Ascensão de um Deus

557 - Nível Absoluto da Criação

Le Chang se viu flutuando em um lugar escuro, como se a luz nunca houvesse pisado ali.

“Bem-vindo... Ao Vácuo...” O Ser Dourado apareceu no lado de Le Chang.

“Sabe, algumas coisas me deixam surpreso...” – Le Chang.

“Oh! O que?” – Ser Dourado.

“Tudo parece poderoso, mas tão frágil ao mesmo tempo... Já percebeu? Homens fortes são quebrados por um rosto bonito, reinos destruídos por sorrisos lindos... Mulheres caem por causa de seu desejo por poder, a bondade se esvai devido a avareza, luxúria e o orgulho dos homens... Não importa a raça, existe uma fragilidade inerente a sua criação que me deixa atônito...” – Le Chang.

“Hm... Você tem razão...” – Ser Dourado.

Le Chang estendeu a mão para à frente e em sua palma da mão lentamente uma grande quantidade de Energia se reuniu, ela girou até que ganhou o formato da própria existência.

Era como se ele fosse Deus e o Universo coubesse nas suas mãos.

Ele podia chamar cada estrela, em todas as Dimensões, por seu nome.

“Mas sabe... É na fragilidade que existe o poder...” – Le Chang.

“Hm?... Porque diz isso?...” – Ser Dourado.

“Homens fortes são quebrados por um rosto bonito, mas eles lutam contra o mal para manter o sorriso de seus entes queridos. Reinos são destruídos por sorrisos lindos, mas eles também são criados por eles, nenhum reino se mantém sem alguém carismático a sua frente... Mulheres caem por seu desejo de poder, mas é por causa deste desejo que muitas se sobressaem, lutam por seus direitos, conquistam sua independência e tornam-se capazes de abalar mundos inteiros com suas presenças... É quando a avareza, luxuria e o orgulho estão em seus ápices, que a bondade brilha como jamais brilhou...” – Le Chang.

“Você realmente gosta deles, não?...” O Ser Dourado não tinha feição alguma, mas algo como um sorriso dançou em sua face.

Le Chang virou seu rosto para o Ser e riu animadamente.

“Hm... Não de todos, tem alguns seres que a existência não sentiria falta se fossem destruídos, mas, alguns merecem meu apreço e meu sacrifício... Eu quero construiu um lugar onde o bem seja recompensado e o mal seja punido, porque como as coisas estão hoje, não vejo um futuro promissor pela frente...” – Le Chang.

“A Criadora, criou, mas o Fim, corrompeu...” As palavras do Ser Dourado realmente foram sábias, e disse tudo que Le Chang precisava ouvir.

“Certo... Acho que está na hora de voltar, foi interessante morrer...” – Le Chang.

..............................................................................................

Clack! Clack! Clack!

O tecido da realidade sobre o corpo de Le Chang rasgou-se, do qual um outro Le Chang saiu.

Ele era um homem de meia idade e quando ele fez tal aparição, as meninas saltaram de suas camas.

Elas não conseguiam falar, mas quando notaram o inconfundível amor nos olhos de seu marido, elas sorriram, calmas.

Le Chang do futuro sorriu na direção delas e algumas palavras foram ouvidas.

“Seja no passado, no presente ou no futuro, meu amor por vocês é infinito, nem mesmo o Vácuo pode mensurar o quanto eu as amo... Podem os segundos e as eras passarem, a vida e a morte, mas meu amor, será sempre eterno...” Ele foi até o corpo de Le Chang do passado, que jazia sem vida sobre a cama e tocou em suas sobrancelhas.

Quando o fez, ele sumiu, tendo sido absorvido pelo cadáver.

Nesse momento, tudo parou, literalmente tudo.

Le Chang viu seu corpo explodir e então ser reconstruído através de pura Energia da Criação.

“Este corpo é indigno de comportar tal poder...” A voz da Criadora soou nos ouvidos de Le Chang.

Aqui estava a segunda parte do presente dela.

Le Chang viu cada célula de seu corpo sendo criada pessoalmente pela própria Criadora.

Se ele havia um dia pensado em perfeição, ele mudou seu conceito ao ver o que ele havia se tornado.

“O Corpo Primordial, Espírito Primordial e Alma Primordial, foram elevados ao Nível Absoluto da Criação...” – Criadora.

Le Chang sorriu e sentiu uma imensidão de poder correndo em suas veias.

