Evil Emperor’s Wild Consort

205 - Carma (Parte 1)

{{Do sânscrito karma-n 'ação, consequência, fato'. Na religião budista ou hinduísta, a somatória das boas e das más ações, que alguém pratica numa de suas vidas, capaz de determinar o que irá acontecer com essa pessoa numa outra vida. É também um princípio que afirma estar o ser humano sujeito à causalidade moral, sendo que suas ações (boas e más) têm reações que a ele voltam, com a mesma forma e intensidade, nesta ou numa outra vida. Nas religiões da Índia, encadeamento de causa e efeito, tanto no plano físico quanto no moral. Optei por esta nota porque geralmente usamos o termo pra dizer que a pessoa é uma chata, sem nos darmos conta de que estamos na verdade dizendo que temos que aguentar aquela pessoa por causa das nossas ações do passado…}} 

— Você ouviu que a verdadeira proprietária do Empório das Cem Ervas é aquela imprestável da Gu Ruoyun que foi expulsa da família Gu?!

— Tsc tsc. Ninguém teria pensado que a menina que tinha sido vítima de intimidações por todos iria florescer e crescer até nesse nível. Me pergunto o quão arrependida a Família Gu está agora. Haha, em apenas três anos ela conseguiu ir do segundo nível da coleta de Qi pra se tornar General Marcial, nem mesmo Gu Tian era tão talentoso.

— Isso não é nada comparado ao que eu testemunhei pessoalmente na frente da Casa Ling. Você já viu a velocidade e o poder daquela Tigresa Branca? E o Dragão Índigo que toma metade do céu!!! Com essas duas grandes potências sob seu comando, mesmo que Gu Tian fosse um gênio, ele nunca poderia se igualar às capacidades de sua filha...

Desde aquele incidente, o nome de Gu Ruoyun se espalhou por todo o Reino do Dragão. Claro que ela era muito diferente do que havia sido há três anos. Se for pensar hoje, ela era uma pessoa exemplar que todo pai gostaria que sua filha se espelhasse...

Se alguém dissesse que não sabia o nome do Imperador de Reino do Dragão, isso era até compreensível. Mas, se dissesse nunca tinha ouvido falar sobre Gu Ruoyun, certamente você cairia em desprezo. Se você sequer sabia quem ela era, como se atreveria a se considerar um cidadão de Reino do Dragão?

Quem mais além dela se atreveria a berrar com o Palácio Yin da Escuridão? Quem mais além dela ousaria causar um massacre dentro do Palácio Imperial? Mesmo que se tivesse poder, eles não teriam a audácia que ela tinha.

Somado a isso, a maioria das pessoas dizia que a razão por trás da ira de Gu Ruoyun era o envio de assassinos da Concubina Ling que acabaram prejudicando uma serva de Gu Ruoyun. Ela se vingou pela serva, ignorando todas as consequências! Foi uma vingança rápida e gratuita!

Nesse momento, na casa Gu, um grupo de servos estava fofocando sobre os incidentes daquele dia. O rosto belo de uma das senhoras de repente estremeceu e ela segurou as próprias mangas. Seus dentes se cerraram com tanta força que quase quebraram.

— Calem a boca, escória miserável!!

Seus olhos estavam cheios de raiva quando ela falou: — Se eu ouvir vocês mencionando "Gu Ruoyun" mais uma vez, vou matar um por um. Mesmo com suas conquistas atuais, ela nunca se livrará da realidade de que foi expulsa pela Família Gu!

O grupo de servos ficou em silêncio e timidamente saiu de perto. Eles não ousaram pronunciar uma única palavra...

Gu Panpan estava cheia de raiva hoje e precisava de alguém para descontar. Assim, esses poucos servos acabaram se tornando alvo da sua boca maliciosa.

— E não se esqueçam, no passado todos vocês também intimidaram Gu Ruoyun! Se ela quiser se vingar, vocês todos estarão ferrados também. Eu não permitirei que falem palavras de elogio sobre ela. Se vocês querem falar sobre ela, você devem se referir a ela como "imprestável" como faziam antes!

Inaceitável!

Ela estava realmente insatisfeita em como uma imprestável conseguiu causar tanta desgraça em três anos!

Os Deuses eram realmente injustos. Gu Ruoyun era uma rebelde que ousou machucar o próprio avô. Ela deveria ter morrido por seus crimes e ser atingida por um raio!

Deve-se saber que depois que Gu Ruoyun fez o massacre no palácio, General Gu, que trouxe dezenas de milhares de soldados para ajudar o Imperador, tinha sido capturado pelo Ancião Yu e ainda não voltou para a Casa Gu. Depois de perder a própria espinha dorsal da Família Gu, como ela não estaria preocupada?!

Uma brisa passou pela velha árvore do quintal e uma silhueta negra cobriu as folhas. A luz do sol brilhava sobre uma máscara preta refletindo um brilho frio.

O homem estava em pé com as mãos atrás das costas e lábios num meio sorriso. Enquanto ele olhava friamente a garota que estava fazendo birra, uma vontade de matar brilhava em seu olhar...

Ele não esperava que tanto teria acontecido dentro de poucos dias quando ele saiu para resolver assuntos importantes.