Ascensão de um Deus

655 - Recolha-se A Sua Insignificância

Contudo, quando sua mente ia sucumbir, Le Chang parou e sua alma pareceu lhe lembrar de algo.

Como se uma brasa fosse encontrada em meio as cinzas de sua força de vontade.

Uma voz ecoava em sua mente: “Você não conhece meu pai... Meu pai não será o Deus das Sete Raças Divinas, ele será o Deus dos Deuses, não será uma estrada que impedirá sua Ascensão...”

Ele viu uma menininha correndo até ele com um sorriso grande e olhos brincalhões, o chamando de papai, Le Liang estava com seus braços abertos esperando seu pai a erguer.

Le Kun e Le Huo vinham correndo ao longe com a felicidade dançando em seus olhos.

E ao seu lado, estavam suas esposas, repletas de poder e divindade.

No mesmo instante, todas as pessoas mortas e as mãos demoníacas se transformaram em um imenso ser negro.

“Sucumba garoto... Você não é digno...” A voz do Fim ecoou por toda a Floresta da Criação e fez estremecer tudo e todos.

“Hahahahaha! ” Uma risada começou a aumentar de intensidade e não demorou para que ela tomasse conta e se sobressaísse as blasfêmias do fim.

“O quão digno eu sou, não é algo que lhe convém decidir... Eu não me importo, se eu sou ou não sou digno, nada disso importa... Eu não busco aceitação... Eu não estou atrás de palmas, eu estou atrás do meu sonho, dos meus objetivos e minha família entende. Porque eles sabem que não será uma estrada e muito menos o Fim que existe nela que irá impedir minha Ascensão.

Se eu sou egoísta, que assim seja. Eu nunca quis ser um santo, eu quero apenas viver com minha família eternamente, com aqueles que eu amo e se para isso, eu precisar esmagar não só você, mas tudo e todos, eu farei isso com um sorriso em meu rosto.

Se para derrotar os monstros eu precise me tornar um demônio, que assim seja.

Acha que você é mal? Que você é o Fim? Que você sabe o que é destruição?

Recolha-se a sua insignificância e torne-se o último degrau na Ascensão do Deus dos Deuses...” A voz de Le Chang estava carregada com um poder sobrenatural.

Então o jovem começou a andar e a cada passo seu poder explodia de seu corpo.

“Isso é poder...” No mesmo instante que Le Chang falou, seu cultivo desceu até o nível de um humano comum e então saltou diretamente para o Dao da Eternidade.

Seu controle sobre sua própria força era perfeito.

Ele então deu mais um passo e seu corpo foi coberto por chamas douradas, no segundo passo uma onda de choque descomunal nasceu a partir dele, de tal maneira que dezenas de rachaduras se fizeram presentes na estrada e as árvores da floresta ao seu derredor se curvaram.

E então, com um simples olhar, o Ser Negro, o Fim, se tornou cinzas ao ser englobado pelas Chamas Divinas e sucumbir diante do poder do jovem.

Le Chang tinha seus olhos cheios de poder, o Dao da Eternidade cumpriu seu papel e o poder que existia dentro dele era descomunal.

A Imortalidade chegou até ele e daquele dia em diante, Le Chang tornou-se alguém diferente.

Era como imaginar um rio que foi represado por segundos, minutos, horas, dias, semanas, meses, anos, décadas, séculos, milênios e então, quando nada mais era capaz de lhe impedir, seu poder veio à tona e ele mostrou a todos quem realmente era mais poderoso, o obstáculo ou ele.

No mesmo instante, todas as miragens se dispersaram, Le Chang olhou para frente e deparou-se com um imponente portão dourado.

Quando olhou para trás viu que na realidade a estrada tinha pouco mais de cem metros, o Prédio da Biblioteca da Criação e a casa de Le Mia, que cuidava da Floresta da Criação eram construções extremamente próximas.

Um sorriso dançou em seus lábios e ele sorriu ao ver que havia caído perfeitamente nas formações ilusórias.

Le Chang, então bateu algumas vezes na porta e não demorou mais que alguns instantes para alguém atender.

Era Le Mia, uma jovem de cabelos loiros até sua cintura, seus olhos eram da mesma cor, seu corpo esguio e sua presença divina a deixavam com uma beleza estonteante.

Ela vestia uma roupa branca e solta, a fazendo parecer uma santa.

“Oh! Você deve ser Le Chang... Engraçado, Le Ya tinha me dito que você viria até aqui, mas não esperava você tão cedo...” – Le Mia.

“Hm?... Eu levei quase um mês para vir até aqui...” – Le Chang.

“Um mês?...” Os olhos de Le Mia tinham grande surpresa.

“Demorei muito, desculpe...” – Le Chang.

“Demorou?... Garoto, a pessoa mais rápida atravessar esta estrada levou um ano e meio.... Você fez em um mês...” Le Mia tinha um sorriso em sua face, afinal ela tinha que concordar com sua irmã, Le Ya, que havia explicado tudo para ela, quem Le Chang era e o que ocorreu dentro da Biblioteca da Criação, o jovem era cheio de surpresas.

“Venha... Pode entrar, no segundo andar a porta da direita tem um quarto, pode tomar um banho e descansar...” – Le Mia.

“Certo...” Le Chang passou por ela e foi para onde a jovem havia lhe dito, afinal, ele realmente precisava de um descanso.

Le Mia vendo que Le Chang havia entrado para casa deu uma última olhada para fora e sua face se surpreendeu quando viu as lendárias formações ilusórias, de Nível da Criação estavam todas destruídas.

Cada vez que Le Chang às derrotou elas foram permanentemente destruídas e precisariam ser refeitas completamente, do contrário, jamais poderiam ser utilizadas.

Ela não pode deixar de sorrir.

Em sua mente ela não pode impedir de alguns pensamentos correrem soltos.

“Quem diria que alguém assim apareceria, estas formações foram feitas por meu pai, no ápice de seu poder, mesmo alguém com um poder mental de mesmo nível que ele não seria capaz de destruir as formações apenas às vencendo.

A única explicação para isso é que este jovem, Le Chang, deve ter uma certeza, uma força de vontade tão poderosa que nem mesmo a maior das dores tiraria seu foco...”. Contudo, uma voz a tirou de seus devaneios.

Ela virou-se e viu Le Chang, ele estava parado, mas não parecia ser ele mesmo, já que seus olhos estavam dourados e sua face tinha um pequeno sorriso amoroso em direção a jovem.

“Minha filha... O que esse jovem tem é uma fé sem igual, eu acreditava que não era possível alguém amar uma pessoa mais do que eu amei seu pai, mas este rapaz, não será derrotado por ilusões, sua mente é inquebrável, seu coração inabalável, sua alma imbatível, seu espírito imortal.

Ele é aquele que carrega não apenas o meu legado, mas aquele que finalmente tornará realidade o que eu fui incapaz de fazer.

Seu pai e eu passamos nossas forças para ele, nossos legados, heranças, linhagens, este jovem, é o representante de nosso desejo e através dele, espero encontrar todos vocês mais uma vez...” A voz que saía da boca de Le Chang era de Le Mei e nesse instante, Le Mia desabou em seus joelhos, lágrimas correram de seus olhos e um sorriso dançou em seus lábios.

“Droga Le Ya... Quando... Snif... Snif... Quando... Você disse que ti... tinha uma surpresa... não pensei que era isso...” – Le Mia.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.