Ascensão de um Deus

509 - Décimo Trono do Dao do Santo Rei

Os lobos queriam rasgar a garganta de Le Chang, seus olhos exalavam o mal que a Energia Yin Impura trazia consigo.

Enquanto em sua forma Pura ela era apenas uma força natural e um estado comum de toda a vida, ou seja, o lado oposto da Energia Yang, em sua forma Impura ela era carregada com a maior das corrupções.

Ao cultivar a forma pura da Energia Yin, você apenas entenderia seu próprio lado obscuro, entenderia os seus defeitos e trabalharia em uma aceitação e aprimoramento de sua mente e controle físico e mental, mas quando em sua forma impura, ela apenas destruiria lentamente sua mente, tornando o ser em algo mal, e repleto de ódio e rancor, direcionados a tudo que estava vivo.

Le Chang usava toda sua força física para lutar.

Havia duas forças brutas realmente singulares, a física e a mental, a última, era mais visível através do uso do Sentido Divino, o qual o cultivador era capaz de manipular quantidades absurdas de peso.

Alguém no Dao do Santo Rei, poderia facilmente levantar um bilhão de toneladas. Todavia, em sua força puramente física, o valor era de “apenas” um milhão de toneladas, contudo, o tempo que o cultivador poderia erguer, usando as duas opções era diferente.

Se com o Sentido Divino o cultivador poderia manter tal objeto levitando por dez minutos, usando a força física, para levantar um milhão de toneladas, o cultivador poderia manter-se por dez vezes esse tempo.

Sendo assim, os socos de Le Chang traziam consigo a capacidade de um milhão de toneladas, junto de uma velocidade absurda, o que era capaz de gerar uma energia suficiente para pulverizar uma montanha de seis milhas de altura. {{Autor: Tipo o monte Everest.}}

Todavia, o corpo dos Lobos era incrivelmente resistente, os golpes de Le Chang causavam danos graves, mas não fatais, sendo assim, a luta era intensa.

Em alguns momentos as garras dos animais atingiam a carne de Le Chang e mesmo que seu Corpo Primordial tivesse uma defesa absurda, capaz de suportar golpes de uma Arma Santificada, as garras destes lobos não deveriam serem taxadas como mundanas.

Le Chang tinha cortes profundos em seu peito, e sua mão direita estava quase dilacerada por ter socado continuamente os ossos expostos dos inimigos.

Todavia, sua capacidade regenerativa era aterrorizante, o mais surpreendente, era que a cada vez que ele se machucava, o ferimento curava-se mais rápido que anteriormente, ou seja, seu Corpo Primordial era capaz de se adaptar a situação, afinal, tal físico era o mais poderoso no quesito potencial.

Diferente de todos os outros, o Corpo Primordial, bem como a Alma e o Espírito Primordial, não tem nada de superior a um corpo mortal, mas seu poder reside na capacidade de aprimoramento, ou seja, não existe limite para o quão poderoso a trindade da vida que o cultivador tem, possa ser.

Atualmente, os ossos de Le Chang poderiam ser considerados tão resistentes quanto diamantes, seus tendões eram tão poderosos quanto cabos de aço e sua pele, apesar de ser macia, era tão resistente quanto alguns dos materiais mais resistentes existentes.

Dessa forma, os golpes trocados eram surreais.

Conforme o tempo passava, mais e mais lobos vinham e a luta se tornava cada vez mais caótica.

Três lobos se jogaram contra Le Chang, vindo um pela frente e os outros dois pelos flancos, suas mandíbulas estavam abertas e eram capazes de engolir o garoto por inteiro.

Le Chang rapidamente pulou para o alto, mas quando fez isto, um lobo disparou em sua direção e trouxe sua garra para cortar ele ao meio.

Le Chang reagiu rapidamente trazendo sua perna para parar o golpe, mas o impacto o jogou em direção ao solo como um meteoro.

Nesse instante, uma dezena de lobos foi em sua direção, sem lhe dar folga.

Uma explosão, causada pelo rompimento da barreira do som, foi acompanhada por Le Chang saltando para o céu.

No ar, ele rapidamente desferiu dezenas de socos, forçando rajadas de vento contra seus inimigos e por mais simples que pareça ser, o ar em uma velocidade tão alta, era como uma navalha afiada contra a pele dos lobos, os quais tiveram vários ferimentos, alguns perdendo alguns membros.

Le Chang se atirou ao solo e rapidamente começou a mover-se ainda mais rápido, sua força novamente aumentou e seus olhos se moviam a uma velocidade assustadora, lendo cada instante, sua mente se movia a uma velocidade enorme, de tal forma que ele analisava a cada instante, uma dezena de possibilidades de ataque e defesa.

