Evil Emperor’s Wild Consort

239 - Tartaruga Negra (Parte 1)

Pang Ran olhou ferozmente para Lin Yue, tão irritado que ele queria berrar pra alguém. Naquele exato momento, uma resplandecente e elegante imagem apareceu sob a luz do sol, vestindo as mesmas roupas verdes, seus cabelos eram como as cascatas de uma cachoeira, os lábios da garota carregavam um fraco sorriso, seus olhos eram claros e calmos como um lago ao entardecer.

— Oh?! Você está certo de que pode me usar para ganhar o favor do Empório das Cem Ervas?

O tom dela era tão sutil que ninguém poderia dizer o que ela estava sentindo. Somente seus olhos claros escureceram e seus lábios se curvaram num malicioso sorriso.

Pang Ran não tinha certeza, mas vendo Gu Ruoyun nesse estado lhe dava uma sensação indescritível. No entanto, ele rapidamente reprimiu esse sentimento incomum ao ouvir a voz solene de Lin Yue: — Você chegou bem a tempo. Homens, prendam essa usurpadora!! Quero expor os crimes dela para o Empório das Cem Ervas!

Isso não era porque Lin Yue não acreditava em quem Gu Ruoyun realmente era. Se ela tivesse sido uma cidadã do Reino da Tartaruga Negra, ele talvez tivesse reconsiderado seriamente. Infelizmente, foi Pang Ran quem a convidou. Vendo como Pang Ran era esse imprestável inútil, como ele poderia ter contato com o Empório das Cem Ervas?!

Ela, obviamente, era uma farsa! Lin Yue pensou.

Gu Ruoyou o ignorou completamente e andou em direção a Pang Ran que estava estatelado no chão. Ela então pegou uma pílula e colocou em sua boca. Uma vez que a pílula fez seu caminho por seu corpo, Pang Ran se sentiu completamente aliviado, suas dores e hematomas desapareceram.

Divina! Pang Ran pensou, maravilhado. Isso era simplesmente milagroso!

Os olhos dele brilharam, se eu tivesse dessas pílulas, eu nunca mais iria me preocupar com as surras!

— Você quer nos prender?

Ela virou, falando calmamente: — Tudo bem, eu vou dar uma volta com você. — Mesmo podendo ver o que Gu Ruoyun estava fazendo, Lin Yue não conseguiu perceber com o que ela alimentou Pang Ran. Assim sendo, ele não pensou muito sobre isso, só acenando com sua mão e dizendo: — Homens, levem esses traidores assassinos embora!

— Sim, Vossa Excelência!

Alguns poucos guardas avançaram para prendê-los, no entanto, uma vez que Gu Ruoyun olhou para eles, eles pularam e se afastaram sem ousar dar mais um único passo além.

— Não é preciso se incomodar, Vidente Imperial. Nós o seguiremos por vontade própria. — Ela sorriu fracamente — Pang Ran, vamos direto para o palácio investigar a situação a respeito do Seu Pai e Imperador. Confie em mim. Nada de mal acontecerá quando eu estiver por perto.

Confie em mim…

O coração de Pang Ran se comoveu. Ele ergueu sua cabeça e olhou para a imagem calma da menina.

Ele não tinha certeza do porque, mas as palavras dela fizeram com que ele acreditasse.

Nada de ruim aconteceria com ela por perto!

Ouvindo as palavras dela, Lin Yue sorriu desaprovadoramente.

Minha pequena irmã deu para Sua Majestade um veneno altamente tóxico que se espalha rápido, matando uma pessoa em meia-hora. Ele desdenhou. Mesmo que eles fossem ver Sua Majestade, lá não haveria qualquer outra conclusão! Ela pensa que é deus?!? Nem mesmo um Ser Celestial poderia salvar um homem moribundo...

Cidade Paraíso, na residência da Família Xia.

 

Dentro de uma câmara secreta, um velho mantinha uma aura respeitosa. Suas feições anciãs pareciam como se eles estivesse cheio de uma devoção pia diante de algum objeto celestial, seu corpo se curvou, não ousando erguer sua cabeça, como se fazendo isso pudesse ser uma blasfêmia para com um objeto celestial.

Se o resto da Família Xia estivesse aqui para ver isso, eles certamente ficariam chocados! Afinal quem era esse senhor?! Ele era o Chefe da Família Xia, a pessoa mais importante de todo o Reino da Tartaruga Negra. Em todo esse mundo, ao lado das Três Grandes Autoridades, para quem ele prestaria tamanho respeito?! No entanto, se alguém visse o que estava diante dele, eles ficariam ainda mais surpresos.

O “objeto” diante dele não era humano, mas sim um animal espiritual com o corpo de uma tartaruga e a cabeça como a de uma serpente! O animal espiritual sentou no altar e baixou sua cabeça para olhar para o homem diante dele.