Bringing The Farm To Live In Another World

217 - Veneno

Tradução: Blue Sparky | Revisão: Luiz Oliveira

Dez dias. Durante dez dias inteiro, as pessoas da Cidade Casa observaram várias commodities fluírem em direção a Mansão da Fé. Toda a Mansão da Fé parecia uma besta gigante que comia e comia sem se preocupar em estar cheia. Ela continuava devorando coisas e nunca deixava nada disso sair.

Embora o povo da Cidade Casa sentisse que isso era estranho, eles não disseram nada. Laura, por outro lado, selecionou esses itens com grande critério. Além dos pertences retirados da Mansão da Fé, haviam commodities que seriam úteis dentro da Pradaria dos Homens Fera.

É preciso saber que haviam muitas commodities dentro da Cidade Casa que não eram adequadas para o comércio dentro das Pradaria do Homens Fera. Isso se deve ao fato de que as necessidades dos Homens Fera eram diferentes das necessidades dos plebeus da Cidade Casa.

Foi por causa disso que as ações de Laura não causaram muita mudança nos preços do mercado de necessidades diárias do Ducado de Purcell. Além disso, essas empresas estavam mais do que dispostas a vender seus produtos para Laura.

As mãos dessas grandes empresas não eram necessariamente limpas. Quando eles faziam negócios com os Homens Fera, eles recorreram ao contrabando. Esse assunto era algo que eles sempre faziam, então quando eles viram os itens que Laura havia comprado, eles entenderam as intenções de Laura. Eles não a impediram. Embora eles não ganhassem muito vendendo para ela, ainda era uma transação instantânea. Estes também foram bens que poderiam ser transportados rapidamente por baixos dos panos, então não havia nada de estranho nisso.

No décimo dia após a chegada de Zhao Hai na Cidade Casa, Zhao Hai, Laura, Kun e Green foram todos para a sala de estudo de Laura.

Laura recebeu um relatório sobre sua situação atual. Com isso em suas mãos, ela olhou para todos e disse: “Acabei de receber um relatório sobre a situação no Ducado de Purcell. Hoje, alguns mercenários entraram no Ducado de Purcell pelos fundos. Eles estão se movendo em direção a Cidade Casa com intenções desconhecidas.”

Kun bufou friamente: “Não é nada incerto. Eles estão aqui para lidar conosco. Já que eles definitivamente sabem que Zhao Hai também está na Cidade Casa, eles querem lidar com todos nós de uma só vez.”

Green assentiu: “Eu também acho que este é o caso. Deixe-os vir. Vamos limpá-los antes de nos retirar imediatamente. Eu quero ver o que eles podem nos dar.”

Laura virou-se para Zhao Hai e disse: “Irmão Hai, que tal resolver o caso de Alodia? Por que não nos movemos nesses últimos dias?”

Zhao Hai assentiu: “Eu tenho que resolver isso. Nos últimos dias, eles descobriram muito. Eu não estava decidido a matá-los, desde que eu não queria matar aquele que não têm o poder de revidar, mas, agora eu não tenho escolha.”

Quando Zhao Hai disse isso, Laura e os outros entenderam. Zhao Hai precisava encontrar uma desculpa para si mesmo, uma desculpa que lhe permitisse matá-los.

Esse comportamento pode parecer ridículo e auto-enganativo. Por outro lado, esse comportamento também tinha alguns pontos positivos. Pelo menos, isso permitia que eles se sentissem um pouco melhor.

..........................................................................................

Depois de comer a refeição da noite. Alodia e os outros voltaram para seus quartos. Todas as suas armas haviam sido retiradas. Através de suas observações nos últimos dias, Alodia entendeu que Laura tinha a determinação de matá-los.

Infelizmente, Alodia não pôde fazer nada. Eles não tinham armas e estavam cercados por todos aqueles mortos-vivos. Ninguém poderia escapar de tal coisa.

Tudo o que podiam fazer era ficar em seu quarto honestamente. Se Laura realmente quisesse matá-los, tudo o que eles podiam fazer era avançar contra ela.

