Ascensão de um Deus

429 - Existem Seres Vivos Aqui?

O crescimento acelerado, físico e mental, se manteve até o primeiro aniversário das crianças, com seu desenvolvimento parando em seus doze anos.

Le Liang era uma cópia de sua mãe, mas seus olhos de cores diferentes a deixavam com uma beleza diferente.

Le Li era delicada e meiga como sua mãe, ela ainda gostava de ficar estudando e sua curiosidade parecia crescer rápido como o resto.

Os rapazes eram a cara de Le Chang quando ele tinha suas idades, a diferença basicamente estava nos olhos e cabelos.

Eles eram excepcionais, Gao Yao e Seiryuu estavam pasmos com o desenvolvimento das crianças.

Nesse momento, os quatro já haviam adentrado o Dao do Espírito.

Le Li devido a sua inteligência sobrenatural, já lecionava algumas aulas na Seita Dragão. Principalmente naquelas voltadas ao Dao Marcial.

Le Huon ensinava também, explicando sobre as chamas para os Alquimistas e Forjadores, além disso, ele era habilidoso em domar naturalmente os animais.

Le Liang ajudava na parte do plantio de Ervas Espirituais.

Ela havia herdado a Linhagem de sua mãe, capaz de controlar a vida, sendo assim, era algo fácil para ela saber como cuidar de algumas plantas.

Já Le Kun ajudava a Seita na área de Formações, além disso, ele mostrou-se por ser extremamente hábil em técnicas de ocultação e rastreio, dessa forma ele treinava os Guardas da Seita Dragão.

Todos estavam pasmos com as crianças, afinal com apenas um ano de vida, elas já haviam se desenvolvido até seus doze anos.

A partir disso, a Energia Dourada parou de correr no corpo deles e foi para a Dimensão Espiritual das crianças, cessando o crescimento acelerado.

Le Chang havia passado para cada um deles uma Habilidade Marcial Draconiana, bem como enviou, através do seu Sentido Divino, grandes quantidade de conhecimento para que eles pudessem melhorar, ainda mais, em suas áreas.

Gao Yao e Seiryuu também ajudavam e davam diversas aulas para os pequenos, porém, nas horas vagas eles eram transformados em pôneis por Le Liang, afinal, mesmo com o crescimento acelerado, todos ainda eram crianças.

Le Chang jamais exigiu deles que ajudassem na Seita, mas foi algo espontâneo por parte de seus filhos.

Ele aceitou com a condição de que deveriam tirar um tempo com ele e suas mães, todos os dias, bem como deveriam brincar e dormir as horas necessárias.

Isto era algo simples, o crescimento acelerado tirou dezenas de experiências que eles deveriam ter, por mais que tivesse conhecimento imenso e poder de igual nível, eles ainda haviam vivido por apenas um ano, sendo assim, lhes faltava experiência.

Le Chang não queria os tirar a chance de ter uma infância, sendo assim, ele cuidou para que eles brincassem e vivessem como crianças.

……………………………………………………….

“Bom… Devemos retornar para os Planetas e continuar nossos planos…” - Le Chang.

“Concordo… Estamos um ano atrasados…” - Chi Ziyun.

“Realmente… Bom, pelo menos, as crianças já estão grandes…” - Min Jia.

“Fiquem tranquilos… Eles ficarão comigo o tempo todo…” - Lin Bo.

“Ótimo…” - Le Chang.

“Bom… Como vocês querem proceder?” - Lian Mei.

“Eu acredito que a melhor forma é continuarmos com a divisão anterior…” - Wuhan Xie.

“Eu também… a Irmã Chi Ziyun controla a Energia da Vida, sendo assim, ela será muito útil na Tumba… Enquanto isso, nós podemos continuar o plano original que criamos para o Planeta Penas do Caos…” - Lian Mei.

“Sim, me parece a melhor opção também…” - Chi Ziyun.

“Ótimo… Bom, amanhã cedo nós partimos então…” - Min Jia.

“En!” Disseram todos.

……………………………...……………………..

No outro dia, logo cedo, Le Chang e suas esposas estavam na Plataforma de Teletransporte.

A frente deles as quatro crianças estavam lado a lado.

“Escutem a vovó… Ela ficará tomando conta de vocês…” - Lian Mei.

“Tentem não incomodar Bai Chen e Ras Liang… Vocês já fizeram Seiryuu e Gao Yao de mascote… Adicionar um Demônio e uma Vampira não é a melhor opção…” Disse Wuhan Xie rindo, afinal, ela sabia que seu aviso era em vão.

