Ascensão de um Deus

448 - Reis e Rainhas

Le Chang e Chi Ziyun não eram tolos, eles estavam na floresta ao redor do local, onde eles haviam cavado um buraco profundo e criado uma caverna na qual eles passariam um tempo.

Além disso, dentro do quarto havia alguns jades que enviavam imagens da situação.

“Parece que eles desconfiaram rapidamente…” - Le Chang.

“En… Apesar de escondermos nossas Auras de humanos, se não tivermos a Aura de um Elfo Negro…Ficará meio óbvio que somos estrangeiros…” - Chi Ziyun. 

“Bom… Nossa melhor solução é ir até o centro do local com Energia da Vida… Porém, seria melhor se não alertássemos ninguém… Afinal, é um tesouro deles e não seria benéfico lutarmos contra quatro Clãs…” - Le Chang.

Claro, eles tinha força para varrer o local, mas quem garantiria que eles não tinham trunfos poderosos? Além disso, poderiam eles confiar plenamente nas informações que um reles soldado tinha?

Os Clãs não eram idiotas de contar suas forças para todos, seria falta de sabedoria deixar suas capacidades a mostra.

Sendo assim, os dois eram cuidadosos.

…………………………………………

“Pai! Eu tenho algo a relatar!” Dizia Pixie ao bater à porta do quarto de seu pai.

“Entre…” A voz masculina e profunda foi ouvida.

Pixie lentamente abriu a grande porta de madeira negra, dando visão ao quarto luxuoso de seus pais.

Em um canto, escrevendo algo sobre uma mesa levemente iluminada, estava um Elfo Negro, ele era como sua filha, mas a cor de sua pele era ainda mais escura.

Não muito longe, estava uma Elfa Negra, idêntica à jovem, mas com a aparência mais antiga.

“O que foi que aconteceu?” Disse o homem, o qual era o Rei do Clã do Sul.

“Duas criaturas de outra espécie invadiram nosso território…” - Pixie.

“O que?!” - Rei.

Ele obviamente ficou alarmado.

Até hoje, os outros três Clãs não invadiram este local por dois motivos, um é que haviam forças ocultas desconhecidas, eles não teriam sobrevivido até agora sem algumas pessoas no Dao Santo.

Além disso, haviam muitas armadilhas e formações defensivas de alto nível, sendo assim, uma invasão resultaria em um preço alto demais, que nenhuma das raças gostaria de pagar.

“Qual das três raças?” Disse o Rei, conhecido como Rei Urien.

“Eu não consegui identificar… Eles alugaram um quarto em uma estalagem de um vilarejo no extremo sul, bem próximo da Entrada Sul da Caverna Sombria… Mas ao chegar lá, já haviam desaparecido…” - Pixie.

“Desaparecido?” - Rei Urien.

“Sim… Ou eles notaram que nós nos aproximávamos ou eles estão no Dao da Purificação…” - Pixie.

“Hm… Isso é um problema…” - Rei Urien.

Ele moveu sua mão e um grande mapa saiu de seu Anel de Armazenamento.

Ele rapidamente o colocou sobre a mesa para analisar.

No topo estava escrito: “Mapa da Caverna Sombria.”

O objeto mostrava a totalidade do local onde estavam, bem como o tamanho da caverna, a qual era surpreendentemente imensa.

Os Quatro Clãs, lideravam áreas do tamanho do Continente Zao, já a área central, onde estava o tal tesouro, era um pouco menor, com não mais que metade de um Pequeno Continente.

Porém, o mais surpreendente, era que os Quatro Clãs não dominavam totalmente a área.

Havia três locais que o mapa apenas marcava com um ponto de interrogação.

Um era bem no centro, onde ficava o tal tesouro, como se uma parte das ruínas fosse inacessível.

 

Já o outro era no extremo Leste, onde dizia haver um penhasco que se perdia nas profundezas e até hoje, todos que tentaram ir lá, jamais voltaram. 

Por fim, a última área era no Extremo Norte, um pedaço de uma floresta, a qual era marcada com uma caveira, sinalizando perigo extremo, um local onde até alguém no Meio Passo do Dao Santo encontraria sua morte.

 

“Talvez sejam os vampiros? Eles são bons em se movimentar pela escuridão das Cavernas…” Disse a mulher que estava ali perto, ela era a Rainha, chamada de Petra. 

“É… Pode ser, mas porque eles viriam até aqui? … Além disso, se instalar em um vilarejo no extremo sul? … Não parece o usual deles…” - Rei Urien.

 

“Os Demi Humanos?” - Pixie. 

