Ascensão de um Deus

420 - Bai Yazhu

Há muitos e muitos anos, uma era onde ainda reinavam imponentes os Deuses da Existência, conhecidos como o Deus Dragão e o Deus Demônio, algo ocorreu.

 

O ataque a filha do senhor que protegia Le Chang havia ocorrido há mais de duzentos milhões de anos.

 

O Planeta era da mais alta Classe daquela época, sendo assim, não havia somente o idoso com grande força no local e quando eles tentaram combater o exército, tiveram êxito em ferir fatalmente o Patriarca do Clã Demoníaco Bai.

 

O idoso era chamado de Xiuyin Hong e com a ajuda de seus fiéis compatriotas conseguiu levar a vida de um Demônio de Alta Classe.

 

Todavia, vendo o fim aproximando-se, Bai Yazhu optou por usar uma técnica proibida, na qual ele usou o que restava de sua vida para o transportar para algum local aleatório do Reino Mortal.

 

Assim que o fez, ele apareceu no espaço fora de um Planeta.

 

O local tinha uma linda fauna e flora sobre ele.

 

Seu corpo estava um caos, havia perdido um braço inteiro, arrancado diretamente de seu ombro, o outro estava cortado na altura do cotovelo.

 

Em seu peito havia um imenso buraco, suas duas pernas foram decepadas logo abaixo do joelho, seu crânio estava afundado e ele estava literalmente à beira da morte.

 

Bai Yazhu fechou seus olhos e controlou o seu Núcleo de Qi Demoníaco, ele então conjurou mentalmente, fazendo uso das suas últimas forças, uma das mais poderosas formações do Clã Demônio.

 

‘Habilidade Demoníaca: Controle da Reencarnação do Deus Asura!’

 

Ao pronunciar essas palavras, seu corpo explodiu, seu Núcleo de Qi foi em direção ao planeta como um meteoro e colidiu com o solo de um Continente, na época duas vezes maior que o Supremo Continente Shiang do Planeta Plumas ao Vento.

 

A colisão fez o continente ser dividido em duas partes.

 

Maremotos imensos varreram uma boa parte do planeta e nuvens de cinzas baniram a luz do local.

 

Então, nas profundezas daquela terra, uma Aura de Morte começou a crescer, ao mesmo tempo, dezenas de formações apareceram ao redor da área.

 

O pouco de vida que restou da explosão começou a ser absorvida e transformada em pura força para a Formação.

 

Porém, devido as cinzas, o que ocasionou a falta de luz solar e consequentemente a fotossíntese das plantas, fez toda a Flora ao redor do local ter seu fim o que levou a destruição da fauna na região.

 

Com apenas alguns meses o local já era um deserto e poucas áreas do Planeta tinham seres vivos.

 

No entanto, para a sorte ou azar de todos, ainda havia uma grande quantidade de vida microbiana e alguns animais que conseguiram sobreviver por mais tempo, dessa forma a Formação começou a liberar gases que atraiam estes seres e acabavam tendo suas vidas sugadas.

 

Com isso a formação se manteve por quase um milênio, até que o planeta estava em seu limite.

 

Nesse momento a Tumba Demoníaca já havia tomado quase um terço do planeta.

 

Então, um cultivador poderoso, muito acima do Dao do Supremo Santo passou pelo local.

 

Ele foi um dos que ajudou a matar o Demônio, que ao ver a fuga do mesmo, não descansou em sua busca do local dos últimos momentos do seu oponente.

 

Quando enfim encontrou, viu a situação do local e ficou surpreso.

 

Diferente de Gao Yao ele não sabia o que era e pensou que era alguma Habilidade Marcial, dessa forma o homem atacou milhares e milhares de vezes a Dimensão, mas está se provou inabalável.

 

Mesmo os seus maiores golpes mal arranhavam as formações.

 

Após ter a sua disposição quase mil anos para sugar a Energia da Vida do local, tempo suficiente para fortalecer além do normal, era óbvio que a Tumba estaria em um nível colossal.

 

O homem então desistiu de usar a força bruta e tentou estudar a Dimensão, ele tentou procurar falhas ou uma forma de adentrar no local.

 

Em sua cabeça Bai Yazhu estava se recuperando dentro do local e tudo não passava de uma imensa barreira defensiva.

 

No entanto, ele não conseguiu nada demais e após décadas de estudo, apenas chegou a um método de frear o avanço da Barreira.