Tristeza. Alodia sentiu uma tristeza sem precedentes. Ele estava pensando em quão alto-astral ele estava antes. Não importava para onde ele fosse no Império Aksu, desde que ele revelasse sua identidade como subordinado de Carlo, ninguém ousaria prejudicá-lo. Contudo, agora, ele havia caído numa situação em que ele só podia esperar por sua morte. Era como se ele fosse um coelho de olhos azuis levado para o matadouro, esperando enquanto preparavam suas facas. Este foi um sentimento muito desagradável.

Ele estava pensando em resistir, mas seria inútil. Não importa quão inquietos eles se tornarem, os mortos-vivos podiam facilmente contê-los. Enquanto eles se aproximarem dos mortos-vivos, eles seriam imediatamente atacados. Eles nem sequer atacam para matar, em vez disso, eles vão incapacitá-los e jogá-los de volta para o pátio. Foi tão simples quanto isso.

Se eles estivessem lidando com humanos, Alodia poderia ter tentado se comunicar com eles. Ele poderia ter tentado tirar vantagem deles e tê-los poupando sua vida. No entanto, agora, ele não estava lidando com humanos, mas com mortos-vivos. Ele nem iria perder o fôlego com eles, os mortos-vivos não poderiam ser comprados. Mesmo se ele tivesse todos os tipos de esquemas, eles não seriam enganados.

Nestes últimos dias, Alodia parecia ter envelhecido enquanto seu espírito era constantemente atormentado. Ele não esperava que esse dia chegasse. Além do mais, ele nunca teria pensado que Laura seria a única a prendê-los. Ela poderia matá-los facilmente a qualquer momento.

Contudo, Alodia, ainda mantinha alguma fé dentro dele. Nos últimos dias, ele acreditava firmemente que Carlo enviaria pessoas para resgatá-lo. Como o secretário mais confiável de Carlo, Alodia era claro sobre alguns assuntos. Atrás de Carlo não estava apenas o clã Markey, mas também o Rei do Sul, Boric. Nesse momento crucial, Carlo certamente pediria a Boric que se movesse. Era nisso que o espírito de Carlo se apoiava.

Nos últimos dias, Alodia reunia diligentemente informações sobre Laura. Era possível fazer isso desde que ela não saísse do portão da frente da Mansão, visto que eles ainda podiam se mover livremente dentro da Mansão da Fé. Alodia queria coletar informações sobre Laura que poderiam ser de alguma utilidade no futuro.

As ações de Laura nesses últimos dias foram claras para Alodia, já que ele podia ver seus movimentos. Isso aumentou sua confiança para continuar vivendo. O que Laura estava mostrando, claramente afirmava que eles estavam indo para outro lugar, e que precisavam ser rápidos. Havia apenas uma explicação para isso: os inimigos haviam chegado.

Ele sabia que Laura tinha um inimigo, e esse era Carlo. Desde que ele viu isso, sua determinação em viver foi fortalecida.

Ao mesmo tempo, Alodia observou vários armazéns no pátio traseiro da Mansão da Fé. Aparentemente estes armazéns foram constantemente preenchidos. Carruagens continuaram a ser puxadas e preenchidas com commodities, mas era como se os armazéns fossem um poço sem fundo.

Alodia não suspeitou do uso de equipamentos espaciais dentro do armazém. Em vez disso, ele pensou que havia uma passagem secreta e eles estavam usando isso para enviar as commodities. Ele secretamente escreveu isso para informar Carlo.

Porém, Alodia sabia que isso seria difícil. Ele sabia que Laura não o deixaria ir embora. Desde que ele foi capaz de perceber as commodities entrando na Mansão a Fé, ele sabia que Laura não tentava evitar sua atenção. Assim sendo, ele sabia que Laura decidiu não ir embora. No entanto, ele ainda estava segurando a crença de que, de alguma forma, eles seriam capazes de continuar vivendo. 

