Ascensão de um Deus

705 - Representação da Onipotência

Autor: Calebe Piccoli Camargo

Aquele Aspecto era singular, uma forma única, a qual era uma das mais raras, conhecida por ser um Aspecto Consciente, ou seja, era um ser consciente de sua existência.

A Energia Dourada era algo parecido, apesar de não ser um Aspecto, a mesma coisa valia para o fim e algumas outras Energias desconhecidas.

Claro, o Fim, a Energia Dourada e algumas outras coisas, eram poderes muito acima dos Aspectos da Criação, afinal, tais poderes estavam além da criadora, contudo, isso não era importante no momento e a respostas para tais questionamentos viriam mais breve do que todos pensavam.

A velocidade do Aspecto Desconhecido era tão alta que assustou alguns cultivadores mais poderosos, todos no Pináculo do Cultivo Marcial e no ápice do Caminho da Verdadeira Magia, sentiram um poder descomunal indo em direção ao Reino Mortal.

Era uma força desconhecida, mas não tinha nenhum teor maligno, era como se fosse algo inerte, sem pretensão, sem ideais, sem maldade, sem bondade, sem nada.

E então, na Arena onde ocorriam os eventos do Reino Mortal, onde estavam reunidas as maiores forças do Reino Dimensional, algo surreal aconteceu.

Uma força colidiu com o Planeta de Jo Vana e atravessou de fora a fora, como faca quente atravessa a manteiga.

Terremotos aconteceram em todos os lugares e o mar foi sacudido com grandes maremotos.

Le Chang rapidamente ativou todo o seu cultivo, pensando que fosse um ataque.

No instante que ele fez isso, a Arquibancada rachou de cima abaixo e vários cultivadores desmaiaram, Jo Vana e Dra Gon começaram a suar frio e seus olhos se encheram de medo ao olharem para Le Chang.

O garoto havia elevado seu cultivo ao ápice de seu poder e por um instante, era possível ver sua Fonte de Vida brilhando em seus olhos, como se ele estivesse preparado para queimar toda a vida em seu corpo em busca de poder para lutar contra tal inimigo.

As meninas também entraram em ação e suas forças foram elevadas ao ápice, a Árvore da Vida ficou maior que o planeta e suas raízes pareciam sugar a lava que havia sob a superfície sólida do planeta.

Uma Era Glacial começou a cobrir o Planeta e o calor de uma Estrela se fez presente, bem como o Espírito de todos os cultivadores locais sentiram-se atraídos por um Livro Dourado que jazia na frente de Min Jia.

Tanto elas como Le Chang estavam prontos para queimar suas vidas nessa batalha.

Aquela presença era grande demais para ser algo normal.

E então, a presença começou a distanciar-se, conforme ia em uma direção conhecida por eles.

Le Chang virou sua cabeça na direção que o poder ia.

“Mãe...” Murmurou ele.

Com a velocidade daquela força, Le Chang sabia que teria que queimar 80% da sua vida para alcançar o objeto e mesmo com isso, não sobraria muito poder para lutar.

Ele começou a ponderar usar a sua própria Existência e queimar ela para obter poder, mas, quando ele ia agir, algo o acalmou.

Uma sensação de calma e alegria permeou todo o seu corpo, algo que ele não pode explicar, mas no instante seguinte as respostas para suas indagações chegaram.

A força desapareceu completamente e uma outra tomou seu lugar.

De todos os lados começaram a surgir sons de passos, como se uma multidão marchasse em direção a eles, mas não havia ninguém.

A sensação de plenitude e compreensão permeou o ar quando uma presença lentamente crescia em um canto esquecido do Reino Mortal, na Galáxia Escorpião, no Planeta Plumas ao Vento.

E então, uma presença extremamente pesada e caótica se fez presente, um poder descomunal começou a rasgar o espaço de cima abaixo, de lado a lado, e por todos os lugares.

Le Chang surpreendeu-se com tal evento, não era o tecido espacial que estava se rasgando, mas as próprias Leis da Realidade que regiam a lógica do espaço e do tempo começaram a se desfazer.

A gravidade ficou louca e as pessoas, animais e a água começaram a flutuar em alguns lugares e em outros ela dobrou sua força.

Estrelas longínquas estremeceram e algumas menores se desfizeram, os buracos negros minguaram, como se um poder além deles os força-se a reprimir-se, com medo de que fossem destruídos.

E então, ao longe, um ser de proporções universais se fez presente.

Era uma mulher, feita de pura Energia.

Seus olhos eram vermelhos como a lava que corre por debaixo da terra, seus cabelos eram vermelhos como as estrelas antigas e imponentes, seu corpo era magro e levemente pálido, como se estivesse à beira da morte, suas unhas eram compridas e afiadas, as quais poderiam fazer até mesmo um leão sentir vergonha de suas garras.

Seus dentes pareciam ser capazes de sugar o sangue de toda a criação em um piscar de olhos.

Ela estava de braços abertos e um vestido cor de vinho cobria seu corpo, como se ela fosse uma beleza mortal, a qual ao seduzir todas as criaturas enfim encontraria sua morte.

Uma sensação mortal se agarrou no coração dos presentes, como se olhar nos olhos daquela mulher fosse um dos maiores pecados da Criação.

A Centelha Divina da Morte que estava dentro de Le Chang, pela primeira vez, acovardou-se, como se aquele ser estivesse muito além do que ela poderia fazer.

Era como se o berço onde a Imortalidade foi forjada estivesse ali, na frente de todos.

Aquela mulher transmitia a sensação de infinito, como uma vida que se findou, mas a morte jamais teve coragem para aproximar-se.

Ela não era outra se não a Primeira Vampira e aquela manifestação era a Herança e a Linhagem dela que estavam sendo ativadas dentro do corpo de Lin Bo.

No centro daquela mulher feita de energia, havia uma outra.

Ela tinha longos cabelos castanhos e olhos cor de mel, seu corpo era perfeitamente equilibrado e um leve brilho dourado permeava sua pele.

Na frente dela pairava uma força desconhecida, um poder que não era explicado, algo além do real e superior a lógica.

O Aspecto Desconhecido estava se apresentando para a pessoa digna de o usar.

Lin Bo fechou seus olhos e suspirou levemente, no mesmo instante ela os abriu abruptamente e uma onda de puro poder se desprendeu de seu corpo.

Ela levou sua mão e segurou o poder que pairava a sua frente e então levou em direção ao centro de seus olhos, onde ele foi absorvido e assimilado dentro de sua Dimensão Espiritual.

O Corpo, Espírito e a Alma de Lin Bo mudaram, atingindo patamares irreais e supremos.

Xiong Long dentro do corpo de Le Chang surpreendeu-se, ele sabia que a Primeira Vampira era um ser com um poder sem igual, capaz de rivalizar com o Deus dos Dragões, mas não tanto assim e só então ele lembrou-se do poder distinto que atravessou o Planeta.

“Ele finalmente encontrou um Mestre?...” Murmurou ele dentro da mente de Le Chang.

“Quem achou?...” – Le Chang.

“O Aspecto Desconhecido...” – Xiong Long.

“Como assim?...” – Le Chang.

“Não sei explicar, apenas veja...” – Xiong Long.

E então, uma onda de poder varreu todo o Reino Mortal e uma presença única se fez presente, e todas as outras sumiram, esta força não aceitava dividir o espaço com mais ninguém, afinal, aquele Aspecto Desconhecido era na realidade, a Representação da Onipotência.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.