Naruto: Jinraiden Ookami no Naku Hi

004 - O Rapto

A vigilância continuou. Algo aconteceu no sexto dia. Alguns moradores tentaram atingir Reishi enquanto coletava ervas nas montanhas. Ele se machuca. Sasuke seguiu Reishi e impediu que ele fosse gravemente ferido. Sasuke levou Reishi para o hospital. Kina fica em estado de choque depois de ver a lesão de Reishi.
 
Reishi deixa o hospital e vai até um lago. Sasuke o segue. Há um forte cheiro de flores que lhe dá uma vertigem e cria uma espécie de névoa, onde, por um momento, Sasuke perde Reishi de vista. Ele escuta um grito. Ele vê Reishi fugir com um grande saco em seu ombro. Sasuke avançou e viu dois corpos cujo o chakra fora drenado. Eram os dois homens que tinham tentado matar Reishi. Sasuke achou que ele os matou. "Bem feito para eles", Sasuke sentiu uma simpatia por Reishi.
 
Na manhã seguinte Kina fala com Sasuke sobre o assassinato. Sasuke pede para Kina não se envolver. Kina se irrita e vai embora. Sasuke se dirige para a loja Rengyoudou. Reishi está fazendo um perfume, ele é feito de um tipo especial de vaga-lumes verdes (esses insetos estão por toda a aldeia). Sasuke avisa que deixará a aldeia. Ele repassa a Reishi o que ele encontrou no local do assassinato em Keisanryou: a bolsa que continha o saigenzai que ele havia comprado. Sasuke assegura a Reishi que não contou a ninguém. De qualquer maneira, Sasuke simpatiza com ele. Sasuke vê a si mesmo e seu irmão Itachi em Kina e Reishi. Sob seu ponto de vista, Sasuke, explica os motivos por trás de Reishi estar matando os aldeões. Reishi começa rir. Ele começa a falar sobre a origem do nome da loja. É uma história sobre dois irmãos, o irmão mais novo tentando superar o mais velho. Reishi diz que Kina o superará um dia também. Reishi quer apoiar Kina, ele diz, "Você está errado, Sasuke...", a frase não é concluída, uma flecha é disparada contra a loja. Tem uma mensagem nela, "Temos seu irmãozinho. Se você deseja que ele volte em segurança, traga o Kotarou e venha até o campo Jidamaga." Não há nenhum nome na mensagem, mas ele presume que seja de Sendou Jiryuu. Sasuke diz, "Vamos". Reishi não quer que Sasuke vá, "Você não entende nada, Kina... Kina é...". Sasuke o refuta, ele ainda precisa pagar Kina pelos bolinhos de arroz.

Eles chegam ao campo Jidamaga ao pôr do sol. Sasuke não entende o que aconteceu, assim como Reishi disse. O lugar está cheio de cadáveres, dezenas deles. Todos são membros do clã Sendou. Reishi segue os vaga-lumes, sabendo que o levarão a Kina. Eles encontram Kina desmaiado ao pé de uma árvore. Reishi se agacha perto de Kina. Uma estranha fumaça verde sai da boca de Reishi. Tem um aroma familiar para Sasuke. Kina inala a fumaça. Reishi forma um selo com as mãos. Ele cobre a cabeça de Kina com um saco e levanta-o com os ombros. Sasuke ouve pessoas se aproximando, eles encontram os cadáveres. O trio volta para a loja. Parece que Reishi colocou algum perfume em Kina que atrai os vaga-lumes, dessa forma, Reishi pode encontrar seu irmão facilmente. Reishi explica que deu a Kina um saigenzai para limpar sua memória. Sasuke percebe que Kina é o assassino e se questiona por não ter percebido antes. Ele lembra as palavras de Itachi ("As pessoas vivem suas vidas ligadas pelo que elas aceitam como correto e verdadeiro. É assim que elas definem realidade"). Reishi pede a Sasuke que não conte nada a Kina. Sasuke concorda. Novamente, ele sente que Reishi e Itachi são muito parecidos.

Eles chegam à loja. Reishi cobriu Kina com uma coberta, ele aproxima-se de Sasuke e lhe dá o remédio para os olhos, que tinha acabado de preparar. Sasuke usou imediatamente. Reishi avisa que pode haver alguns efeitos colaterais temporários (dor de cabeça, vômitos e perda de visão). Sasuke não entendia como Kina era capaz de absorver o chakra. Ele imagina que há algo selado dentro de Kina. Reishi explica que o Rouen tinha sido selado pelo clã Kodon no santuário. Seu pai havia quebrado o selo, mas conseguia controlar o Rouen através de um jutsu ligado ao saigenzai. O clã Kumanoi tinha criado um nova e poderosa arma. O controle foi interrompido e o Rouen ficou incontrolável. Os pais de Reishi com pouco chakra selaram o Rouen em Kina e morreram depois.

