Ascensão de um Deus

507 - Fea Liang

A mulher do balcão entregou um mapa para ele e indicou o lugar onde seria possível adquirir a enciclopédia que desejada.

Dessa forma, Le Chang rapidamente voltou para a rua principal e andou conforme as dicas da mulher, ele obviamente confiava na informação, já que o impacto de sua presença foi grande demais para ela mentir, mesmo que esta tivesse a vontade, sua mente a impedia de fazer tal loucura.

Quando Le Chang falou que poderia destruir toda a cidade, ela entendeu que não era orgulho ou arrogância, mas uma certeza absoluta.

Ela então decidiu cooperar.

Le Chang não demorou muito para chegar no local, o qual era uma barraca de rua, no chão e em algumas prateleiras haviam diversos livros, pergaminhos e afins.

‘Cem Torturas do Demônio Degolador.’

‘Como fabricar o veneno da corrupção nervosa.’

‘Dez formas de homicídios de forma lenta.’

‘O que é Mana?’

‘A Verdade sobre os Dragões!’

Os livros ali eram variados, desde técnicas santas a diabólicas, de assassinatos a técnicas medicinais e outras dezenas de temas.

“Eu gostaria de uma Enciclopédia da Flora e da Fauna deste planeta, você tem?” Disse Le Chang para um homem esquelético que estava sentado no chão, usando um manto cinza e rasgado.

Le Chang percebeu que ele era um Meio Demônio, provavelmente entre um humano e um demônio, ou talvez um ser da raça élfica.

O idoso rapidamente abriu seus olhos, os quais eram brancos devido a catarata avançada e seus dentes eram negros, mas ele ainda se esforçou para esboçar um sorriso.

“Que... Que bom! Eu sabia que... que alguém ainda dava valor para tais informações...” Disse o velho com alguma animação, a qual parecia ter dado a ele alguns segundos de vida.

Le Chang entendeu a reação dele, já que a mulher havia lhe explicado a situação deste homem.

Segundo ela, a maioria das pessoas teriam informações profundas deste lugar, sendo assim, o desejo por conhecimento local era meio irrelevante e para muitos, este planeta era apenas um ponto de comércio, nada de bom havia para se tirar proveito.

Além disso, o mapa que Le Chang conseguiu dela, era relativamente parecido com o que Shao Yang lhe entregou, com o deste último carecendo de alguns detalhes que no da mulher estavam presentes.

“Aqui! Aqui!” O homem voltou a fechar seus olhos, mas um livro começou a flutuar em direção a Le Chang e depois outro livro também foi até ele.

O primeiro era um livro surrado, feito em couro de animais comuns e o segundo era feito de algum tipo de papel de baixa qualidade.

Contudo, apesar do estado antigo e quase destruído, ali estavam os conteúdos que Le Chang almejava.

“Quanto custa?” Perguntou ele ao homem.

“Cinco moedas de Prata Demoníaca...” Respondeu o homem ao levantar uma mão e mostrar os cincos dedos para Le Chang.

O jovem moveu sua mão e as pratas foram até o homem que as pegou rapidamente.

Depois disso, ele andou por alguns lugares e tentou digitalizar a área da cidade e ter uma noção da real força por detrás dela.

Segundo Shao Yang, este lugar não era realmente poderoso, por isso que tudo aqui era relativamente de baixa qualidade.

Porém, se fosse aos lugares certos e falasse com as pessoas certas, era possível obter coisas de alguma qualidade.

“Daqui dois dias!! Leilão Especial!!!” O som de alguém gritando reverberou por toda a cidade, o anúncio era raro e obviamente um alvoroço, ainda maior do que o comum, se instaurou no local.

“Ei! Vocês ficaram sabendo? Pelo que parece descobriram uma Tumba em um planeta nas redondezas... O Senhor da Cidade vai leiloar alguns objetos que eles acharam...”

“Eu ouvi que existem tesouros raros que poderiam comprar até um planeta...”

