Evil Emperor’s Wild Consort

220 - O príncipe inútil (Parte 3)

Durante sua explicação, outro joelho de porco caiu dentro do estômago de Pang Ran. Ele limpou a gordura ao redor da boca e finalmente soltou um arroto satisfeito, dizendo, — Ahhh, tô cheio. Não desfruto de uma refeição tão boa há um longo tempo! Na verdade, eu não ligo de sofrer intimidações, mas o que me fere mesmo é como meu pai me obriga a comer vegetais todos os dias! O que há de tão bom nessas coisas verdes? Isso me enoja pra caralho!

Três linhas apareceram na testa de Gu Ruoyun momentaneamente. Ela estava completamente sem palavras diante desse príncipe perdedor. Claro, o que a deixou ainda mais sem palavras era o pai esquisitão dele.

*Acidente*

Nesse mesmo momento, a porta da sala privativa do restaurante em que eles estavam foi chutada e uma arrogante voz soou.

— Pang Ran, caia fora daí!

— Ah, cacete!!!

Pang Ran estava tão assombrado que ele jogou fora o ossinho que estava em sua mão e se escondeu debaixo da mesa bem rapidinho. No entanto, dado seu tamanho, ele não podia ficar escondido por completo embaixo da mesa.

Já o ossinho, que involuntariamente ele jogou fora, foi parar, talvez por falta ou excesso de sorte, bem no jovem que estava em pé na porta. O ossinho bateu no rosto dele fazendo um 'ping' antes de lentamente cair no chão.

Quando ele fungou aquele negócio gorduroso na sua cara, seu estômago fez um barulho que era como a fúria do oceano e ele queria desesperadamente vomitar tudo que ele tinha comido nos últimos dias. Seu rosto ficou num tom de verde doentio e ele rangeu: — Pang Ran, seu inútil! Hoje vou te ensinar uma lição e você vai aprender a respeitar os mais velhos! Lin Luo era um dos meus homens e você ousou nocauteá-lo. Você terá que enfrentar as consequências!

Gu Ruoyun olhava pra ele sem demonstrar emoções, usando um par de hashis ela pegou um pedaço de osso. Enquanto ele estava falando, ela o jogou direto dentro da boca dele.

O menino não tinha fechado a boca naquela hora e a sensação de náusea começou a brotar das suas entranhas. Ele não conseguia mais conter isso e, correndo para o lado, ele vomitou.

Deve-se saber que o ossinho havia sido mastigado pelo outro menino gordinho, Pang Ran, e era muito, mas muito nojento engolir um ossinho mastigado por outra pessoa!

— Você fala demais, amigo.

Gu Ruoyun olhava e falava com ele apática.

— Sua... Espere só!!! Você ajudou esse gordo maldito e vai enfrentar as consequências!

O rosto do jovem bem vestido ficou ainda mais cinzento. Ele olhava pros dois com malignidade antes de se virar e correr para fora do restaurante.

Ele não podia mais ficar ali, ele tinha que sair e vomitar em outro lugar...

Dentro da sala reservada no restaurante, Pang Ran se arrastou pelo chão com seu rosto cheio de admiração por Ruoyun: — Deusa, você é tão incrível! Aquilo foi tão legal!

— Você pode mudar a forma como você me chama? — Ela demonstrava se sentir um pouco incomodada.

_ Não!

Quanto a essa questão, Pang Ran estava muito resolvido e meneou a cabeça: — Você é a deusa enviada pelos Céus para me resgatar. Eu confirmei isso, então, de agora em diante, eu, Pang Ran, te seguirei! O que mais posso dizer sobre ser o Sexto Príncipe, eu não dou a mínima, eu sequer podia comer carne. Apenas seguindo você, minha deusa, poderei comer carne!

Ele tinha desejado não ser mais príncipe, não bastava o fato dele não poder comer carne, ainda haviam os espancamentos sem fim. Por tudo com o que ele se importava, se qualquer um quisesse ser o príncipe no lugar dele, que fosse.

Quando ela viu o rosto de Pang Ran cheio de saudade, Gu Ruoyun piscou várias vezes e perguntou: — Gordinho, você deseja perder peso?

— Se eu puder comer carne, eu estou disposto a perder peso. Carne é a minha vida e se eu não posso ter uma vida, então qual a necessidade de perder peso?

Pang Ran fez biquinho.

— Eu posso te ajudar a perder peso, tudo depende do quanto você está disposto.

Ela sorriu gentilmente para ele. Dessa vez, ela tinha suas próprias razões para fazer isso. Já que era o povo da Cidade Paraíso quem decidia quem sentaria no trono do Reino da Tartaruga Negra, se Pang Ran se tornasse excelente, isso definitivamente atrairia a atenção da Cidade Paraíso. Quem sabe, ela poderia ter uma forma de se comunicar com o pessoal da Cidade Paraíso e consequentemente obter um passe de entrada para a Cidade Paraíso...