Ascensão de um Deus

639 - Pai... Mãe...

“Eu entendo a situação, tem coisas que não podem ser previstas...” – Le Chang.

“Como foram nas outras Dungeons?...” – Min Jia.

“Oh! Foram relativamente tranquilas, nada que fugisse muito do usual, mas a dificuldade estava um pouco elevada, tivemos algumas baixas, mas nem perto da perda de vocês...” – Mon Sterman.

“Entendo...” – Min Jia.

“Senhor, você seria Melf Lumaer, certo?...” – Lian Mei.

“En!...” – Melf Lumaer.

“Nós decidimos que iremos ajudar sua empreitada em recuperar o Império...” – Lian Mei.

O olhar de Sharia Lumaer e de seu pai se encheram de lágrimas, afinal, todos podiam ver o quão poderoso o grupo era.

Le Chang após ter avançado para o Meio do Dao do Poder, encontrou uma dificuldade sem igual de suprimir sua Aura Divina, mesmo que ele fizesse isso, boa parte dela saia naturalmente, o que sempre lhe deixava emanando a sensação de puro poder.

As meninas tinham seus olhos brilhando com santidade e poder e não era para menos, todas haviam encontrado grandes mudanças na Dungeon, avançando em força e sabedoria.

“Após uma situação tão desastrosas, os três poderes se reuniram para discutirmos a situação, mas apenas o Império não enviou seu representante máximo, o Imperador, mas o senhor, Melf Lumaer, veio no seu lugar.

Acredito que isso seja uma falta de respeito para com as vidas perdidas e a falta de empatia para com o futuro deste Planeta.

Apesar de não gostarmos de nos envolvermos nessas situações diplomáticas, é nosso dever nos posicionarmos diante de uma situação caótica.

Afinal, quando se tem poder, e coisas ruins acontecem e você podia impedir, a culpa é sua.

Se você tem a capacidade de mudar, de fazer seu planeta, seu país, sua cidade, seu estado, sua região, ter um novo refrigério, escapar das garras da destruição, do caos e da maldade, faça!

É um erro deixar tudo afundar no caos sem haver luta e resistência, sendo assim, nós, iremos ajudar você, Sr. Melf Lumaer a recuperar a honra do Império e a sua Família será a nova Família Imperial! ” A voz de Le Chang carregava uma sensação de certeza e tinha uma força de inspiração por detrás de suas palavras que até mesmo o Líder do Comércio e o Mestre da Guilda Central tinham seus peitos estufados e prontos para a luta.

“Eu ficarei grato com sua ajuda, Senhor Le Chang! ” Melf Lumaer e Sharia Lumaer se levantaram e curvaram-se de forma profusa para o jovem.

Ele moveu sua mão dizendo que não eram necessárias tais ações, Le Chang não se importava com isso e gostava de ser tratado igualmente, sejam pelos fracos ou pelos fortes.

Ele havia atingido o Dao do Poder, as coisas diante de seus olhos eram diferentes.

....................................................

Enquanto isso, dentro de sua Dimensão Espiritual.

Uma parte da consciência de Le Chang estava no mundo material e outra dentro de sua mente, conversando com os novos moradores de sua Dimensão Espiritual.

Ali estavam Seiryuu, Gao Yao e Xiong Lin, os três estavam parados de frente para dois jovens.

Uma tinha olhos e cabelos dourados, pele branca, tão alva quanto a neve.

Seu corpo perfeitamente equilibrado e suas feições perfeitas a deixavam com uma aparência de santidade, pureza e perfeição.

Ao lado dela estava um jovem, seus cabelos e olhos eram como os de Xiong Lin, com todas as cores nascendo ali.

Ele era magro, mas era possível ver cada músculo por baixo de sua pele, suas feições delicadas, exalavam uma presença tão opressora e divina que ele podia ser considerado o ápice dos homens.

Seiryuu e Gao Yao olhavam para baixo, como se não tivessem coragem de encarar tais seres e apenas Xiong Lin olhava para frente, seus olhos repletos de lágrimas.

“P... Pai... M... Mãe...”. Ela correu para abraçar os dois e puxou ambos para ela.

A jovem Deusa Élfica chorou ao reencontrar seus pais, mesmo Le Mei não tendo partilha em seu nascimento, ela havia lhe criado como sua filha, educado e amado como se realmente fosse dela.

Xiong Lin não se segurou em pé e seu corpo desabou, ela estava de joelhos e soluçava.

“Pai... Pai... Eu tentei... Eu tentei... Mãe... Mãe... Eu tentei de tudo, mas... a Morte... a Morte... É forte demais...” Xiong Lin se desculpava de todas as formas, afinal, ela tentou ir contra a Morte para reviver Xiong Lin e Le Mei.

Ela lutou com tudo que tinha, com toda sua existência, mas não obteve sucesso.

“Não chore minha pequena... O papai não quer ver você chorando...” Xiong Long afastou a jovem levemente e com sua mão limpou as lágrimas que corriam nas bochechas coradas da jovem.

Le Mei acariciava os cabelos da Deusa Élfica e a acalentava, tentando fazer a dor e a tristeza que nasciam no coração da jovem, sumir.

“A Morte não era algo natural para mim e para o seu pai, mas nós aceitamos de bom grado, eu me despi da imortalidade pois não podia ver minha vida sem ele e ele despiu-se de sua eternidade para lhe fazer nascer.

Sua aparição não foi nossa morte.

Nós poderíamos viver eternamente, veríamos todos morrerem e então restaria apenas nós dois.

No entanto, quando você nasceu, aquela pequena menininha, me olhando com olhos curiosos e sorriso brincalhão, tentando me abraçar com seus bracinhos, derreteu minha alma.

Eu pensei que jamais poderia amar alguém na mesma medida que Xiong Long, mas você quebrou minhas certezas.

Eu morri para acompanhar seu pai ao pós vida, mas também para que você fosse nosso Legado.

Minha pequena Elfa, meu coração está com você, nós jamais a deixamos, sempre estivemos vivos nas suas memórias e seu pai sempre, a cada instante, a cada respirar, a cada lágrima, a cada segundo, esteve cuidando de você, lhe observando do mais alto posto da Criação.

E agora, estamos aqui novamente e jamais a deixaremos, afinal, aquele que nos une, é alguém que não apenas me substituirá, mas se elevará a um patamar que eu jamais atingi...” Le Mei se levantou e tomou Xiong Lin pela mão.

Ela a levou até o lado de Seiryuu e Gao Yao, então, Xiong Long e Le Mei também ficaram lado a lado com os três e na frente deles, estava Le Chang.

“A partir de hoje, o elo, chamado Le Chang, uniu novamente um pai e uma mãe com sua filha...” Le Mei e Xiong Long curvaram levemente suas cabeças na direção de Le Chang.

E então, neste segundo, no Umbral do Portão Espiritual de Le Chang, onde havia sete locais, três ocupados, dois novos postos apareceram, mas eles eram especiais, ficando acima dos sete.

Eles eram de cor branca e em um havia uma esfera dourada e em outra uma esfera multicolorida.

Le Chang sorriu e no mesmo instante sentiu uma onda de poder inundando seu corpo.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.