Ascensão de um Deus

447 - Quatro Clãs

“Hm… Então é isso… Parece que o alfabeto deles é diferente do nosso… A pronuncia também é bem complexa…” Murmurou Le Chang.

 

“Toda língua tem uma certa lógica e padrão em suas palavras, podemos ver palavras ou letras repetidas e tentar decifrar o que dizem…” - Chi Ziyun.

 

“O sistema linguístico usado nessa parte do Reino Mortal é baseada em letras específicas, bem como a sequência delas dão as palavras, como vocês já sabem…” - Xiong Lin.

 

“Parte do Reino Mortal?” - Chi Ziyun

“O Reino Mortal tem Regiões Distintas… A Região Baixa, Média, Alta e Suprema… Vocês estão na Região Baixa… Os mais fortes planetas daqui são alguns poucos de Classe B…” - Xiong Lin.

 

“Isso quer dizer que as regiões têm distinções na língua?” - Le Chang.

 

“Claro… Todavia, as maiores diferenças são vistas entre raças… Por exemplo, ao criar a raça humana, o Criador deu a eles também uma forma de se comunicar, com o passar dos anos, poucas variações surgiram… Mas, por exemplo, vocês têm imagens para cada letra e formam palavras as unindo, mas tem locais onde são usados ideogramas, os quais representam palavras e variações delas…” - Xiong Lin.

 

“Certo…” - Le Chang. {{Autor: No Planeta Natal do Le Chang eles usam o mesmo sistema que nós do ocidente usamos atualmente.}}

 

“Eles parecem não ter um cultivo tão alto… O homem com a pele negra está no Dao da Alma…” - Chi Ziyun.

 

“Provavelmente ele é filho de algum nobre fazendo algumas missões…” - Xiong Lin.

 

“Eu tenho uma ideia… vamos ver…” - Le Chang.

 

Ele e Chi Ziyun se mesclaram ao espaço e devido ao casulo de Energia, não foram percebidos desaparecendo do local.

 

Eles estavam agora no túnel, novamente no alto do penhasco.

 

Le Chang sentou-se e retirou alguns itens de seu Anel de Armazenamento.

 

“Tsc… Queria começar a usar minha Dimensão Espiritual para guardar objetos, mas não vale a pena gastar tanto Qi assim…” Murmurou Le Chang.

 

“No Dao do Santo Rei provavelmente ficará mais viável…” - Chi Ziyun.

 

Le Chang pegou uma pena e uma folha de pergaminho e começou a anotar os padrões da língua dos Elfos Negros.

 

Alguns segundos depois ele conseguiu formular a estrutura básica da língua escrita, mas a pronuncia ainda era um mistério.

 

“Fique aqui… Eu já volto…” Le Chang disse para Chi Ziyun e se moveu através do espaço.

 

Momentos depois, ele retornou, em sua mão havia um dos Elfos Negros, desmaiado.

 

Le Chang então pegou uma pérola pequena, mas poderosa, a qual era repleta de Energia Mental.

 

Ele pegou um pouco de sangue de fera mágica e lentamente desenhou um círculo mágico no solo.

 

Ele dividiu a pérola em seis pedaços iguais, os quais ele posicionou em seis locais da Formação.

 

Após isso, colocou o Elfo desmaiado no centro e após recitar algumas palavras e selos com suas mãos, ele finalmente ativou a formação.

 

As pérolas começaram a se desfazer em pura Energia Mental, sendo possível ver dezenas de fios de pura energia se erguendo, como serpentes.

 

Le Chang moveu sua mão e coordenou a Energia a adentrar o cérebro do mesmo.

 

Ele começou a estimular os neurônios da parte do cérebro responsável pela fala e a linguagem no geral, após isso, invadiu a Dimensão Espiritual do homem, e como ele estava no Dao Santo, não foi difícil vencer o Elfo que estava apenas no Dao do Espírito.

 

Então, após dez minutos, Le Chang terminou de fazer sua pesquisa.

 

Ele pegou o homem e colocou novamente na floresta, apagando qualquer rastro seu.

 

………………………….

 

“Hm… Parece que os nomes variam completamente da forma que usamos… O mais forte entre eles é o Capitão Sandor, parece que ele é filho de um dos Nobres do Clã do Norte…” - Le Chang.

