Ascensão de um Deus

395 - Visitando a Seita Fênix

Le Chang moveu-se pelo espaço e não demorou muito para chegar ao Continente Song, na Seita Fênix.

Ao chegar na ilha ele passou os olhos pela barreira e não precisou fazer rasgo algum nela.

Diferente de Lin Yang que precisou abrir uma fissura, Le Chang apenas atravessou pelo espaço, de forma que a barreira não o impediu em nada.

Dessa forma, ninguém foi alertado e o jovem lentamente foi flutuando sobre o terreno.

Ele olhou em volta e com seu Sentido Divino sentiu toda a ilha, todas as pessoas, bem como a presença dos Supremos Anciãos, porém Fan Guan não estava ali.

"Hm… Ele parece estar naquela Dimensão…" Murmurou ele, que rapidamente se moveu pelo espaço e foi para a Floresta que foi feita a Segunda Etapa da Reunião dos Três Continentes.

Não demorou muito e ele achou o lugar com o miasma e diferente da última vez, quando precisou fazer uso de imensas quantidades de Energia Yang, agora ele simplesmente entrou no miasma.

Apenas a Aura que emanava de seu corpo era o suficiente para impedir o miasma de tocar até suas roupas.

Então, alguns segundos depois, Le Chang chegou a pia com água, local onde estava a plataforma de teletransporte.

'…. Não foi ele que criou essa Dimensão… nem mesmo meu avô…. Eles são fracos demais para fazer isso, nem mesmo Qong Wei tem a habilidade de criar uma dimensão estável…' Disse ele para Seiryuu e Gao Yao.

Estes dois rapidamente apareceram na sua Forma Espiritual e olharam para o chão do local, vendo facilmente o complexo círculo mágico.

'Parece que havia um portal aberto para uma outra dimensão neste lugar… Provavelmente, Lin Yang e Fan Guan criaram um círculo mágico poderoso para selar o portal e não deixar ele a vista…' - Seiryuu.

'Hm… Faz sentido.... Mas desde quando alguém neste planeta tem a capacidade de criar uma Dimensão?' - Le Chang.

'Vai ver outrora existiu alguém poderoso por essas redondezas, não é raro esses monstros se esconderem em locais mundanos para cultivar em paz…' - Gao Yao.

'Entendo…' - Le Chang.

Ele então tocou na água da pia e rapidamente foi levado para a outra Dimensão, que tinha ilhas flutuantes e cachoeiras com dezenas de milhas de altura.

Com um piscar de olhos, Le Chang aparecer no antigo Castelo do local e viu Fan Gan deitado na grama dormindo.

Assim que o jovem chegou, o Leão se moveu rapidamente e se transformou em sua forma humana.

"Quem ous…" Fan Guan não terminou a frase ao ver quem era.

"Le Chang?!!" - Fan Guan.

"Olá… Como o Senhor está?" - Le Chang.

"Ótimo.... Mas e você… Seu cultivo… Meu Deus… Seu cultivo…" - Fan Guan.

Um sorriso apareceu nos lábios do jovem.

"1º Grau do Dao Santo…" - Le Chang.

A boca de Fan Guan se abriu e seu queixo parecia que tocaria o chão.

"Faz pouco tempo… Ainda estou me acostumando com essa nova força…" - Le Chang.

Apesar do choque inicial, os dois conversaram por algumas horas.

"Bom… Meu objetivo aqui é simples… Acredito que o Senhor está por dentro das questões da Seita Dragão, não é mesmo?" - Le Chang.

"Claro, Wuhan Xie, Lian Mei, Chi Ziyun, Min Jia e Lin Bo estiveram aqui para falar comigo…" - Fan Guan.

