Ascensão de um Deus

745 - Esperança

Autor: Calebe Piccoli Camargo

Ra Che olhava para Chi Ziyun e ela não podia deixar de admirar a jovem.

Chi Ziyun emanava uma sensação pura e santa, como se suas palavras não fossem advindas de uma mortal, mas de uma Deusa que reinava pela eternidade.

Ra Che apesar da admiração por Chi Ziyun e a surpresa pela chegada repentina da jovem, ela havia entendido perfeitamente as palavras que foram ditas a ela.

“V... Vo... Você... Quer dizer que... O talento da... da minha irmã pode ser aumentado?...” – Ra Che.

Chi Ziyun sorriu para ela, um sorriso lindo que poderia fazer dimensões inteiras serem tragadas em batalhas.

“Não apenas ela, todos podem elevar seus Talentos. Você pode, eu posso, Min Jia pode, Li Ca pode, todos temos espaço para crescer, por mais difícil que seja, sempre sobra um talento restante, um pequeno aumento no limite.

O Talento Inato é como a base de um prédio e sobre eles construímos nossa história, colocamos sobre eles nossos esforços e tentamos fazer o melhor que pudermos.

Contudo, as pessoas pensam que uma vez feita a base, jamais poderá ser alterada, mas isso é um engano comum.

Pense bem, se no processo de construir sua casa você notar um problema nas fundações, por maior que sejam os gastos ou o esforço e o tempo, você ainda destruirá a base e faria uma nova, certo?...” – Chi Ziyun.

“S... Sim... Sim, mas não... estamos falando de uma coisa e sim do Talento Inato, ninguém vai além dele, é impossível...” – Ra Che.

“Existem muitas coisas improváveis, mas impossíveis?

Recriar o Talento Inato é uma tarefa dolorosa, perigosa e que demanda esforço, mas é algo que se pode fazer.

A chance de morte é muito alta, acredito que tentar isso resultaria na morte de nove de cada dez pessoas que tentarem, ou seja, a probabilidade de dar certo é de apenas 10%.

Gostaria de tentar, mesmo sabendo disso?...” – Chi Ziyun.

“V... Vocês... Vocês, realmente são daqui?... Q... Quem são...” Murmura Ra Che, sua face deixava clara a sua perplexidade.

Min Jia e Chi Ziyun sorriram, elas não eram daquele lugar, nem perto dali, mas, mesmo que Ra Che soubesse de onde elas vieram, não adiantaria de nada.

Elas não eram como as demais pessoas do Reino Mortal, ou melhor, elas eram únicas em toda a Criação.

“Vamos lhe dar um dia para pensar nisso.

Eu posso ensinar você e sua irmã como recriar o Talento Inato de vocês, mas os perigos são altos, a morte não é o pior destino.

Vocês podem acabar caindo em estado vegetativo ou sofrer deformações graves, tanto fisicamente como mentalmente, afinal, a Técnica é quase uma afronta à Criação.

As chances são baixas, mas se funcionar, bem, acredite, você não terá que se preocupar com um pequeno Clã...” Chi Ziyun sorriu e sumiu pelo espaço, Min Jia também desapareceu.

No lugar que elas estavam, um pequeno papel caiu no chão, Ra Che o pegou após libertar-se do choque.

“Se aceitar, nos encontre a dez milhas ao sul do vilarejo, traga sua irmã e prepare-se para ficar fora, pelo menos, um mês...” Murmurou Ra Che lendo o bilhete em suas mãos.

Ela tremia e sua mente se indagava das possibilidades.

Sua irmã de apenas treze anos teria que passar por uma provação horrível, mas, para Ra Che, ainda era melhor apostar na incerteza das meninas do que ela tentar ficar forte o suficiente para que os anciãos de seu Clã não tentassem usar sua irmãzinha como uma moeda política.

Contudo, tal decisão não cabia a ela, então Ra Che, na calada da noite, foi até o seu Clã, ele ficava na cidade mais próxima do Vilarejo.

