Ascensão de um Deus

690 - Pesadelo dos Monstros

A multidão arregalou os olhos e todos se colocaram de pé olhando para o Palco do Dao Santo.

“Vocês todos, fiquem aqui...” Le Kun falou com uma voz fria e cheia de poder, fazendo com que suas irmãs, seu irmão e os seus aliados, rapidamente recuassem alguns passos para dar espaço ao jovem lutar.

Ele lentamente deu alguns passos à frente e a cada instante, uma sensação de frieza se espalhava por todo o Palco.

Flocos de neve começaram a cair, como se o inverno tivesse chegado com antecedência.

Uma camada fina de gelo começou a se formar sobre todo o chão do palco e ventos frios se agitaram e começaram a soprar de todos os lados.

O olhar de Le Kun era muito frio e deixava claro que ele poderia ser quieto e um pouco tímido, mas sendo filho de Le Chang e Wuhan Xie, ele não era fraco.

Não seria à toa que no futuro, ele seria conhecido como o Pesadelo dos Monstros.

Seus olhos pareciam ser tomados por uma nevasca e até mesmo alguns raios azulados, feitos de Atributo Gelo, começaram a correr por seus olhos.

Sua presença se elevava a cada instante, da mesma forma que a frieza do local ficava cada vez mais forte.

“Vocês todos que têm algo contra a minha família ou a mim, venham todos de uma vez...” Sua voz era sinistra, causando arrepios naqueles mais fracos.

Ele ficou parado, ergueu sua mão direita para frente e fez sinal que o atacassem.

Aqueles mais impetuosos, dispararam contra o garoto, trazendo suas armas, enviando habilidades marciais e vários outros tipos de ataques.

Le Kun rapidamente moveu sua mão direita e um lindo sabre apareceu de seu anel de armazenamento.

Sua lâmina era azul cristal e o seu cabo era dourado.

Então, com um movimento de sua mão, o machado que acertaria sua cabeça, simplesmente foi jogado para o lado, desviado facilmente pela arma do garoto.

O próximo ataque a chegar era uma bola de fogo imensa, que foi cortada facilmente pelo jovem.

E assim foi, animais feitos de fogo, raio e terra, armas dos mais variados tipos, como lanças, flechas, machados, sabres e afins, todos eram desviados com perfeição.

Porém, o que mais apavorou a todos era o fato de que Le Kun não tinha dado um passo de sua posição original e o seu braço esquerdo estava nas suas costas.

Apenas o seu braço direito movia-se, a uma velocidade tão grande que apenas vultos apareciam esporadicamente.

Le Chang tinha um sorriso imenso em seu rosto e as suas esposas também.

Le Kun era, sem dúvida alguma, muito poderoso.

“Saiam!” Um berro imenso fez grande parte dos cultivadores recuarem, quando um homem começou a andar até Le Kun.

Ele era um homem de meia idade, cabelos negros e azuis, seu corpo era levemente definido e era possível ver uma espada de dois gumes em sua mão esquerda.

O cultivo dele estava firmado no Pico do Dao Santo.

“Garoto, você é forte, mas não se ache por ter lidado facilmente com lixos no começo do Dao Santo. Eu lhe ensinarei o que realmente é lutar de verdade...” O homem disse com um sorriso diabólico em seu rosto e então disparou contra Le Kun.

Ele trouxe sua espada em um arco vertical, mas o jovem rapidamente trouxe o sabre e aparou o impacto.

No mesmo instante, usando a força do golpe, o homem trouxe sua perna direita contra a cabeça de Le Kun, mas este último empurrou a espada do homem para cima e trouxe a ponta de seu sabre em direção ao tornozelo do oponente, o forçando a parar seu ataque e recuar.

“Hm?... Você não ia me mostrar a lutar de verdade?...” Le Kun sorriu e seu olhar deixava claro que em suas veias corria a Herança do Deus dos Demônios.

Sua presença antes fria, parecia neutra, mas agora, lentamente ela se tornava pesada e demoníaca.

“Venha com tudo que você tem, do contrário, não terá graça nenhuma...” Sorriu Le Kun.

O homem se encheu de raiva e disparou contra o garoto que rapidamente começou a mover seu sabre a uma velocidade assombrosa.

Vendavais ocorria e os ventos atingiam velocidades acima dos maiores tufões.

Os competidores nem ousavam tentar lutar entre eles, e apenas ficavam nas beiradas do palco, observando atentamente o desenrolar do combate.

O homem em um dado momento, vendo que Le Kun estava lidando com ele com muita facilidade, fez uso de métodos sujos.

“Já que você é tão forte, me diga como lutará depois que alguém de sua família morrer...” O homem riu e desferiu dezenas de golpes contra Le Kun, ao custo de boa parte de seu Qi, mas conseguiu criar uma distração o suficiente para jogar uma adaga em direção a Le Huo.

O golpe foi imperceptível para a maioria das pessoas, mas não para aqueles no Dao do Santo Rei e acima.

Todos puderam ver que com aquela força, Le Huo morreria, no entanto, a adaga parou no meio do ar, quando uma pequena mão segurou o cabo.

Le Kun girou seu corpo e trouxe a adaga direto no ombro de seu oponente.

No mesmo instante, ele desferiu dezenas de golpes em várias partes do corpo de seu oponente, quebrando vários ossos.

O homem estava arrebentado, e era possível ver o sangue se acumulando ao redor de seu corpo, que rapidamente começava a congelar devido ao frio do recinto.

“Meus parabéns, você conseguiu fazer eu sair do meu lugar...” Le Kun disse com um sorriso sinistro em sua face.

O garoto pegou o homem pelos cabelos e começou a arrastar ele até a beirada do palco, onde as pessoas que estavam ali, rapidamente saíram da sua frente.

Le Kun pegou e jogou o homem fora do palco, então virou-se para os demais oponentes e falou.

“Um já foi, quantos de vocês ainda querem matar aqueles próximos de mim? Eu já disse, venham todos de uma vez, no começo, no meio e no Pico do Dao Santo, eu esmagarei todos vocês...” Le Kun berrou e então disparou contra seus oponentes.

Ele sabia perfeitamente quem tinha uma grande sede de sangue direcionada a ele.

Era uma das habilidades da Herança Demoníaca advinda de seu pai.

Ele era capaz de perceber com muito mais eficiência a intenção assassina direcionada a alguém.

Sendo assim, não foi difícil ele saber quem era seus verdadeiros inimigos.

E assim um embate imenso teve início.

Um jovem cultivador, Le Kun, seu olho esquerdo era cor de mel e seu olho direito era verde, seu corpo esguio e pele branca, contra milhares de oponentes no Dao Santo.

O desfecho era uma incógnita, afinal, por mais forte que fosse, existia alguém capaz de lutar contra milhares de cultivadores no mesmo patamar de poder que ele?

A resposta viria em breve e, sem dúvida alguma, impactaria eternamente o Reino Mortal.

Ficando gravado nas fundações da existência.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.