"Sim… Bom, a questão é a seguinte, atualmente estamos enfrentando a possibilidade de uma invasão, eu não tenho o tempo exato que ocorrerá, mas é um fato que acontecerá… A Galáxia Leão sempre teve interesse em nossa parte do espaço… De qualquer forma, da última vez que nos atacaram, eles não conseguiram grandes ganhos e foram expulsos, mas desta vez será diferente… Meu medo é que como da outra vez, o Planeta Plumas ao Vento seja fortemente atacado e isso não será algo bom para nós, sendo assim, meu objetivo é unir todo o planeta, em uma só força, para que quando eles chegarem, nós estejamos organizados e não perdidos em meio ao caos do confronto…" - Le Chang.

"É um objetivo grande… Você sabe né?" - Fan Guan.

"Claro que eu sei.... Mas é essa a graça, onde está a alegria da vida sem desafios?" - Le Chang.

"Hahaha! Você está certo…" - Fan Guan.

"Além disso, algumas pessoas já vieram falar com o senhor sobre as Fábricas de Moedas, certo?" - Le Chang.

"Sim, a um dia veio um grupo…" - Fan Guan.

"Ótimo, bom o Continente Song e Xon são muito maiores que o Continente Zao e possuem um número muito maior de matéria-prima… Nossa ideia é abrir algumas Fábricas em todos os Continentes… Por isso precisamos da ajuda do Senhor e da sua diplomacia… Antes da Seita Dragão, a Seita Fênix era a maior força nos três continentes, sendo assim, sua palavra tem grande peso. Por isso, eu gostaria que em conjunto com Lion Po da Cidade Lion, o senhor e mais alguém de sua escolha do Continente Xon, formassem um conselho para a Organização de Cidades Mineradoras… A ideia é fazer um controle da produção e outros pontos…. Precisamos ter um bom conjunto de regras, para o trabalhador e para as minas…" - Le Chang.

"Sem problemas… Ajudarei sim…" - Fan Guan.

"Ótimo, nós precisamos que o Senhor escolha essa pessoa em uma semana no máximo, depois disso, nós temos um plano territorial para os dois Continentes, buscando as melhores áreas para construção das Fábricas e demais infraestruturas necessárias…" - Le Chang.

"Ótimo… Só tem um problema, não posso deixar minha Seita desprotegida…" - Fan Guan.

"Não se preocupe com isso, trarei cinco pessoas no Dao da Purificação, pelo menos, de 8º Grau para fazer a segurança… Além disso, eu posso vir aqui em instantes se necessário…" - Le Chang.

"Sendo assim, conte comigo…" - Fan Guan.

"Ótimo… Ótimo… Além disso, eu gostaria de saber se o Senhor permite que eu leve Tou Ning e Hu Jiao comigo… Como eu disse anteriormente, o perigo é iminente, sendo assim, eu gostaria de proporcionar a chance de crescimento para aqueles próximos a mim… Elas são amigas importantes e minha mãe e esposas gostam das duas…" - Le Chang.

"Por mim está tudo certo… Se você quiser as ver, elas estão na casa delas…" - Fan Guan.

"Certo… Eu manterei contato com o senhor através de alguns representantes, já que tenho algumas coisas urgentes para resolver…" - Le Chang.

"Sem problemas…" - Fan Guan.

Le Chang se despediu do homem e se mesclou ao espaço, desaparecendo da dimensão rapidamente.

Após isso, ele fez seu caminho para o local de moradia das duas meninas.

Le Chang bateu a porta calmamente e quem atendeu era Tou Ning, segurando uma colher de madeira, um avental cheio de farinha.

"S… Se… Senhor Le Chang!!!" Exclamou ela surpresa.

Não demorou muito e Hu Jiao apareceu, do mesmo jeito que sua namorada.

"Le Chang!" - Hu Jiao.

"Olá!" Disse ele sorrindo.

"Entre… Entre…" Disse Hu Jiao puxando ele para dentro da casa.

Alguns segundos depois, Le Chang sentou em um sofá, Tou Ning e Hu Jiao sentaram em outro, de frente para ele.