As crianças uma vez fizeram tantas cócegas em Ras Liang que ela teve que ativar suas Asas e voar através do espaço para fugir delas.

Depois disso, ela ficou uma semana evitando os quatro.

Já Bai Chen tinha sempre um olhar sério e mal, afinal ele era um Demônio de Sangue Puro, além disso, ele também emitia uma Aura da Morte poderosa.

Dessa forma, sempre que lecionava para a Seita ele ficava longe dos alunos e usava roupas com Círculos Mágicos para conter sua Aura.

Porém, as crianças iam quase todos os dias atrás dele e faziam ele ir com elas passear pelas Montanhas e pelo Continente, afinal depois do aviso de Le Chang, elas sempre pediam permissão para ele ou suas mães, os quais diziam para levarem Bai Chen junto.

Apesar de ele ser um Demônio, o Juramento feito com Le Chang era poderoso demais para ser quebrado, até mesmo a menor intenção hostil contra as crianças era suficiente para o destruir até seu último átomo.

Sendo assim, ele ia sem reclamar, no começo ele não gostava, mas depois passou a se acostumar.

As crianças eram animadas, ou seja, tédio era algo que não havia com eles.

Bai Chen um dia estava cultivando tranquilamente, enquanto eles acampavam na Floresta Maldita, ele observa os arredores usando seu Sentido Divino, mas ele não percebeu que Le Kun, usou uma Habilidade de Camuflagem e com um carvão da fogueira, desenhou no rosto do Demônio.

No fim, quando voltaram para a Seita Dragão, Le Chang e as meninas quase morreram rindo com os desenhos que havia no rosto dele.

Os filhos de Le Chang mostraram-se excepcionais, tendo o melhor de seu pai e de suas mães.

Além disso, o tratamento que as crianças tinham com as outras esposas de seu pai era singular.

Devido a conexão de alma entre Le Chang e suas esposas, as suas Almas eram praticamente uma só, então, ao terem filhos, as crianças naturalmente herdaram algumas partes dessa Conexão.

Le Li, Le Liang, Le Kun e Le Huon consideravam todas as quatro suas mães e elas os quatro seus filhos, isso era algo tão natural, que não podia ser explicado com palavras, apenas sentido com o coração.

“Le Kun… Le Huon… Vocês devem cuidar da vovó e das suas irmãs… Entenderam? Quando o papai sai, vocês são os homens da casa…” Disse Le Chang abraçando os dois garotos.

“Pode deixar papai! Eu treinei muito bem os Guardas da Seita… Hehehehe! Além disso, se alguém quiser invadir o território da Seita… Vai se arrepender bastante…” Le Kun dizia com um sorriso de que estava aprontando alguma.

“Garoto…” Wuhan Xie disse rindo.

“Papai! Eu consegui fazer uma coisa!” Disse Le Huon animado.

“Oh!… O que?!” - Le Chang.

“Hehehe!” Le Huon levou os dedos a boca e assobiou alto.

Alguns segundos depois, o som de passos começou a ficar mais e mais perto.

Além disso, o som do grito de uma águia apareceu por todos os lados.

Então, lentamente todos viram.

Quatro imensos animais, um Leão colossal, um Puma, uma Águia e um Cachorro, os quais eram todas Feras Mágicas no Dao do Espírito.

“Eu domei o Leão para mim… O Puma para a Irmã Le Liang e a Águia para a Irmã Le Li… Já o Cachorro é para o mano… Ele é habilidoso com rastreamento e o Cachorro Sussurro da Ventania tem um ótimo olfato…” - Le Huon.

Le Chang ficou surpreso, Le Huon havia feito algo incrível.

“Muito bem! Muito bem! Hahaha! Vocês todos são incríveis…” Disse Le Chang puxando os quatro em um abraço apertado.

Eles então trocaram algumas palavras e se despediram, afinal o tempo ainda estava correndo.

……………………………………….

Algumas horas mais tarde, Le Chang e Chi Ziyun estavam novamente no interior da Tumba.

Os dois haviam memorizado o terreno e sabiam retornar para o local das estátuas, afinal havia algo ali.

Porém, ao chegarem lá, ficaram surpresos, as Estátuas antes destruídas por Le Liang estavam intactas novamente, mas era evidente que há pouco tempo haviam sido colocadas ali.

Le Chang rapidamente ativou os seus olhos ao máximo.

“Estranho…” Murmurou ele.

“O que?” - Chi Ziyun.