Dessa forma, o terreno lentamente começou a ser destruído, animais fracos fugiram e os poderosos começaram a ir em direção ao caos.

Não demorou muito e Ursos, Serpentes, Aves e diversas Feras Demoníacas, apareceram e foram contra Le Chang.

Mesmo estando no Quarto Trono do Dao do Santo Rei, tal desafio era quase morte certa.

Contudo, para Le Chang, isto era o que ele queria, a capacidade de enfrentar o caos, o medo e o pavor cara a cara, do contrário, quando ele ficasse frente a frente com algo tão terrível como aquele velho, ele não teria muito o que fazer.

A batalha começou a se tornar cada vez mais caótica, de tal forma que nem era mais possível ver Le Chang ou os animais, apenas vultos eram vistos ocasionalmente, de tal maneira que apenas com a força física, eles se moviam, pelo menos, cinquenta vezes a velocidade do som.

Aquela era a batalha mais insana que Le Chang já havia enfrentado, os seus golpes lentamente se tornaram mais polidos, seus movimentos mais simples e ele começou a mover seus músculos de forma consciente, usando apenas os quais eram desejados para tal movimento, economizando energia.

Seus olhos se tornaram mais afiados, sua mente se tornou mais lógica, seus ouvidos, olfato, tato e paladar se tornaram ainda mais sensíveis.

Sua respiração tornou-se concisa, seu coração era capaz de alterar a frequência cardíaca de forma instantânea, seus dedos, ossos, nervos, tendões, veias e todos seus órgãos, começaram a trabalhar para ter a maior eficiência possível.

Le Chang começou a perceber que a cada instante ele tomava menos danos, seus golpes eram mais mortais, sua mente tomava decisões melhores de forma mais rápida e precisa.

Ele em suma estava usando o poder do Corpo Primordial, do Espírito Primordial e da Alma Primordial.

Suas capacidades físicas eram regidas pelo primeiro, a sua mente era o aprimoramento de sua Alma Primordial, e o Espírito Primordial era o canal que conectava as vontades do último com o primeiro.

Então, uma semana se passou.

Le Chang estava deitado em uma cratera imensa, suas roupas quase não existiam mais.

Sua pele branca e corpo definido, brilhavam com um brilho que emanava naturalmente do corpo dele.

Ao seu redor, haviam grandes quantidades de sangue seco, partes de animais e o cheiro de morte e de carne em decomposição era surreal, mas para Le Chang, nada disso parecia lhe incomodar, já que ele após ficar quase uma semana sem parar de lutar, ele finalmente derrotou todos as Feras Demoníacas no vale.

Totalizando, três mil Lobos, oitocentos Ursos, novecentas Serpentes, milhares de aves e vários outros seres vivos.

No total, Le Chang matou dez mil Feras Demoníacas.

Seu corpo estava totalmente recuperado e nem mesmo o menor sinal de dano era visto, mas ele estava exausto.

Nem mesmo um dedo ele conseguia mexer.

Ele havia adquirido milhares de Cristais Demoníacos e ele estava relativamente feliz, bem como havia encontrado as Pétalas da Rosa do Ódio a qual ele queria, ela estava em uma área remota onde parecia ter um ninho de Serpentes Demoníacas, a luta foi surreal, mas ele conseguiu sair com os Cristais e as Pétalas.

Ele tinha um sorriso, mesmo deitado no chão e sem força alguma.

Seus olhos tinham um brilho de poder e determinação, afinal, em sete dias de batalha constante, vinte e quatro horas por dia, sem o menor segundo de descanso, ele conseguiu atingir o Décimo Trono do Dao do Santo Rei, de tal forma que ele atingiu este patamar de forma totalmente inconsciente, onde foi visto o poder do Corpo Primordial.

Todavia, algo ocorreu, Le Chang virou a cabeça para o lado e ouviu o som de passos se aproximando lentamente de sua posição.

A cada passo desse ser, a terra ao seu redor tinha sua vida erradicada, a Aura ao redor dele fazia as poucas plantas que haviam no lugar a tornarem-se negras e minguarem lentamente.

Seus olhos selvagens e a presença indescritível do verdadeiro mal, acompanhavam o ser a todo instante, o qual não era outro se não Fea Yong.

“Você veio...” Sorriu Le Chang em direção ao homem, seu rosto não tinha o menor traço de medo de anteriormente.

O rosto do velho, Fea Yong, exalava caos, destruição e Le Chang sentia-se pela primeira vez, presenciando a real possibilidade de morte, mesmo tendo ele a Centelha Divina da Morte, neste instante, isso não tinha o menor valor.