“É o mais provável… Eles são híbridos e tem algumas capacidades singulares…” - Rei Urien.

“O que quer que eu faça?” - Pixie.

“Leve meu Símbolo Real e convoque três Elfos no Dao do Esclarecimento… Leve também algumas pessoas no Dao da Purificação… E façam um cerco ao redor dessa área… Bem como analisem estes locais, se eles não estão dentro deste cerco, provavelmente ativaram alguma das armadilhas de pressão ao saírem dela…” - Rei Urien.

“Certo, estou indo…” Pixie curvou-se levemente e se mesclou ao espaço. 

“Urien…” - Petra.

“Eu sei… Eu vou avisar os outros Três Clãs… Se realmente for os Demi Humanos… Receio que estamos em apuros…” - Rei Urien.

 

“Ainda temos os Antepassados…” - Petra. 

“Sim… Mas todos eles estão no fim de sua vida, se travarem uma batalha provavelmente seria a última deles… Precisamos chamá-los apenas em último caso…” - Rei Urien.

 

“Certo… Você quer que eu faça algo?” - Petra.

“Vá até o Esquadrão de Rastreamento das Sombras e diga para ativarem o dispositivo, além disso, avise para o Esquadrão Defensivo para reforçar as barreiras ao redor da Capital…” - Rei Urien.

A Rainha se mesclou ao espaço e desapareceu rapidamente.

Enquanto isso, Urien pegou um pedaço de jade, colocou um fio de sua consciência e então esmagou o objeto.

Assim que o fez, jades especiais nas mãos dos outros Reis foram ativados.

Enquanto isso, longe dali, um casal de Elfos conversava, até que algo tirou eles de seus devaneios.

“Hm? Criaturas de outra espécie foram vistas no Clã do Sul?” Murmurava um homem sentado em uma cadeira de balanço, olhando para o horizonte da sacada de seu palácio.

Ele estava a Meio Passo do Dao Santo e era o Rei do Clã do Leste.

“É verdade isso?” Perguntou uma Elfa ao lado dele, a Rainha do Clã do Leste, chamada de Vanity.

“Para ele nos contatar… Provavelmente…” Respondeu ele, conhecido como Rei Astaroth.

“Bom, vamos… Uma reunião se faz necessária…” - Astaroth.

…………………………………

Apesar das desavenças entre os Quatro Clãs, havia algo que os unia e conseguia proporcionar uma trégua de suas batalhas internas, e isto eram as ameaças ao Tesouro.

O Tesouro era uma fonte poderosa de Energia da Vida, a qual nutria a tumba, que criava Energia da Morte e preenchia a caverna, proporcionando maior densidade da Energia, o que melhorava o cultivo, as fazendas, minérios e afins.

Diferente do que se pensa, os Elfos Negros não eram maus, eles eram normais, apenas suas existências eram baseadas em algo diferente.

Eles nasceram da Centelha da Morte, a morte não é má, ela é tão natural como a Vida, sendo assim, eles eram apenas seres normais que usavam outra Energia.

Todavia, devido à necessidade da Energia da Morte para prosperarem, muitas vezes eles cometiam atrocidades.

De qualquer forma, Le Chang e Chi Ziyun se moviam através do espaço, mesclando-se ao tecido da Existência e movendo-se a velocidades absurdas.

Seus Sentidos Divinos se espalhavam por milhares de milhas.

Mesmo ali sendo repleto de escuridão, os Olhos Que Tudo Veem, algo ainda mais poderoso que os Olhos do Dragão, conseguiam ver perfeitamente.

Em sua forma normal, ele podia enxergar cerca de cinquenta mil milhas e se ativasse todo o seu poder, sua visão atingia cem mil milhas.

Seu Sentido Divino conseguia permear quase duzentas mil milhas no ápice do seu poder.

Claro, isso poderia ser algo imenso, mas a caverna em si tinha pouco mais de dois milhões de milhas de um lado a outro.

Enquanto isso, no centro do território, algumas pessoas apareciam através do espaço.

Ali eram as Ruínas do Primeiro Rei Elfo, apesar de obviamente não estar em seu melhor estado, uma parte do local havia sido recuperada para que pudesse ocorrer as reuniões em um local neutro.

Os Reis e Rainhas vinham através do Espaço, chegando no Arco Principal, onde era feito de puro Quartzo das Lágrimas.

Um caminho de pedras negras indicava a direção até as portas feitas de Aço Negro, o qual levava a um grande salão.

Uma mesa jazia no centro, feita de Quartzo das Lágrimas, lapidado em um quadrado perfeito.

