Evil Emperor’s Wild Consort

114 - O coração vingativo de um homem (Parte 3)

_ Xiao Yun'er, você realmente não caiu de amores por ele, certo?

Zuo Shangchen ergueu as sobrancelhas e olhou para Gu Ruoyun com um rosto sorridente.

Gu Ruoyun imediatamente revirou os olhos pra ele: _ Você REALMENTE acha que eu teria um julgamento tão ruim?

_ Você está certa — Zuo Shangchen acariciou o queixo e riu — Você tem um excelente homem como eu ao seu lado, como você poderia estar interessada naquele tipo de lixo?

Gu Ruoyun instantaneamente ficou incomodada com suas palavras.

_ Na verdade, você não é muito diferente do Leng Yanfeng, igualmente sem vergonha e narcisista.

_ Xiao Yun'er, é aqui onde você erra. Ainda que eu seja narcisista, eu tenho o direito de ser. Qual direito Leng Yanfeng tem? Ele é arrogante sem razão — Zuo Shangchen estava muito insatisfeito com Leng Yanfeng — Se não fosse pelo fato de eu não ter comichões, não teria deixado que ele saísse andando daqui em linha reta.

Como poderia a irmã de Gu Shengxiao ser par desse lixo? Se ele se atrevesse a vir te assediar, Zuo Shangcheng teria que ensinar a ele uma lição em nome de Gu Shengxiao. Era melhor que Leng Yanfeng ficasse em seu devido lugar.

No dia seguinte.

Logo de manhã, Gu Ruoyun foi acordada ao som de uma luta. Ela abriu os olhos e viu Zixie e Qianbei Ye lutando dentro do quarto dela. Ela imediatamente ficou irritada.

_ O que vocês dois estão fazendo?!

Quando eles ouviram, ambos pararam ao mesmo tempo e usando igual velocidade para andar ao lado dela.

_ Menina, ele entrou no seu quarto quando você estava dormindo, deve ter más intenções.

Zixie piscou seus olhos, aquele demoníaco e encantador rosto cheio de hostilidade.

Ele não havia esquecido o que esse cara tinha feito.

Mesmo que a menina confiasse nele, Zixie não abaixaria sua guarda ao redor dele.

_ Pequena Fênix, uma dia vou queimar todas as suas penas!! Os olhos de Qianbei Ye brilhavam vermelhos conforme ele olhava sem demonstrar emoções para o rosto bonito e brilhante de Zixie.

_ Então vamos ver quem morre primeiro!! — Zixie esboçou um sorriso.

Quando viu os dois prestes a começar a se matar novamente, Gu Ruoyun, impaciente, gritou: _ BASTA, parem vocês dois!! É quase de madrugada de tão cedo, será que vocês não podem me dar um pouco de paz e sossego?

_ Xiao Yun.

Quando ele olhou para Gu Ruoyun, o rosto atraente de Qianbei Ye estava cheio de culpa, mesmo os olhos sedentos de sangue tornaram-se pesarosos: _ Foi ele quem começou...

_ Mas só porque você entrou na surdina quando a menina ainda dormia. — Zixie olhava friamente para Qianbei Ye: _ Comigo aqui, você nunca irá nem pensar em ferí-la!

Qianbei Ye se sentia muito injustiçado, ele só queria dar um beijinho nela enquanto ela dormia profundamente.

Era só isso, um beijinho.

Os lábios de Xiao Yun eram tão macios que ele pensou em fazer isso por muito tempo.

Quem iria saber que essa fênix correria pra atrapalhar seus planos...

_ Zixie, volte pra dentro você primeiro — Gu Ruoyun esfregou as têmporas — Ah sim, ontem eu pedi para Xiao Ye pegar alguns minérios há quilômetros de distância. Você pode começar a configurar a matriz para quem é de fora não poder entrar.

Antes que ela pudesse ficar em cultivo isolado, Zixie tinha dito que ele iria criar uma matriz no pátio ao redor dela. Qualquer um que entrasse ou atravessasse o jardim, ficaria preso na formação. Foi por isso que ela pediu pra Qianbei Ye ajudá-la a pegar materiais da matriz.

Porque a viagem era muito longa e só Qianbei Ye teria capacidade para voltar tão cedo.

_ Tudo bem, vou configurar a matriz agora. Com essa matriz ninguém pode entrar e ainda pode impedir assassinatos.

Zixie deu uma olhada em Qianbei Ye. Apesar dele não dizer mais nada, seu par de olhos violetas ainda estavam cheios de inimizade.