"É uma alegria ver vocês novamente… Ambas estão a Meio Passo do Dao da Alma… Isso é ótimo…" - Le Chang.

"Hehehe.... Mas que estranho, não consigo sentir nada vindo de você…" Murmurou Hu Jiao.

"Desculpe… É que a pressão do meu cultivo pode ser prejudicial para vocês…" Ao falar isso, ele deixou uma pequena fração de sua presença, deixando elas perplexas ao perceberem que Le Chang era milhares de vezes mais forte que o Patriarca Fan Guan.

"Estou no 1º Grau do Dao Santo…" - Le Chang.

"Dao Santo?!" - Tou Ning.

"En!" - Le Chang.

Após uma leve comoção, as duas acalmaram seus ânimos e conversaram tranquilamente com Le Chang, ao meio dia, ele almoçou com as duas, durante a tarde foram no pátio, onde tomaram chá e conversaram, já no entardecer, após tomarem um chá com aperitivos, Le Chang se despediu delas, mas não antes de as fazer o convite.

Ele explicou para elas a situação e quão grande era o perigo que sobrevinha em pouco tempo.

"Vejam bem… Minha ideia é simples… Eu estou reunindo um pequeno grupo de pessoas, confiáveis, para as levar até a Cordilheira da Ascensão Espiritual, lá nós temos salas de cultivo muito fortes, de maneira simples, as salas mais simples têm uma quantidade de Qi cinco vezes maior do que onde vocês duas treinam…" - Le Chang.

As duas ficaram perplexas.

"O perigo é grande, além disso, minha ideia é criar uma integração entre as Seitas e os poderes já existentes… O objetivo da Seita Dragão não é nos tornarmos ditadores, mas governantes justos e sábios…" - Le Chang.

"Nós entendemos…" - Tou Ning.

"Primeiramente mudamos completamente o sistema financeiro, alterando a moeda e as formas de comércio… Também fizemos um sistema mais estável, já que podemos controlar de forma satisfatória a maioria das variáveis… Nossa ideia agora é criar um sistema de organização, terminar com a discriminação entre os Continentes e tornar a vida dos Cultivadores e não cultivadores mais calma… Nós não queremos alterar a forma do Caminho Marcial, mas proporcionar a opção de um convívio mais pacífico…" - Le Chang.

O Caminho Marcial sempre teve a imagem de ser sanguinário e recheado de atrocidades, mas quem disse que isso era o caminho natural dele?

O Dao Marcial surgiu da união da Vida e da Morte, é como uma arma, dada pela Morte a Vida, para que ela pudesse lutar contra sua oponente.

Mas era isso, não para lutar contra seus amigos, conhecidos, por poder mundano e por objetivos egoístas.

Le Chang não queria alterar o sistema e tornar tudo um lugar utópico, isso é irreal e impossível, o livre-arbítrio é sagrado e mesmo Deus não tem poder de o alterar, do contrário, a Vida perde sentido. A liberdade de escolha, a capacidade de decidir os passos de sua vida é o que lhe torna um indivíduo, que o torna singular e único.

Isso quer dizer que Le Chang não ia transformar todos em cordeiros treinados, mas que traria a justiça novamente para a Existência.

Para ele e suas esposas, o ponto fatal era este, reviver a justiça. Porém, tentando ao máximo exilar a hipocrisia, a justiça é cega, ou seja, ela não diferencia as pessoas.

"Todos os lugares são governados pela força e poder.... Porém, nós queremos trazer um sentido para tudo isso…. Trazer de novo o significado do Caminho Marcial…. As lutas e guerras serão inevitáveis, afinal o livre-arbítrio é uma faca de dois gumes, mas é necessário para o funcionamento do todo…" - Le Chang.

As duas ficaram surpresas com a profundidade dos pensamentos de Le Chang e uma grande inspiração permeava as palavras do garoto, como se cada frase, cada sílaba, não fossem ditas por um mortal, mas por um Deus.