Em cada lado havia dois tronos, ocupados pelos representantes dos Clãs.

Na posição Leste, o Rei Astaroth e a Rainha Vanity já ocupavam seus lugares.

Não demorou muito e um guarda anunciou a chegada de mais pessoas.

“O Rei Vernom e a Rainha Lenore chegaram! Representando o Clã do Norte!” - Guarda.

Eles foram seguidos por mais um grupo.

“O Rei Karpov e a Rainha Arora chegaram! Representando o Clã do Oeste!” - Guarda.

Por fim, o Clã Sul chegou.

“O Rei Urien e a Rainha Petra chegaram! Representando o Clã do Sul!” - Guarda.

Os casais foram até o salão e cada um tomou o seu lugar.

O salão em si era oval, o teto era sustentado por um círculo de pilares negros, bem como alguns entalhes nas paredes faziam a decoração parecer ainda mais sombria.

“Muito bem… A Reunião dos Clãs começa agora!” Disse Rei Astaroth, movendo suas mãos e selando a porta, impedindo que qualquer um entrasse ou saísse, afinal as conversas ali eram secretas.

“Rei Urien… Soube que tem algo a relatar?” - Rei Astaroth.

“Sim… Minha filha, Pixie, encontrou dois seres de outra raça vagando por um vilarejo no extremo sul…” - Rei Urien.

“No extremo sul? … Mas se eram apenas dois, não seria fácil lidar com isso? Para que convocar uma reunião dessas?” - Rei Vernom.

“Na realidade, quem viu os seres foi o dono da estalagem, minha filha não viu diretamente as pessoas, mas as memórias do Elfo do Clã Plebeu foram pesquisadas e ele realmente falava a verdade…” - Rei Urien.

Ele então moveu suas mãos e um pedaço de jade caiu sobre a mesa, do qual rapidamente uma imagem se formou.

Na forma de um holograma, Le Chang e Chi Ziyun apareciam, claro, era impossível ver suas aparências.

“Hm… Dois seres…” - Rei Karpov.

“Realmente… Não vejo aura alguma em seus corpos…” - Rei Vernom.

“Quando Pixie foi investigar o local, deparou-se com o local vazio, não havia ninguém no quarto, apesar de todos no local afirmarem que não viram ninguém saindo…” - Rei Urien.

“Dao da Purificação ou acima?” - Rainha Vanity.

“Hm… Isso é um problema…” - Rainha Arora.

“Bom, mas é óbvio que não é do Clã das Bestas… Eles falam e obviamente possuem uma inteligência elevada… Apenas as Bestas mais fortes teriam tal capacidade, mas eles nunca saíram de sua Caverna…” - Rainha Lenore.

“Realmente… Provavelmente são os Demi Humanos… As nossas minas na superfície são atacadas constantemente por eles…” - Rei Astaroth.

“O Clã dos Vampiros há muito tempo que não fazem um movimento, talvez sejam eles, depois de tanto tempo mostrando suas presas?” - Rei Urien.

“E as outras entradas? Alguma informação?” - Rainha Petra.

“Eu enviei batedores para a Entrada Leste da Caverna… Mas não havia ninguém suspeito… Os demais locais estão selados…” - Rei Astaroth.

“Bom… Desde a última batalha com os Vampiros a Entrada Norte desmoronou… A Entrada Oeste foi selada para impedir a invasão… Apenas as Entradas Sul e Leste ainda existem… Mas realmente, se alguém quisesse nos invadir, a melhor opção seria pelo sul…” - Rei Vernom.

“Certo… Nós vamos fazer o seguin…” O Rei Astaroth não terminou sua frase, não antes que os sons de batidas poderosas fossem contra a Porta do salão, alertando a todos que algo havia ocorrido.

Os oito rapidamente dispararam para a porta e a abriram.

“Senhores! Ataques foram vistos na Entrada Sul… Parece que tudo está desmoronando…” Gritou o Guarda apavorado.

“O que?!” - Rei Urien.

“Qual raça?!” - Rainha Petra.

“Não sabem! Os batedores que foram até o local da explosão disseram que não viram nada, apenas que a cada momento mais e mais explosões ocorrem…” - Guarda.

“Tsc! Avisem os seus Exércitos! Comandem as tropas para se dirigirem para as duas Entradas! Enviem dois terços de suas forças para a Entrada Sul!” Disse o Rei Astaroth, afinal ele era o mais poderoso do local.

 

Os outros Reis e Rainhas não discutiram, realmente esta era a melhor decisão a ser tomada.