Ascensão de um Deus

428 - Um Verdadeiro Lider!

Os dias passaram rapidamente, agora era o décimo sexto dia do terceiro mês do ano

As crianças estavam com quatro anos, apesar de terem nascido apenas a quatro meses.

Le Chang e suas esposas estavam atônitos com crescimento acelerado.

Não só isso, mas conforme elas cresciam, suas forças aumentavam muito.

Com apenas quatro meses, os quatro já haviam atingido o Pico do Dao da Integração, não só isso, mas seus corpos apresentaram várias alterações.

Le Li, Le Huon, Le Kun e Le Liang, os quatro tinham Linhagens em seus corpos, mas diferente das pessoas normais, eles tinham mais de uma linhagem.

Le Liang era filha de Chi Ziyun, ela tinha dentro de si a Linhagem da Vida, a Linhagem do Deus Demônio e a Linhagem do Deus Dragão, não só isso, mas a Energia Dourada corria em seus corpos, ocasionando o rápido amadurecimento das crianças.

Ela era naturalmente extrovertida, ela e seu irmão Le Huon eram hiperativos demais e enlouqueciam a todos com suas brincadeiras. Le Liang era amorosa e meiga, gostava de conversar com todos, ela falava com Bai Chen e Ras Liang como se fossem amigos, ignorando o fato dele ser um Demônio e ela uma Vampira. Além disso, ela foi a primeira a fazer Gao Yao e Seiryuu como pôneis, isso já dizia muita coisa.

Le Li, filha de Min Jia, tinha dentro de si a Linhagem do Deus Dragão e do Deus Demônio, bem como a Linhagem da Energia Mental e como sua irmã, também tinha a Energia Dourada.

Ela era sábia, um pouco tímida como a mãe, mas quando estava com sua família, era uma pessoa bem animada e brincalhona, além disso, era claro que sua mente era muito desenvolvida, afinal era comum ver ela lendo alguns livros. Ela ocasionalmente ia até seu pai lhe perguntar algumas coisas, que respondia todas com o maior prazer.

Já Le Kun, filho de Wuhan Xie, herdou a Linhagem do Gelo Divino e as duas Linhagens Divinas de seu pai e como suas irmãs, a Energia Dourada também corria em seu corpo.

Ele era calmo, sua personalidade era normal, na realidade ele tinha uma grande capacidade adaptativa, sabendo conversar com anciãos, crianças, jovens e adultos. Le Kun era capaz de mudar sua forma de pensar e falar para se adequar aqueles à sua volta, sua capacidade de comunicação era absurdamente alta.

Le Huon, filho de Lian Mei, além de ter as Linhagens Divinas advindas de seu pai, também tinha a Linhagem da Fênix Divina.

Ele era como Le Liang, não parava quieto um minuto e gostava de pregar peças, ele e sua irmã viviam correndo pela Seita Dragão, incomodando todo mundo, mas no fim, eles eram crianças amorosas e meigas.

Não faziam distinção entre humanos e Feras Mágicas, além disso, algo incrível era que todos os quatro, sempre que chegavam perto de alguma Fera, elas naturalmente se acalmavam.

Em um momento, os quatro escaparam dos olhos de seus pais e foram escondidos para as Montanhas repletas de Feras Mágicas no Dao do Espírito e Integração.

Quando Le Chang percebeu o sumiço, devido a estar imerso nas questões da Seita e também lidando com as mudanças no plano devido ao atraso, ele imediatamente foi até lá.

Porém, assim que chegou, viu os quatro no meio de um grupo de Leões.

Os leões eram imensos, tendo quase seis metros de altura, suas unhas poderiam quase transpassar o corpo das crianças de cima a baixo, no entanto, lá estavam elas, brincando como se eles fossem meros gatinhos.

Le Liang fazia algumas árvores crescerem em suas mãos até o ponto em que frutas começavam a aparecer e então dava para os animais, apesar deles serem carnívoros.

“Vocês querem matar o pai de vocês do coração?” Disse Le Chang fazendo cara de sério.

“Mas são gatinhos pai…” Disse Le Liang fazendo beicinho.

“Eles são bonzinhos… Além disso, eles não conseguem machucar a gente!” Disse Le Huon estufando o peito.

“Oh!… E porque você diz isso garoto?” Le Huon se assustou quando viu Lian Mei ao lado dele, os olhos dela ardiam em chamas.

