara.

― Você não sabe nem escolher um noivo, como acha que tem alguma chance de vencer minha família? Seu noivo está no nível inicial do terceiro reino, enquanto o meu está no quarto. Adrian é um gênio de um entre mil homens. Ele tem apenas vinte cinco anos e já está no Domínio da Força nível quatro ― disse Ariane arrogantemente.

― O que tem de errado com minha escolha? Samuel está sim no terceiro reino, mas ele bate facilmente em pessoas do quarto e até do quinto reino. E ele tem apenas quinze anos ― completou Mara. Ariane ficou séria então de repente ela caiu na maior gargalhada. Até mesmo Adrian que estava sério até aquele momento abriu um riso que se transformou em uma fraca risada. Se não fosse pelos status de Mara ele teria gargalhado junto com Ariane.

― Vocês estão rindo por quê? Acham que estou inventando isso? ― Mara não tinha muita paciência quando alguém ria dela, ainda mais de algo que ela mencionou. Por Ariane ter algum status e ser da família ela se atrevia a correr o risco.

― Por ter apenas quinze anos e está no terceiro reino ele já é um gênio, então não precisava ficar incomodada. Estamos rindo é do fato de você dizer que ele pode bater em pessoas do quarto e quinto reino ― disse Ariane de volta.

― Vocês não deveriam rir quando escutam uma verdade ― disse Mara irritada.

― Se esse é o caso então porque ele não vem aqui e nos mostra isso? Eu tenho certeza que Adrian não vai se importar em ter um duelo com ele. Não se preocupe, eu pedirei que Adrian não exagere, se é que você tem coragem ― disse Ariane.

― Você irá se arrepender dessa decisão ― disse Mara e virou-se para Rael. ― Samuel pare de comer e der uma lição a esses dois ― disse Mara com um ar sério. Ela sabia que Rael bateria facilmente em Adrian. Ela já tinha visto com seus próprios olhos ele bater em Sergio quando ainda era do segundo reino, o que dirá agora que estava no terceiro. Sem mencionar os boatos de Rael ter batido em um quinto reino.

― Não estou com vontade pra isso, estou ocupado comendo ― disse Rael de volta sem se importar. Quando Ariane ouviu isso ela começou gargalhar. Mara ficou ali em silencio encarando Rael. Ele não podia estar falando sério né? Depois de tudo que ela disse sobre ele e toda a provocação de Ariane.

― Ambos já sabemos o resultado, ele sabe que só vai se ferir querida Mara então deixe essa historia quieta. Continue com suas ilusões que seu noivo é tão poderoso ― disse Ariane de volta.

― Samuel isso é uma ordem! Levanta o rabo dessa cadeira e dê uma lição neles agora ― ordenou Mara, agora ela estava furiosa, porque depois de ontem ela esperava que Rael fosse mudar um pouco. Ela até mesmo comprou varias coisas para ele e para Rose.

― Eu não estou com vontade e você não vai me forçar a isso. Aqueles dois não demonstraram nenhuma ameaça a mim, nem a você nem a Rose. Não vou me expor apenas porque você está mandando ― disse Rael agora dando atenção a Mara. Ariane ria cada vez mais da situação. Rael fez Mara de palhaça na frente deles e isso não podia ser melhor.

― Querida Mara, seu noivo está muito a vontade mesmo, eu certamente não me enganei quando disse essas palavras no começo da nossa conversa. Você fez mesmo uma ótima escolha ― disse Ariane. Até Adrian do lado ria. Mara estava muito vermelha, mais um pouco e sairia vapores de sua cabeça.

― Samuel por que está fazendo isso? Achei que depois de ontem tínhamos nos acertado, eu até deixei algumas coisas de lado ― disse Mara procurando se acalmar e correu os olhos por Rose, lembrando Rael do que ela não contou.

― E achei que tinha deixado claro, nesse relacionamento eu dou as ordens e não você. Eu não vou começar um duelo simplesmente porque você está mandando ― disse Rael de volta. Ele estendeu a mão para o ultimo pedaço de bolo no mesmo momento que Rose ia pegando, e os olhos dos dois se cruzaram. Então ele partiu no meio e cada um levou uma banda. Mara não podia acreditar que Rael estava dando mais importância ao seu lanche do que a ela e sua conhecida.

― Parece que suas palavras perderam mesmo a credibilidade querida Mara, se me dão licença eu estou me retirando. Se eu contasse isso aos outros, ninguém acreditaria, ainda bem que tenho testemunha ― disse Ariane sorrindo e virou-se com Adrian.

― Esperem ― disse Mara fazendo eles pararem. Se aquilo terminasse daquele jeito ela ia parecer uma idiota. Então ela voltou-se a Rael. ― Samuel, você poderia duelar com Adrian e mostrar a eles que tudo que eu disse sobre você está certo? ― Perguntou ela, o mais calma possível. Por dentro ela ainda estava queimando. Ariane não podia acreditar que a dominante Mara estava se rebaixando para um mero homem do terceiro reino, alguém que nem se quer merecia mais de uma olhada.

― Já que está pedindo educadamente, farei algo por você ― disse Rael finalmente se levantando e saindo de perto das mesas e cadeira se aproximando de Adrian. Rose ficou triste pelo bolo ter chegado ao fim, se ela soubesse pedir, mandaria o atendente servir mais um bolo.

― Você deveria ter ficado sentado, teria sido melhor ― disse Ariane.

― Nunca saberemos disso ― disse Rael de volta e encarou o homem a frente. ― É com ele que vocês querem eu duele?