Naquela noite, como sempre, Alodia observou e considerou. Desde a época em que Laura começou a transportar commodities para a Mansão da Fé até agora, se passou dez dias inteiros. Não foi um exagero dizer que a quantidade de commodities foi suficiente para preencher toda a Mansão da Fé. Estranhamente, tudo que entrava na Mansão da Fé parecia ter desaparecido. Alodia realmente, não entendia como Laura conseguia mover essas coisas.

Alodia ficou quieto na cama, pensando nas ações recentes de Laura. Ele não entendia por que Laura estava fazendo estas coisas tão de repente. Por que ela de repente se atreveu a desafiar Carlo? Ela depende de quem? Foi apenas por causa das poucas palavras virtuosas de Evan? Isso é altamente improvável, não?

Enquanto pensava sobre isso, Alodia de repente sentiu um cheiro. O cheiro ficou cada vez mais forte até ele achar difícil de respirar. Alodia acordou ferozmente. Ele queria pular da cama e dizer a todos que Laura estava envenenando-os.

Mesmo que sua mente o tenho mandando pular, seu corpo não foi capaz de executá-lo. Seu corpo parecia pesar meia tonelada. Ele queria gritar, mas descobriu que não podia, pois isso era muito árduo para fazer. Alodia não pôde deixar de se maravilhar com o esse tipo de veneno. Isso foi realmente muito feroz. Estes foram seus últimos pensamentos. 

..................................................................................

Este veneno era naturalmente derivado da toxina da flor de sete cores. Foi Zhao Hai que mandou Cai’er colocar esse veneno. Como Alodia e sua equipe tinham que morrer sem muito barulho, Zhao Hai decidiu deixar Cai’er usar o veneno.

O veneno retirado da toxina da flor de sete cores foi reforçado devido ao Espaço. Comparado ao que era antes, não era apenas formidável. Antes, poderia ser considerado como um simples veneno crônico. Contudo, agora, ele foi fundido com a toxicidade do pesticida do Espaço e agora pode ser descrito como altamente venenoso.

Naquela noite, a execução silenciosa de Alodia e sua equipe não causou muito barulho. Zhao Hai os transformou em mortos-vivos depois. Infelizmente, Alodia não parecia saber muito. Além de seu conhecimento da relação de Carlo e Boric, Lycra sabia mais do que ele.

Embora Alodia compartilhasse algumas informações sobre a situação de Carlo, isso não era muito importante para eles. Comparado ao poderoso Rei do Sul Boric, Carlo era, na melhor das hipóteses, um palhaço saltitante. 

No décimo primeiro dia, Laura não transportou nada para a Mansão da Fé. As commodities que haviam sido transportadas nos últimos dias já haviam sido excessivas e poderiam em breve afetar o mercado de necessidades dentro do Ducado de Purcell. Laura não queria ofender o clã Purcell em seus últimos momentos.

Laura começou a mandar as pessoas embora. Caso eles queiram ser plebeus livres, Laura deu-lhes uma indenização e permitiu que eles fossem para casa. O resto era a parte mais leal de seus subordinados e seguiriam Laura. Kun já os contou antes e, ao todo, somavam cinquenta e quatro pessoas. Vinte e duas eram guerreiros, enquanto os demais eram escravos que Laura comprara quando começou a trabalhar no Ducado de Purcell.

Essas pessoas não eram mordomos e os assuntos tratados por eles não poderiam ser considerados importantes. Por outro lado, pode-se dizer que eles eram os mais leais de seus subordinados. Três deles eram carpinteiros e outros três eram ferreiros. Havia também quatro pessoas especializadas em criar bestas mágicas, também chamadas de tratadores, se estivessem na Terra.

Além dessas pessoas, os indivíduos restantes eram membros do clã. Os homens geralmente eram mordomos enquanto as mulheres eram empregadas ou cozinheiras.

Adicionando Laura, Kun, Nier, Karen, Kiel e Sérgio, havia um total de setenta pessoas se juntando ao clã Buda. A partir de hoje, eles não eram mais membros do clã Markey, mas pessoas do clã Buda. 




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.