Ele sorriu e então rugiu para os céus.

Quando o fez, dois Dragões imensos saíram de dentro de sua boca, um deles era negro como o espaço profundo, outro branco como o brilho de uma supernova.

Não demorou para que uma Elfa colossal fizesse sua aparição, ela era tão grande que o Planeta Plumas ao Vento podia caber na ponta de seu dedo.

Ela era rodeada por Seiryuu e Gao Yao.

Atrás de Xiong Lin, um Trono Dourado fez sua aparição, tão grande quanto algumas estrelas e sobre ele estava sentado Le Chang, agora em sua forma nova, como um jovem com sua aparência de vinte anos.

Le Chang moveu seus olhos para o centro da Galáxia Escorpião e então no instante seguinte, seu corpo foi teleportado novamente para o seu quarto, onde ele juntou-se as suas esposas.

Enquanto isso, parte de sua consciência foi desviada, mantendo sua Presença em total poder.

Ele dividiu sua Presença em três partes, uma ficou no Trono Dourado.

Outra parte pegou Kar Zan, salvou Shao Yang e Bu NnY, outra resgatou Dw Arf e também prendeu Ek Asn.

.................................................................................

Algumas horas depois, a presença de Le Chang ainda se mantinha fora do Espaço do Planeta Plumas ao Vento.

Um jovem, sentado sobre um trono dourado, a sua frente três seres divinos jaziam imponentes, como seus guardas pessoais.

A Presença lentamente ficava mais opaca, mas provavelmente demoraria dois a três dias para ela sumir completamente.

Enquanto isso, na Cordilheira da Ascensão Espiritual, havia uma imensa área, rodeada de arquibancadas, nas quais jaziam milhões de cultivadores, todos da Seita Dragão.

No centro, presos por correntes, estava Kar Zan e Ek Asn, logo ali perto, haviam vários cultivadores, também presos, estes eram os generais de Kar Zan.

O restante do exército de Kar Zan, havia sido preso no Planeta da Guilda de Aventureiros.

Na direção norte, haviam Cinco Tronos, no meio estava Le Chang, vestindo roubas brancas, sem adereço algum.

Ao seu lado esquerdo estavam, respectivamente, Wuhan Xie e Lian Mei, do lado direito Chi Ziyun e Min Jia.

Todas vestiam roupas simples, sem adornos, mas estes não se faziam necessários, suas belezas eram ofuscantes demais para depender de meras joias.

Alguns metros à frente dos tronos, Shao Yang jazia de pé, ao seu lado Bu Nny e um grande caixão também fazia parte deste momento.

“Que o Julgamento de Kar Zan, Ek Asn, bem como todo o Exército Imperial comece sendo presidido por Shao Yang...” A voz de Le Chang era imponente.

Ele deixou esta tarefa para Shao Yang porquê de todos, o mais prejudicado, de longe, foi ele.

O Planeta Plumas ao Vento estava intacto.

Contudo, quando Shao Yang ia dar um passo à frente, milhões de presenças foram sentidas ao redor do planeta.

Na frente de dois exércitos colossais, jazia Lu Na e Reo Song.

Ambos vestiam suas armaduras.

“Garoto! Liberte Kar Zan!” A voz de Reo Song era imponente e muitos cultivadores da Seita Dragão desmaiaram devido à pressão.

Lu Na parecia estar mais apática, ela só veio por dever, mas não estava à vontade e nem com animação de lutar por Kar Zan.

“Ele cometeu graves crimes, deve pagar por isso...” – Le Chang.

“Tsc! E daí?... Por mais que ele seja um idiota, ele ainda é importante para a Galáxia Leão, além disso, você cortou o único braço bom que ele tinha, isso já não é o suficiente?...” – Reo Song.

“Hahahaha!” – Le Chang.

“O que está rindo?...” Berrou Reo Song claramente irritado, ele já não estava a fim de vir no auxílio de Kar Zan, mas ele deveria agir, foi um consenso que se um dos três estivesse em apuros, os outros deveriam ajudar.

Eles haviam jurado.

Reo Song desembainhou sua espada e estava pronto para lutar contra Le Chang.

Lu Na seguiu os passos e também se armou, os generais levaram suas mãos para o alto e deram o sinal para atacarem.

Milhões de cultivadores precipitaram-se sobre a Seita Dragão e uma luta colossal era esperada.

Contudo...




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.