 

“O que eles estavam fazendo por aqui?” - Chi Ziyun.

 

“Nós ativamos diversas armadilhas de pressão… E pelo que parece os Quatro Clãs Élficos estão em guerra…” - Le Chang.

 

Ele continuou a explicar tudo para sua esposa, com a absorção das memórias do Elfo ele poderia facilmente obter uma quantidade de informações muito maior do que investigar a área por si mesmos.

 

Segundo as memórias, do Elfo Negro Fane, o Clã do Norte é o mais fraco, o mais forte é o Clã do Leste, seguido pelo Clã do Oeste e o Clã do Sul.

 

Cada Clã é regido por um Rei, existe uma nobreza, bem como um Exército.

 

As áreas de cada Clã eram do tamanho de um Pequeno Continente, algo que surpreendeu Le Chang e Chi Ziyun, eles não sabia que o local eram tão grande, ou seja, mais de quatro vezes que o Continente Zao.

 

Existe o Clã Real, os Clãs Nobres, os Clãs Militares e os Clãs Plebeus.

 

Clãs Reais são conhecidos por serem muito proficientes do domínio da Energia da Morte, bem como são os mais poderosos no quesito de Magia Negra.

 

“Magia Negra?” - Chi Ziyun.

 

“Magia Negra, Magia Branca, Dao Marcial… As variações são imensas, mas no fim tudo é a mesma coisa… A diferença é que o Dao Marcial se expressa de formas diferentes em cada raça, mas sempre mantendo sua base imutável, afinal, as Feras Mágicas só cultivam a partir do Dao da Alma, mas e abaixo disso? … Entendem? Cada raça tem um Caminho Marcial, mas que sempre chegará no mesmo lugar…” - Xiong Lin.

 

Le Chang assentiu e continuou a falar.

 

Os Clãs Nobres eram os aristocratas, membros do conselho e afins.

 

Os Clã Militares eram dos Soldados de Alta Patente, já os de baixa patente adentravam na definição de Clã Plebeu.

 

O Clã do Norte tinha o Rei no Dao Lendário, atualmente no Início do Verdadeiro Rei.

 

O Clã do Sul tinha um Rei no Dao Lendário, no Meio do Verdadeiro Rei e o irmão dele estava no Início do Verdadeiro Rei.

 

O Clã do Oeste tinha um Rei a Meio Passo do Dao Santo e três combatentes no Pico do Verdadeiro Rei, já o Clã Leste tinha seu Rei e mais sua esposa, ambos a Meio Passo do Dao Santo.

 

Todavia, o Clã dos Elfos Negros era apenas um dos Quatro Clãs que haviam nesta tumba.

 

Ainda existia o Clã Vampírico, o Clã das Bestas e o Clã dos Demi Humanos.

 

O Clã Vampírico e o Clã dos Demi Humanos, ambos tinham pessoas no Dao Santo a sua frente, já o Clã das Bestas era conhecido por ser um grupo de Feras Mágicas loucas e selvagens.

 

A força era desconhecida, devido a ninguém ter coragem de ir investigar, mas dizem que há alguns punhados no Dao Santo.

 

“Mas como tudo isto existe aqui? Não deveriam ter sido mortos?” - Le Chang.

 

“Realmente não entendo…” - Chi Ziyun.

 

“Bom, de qualquer forma, eles colocaram todas essas armadilhas devido as constantes invasões do Clã de Demi Humanos, segundo as memórias de Fane, eles tem um Tesouro Sagrado no Palácio do Rei Ancestral e as três Raças anseiam por ele…” - Le Chang.

 

“Certo… O que você quer fazer?” - Gao Yao.

 

“Eu acho que devemos ir até a Fonte de Vida que Chi Ziyun achou… E urgentemente…” - Le Chang.

 

“Porque diz isso?” - Seiryuu.

 

“Parece que o que ela sentiu é um ser vivo… Não entendi muito bem os detalhes, mas parece que é alguém em perigo… Pelo que parece o homem era de baixo escalão e não tinha tantas informações…” - Le Chang.