“A gente é mais rápido que eles…” Disse Le Li que estava ali perto encostada em uma árvore, como se nada daquilo fosse com ela.

“Eles são Feras no Dao do Espírito… Como vocês podem ser mais rápido que eles?” Disse Wuhan Xie com os braços cruzados na frente do corpo.

“Eu vou mostrar! Eu vou mostrar!” Gritou Le Huon pulando animadamente.

Ele foi até um dos leões e olhou nos olho dele, o Leão pareceu entender o que ele queria dizer e ambos ficaram um do lado do outro.

No instante seguinte, Le Liang pulou para o alto animada e gritou: “Já!”

O Leão e Le Huon dispararam, tão rápido que quebraram a barreira do som, deixando Le Chang, Wuhan Xie, Lian Mei e Chi Ziyun que havia acabado de chegar, boquiabertos.

Le Chang suspirou, realmente, eles eram mais rápidos.

Apesar das crianças ainda não terem adentrado no Dao do Espírito, apenas as capacidades corporais eles era suficiente para escapar de alguém no Dao do Espírito.

Porém, ele não podia deixar as crianças fazerem o que quiserem, sendo assim, ele apareceu ao lado de Le Huon que a essa hora estava longe dali e o agarrou pela roupa.

“Nós teremos uma conversa…” Disse Le Chang.

“Glup!…” Engoliu seco o menino.

Normalmente Le Chang era amável e muito tranquilo, quem dava mais cascudos eram as meninas, mas quando ele ficava sério, ninguém ficava perto.

Le Chang se moveu pelo espaço e apareceu novamente onde estavam as crianças, em suas mãos ele segurava Le Huon pelas roupas.

“Vocês três… Comigo…” - Le Chang.

As crianças ficaram cabisbaixas, mas foram até o seu pai que rapidamente desapareceu através do espaço com as crianças.

As meninas olharam em uma direção e um leve brilho passou em seus olhos, e no instante seguinte elas desapareceram pelo espaço, voltando aos seus afazeres, deixando seu marido cuidar da situação.

………………………….

Longe dali, algumas pessoas apareceram flutuando acima de um local.

“Olhem…” Disse Le Chang apontando para baixo.

O solo do local era extremamente esburacado, era possível ver construções destruídas, carruagens e todo o tipo de entulho estavam ali.

Ao longe era possível ver um local onde outrora estava uma montanha.

As crianças olharam para o solo e entenderam.

“Papai… Foi aqui que o vovô Le Shen morreu?” Disse Le Liang.

“En… Venham, me sigam…” Le Chang começou a descer até seus pés tocarem o solo, as crianças seguiam logo atrás.

“Esse local foi onde eu nasci… Minha infância eu vivi aqui… Foi onde meus pais me ensinaram a ser quem eu sou hoje… Era um local tranquilo… Tinha seus problemas como qualquer comunidade, mas no fim todos se ajudavam…” Ele falava enquanto pegava um punhado da terra carbonizada.

Eles continuaram andando em silêncio até chegarem em frente a um arco em ruínas, no local era possível ver uma placa quebrada que antes dizia Clã Le.

“Essa é a primeira vez que eu venho… Desde que meu pai morreu…” Disse Le Chang.

As crianças olharam para o seu pai, ele sempre demonstrou ser forte e poderoso, mas agora era possível ver lágrimas escorrendo pelos seus olhos.

“Eu trouxe vocês aqui porque quero que vocês entendam algo… O homem que fez isto, fez porque tinha o poder para fazer… Muitas pessoas sofrem por este tipo de pensamento… Vocês fugindo e indo para as Montanhas é a mesma coisa… Vocês podem ter confiança em seus poderes e se acharem invencíveis, mas não é assim que o mundo funciona… Jamais subestime aqueles ao seu redor…” - Le Chang.

Ele foi até a placa quebrada e a pegou em suas mãos, tirando a poeira de cima.

“O avô de vocês morreu como um herói… Ele protegeu a vovó até o último momento de sua vida… Eu sei que vocês tem apenas quatro meses, mas se vocês se acham capazes de ficar no meio de leões, acho que são inteligentes o suficiente para entender o que eu estou dizendo… Certo?” - Le Chang.

“En…” Murmuraram eles de cabeça baixa.