“Sério? Eu ouvi que é tudo uma artimanha para chamar mais pessoas para o leilão, afinal é o Senhor da cidade que controla a casa de leilão...”

Le Chang rapidamente ouviu vários murmúrios se espalhando por todos os lados.

No entanto, ele rapidamente virou-se e seu olhar se perdeu no horizonte.

Uma sensação de caos e destruição percorreu sua mente e ele sentiu algo que a muito não sentia, medo.

Ele escondeu completamente sua presença, de tal forma que algumas pessoas que o tinham em sua linha de visão ficaram pasmas do súbito desaparecimento dele, que na realidade ainda estava logo ali.

Le Chang então correu para um beco escuro e deserto, ativou levemente seus Olhos Divinos e fez uso de sua Habilidade mais poderosa, o Espaço Divino, no qual, ele poderia ter o controle de um Deus sobre uma área ao seu redor, claro, o custo de energia para ele era absurdo e atualmente dez minutos era seu máximo.

Ao longe, ele viu uma nuvem negra se aproximando da cidade.

A frente havia uma carruagem, puxada por imensos cavalos, feitos puramente de fogo negro, como as chamas do ódio.

Ao lado, era possível ver diversos seres vestindo armaduras negras, com acessórios feitos de ossos e espinhos metálicos estavam em seus ombros, capacetes e mãos.

A maioria usava espadas, mas alguns tinham clavas, machados e até cajados.

A Aura que emanava daquela carruagem era simplesmente algo aterrador, Le Chang sentiu-se pequeno, mas só então ele viu que as ruas estavam repletas de seres deitados no chão, após terem desmaiados devido à presença aterradora de quem quer que estivesse chegando.

Para sua surpresa, ao longe, ele viu o homem que lhe vendeu os livros, ele parecia imune a situação e mesmo Le Chang estando totalmente em posição defensiva, o idoso ainda continuava lá, sentado, abrindo os olhos de vez em quando, mas era difícil saber se ele via alguma coisa.

Então, tirando Le Chang de seus devaneios, o som da carruagem se aproximou, os cavalos diminuíram de tamanho e começaram a pousar diretamente na estrada, não se importando de pisotear alguns indivíduos que desmaiaram nas ruas.

Le Chang rapidamente viu dezenas de mortes e seu coração bateu freneticamente.

Ele já havia matado, mas esta situação, era o ápice do sangue frio, nem mesmo psicopatas teriam tal frieza, era como se para o ser que chegava no local, a vida fosse algo tão fútil quanto grãos de areia na praia.

Le Chang não pode segurar o tremor de sua mão e seus olhos acompanharam a carruagem passar à frente do beco onde ele estava.

Neste instante, seu coração bateu ainda mais forte, quando viu a carruagem parar abruptamente.

Assim que ela parou, os guardas rapidamente contornaram o local, como se criassem um perímetro seguro.

A porta da carruagem lentamente se abriu, e dois seres saíram.

Um deles era uma mulher, sua pele era avermelhada e tinha dois chifres em sua testa, contudo somente os seus caninos eram pontiagudos, suas unhas eram grandes, mas não como garras, ela era linda, apesar das peculiaridades.

Ela não era outra se não Fea Liang, aquela que ousou confrontar Bai Fan diretamente, seus olhos exalavam a Aura dos Verdadeiros Demônios, aqueles que pisavam no ápice.

Le Chang sabia que ela estava acima do Dao do Poder, ele gostaria de saber o quão forte ela era, mas o medo de ser descoberto se usar seus olhos com muita intensidade era maior.

 

Ao lado dela, havia um velho demônio, suas feições revelavam um cansaço devido à idade, mas seu olhar exalava uma sede de sangue ainda maior que da mulher ao seu lado, mesmo usando uma bengala para andar, Le Chang instintivamente sabia que se este velho o perseguisse, ele não precisaria mais do que um piscar de olhos para o alcançar e um movimento de sua bengala era um decreto de morte.




O site Central de Mangás é gratuito e sempre será!

Para colaborar com a existencia do site, por favor,
desative o bloqueador de anúncios.