“Antes pareciam não haver nada ao redor das estátuas, nenhuma Aura ou algo do tipo… Mas agora eu sinto uma leve pressão ao entorno delas… Não só isso, mas parece haver resquícios de Energia da Morte no leito do Rio…” - Le Chang.

“Mas o local inteiro é cheio de Energia da Morte…” - Chi Ziyun.

“Eu sei… Mas olha lá…” - Apontou ele para um local. - “Consegue ver? Não acha que tem um certo padrão? Como se por um bom tempo a Energia da Morte fez um só caminho…”

“Hm… Você tem razão… Também senti agora…” - Chi Ziyun.

Os dois seguiram a trilha, até verem que ela terminava no grande buraco no solo, não muito longe dali.

“Parece que o rastro vai lá para baixo… Que estranho…” - Chi Ziyun.

“Talvez haja alguma Fera? Demônio?…” - Le Chang.

“Eu não consigo sentir nenhuma fonte de vida lá embaixo, mas pode ser devido a Energia da Morte, já que quanto mais fundo, mais espessa ela fica…” - Chi Ziyun.

“Sim… Bom, vamos ter que descer e ver o que é…” - Le Chang.

Os dois trocaram um sorriso e simplesmente saltaram para dentro, não demorou muito e seus corpos se perderam no meio da escuridão, o local parecia ter uma gravidade totalmente diferente.

Ali parecia que tudo era dez vezes mais pesado, o Qi era estranho e tudo ao redor deles parecia diferente.

Eles tiveram que começar a usar Qi em grandes quantidades, para assim proteger seus corpos.

Naquele local, Chi Ziyun era a mais afetada, afinal ela era a Personificação da Vida, sendo assim, qualquer lugar que remeta a morte, se voltaria contra ela.

Porém, ela não sofria nada, ao seu redor havia uma Energia da Vida muito densa e pura, a qual impedia de que ela sofresse qualquer dano.

A descida durou quase duas horas, afinal eles não conseguiam sentir nada além de vinte metros, sendo assim, era necessário cautela.

Quando enfim chegaram ao fim do imenso buraco, eles viram que ali havia alguma luminosidade, mas era pouca.

“Parecia ter cem milhas de profundidade…” - Le Chang.

“En…” - Chi Ziyun.

Os dois olharam ao seu redor e viram que havia quatro túneis, acima de cada entrada havia uma placa, mas a língua era estranha para eles.

“Existem seres vivos aqui?” - Le Chang.

“Estranho… Eu não sinto o menor pingo de Energia da Vida, a não ser em mim e em você…” - Chi Ziyun.

“Tente sentir qual túnel transmite a menor densidade de Energia da Morte, nós iremos por ele…” - Le Chang.

“É o túnel a oeste… Ele é o mais fraco…” - Chi Ziyun.

“Ótimo…” - Le Chang.

Eles então foram em direção a túnel, porém andavam lentamente, observando cada detalhe e o menor som era captado por Le Chang.

Ali embaixo as coisas eram diferentes, no solo acima não havia nem mesmo uma gota d’água, mas as paredes do túnel tinham uma certa umidade, o que demonstrava que o local tinha alguma fonte.

Além disso, o chão do túnel era feito de pedras lapidadas e no teto, bem como nas paredes, haviam algumas palavras escritas, em frases, algumas compridas, outras curtas, mas pareciam ter algum significado além.

“Língua Mágica…” Disse Seiryuu aparecendo em sua Forma Espiritual.

“Oh!… Verdade…” Murmurou Le Chang, lembrando-se de que já haviam dito isso a ele.

“Parece ser bem antiga… Algumas palavras eu sei o significado, mas outras não faço a menor ideia…” - Seiryuu.

“Gao Yao, e você? Sabe o que está escrito por todos os lados?” - Chi Ziyun.

“Não… Eu tentei analisar, mas estou igual Seiryuu, apenas algumas palavras eu consigo reconhecer…” - Gao Yao.

“É de alguma língua conhecida?” - Le Chang.

“É meio difícil dizer, existem idiomas demais e obviamente vários tem algumas similaridades…” - Gao Yao.

“Hm… Mas olhem ali, parece que a raça é humanoide…” Disse Chi Ziyun apontando para uma palavra.

“Oh!… Perspicaz… Perspicaz…” - Le Chang.

Chi Ziyun estava analisando não somente as palavras, mas os padrões, bem como o formato das letras.

Ela notou que algumas parecia ter sido feitas no formato de algumas partes humanas, além disso, próximo de algumas palavras, haviam pequenas marcas de dedos, muito parecidos com dos humanos.