 

Este homem também estava em seus últimos anos de vida, afinal o Exército havia atacado quando ele tinha idade avançada e isto havia sido a quase mil anos, dessa forma, só lhe restavam duzentos anos antes de sua iminente morte.

 

Sabendo disso, o homem plantou uma floresta e colocou uma imensa quantidade de vida no planeta novamente, ele também trouxe os poucos familiares que lhe restaram do ataque e os fez morar no local.

 

Porém, a informação do local misterioso era um segredo, sendo assim, próximo a sua morte, ele usou o que lhe restava de poder e Energia Vital para atacar com tudo a barreira, forçando a formação a recuar para o tamanho de um Supremo Continente.

 

Ele usou os últimos segundos que lhe sobraram e ativou várias formações no manto do Planeta, capazes de trazer a vida de volta para o Planeta.

 

Dessa forma os anos se passaram, seus descendentes deram vida ao Império Kar, mas as histórias da antiguidade há muito tempo se perderam.

 

O local da tumba era incerto e nem mesmo Kar Zan, o atual Imperador do Planeta, sabia de sua existência.

 

O motivo era simples, o Planeta tinha dimensões estelares, ele era, pelo menos, vinte vezes maior que o Planeta Plumas ao Vento.

 

Além disso, com medo de que seus descendentes acabassem morrendo e tendo suas vidas sugadas, o Antepassado do Império Kar conjurou poderosas barreiras ilusórias ao redor do Supremo Continente tomado pela tumba.

 

Se alguém tentasse sobrevoar o local, seria iludido, tendo seu discernimento de espaço e tempo distorcidos, fazendo com que ele fossem forçados a contornar o Supremo Continente.

 

O local onde Le Chang e Chi Ziyun apareceram, era uma pequena porção de terra que o Antepassado havia conseguido proteger, criando um local repleto de vida.

 

Ali era o centro da formação que impedia o avanço da Tumba Demoníaca, no fim, foi pura coincidência eles serem transportados para aquele exato local.

 

De qualquer forma, o interior ainda era uma incógnita.

 

No entanto, como o próprio nome já dizia, a Habilidade Demoníaca era algo que buscava a Reencarnação.

 

O Demônio colocava seu Núcleo de Qi em um estado congelado, onde ele mantinha-se vivo através da absorção de vida.

 

A Formação transformava a Energia da Vida em Energia da Morte, algo que é importante compreender é o fato de que não se trata da Energia Yang ou Energia Yin, mas de coisas mais primordiais.

 

Ao fazer isso, o Demônio que usa o oposto da vida para existir, podia manter-se em um estado de pseudo vida.

 

A intenção era continuar existindo até que algum outro Demônio o ressuscitasse ou que a Formação encontrasse um corpo poderoso o suficiente para comportar a Alma e o Espírito de um Demônio.

 

De qualquer forma, esta era a realidade sobre este local, a Tumba de um Demônio de Alto Nível, o Patriarca do Clã Demoníaco Bai, conhecido como Bai Yazhu.

 

….......………………

 

“O que tem nesta Tumba?” - Chi Ziyun.

 

“Bom… Normalmente o Castelo Espiritual do Demônio é invocado no centro da formação… Alguns colocam autômatos para proteger o local e para capturar possíveis pessoas para serem possuídas pela Alma e Espírito do Demônio…” - Gao Yao.

 

“Então é como o Castelo do Cemitério das Eras?” - Le Chang.

 

“Não… Lá havia desafios impostos de forma consciente pelo criador… Aqui apenas existe o Castelo, deve ter algumas armadilhas e guardas, mas nada tão complexo como o do Cemitério das Eras…” - Gao Yao.

 

“Quem era mais forte? Entre o homem do Cemitério e o Demônio desta Tumba…” - Chi Ziyun.

 

“Difícil dizer… Para ser capaz de invocar a Formação e pelo estado das coisas no interior, diria que ela já está aqui há alguns milhões de anos… O Cemitério das Eras parece ter menos tempo de existência, mas a complexidade da Formação é muito maior que está aqui… Porém, acredito que eles deveriam ter forças muito próximas…” - Gao Yao.

 

“Tem algo que possamos tirar de útil deste local?” - Le Chang.

 

“Não sei… Cada Demônio decide o que ficará dentro de sua Tumba… Não tem como saber o que tem aqui… Além disso, por mais forte que seja, não sabemos se ninguém nunca adentrou aqui… Eles podem já ter levado tudo de bom…” - Gao Yao.

