Ascensão de um Deus

383 - Aura Extremamente Poderosa

Dia dez do sexto do mês.

Le Chang já havia respondido um bocado de perguntas, porém o nível mais alto da biblioteca ainda não havia sido destravado.

Mesmo respondendo perguntas de Nível Extremo, o último andar parecia conter segredos que não podiam ser revelados.

No entanto, isso não o desanimou, mas o instigou a continuar em frente.

Então, cinco dias depois, ao terminar de responder sua vigésima pergunta extrema, um leve tremor fez o local balançar.

O último andar da biblioteca brilhou intensamente e as formações defensivas se desfizeram, no instante seguinte, todos os outros andares foram selados novamente, somente o último ficando acessível.

Le Chang flutuou até ele e assim que seus pés pisaram no local, as prateleiras tremeram e emitiram vários raios de luz multicolorida.

"Mas… O que?" Murmurou Le Chang quando viu que todos os livros desapareceram e apenas um cilindro metálico havia ficado.

'Era tudo uma ilusão?' - Le Chang.

'Oh!… Interessante…' - Seiryuu.

Ele então foi até o objeto e o pegou, abrindo a tampa ele viu um rolo de pergaminho o qual ele rapidamente retirou para ler seu conteúdo.

"Vinte Perguntas de Nível Extremo Respondidas! Esses são os requisitos para passar neste Teste! Como prêmio, você receberá o Globo, os prêmios obtidos com suas respostas são seus, além disso, você receberá o Cilindro da Tempestade Eterna." Enquanto lia em voz alta, o cilindro que antes guardava o pergaminho, brilhou intensamente, o que era um simples cilindro, rapidamente se transformou.

Ele era cinza escuro e haviam dezenas de raios azuis sobre o metal, como se um raio tivesse sido aprisionado em seu exterior.

Ao olhar para dentro dele, Le Chang viu que uma pequena quantidade de fumaça lentamente se formava no interior e ocasionalmente alguns raios e gotas de água apareciam.

'Isso é um objeto interessante…' - Le Chang.

'É como uma Placa de Invocação… É possível colocar formações em pergaminhos e, com os materiais certos, criar algo capaz de invocar uma Habilidade Marcial. A função deste objeto é a mesma, mas em um nível muito maior do que visto em um mísero lugar como o Planeta Plumas ao Vento. Este tipo de objeto é algo visto apenas em Planetas de Classe A e acima… Como o próprio nome já diz, este Cilindro tem a capacidade de conjurar uma Tempestade, a palavra Eterna significa que ele pode ser utilizado quantas vezes você quiser, desde que tenha Energia suficiente para o ativar, diferente dos pergaminhos que precisam serem rasgados para que ocorra a sua ativação.' - Gao Yao.

'Entendo…' - Le Chang.

'No momento, a Tempestade ai dentro é fraca, no máximo faria uma chuva em uma pequena cidade… Mas ele absorve Qi do seu entorno sozinho, sendo assim, se você deixar o Cilindro se fortalecerá cada dia mais… Acredito que dois meses carregando seja o suficiente para causar um dano considerável em alguém no Dao do Esclarecimento, em seis meses você provavelmente mataria qualquer ser no Dao do Esclarecimento… No entanto, a graça dessa arma é que você pode acelerar o processo… Pense, se você colocar isso na Cordilheira da Ascensão Espiritual, em um ano essa tempestade será forte o suficiente para cobrir todo um Supremo Continente e trazer chuva, raios e ventos por um ano inteiro sobre o local…' - Seiryuu.

Realmente era um objeto versátil.

Le Chang sorriu, o Cilindro da Tempestade Eterna realmente seria útil.

Ele então guardou o objeto em seu Anel de Armazenamento, bem como o Globo e assim que guardou este último viu uma porta se abrindo quando uma parte da biblioteca desapareceu, dando lugar a um túnel.

Le Chang calmamente fez seu caminho, até que após algumas horas de caminhada, se deparou com um grande portão a sua frente, nele haviam Sete Fechaduras, todas estavam abertas.

'Portão Espiritual…' - Le Chang.

Porém, assim que ele estava para chegar perto, um imenso círculo mágico apareceu, do qual surgiu um autômato de vinte metros de altura, segurando um machado verde, o rosto de Le Chang escureceu.

"Dao Santo!" - Le Chang.

Em um milésimo de segundo Le Chang trouxe seu Modo Desperto ao pico absoluto de sua capacidade, bem como retirou a Espada Épica de Cinco Refinamentos e o Arco Épico de Sete Refinamentos.