 

“Entendo… Mas uma Fonte de Vida já não deveria ter sumido há muito tempo?” - Seiryuu.

 

“É forte… Eu sinto como se fosse algo muito poderoso, mas que está resistindo a ser consumido pela Energia da Morte deste lugar…” - Chi Ziyun.

 

“Bom, é melhor nós irmos de uma vez…” - Le Chang.

 

“En!” - Chi Ziyun.

 

Gao Yao, Seiryuu e Xiong Lin voltaram para dentro da Dimensão Espiritual de Le Chang, ele deixou a cargo deles a tradução da língua dos Elfos Negros.

 

Le Chang disse o padrão linguístico e algumas outras coisas, dessa forma, usando os escritos nas paredes, bem como as memórias do Elfo, eles poderiam decifrar toda a língua.

 

Já Chi Ziyun e seu marido se cobriram com mantos negros, os quais tinham capuzes e iam até o pé.

 

Os mantos eram repletos de formações, algumas defensivas e outras de ocultação.

 

Nem mesmo alguém no Dao da Alma conseguiria sequer arranhar o tecido e os golpes de alguém no Dao da Purificação teriam apenas 10% de efeito.

 

Sendo assim, os dois dispararam para o alto, se mesclando a escuridão natural do teto e indo em direção à onde eles queriam.

 

Os Quatro Clãs na realidade protegiam uma Área, considerada Sagrada, onde haviam as ruínas de onde outrora foi o Primeiro Palácio do Rei Ancestral, ou seja, o primeiro Rei dos Elfos Negros dali.

 

Após inúmeros anos, a força que antes era apenas uma, se desmantelou em quatro menores.

 

De qualquer forma, esta Área, apesar das desavenças entre os Clãs era protegida em conjunto, já que ela tinha algumas propriedades únicas e capacidades incríveis.

 

Le Chang e Chi Ziyun não demoraram muito para chegar onde desejavam.

 

Eles primeiro desceram em um vilarejo, próximo ao território do Clã Sul.

 

Ali não haviam seres poderosos e todos eram do Clã Plebeu.

 

Sendo assim, os dois aproveitaram estar no Dao Santo para andarem tranquilamente, afinal com poucos esforços eles poderiam esconder suas presenças de tal forma que mesmo cara a cara alguém com baixo cultivo não os notaria.

 

A primeira parada deles foi em uma taverna, que também era hospedaria, na porta havia a imagem de uma grande caneca e pedaços de carne, entravam e saíam diversos Elfos.

 

Le Chang e Chi Ziyun foram até o balcão e com a ajuda de Xiong Lin eles conseguiam pedir um quarto.

 

Devido a não terem moedas locais, eles pegaram um pedaço de ouro puro e deram isso em troca.

 

Sendo assim, garantiram abrigo por uma semana.

 

……………………………………………………….

 

Algumas horas depois, uma batida soava na porta do quarto que os dois haviam alugado.

 

As batidas aumentaram e em um momento alguém deu um chute nela, fazendo a porta de madeira ser destruída.

 

Um grupo de Elfos e Elfas Negras foram vistos, eles vestiam uniformes militares e claramente eram guardas.

 

“Você tem certeza que eles vieram para cá?” Disse uma mulher apontando uma espada contra a garganta do estaleiro.

 

“Senhorita Pixie… Eu juro… As Auras ao redor deles não eram de Elfos Negros… Eles vieram aqui… Eu juro! A Senhorita sabe que eu sou fiel ao Clã do Sul!” Dizia o homem que deixava claro seu pavor pela mulher à frente dele.

 

Ela tinha orelhas pontudas e grandes, como se fosse uma pequena adaga, seus olhos eram totalmente negros, sua pele era tão escura que a luz parecia não chegar até ela.

 

Seus cabelos eram castanhos claros e caiam até sua cintura.

 

Ela tinha dentes pontiagudos e finos.

 

O cultivo dela estava firmado no Dao da Purificação.

 

Além disso, ela tinha não mais que trinta anos, não só isso, mas ela era advinda do Clã Real do Clã do Sul.

 

Ela era uma das Princesas, bem como Capitã do Esquadrão das Sombras da Destruição.

 

Um grupo de elite do Exército do Clã do Sul.