Evil Emperor’s Wild Consort

224 - O príncipe inútil (Parte 7)

— Já fazem três meses, aquele gordinho maldito tá sumido por três meses inteiros. Será que fomos muito severos com ele a ponto dele ter fugido de casa? {{Nota: Suseranos falam na primeira pessoa do plural. O original está assim e assim ficará. Parece o Gollum, mas é só algum imperador/rei/The Queen...heauha}} Ou será que ele se meteu em alguma encrenca sem querer e se escondeu em algum lugar distante?

Zihuang Pang suspirou enquanto esfregava o espaço entre suas sobrancelhas esperando que a dor de cabeça que sentia fosse explodir a qualquer minuto.

— Será que ele não faz ideia de que tudo o que fazemos por ele é para o seu próprio bem? Por que ele não entende nossa dor?

Zihuang Pang ergueu sua cabeça levemente enquanto falava e, naquele mesmo instante, ele notou um olhar suspeito em sua direção. Imediatamente explodiu de raiva:

— Quem é você? Como ousa entrar na Sala de Estudos Real? Veio aqui para nos assassinar? Onde estão os guardas? Já estão mortos? Como ousaram permitir que um estranho entrasse aqui?!!! — Em sua fúria, Zihuang Pang imediatamente saltou de detrás da mesa e agarrou o jovem suspeito pelo colarinho dando-lhe um tabefe bem no meio da cara deste.

— Mas tem muita coragem de vir até aqui, estando no nível 2 de coleta de Qi e ousar tentar nos assassinar!!! Menospreza muito nossas habilidades, mas, você chegou bem na hora porque nós temos nos sentido muito chateados ultimamente e não temos em quem descontar. Agora, usaremos você para descarregar nossa raiva!!!

Zihuang Pang normalmente não gosta de ter pessoas ao redor quando ele está lendo os éditos imperiais, então a Sala de Estudos estava vazia a não ser por ele. Ele podia falar o que quisessse sem ter que se preocupar com sua imagem como “o Imperador”.

Três meses atrás, Ran Pang tinha acertado o Conselheiro Imperial e o deixado inconsciente e então tinha sumido. De lá pra cá, o Conselheiro Imperial tem ido todos os dias para vê-lo e exigir respostas. No entanto, o Conselheiro Imperial era muito habilidoso em tentar não ofender o Imperador. O imperador vinha escondendo sua raiva e agora algo bom tinha acontecido.

Alguém que não se importava com a própria vida tinha vindo se oferecer como seu saco de pancadas. Como ele deixaria esse cara escapar assim?!

Logo que Zihuang Pang estava pronto pra encher esse cara de pancadas, imerso na alegria de poder fazer isso, o jovem soltou um gemido angustiado:

— Ai, Pai, por favor não me machuque! Sou eu, seu filho.

— Filho da p*ta, você, um assassino insignificante, ousa fingir que é Nosso filho?! Como é que não sabemos que temos um filho como você?!

Zihuang Pang ficou ainda mais puto. Esse assassino era tão ousado que mesmo depois de ter sido pego, ainda tentava na maior cara de pau dizer que era seu filho. Imitar a realeza era um crime punível com a morte.

No entanto, depois de ouvir essas palavras, o jovem chorava ainda mais pesarosamente.

— Meu Pai, eu realmente sou seu filho. Ran Pan! Sou eu!

— Ran Pang?

Zihuang Pang estava impressionado. Então ele começou a observar cuidadosamente o jovem. Apesar da sua constituição física não ser exatamente esguia, ele era bem proporcional. E seus traços faciais não eram excepcionais, mas também não era comuns. Sua pele muito branca, com um par de olhos que se pareciam um pouco com Zihuang Pang no passado.

Poderia se dizer que o jovem diante de si definitivamente parecia com alguém como Ran Pang, a voz era exatamente igual…

— Você é Ran Pang? —  ZihuangPang lançou um olhar duvidoso sobre ele.

Ele queria reconhecer seu filho mas… Isso era muito inacreditável pra ser verdade!

No período de três meses, aquele gordinho maldito, que pesava 250 quilos, tinha sofrido uma imensa mudança!!! Era difícil para qualquer reconhecê-lo assim de cara…

— Senhor meu pai, será que se esqueceu que quando eu tinha cinco anos, fui espiar as servas do palácio tomando banho? E que com sete anos, eu ainda precisava de uma babá pra me dar de comer e que eu ainda molhava a cama? Eu realmente sou seu filho, Ran Pang.

Quando ouviu isso, Zihuang Pang, que ainda não conseguia acreditar, foi imediatamente convencido de que a pessoa diante de si era seu filho.

Ninguém mais sabia dessas coisas a não ser ele, a Imperatriz e Ran Pang!

Nem mesmo a manta do incidente do xixi era de conhecimento de alguém, porque ela foi pessoalmente queimada pela Imperatriz para salvar Ran Pang de qualquer humilhação pública. Nenhuma das servas do palácio, nem as mais próximas, sabiam algo sobre isso...