Rouen não é uma besta de cauda porque ele não possui inteligência, somente instinto. Era um animal que poderia viver para sempre, enquanto roubasse o chakra dos aldeões. Os ancestrais de Reishi selaram o monstro no santuário do clã. Seus pais tinham tentado selar o Rouen no corpo de Reishi, após ele ficar descontrolado. Mas o corpo de Reishi havia rejeitado o monstro. Ele tinha 10 anos na época. Reishi perdeu a consciência e quando acordou, viu Kina, ainda bebê, chorando, com um selo no peitoral. Para selar o Rouen no santuário novamente, Reishi teve que libertá-lo, batendo em uma área sensível nas costas. Há vários tentáculos sugadores de chakra, que protegiam essa área sensível. Para selar o Rouen, seu pai mantinha os tentáculos ocupados, enquanto a mãe tateava o corpo de Kina. Mas a nova arma do clã Kumanoi impediu isso. Sua mãe morreu e seu pai não poderia selar o Rouen no santuário sozinho. O chakra de Kina e Rouen estavam conectados, o monstro fora de controle sugará o chakra de Kina, que não poderá sobreviver por mais de 10 minutos neste estado.

Kina começou a matar recentemente. Uma noite, Kina voltou para casa chorando, ele tinha matado alguém inconscientemente. Reishi não é bom em rastreamento, por isso, ele fez com que os vaga-lumes seguissem Kina. Ele sempre fica em estado de sonambulismo quando mata. É culpa do Rouen, mas os moradores não conseguem entender. Eles matariam Kina se soubessem, e o Rouen seria libertado e mataria todos. Kina mata apenas quando se enfurece com os aldeões, quando estes machucam Reishi. O Rouen usa a ira de Kina para manipulá-lo. Reishi e Kina tentaram deixar aldeia várias vezes, mas Kina sempre se transforma. Talvez o selo incompleto de sua mãe ainda liga Rouen ao túmulo. Reishi riu amargamente. A única coisa que ele podia fazer era apagar a memória de Kina depois de cada assassinato.

De repente, a janela se quebra. Lá fora há uma multidão atirando pedras. Eles gritavam para os irmãos aparecerem, "Nos sabemos que vocês são assassinos". Sasuke se dirige para fora, mas Reishi o impede. Reishi pede para Sasuke se transformar em Kina. Ambos sairiam e Kina (Sasuke disfarçado) mataria Reishi. Os aldeões pensarão que Reishi é o assassino e que Kina é inocente. Desta forma, os moradores perdoarão Kina.

Reishi caminha para fora da loja. Sasuke tenta impedi-lo, mas de repente ele vê tudo branco. Ele perde o equilíbrio e cai. É como se olhos estivessem congelados. Tudo estava branco. Ele via apenas a silhueta de Reishi caminhando. Reishi parecia determinado e sem o menor sinal dúvida, arrependimento ou tristeza. Sasuke pede para Reishi parar. Ele poderia derrotar os aldeões. Reishi sabe que Sasuke não pode enxergar. Itachi tinha reagido com a droga da mesma forma. Reishi garante a Sasuke que seus olhos vão melhorar amanhã. De repente, Sasuke se lembra da noite do massacre do clã Uchiha. Naquela noite, Itachi estava chorando.

Reishi está fora da loja. Os aldeões começam a desferir socos e pontapés nele. Sasuke chegou ao jardim e pulou no telhado. Tudo parecia um inferno, ele devia seguir as instruções de Reishi. O que ele pode fazer para salvar Reishi? O que ele pode fazer para salvar Kina? O que ele pode fazer para se lembrar de Itachi com um sorriso? Sasuke toma uma decisão. Ele está se preparando para o Jutsu de Transformação (Henge no Jutsu). De repente, Kina se lança contra os aldeões para impedir que seu irmão seja espancado. Reishi dá ordens para Kina voltar para dentro. Sendou Jiryuu começa a rir. Kina também é espancado. A polícia chega de repente e ordena para aos aldeões pararem. Os aldeões, fora de controle, atacam a polícia. Uma briga maior é iniciada. De repente, tudo foi coberto com uma fumaça branca. Gritos e tiros soaram. Sasuke tenta ajudar Reishi, mas houve um grande estrondo e uma onda de choque. Sasuke pousou no topo de uma árvore. Ele foi empurrado a cerca de 55 metros de distância. O que poderia ser isso? Sasuke sente um enorme chakra negro, do tamanho de uma montanha, subir lentamente.