 

“Vocês dois têm que ter cuidado… Este local é como o estômago da morte… Controlem a Energia da Vida ao seu redor e a Energia Yang, impedindo que sejam destruídos…” - Seiryuu.

 

“En!” - Le Chang.

 

Dessa forma, os dois começaram a explorar o local.

 

O solo era apocalíptico, como se uma guerra sem fim houvesse iniciado ali.

 

As árvores eram apenas fósseis das eras antigas, o solo rachado e seco, bem como a falta de oxigênio, tornavam a vida impossível ali.

 

Os Qis também não mostravam presenças, era como se esse local fosse um canto isolado do resto da Existência, a presença de Fluxos Energéticos era inexistente, ou seja, o local se mantinha apenas pela corrupção da Energia de Vida em Energia da Morte.

 

Então, após algumas horas de caminhada, ambos encontraram um grande vale.

 

No local haviam algumas estátuas.

 

Elas vestiam armaduras negras e tinham quase trinta metros de altura, seus olhos eram buracos negros e era possível ver uma expressão de ódio.

 

As estátuas destoavam da paisagem árida.

 

Os dois analisaram a área e após não identificar a presença de nada estranho, foram até a base das estátuas.

 

“Tem ideia do que seja?” - Le Chang.

 

“Não…” - Gao Yao.

 

“Parece algum tipo de altar… Olhem ali…” - Chi Ziyun.

 

Ela estava apontando para uma mesa de mármore negro entre duas estátuas.

 

Elas estavam dispostas em uma meia lua e cada uma estava em uma posição diferente.

 

Algumas seguravam livros, outras lanças, espadas, escudos, cajados e arcos.

 

“Ela tem razão… Mas altar do que?” - Seiryuu.

 

“Será que alguém já pisou neste local?” - Le Chang.

 

………………………………………………….

 

Enquanto isso, na Seita Dragão, Ras Liang estava dentro de uma sala, cultivando diligentemente.

 

A sua frente flutuava dez esferas de Sangue Demoníaco, advindos de Bai Chen, quando outrora ele entregou para Le Chang.

 

Este último havia utilizado duas naquele momento e depois mais quatro, sendo assim, sobraram quatorze gotas de sangue.

 

Ele optou por dar para Ras Liang, sendo ela uma Vampira de Sangue Puro, este Sangue faria grandes mudanças em seu poder.

 

Sendo assim, sem pestanejar, ela abriu a boca e engoliu as dez gotas.

 

Ela arregalou os olhos ao sentir uma queimação colossal em seu estômago.

 

Seus Canais de Qi e Meridianos pareciam rasgar-se, sua pele começou a trincar, como um espelho sendo quebrado.

 

Ao mesmo tempo, Bai Chen abriu abruptamente seus olhos, quando sentiu o seu Sangue próximo dele.

 

Porém, assim que isto ocorreu ele sentiu um poder subindo por todo seu corpo.

 

Ele abriu seus braços, ainda sentado em posição de lótus, abriu sua boca e lançou um rugido colossal.

 

Lentamente ele começou a assumir sua verdadeira forma.

 

Um homem de três metros, pele vermelha, olhos negros, chifres e escamas por todo o seu corpo, garras e presas imensas, bem como uma Aura de Morte.

 

Sobre sua cabeça, uma Esfera de Energia Yin se formava, Bai Chen abriu sua boca e engoliu ela por completo, ao fazer isso, seu corpo estremeceu.

 

Sangue começou a escorrer de sua boca, ouvidos, nariz, olhos e também de sua pele, devido ao poderoso ímpeto da Energia, forçou um rompimento dos capilares sanguíneos sob a pele.

 

Porém, no instante seguinte uma Aura Demoníaca, tão poderosa que parecia a encarnação do mal fazendo sua aparição, permeou todo o local.

 

Ela rapidamente se expandiu e não demorou mais que algumas respirações para que todo o Planeta Plumas ao Vento fosse tomado por esta presença, a de um Demônio de Alto Nível ascendendo para o Dao Santo.

 

 

Enquanto isso, Ras Liang sentia o poder crescendo ainda mais dentro de seu corpo e seu cultivo avançou até o 2º Grau do Dao Santo, além disso, ela despertou diversas memórias sanguíneas e habilidades inatas foram destravadas.