Sem ter muita dificuldade em esgueirar-se pelas sombras da noite, ela rapidamente foi até os aposentos de sua irmã, que a essa hora já estava dormindo.

“Acorda...” Ra Che balançou o ombro de sua irmãzinha.

“AAAAAHHH! HMMMMM!” Ra Che fechou a boca de sua irmã, impedindo que ela continuasse a gritar e acorda-se todos da Mansão.

“Shiuuuu! Sou eu, eu vim apenas conversar com você...” – Ra Che.

A irmã de Ra Che se chamava Ra Li.

“O que foi? Porque apareceu assim?...” Ra Li podia ver que sua irmã veio por um assunto importante, o rosto dela dizia que algo sério estava acontecendo.

“Você sabe do Clã Jas, certo?...” – Ra Che.

A face de Ra Li deixou vazar uma pequena pontada de tristeza.

“S... Sim, ainda não é nada oficial, mas, tenho certeza que dentro de três anos tentarão me usar como moeda em algum acordo com o Clã Jas...” Ra Li era madura para sua idade e sabia que o seu destino estava selado quando ela havia nascido.

Seu talento inato era pífio.

“E... Eu descobri uma forma de resolvermos essa questão... Porém, não é algo simples e a chance de sermos mortas é alta, por isso eu vim perguntar para você, o que prefere?

Arriscar tudo por uma chance ínfima ou continuar como as coisas estão indo?...” – Ra Che.

Ra Li era bem nova, mas ela entendia com clareza o que sua irmã dizia.

“Vo... Você desco... descobriu uma forma de alterar meu Talento Inato?...” – Ra Li.

“De nós duas, a fonte é confiável, mas a Técnica é perigosa. Podemos acabar morrendo ou virarmos vegetais, talvez o efeito colateral da habilidade nos cause deformações mentais ou físicas severas...” – Ra Che.

Ra Li obviamente ficou com medo, mas por alguns minutos ela ponderou as possibilidades.

“Se eu me casar com alguém do Clã Jas, eu estarei perdida. Todos sabem como são as coisas com eles, se me levarem, eu provavelmente morrerei em pouco tempo, e tenho certeza que sofrerei um bocado...” – Ra Li.

Ra Che fechou seu punho e era possível ver a raiva em seu olhar, ela odiava o fato de sua irmãzinha ter que fazer tais escolhas perigosas.

“N... Nós temos até amanhã para decidir, se quiser eu lhe dou algumas h...” Ra Li não deixou Ra Che terminar de falar e rapidamente respondeu.

“Eu aceito, mas preciso que você me prometa, caso eu sofra alguma deformação severa, seja ela física ou mental, eu quero me mate. Ser levada pelo Clã Jas é horrível, mas viver presa em meu próprio corpo ou acorrentada pela minha própria mente, também seria viver uma vida desgraçada...” O rosto de Ra Li estava cheio de determinação.

Ra Che abraçou sua irmãzinha e ficou com ela em seus braços por vários minutos.

“Eu... Eu prometo...” Ra Che beijou a testa de Ra Li e a abraçou novamente.

Após ambas se acalmarem, aproveitaram a noite e fugiram pelas sombras.

Afinal, desde que surgiu uma possibilidade de negociação com o Clã Jas, muitos anciãos estavam de olho nas ações de Ra Che e Ra Li, eles sabiam que as irmãs tentariam fugir de suas garras, contudo, mesmo com tamanha vigilância, elas conseguiram escapar.

Ra Che tinha um talento baixo e Ra Li ainda mais, mas Ra Che era tão forte quanto os melhores Anciãos, sendo assim, não era difícil fugir de alguns fracos vigias.

Sendo assim, com a chegada de um novo dia e com o passar das horas, Ra Che e Ra Li foram até o lugar marcado.

“Bem-vindas...” Disse Chi Ziyun aparecendo ao lado das duas.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.