― Você acha mesmo que tem alguma chance? Vai se machucar apenas porque minha amiga está pedindo? ― perguntou Ariane dando ênfase em pedindo. Mara sentiu como uma cutucada no peito dela.

― Eu realmente não estou interessado nesse assunto. Não estou interessado em vocês nem sei porque Mara os colocou em vista. Mas bem já que ela foi educada eu resolvi aceitar, no entanto, eu não quero ferir seu noivo, então podíamos resolver isso de forma diferente o que me diz? ―perguntou Rael.

― Hahahahahahaha! ― Adrian não aguentou e gargalhou, dessa vez era Rael que estava falando então ele não precisava se conter ou respeitar. Ariane também não aguentou e começou a rir. Ela era uma loira de cabelos encaracolados, até que tinha um rosto e um corpo bonito.

― você não quer me ferir? Você se quer é capaz ― bufou Adrian de volta. A diferença entre um terceiro reino para um quarto era gigantesca e Adrian sabia daquilo muito bem. O que eles não sabiam é que Rael também já era do quarto reino…

― Eu ainda continuo não querendo te ferir. Você é só um pobre coitado sem culpa de está se metendo em uma confusão sem nenhuma recompensa ― disse Rael.

― Pobre coitado? Como você ousa? ― perguntou Adrian nervoso. Ele só não partiu para cima de Rael ali mesmo porque Mara estava por trás dele.

― Tudo bem Adrian deixe-me ver o que ele vai propor ― disse Ariane de volta. Ninguém fazia ideia do que Rael ia querer fazer.

― É muito simples, Adrian prepara um golpe com os punhos e me ataca no braço. Eu e ele não usaremos qualquer arma ou qualquer técnica. Será apenas um ataque físico limpo contra meu corpo físico limpo. Sem se quer uso de energia. Se Adrian quebrar meu braço ou me fizer recuar mais de três metros ele vence. Simples não? ― propôs Rael.

― Você está querendo perder seu braço? Dentro do quarto reino um cultivador aumenta sua força física diversas vezes. Você não teria chance mesmo sobre eu nas mesmas regras e você se defendendo com armas e energia ― disse Adrian de volta.

― Seu noivo é uma comedia querida Mara, agora eu posso ver ― disse Ariane rindo. Ninguém acreditava que Rael tinha proposto um desafio daqueles. Algumas pessoas que tinham visto a discussão começaram a parar e ficaram assistindo.

― Você não prefere o contrario? Você me bate e eu defendo, assim não te aleijo ― propôs Adrian depois de se controlar.

― Não mesmo. O ultimo que eu soquei eu quase matei em um golpe. Vou repetir, não quero machucar você, to fazendo isso porque Mara me pediu. Eu não tenho nada contra você ― disse Rael mais uma vez com a maior sinceridade, que obviamente era mal interpretada por Adrian e Ariane que não se continham e riam.

― Tudo bem eu vou aceitar esse desafio ― disse Adrian e olhou para Mara. ― Que fique bem claro que o desafio foi proposto por Samuel, então se algo sair do controle eu não terei qualquer culpa ― disse Adrian esperando Mara concordar. Mara estava irritada porque Rael estava querendo fazer as coisas assim. Ele tinha o poder de resolver aquilo facilmente.

― Querida Mara você não viu o que Adrian disse? ― perguntou Ariane.

― Façam como quiser, se meu noivo se ferir a culpa foi completamente dele por propor esse desafio ― disse Mara acenando com a mão.

― Você ouviu querido, pode ficar despreocupado porque temos a palavra dela ― disse Ariane.

― Antes de começarmos, eu gostaria que você apertasse meus braços e se certifique que não estou usando nada, não quero que pensem depois que eu estou com alguma proteção ou algo assim ― disse Rael ficando de frente a Adrian.

Adrian correu os olhos pelas mangas largas do sobretudo e era mesmo possível ter algo oculto. Então ele estendeu as mãos e apalpou os braços de Rael constatando que não havia de fato nada.

― Eu permito que você use algo para se defender caso queira, meu soco pode ser demasiado forte pra você ― disse Adrian tentando dar uma chance a Rael.

― Não será necessário ― disse Rael dando cinco passos para trás. Ficou em uma posição onde firmava o corpo para aguentar a pancada e deixou o braço direito para defender. Todos viram que ele não fez nada de estranho, apenas tomou distancia e preparou o braço.

― Então você está pronto? ― perguntou Adrian apertando o braço direito.

― Estou sim. Mas é melhor você vim com tudo se quiser ter pelo menos uma chance de me tirar desse lugar, porque se não conseguir fazer nem isso, vai passar muita vergonha― disse Rael. Agora já tinha varias dezenas de pessoas paradas olhando a alguma distancia, não é todo dia que duas mestras do clã Torres se reuniam. Todos tinham o mesmo pensamento de Adrian e Ariane. “Samuel vai se lascar”.

Mara não sabia o que Rael tinha em mente, já Rose, tinha certeza que Rael não se feriria. Tudo que ela queria era outro delicioso pedaço de bolo e todo aquele povo estava perdendo tempo com algo tão obvio.

― Se está pronto aqui vou eu ― disse Adrian preparando toda a força física que podia. Ele não ia pegar leve com Rael. Rael era do terceiro reino, mas parecia alguém muito convencido e Adrian não podia fazer feio na frente de Ariane, sua preciosa mina de ouro e a entrada para um futuro brilhante.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.