“O papai os ama… Vocês e suas mães são tudo para mim… Meu maior tesouro são todos vocês… Mas vocês precisam obedecer, eu e suas mães não fazemos isso para o mal de vocês, mas é porque já vimos o suficiente para saber que as coisas nem sempre são o que se parecem… Vocês disseram que os Leões eram mais lentos que vocês… Porém, aquele animal é chamado de Leão Sanguinário… Em sua forma normal, eles são tranquilos e amigáveis, até fracos… Mas se sentirem alguma hostilidade ou qualquer stress, entram em um modo insano… A velocidade deles quadruplica… Podem rasgar um adulto ao meio…” - Le Chang.

As crianças engoliram seco.

“Eu não quero privar vocês de terem uma infância, amigos, lazer… Mas quanto antes vocês aprenderem que a vida é feita de responsabilidades, melhor será… Aquela área que vocês estavam, é um local que está sendo usado para o estudo de comportamento selvagem da Seita, aqueles Leões estava constantemente entrando em batalhas até a morte com outro grupo… Há qualquer momento algo poderia acontecer…” - Le Chang.

“Descu… Desculpa papai…” Disse Le Huon baixinho.

Le Chang suspirou.

“Venham aqui…” Disse ele abrindo os braços para as crianças, que foram correndo até ele e o abraçaram forte.

“O papai ama vocês… Por favor, se cuidem… Se querem ir brincar, peçam para mim ou suas mães… Somente se nós deixarmos vocês podem ir… Certo?” - Le Chang.

“Eu prometo papai!” Disse Le Liang pulando no pescoço de seu pai.

“Eu… Eu prometo!” Disse Le Huon ainda cabisbaixo, apesar de ele ter uma personalidade animada, ele era alguém carinhoso e emotivo.

“Eu prometo papai… Não vamos mais desobedecer o Senhor…” - Le Li.

“Papai! Eu prometo!” - Le Kun.

“Muito bem… Vamos voltar, está na hora da janta… E eu soube que a tia Ras Liang ajudou a cozinhar!” - Le Chang.

As crianças se agarram nele, que levou todos de volta através do espaço.

O grupo reapareceu em uma sala de estar, onde Lian Mei, Chi Ziyun, Wuhan Xie e Min Jia estavam sentadas conversando.

Elas rapidamente viraram na direção deles, as crianças correram até elas e as abraçaram forte, pedindo desculpas por terem preocupado elas.

Após algum tempo, elas se soltaram de suas mães.

“Muito bem… Todos para o banho, depois vamos todos jantar juntos… Ah! E vocês vão me ajudar a lavar a louça depois… Já que suas mães cozinharam!” Disse Le Chang para as crianças que foram correndo tomar banho.

“Você é um ótimo pai…” Disse Wuhan Xie aparecendo ao lado de Le Chang e o beijando na bochecha.

Ele se virou e viu suas esposas atrás dele, elas tinham sorrisos amorosos em suas faces.

Le Chang foi até cada uma e deu um beijo lento e apaixonado.

……………………………………………….

O jantar transcorreu bem, as crianças e Le Chang lavaram a louça e depois todos foram para a cama.

Elas eram inteligentes, sabiam que o que seu pai havia feito era para o bem deles, Le Chang em momento algum os bateu ou os colocou de castigo, mas os tratou com maturidade e sabedoria.

Um bom pai não é aquele que barra todos os problemas que chegam até seu filho, é inevitável que ele sofra dificuldades na vida.

O bom pai é aquele que dá as ferramentas para que eles se sobressaiam aos problemas.

Era isso que Lin Bo e Le Shen haviam feito com Le Chang, eles haviam lhe dado conselhos, mas deixaram ele tomar suas decisões por si mesmo, afinal, ele um dia deveria trilhar a vida sozinho, um dia ele teria sua própria família, a qual ele deveria cuidar e proteger.

Era importante impor limites, mas existe uma grande diferença entre impor limites de forma amorosa e de forma ditatorial.

Um bom líder é aquele capaz de resolver conflitos sem o uso da força ou do aumento do tom de voz, que consegue manter-se tranquilo em meio ao caos e se levanta no meio da tempestade, encorajando todos a continuarem remando.

No fim, esta foi a primeira e última conversa que Le Chang precisou para que seus filhos mudassem seus comportamentos.

No fim eles eram geniais e sabiam bem o que haviam feito, bem como as intenções de seu pai e mães.