Ascensão de um Deus

764 - Impasse Cruel

Autor: Calebe Piccoli Camargo

“E se eu criasse um casulo de Energia da Vida permanente ao redor deles?...” – Le Chang.

“Você não tem tanto poder, se fosse uma ou duas pessoas, quem sabe. Porém, o Clã inteiro? Impossível para sua força atual...” Xiong Lin disse suspirando tristemente.

Ela sabia o motivo de Le Chang tentar tão enfaticamente achar uma solução.

“Tem que ter um jeito... Se eu usar o poder do Objeto Existencial que mantém essa Dimensão viva, ela vai acabar desmoronando e não restará nada para trás...” – Le Chang.

Ele estava certo.

Para salvar sua mãe, ele precisava pegar o Objeto Existencial e dar para ela absorver o item, mas, aqui, tal objeto era a fonte de tudo, era o pilar que mantinha toda a dimensão em pé.

Com a retirada, a Prisão Demoníaca não duraria mais do que alguns anos, talvez menos, e, eventualmente, todos os seres vivos do lugar teriam que sair dali.

Para aqueles que cultivavam o Qi Demoníaco, viver no Reino Asura resolveria tudo, na realidade, seria até melhor, já que comparado com a Prisão Demoníaca, o Qi Demoníaco no Reino Asura era mais puro.

No entanto, para as pessoas que cultivavam Energia da Vida, as coisas não eram assim.

“E se eu der meu Sangue para eles?...” – Le Chang.

Xiong Lin suspirou tristemente e acariciou os cabelos de Le Chang, ela era como uma irmã mais velha tentando acalmar seu irmãozinho entristecido.

“Seu sangue é poderoso, mas, ainda, não é onipotente. Eles viveram eras sob uma quantidade indescritível de Energia da Vida, não foi apenas superficialmente que eles mudaram.

Em suma, seus DNAs se adaptaram totalmente a esta forma de vida, para você resolver isso, deveria alterar as bases moleculares de todos os seres vivos daqui.

Lembre-se que não tem apenas o Clã Le, mas milhares e milhares de vidas, nesse momento, você não tem esse poder...” – Xiong Lin.

Le Chang olhou para o teto do quarto e uma lágrima escorreu por seu rosto.

A dúvida era cruel, se ele pegasse o Objeto Existencial, salvaria sua mãe, mas o Clã Le, sua família recém descoberta, morreria e ele nada poderia fazer.

Se ele não fizesse nada, o Clã Le poderia viver eternamente neste lugar, mas, sua mãe pereceria.

Le Chang não sabia quanto tempo levaria para as meninas conseguirem o que procuravam, mas era óbvio que as chances de elas conseguirem alcançar o objetivo antes de Lin Bo sucumbir ao poder bruto que jazia em seu corpo, era pequena.

“O casulo de Energia da Vida realmente não é uma opção para meu poder?...” – Le Chang.

“Você é forte, mas não controla a Vida com tamanho domínio para ser capaz desse tipo de coisa. Chi Ziyun, quando estiver no Dao dos Imortais, seria capaz de fazer isso, criar um Casulo de Vida que absorve constantemente a Energia da Vida ao seu redor.

Se o DNAs deles não fosse tão diferente, seu Sangue teria algum efeito, mas de todas as Energias, a Energia da Vida é uma das mais fortes quando se trata de alterar as bases moleculares que compõem um ser.

Ela é capaz de moldar, tudo e todos...” – Xiong Lin.

Le Chang ficou pensativo.

Chi Ziyun precisaria estar no Dao dos Imortais para ser capaz de fazer algo para salvar o Clã Le.

Sendo assim, se ele levasse o Objeto Existencial com ele, e também o Clã Le, uma boa parte do Clã morreria antes de Chi Ziyun atingir o poder suficiente para tal.

A maioria das pessoas no Clã Le eram fracas e beiravam os milhares, apenas aqueles no Pináculo do Cultivo, como Le Su, sobreviveriam cerca de cem anos no Reino Mortal, os mais fracos, durariam horas, na melhor das hipóteses, dias.

Todavia, havia outro problema, como ele pediria ajuda para ela?

A Conexão da Alma era poderosa, mas não era onipresente, a distância que os separava e também o fato de estarem Dimensões diferentes, e até mesmo Realidades diferentes, como era o lugar onde as meninas estavam, causava interferências enormes nessa Conexão.

Atualmente, a única coisa que eles podiam sentir era se o outro estava bem.

Le Chang foi capaz de sentir as meninas rompendo para o Dao Celestial e ele estava muito feliz por elas, mas era exatamente isso, Dao Celestial.

Chi Ziyun precisaria romper um Dao inteiro para ser capaz de ajudar seu marido.

Infelizmente, era essa a única chance de Le Chang, ele precisava da ajuda de sua esposa.

“Se eu usar o Objeto Existencial, eu sou capaz de falar como Chi Ziyun através da Conexão da Alma?...” – Le Chang.

“Talvez... Um Objeto Existencial é algo indefinido, seus poderes variam, então, não posso te garantir que quando o encontrar, seu poder será útil para você utilizar...” – Xiong Lin.

“Eu preciso ter fé... Eu preciso... Eu creio que Chi Ziyun será capaz de me ajudar...” – Le Chang.

Quando ele falou isso, sua face ganhou um pouco de brilho, como ainda houvesse uma esperança.

Contudo, ele sabia a gravidade da situação. Chi Ziyun precisaria atingir o Dao dos Imortais, ele precisava avisar ela que necessitava de ajuda e ela ainda teria que de alguma forma entrar na Prisão Demoníaca, a qual era conhecida por sua entrada ser um local que apenas o Deus Demônio era capaz de abrir.

Para muitos, tal situação soaria como impossível de ser transposta e em suma, ela era.

No entanto, se haviam pessoas em quem Le Chang acreditava sem pestanejar, eram suas esposas.

Wuhan Xie, Lian Mei, Chi Ziyun e Min Jia, Le Chang tinha fé nelas, uma fé inabalável.

Entre as meninas, Chi Ziyun era a mais velha, e o fato de ela ser a Própria Vida, era importante.

Sua capacidade era algo singular, único e inexplicável.

As lendas que dominariam o futuro, não seriam capazes de fazer jus ao quão incrível ela era.

Xiong Lin sorriu para o jovem e bagunçou seu cabelo, antes de beijar sua testa e desaparecer, voltando para a Dimensão Espiritual de Le Chang.

Lá ela se juntou a Gao Yao e Seiryuu, ambos usavam todo o tempo para Cultivar, usando as Centelhas Divinas que Le Chang tinha consigo.

O mesmo era para Xiong Long e Le Mei, nenhuma das cinco poderosas presenças dentro da Dimensão Espiritual de Le Chang conversavam muito ultimamente, pois, estavam focados em aumentar suas forças, preparando-se para a batalha que há de vir.

.........................................................................

Enquanto isso, na Seita Dragão.

Lin Bo estava sentada na beira de um lago, suas pernas moviam-se dentro da água cristalina.

Ela olhava para os corais e sorria com uma visão tão bela, de cores e espécies.

Ao longe, Ras Liang estava em pé na entrada do lindo jardim.

Seus olhos focavam na mulher que havia na sua frente e ela lembrava-se da época em que Chi Ziyun a fez escolher se gostaria de a seguir.

Um sorriso, raro e único, dançou nos lábios de Ras Liang quando ela suspirou e disse baixinho para si mesma: “Foi uma boa escolha...”

Seus olhos brilhavam quando olhava para Lin Bo, afinal, aquela mulher aparentava ser tão simples, mas Ras Liang tinha a sensação de que com um estalar de dedos, Lin Bo seria capaz de fazer muitos virarem pó.

E, realmente, Ras Liang fez a maior escolha de sua vida ao decidir seguir Chi Ziyun.

Coisas grandes a aguardavam, grandes o suficiente para que lendas e mitos fossem cantados pelos bardos nos bares de vilarejos.

Para que poetas fizessem lindas poesias em sua homenagem.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.