A Aljava em suas costas estava cheia de flechas.

Le Chang desviou a tempo de ver alguns fios de seus cabelos serem arrancados pelo machado que passou rente a sua cabeça.

A onda de choque criada pela passagem do machado foi suficiente para fazer Le Chang recuar dois passos.

O Autômato tinha forma humanoide, mas seu corpo era coberto com uma grande armadura verde.

No lugar de seus olhos haviam luzes verdes, como se seu crânio fosse oco e dentro houvessem lâmpadas.

A pressão que emanava do ser, era suficiente para fazer Le Chang se preocupar, afinal ele ainda estava no Dao Lendário, sua força era algo singular, mas ainda estava longe de ter a capacidade de enfrentar alguém no Dao Santo.

O Salão tinha proporções colossais, seu teto tinha três milhas de altura e raio de cinco milhas.

Le Chang estava no meio do local, atrás dele havia o local por onde ele veio, o qual agora estava fechado, do outro estava o Portão Espiritual deste Castelo, mas entre o Portão e Le Chang, havia um grande desafio à sua espera.

Todavia, o rosto de Le Chang não demonstrava o menor sinal de medo.

Em sua mente um rio de informações passava por seus neurônios.

'Pode de Ataque: 1º Grau do Dao Santo… Velocidade: Pico do Dao Lendário… Inteligência: ????…. Habilidades: ????… Material da Armadura: ????… Material do Corpo: ????… Corpo feito em partes encaixadas através de formações… Comparável a um Escorpião Espacial?… Não, ele não é capaz de teleportar seus membros… Chance de vitória: 70%…  Perigo: Médio!' Os pensamentos de Le Chang quantizavam cada aspecto analisado.

Não era que sua mente funcionava como um computador, mas que ele transformava conscientemente as informações que chegavam a ele, através de seus cinco sentidos naturais e o seu Sentido Divino, em valores e então fazia cálculos de probabilidade.

Com isso ele conseguia chegar a um nível relativamente alto de preparação, sua capacidade de raciocínio era tão grande que ele poderia prever o que ocorreria três segundos no futuro, em um raio de dez metros ao seu entorno.

Pode parecer pouco, mas saber onde cada partícula de poeira estará daqui três segundos, mesmo aquelas a dez metros de você, está longe de ser algo mundano.

Le Chang pulou no ar e o machado passou rente aos seus pés, ele pousou sobre o grande machado e impulsionou seu corpo para trás.

Nesse momento ele se mesclou ao espaço e reapareceu a cem metros na retaguarda do autômato, ele então trouxe o Arco Épico e disparou quatro flechas ao mesmo tempo.

O autômato trouxe o machado em um arco vertical, varrendo completamente as Flechas, mas assim que foram destruídas, elas explodiram.

Duas delas explodiram como um gêiser, deixando uma grande quantidade de água no ar, logo após duas bolas de fogo foram criadas pela destruição das outras duas flechas, criando assim uma espessa névoa no local.

Le Chang não esperou e rapidamente trouxe mais quatro flechas para a corda e a tencionou o máximo que conseguia.

No instante seguinte ele as soltou, uma delas atingiu diretamente o joelho do autômato, outra o ombro direito e a terceira pegou em cheio no tornozelo do monstro, já a quarta acabou sendo destruída pelo machado dele.

A névoa era para atrapalhar a forma como o Autômato se movia e analisava o seu arredor.

O Autômato não era um ser vivo e não tinha olhos para ver, sendo assim, dependia de Formações Sensoriais, que analisavam o espaço ao seu redor e enviavam as informações para a formação que controlava os movimentos do ser, porém, esse tipo de Círculo Mágico tinha a mesma premissa que o Sentido Divino, sendo assim, a presença de grandes quantidades de Qi na atmosfera, unidas ao caos, atrapalhavam significativamente estas análises.

Le Chang não se demorou e rapidamente se moveu a velocidades assombrosas e em um segundo deixou mil golpes com sua Espada Épica no corpo do Autômato, após isso ele rapidamente recuou devido ao impacto do Machado de Batalha em sua Espada.

Ele girou no ar e caiu em pé, mas foi forçado a deslizar, sobre o chão, algumas centenas de metros pelo impacto.

Com um movimento ele novamente atirou mais um grupo de flechas, mas dentre a névoa, uma grande mão veio em sua direção.

O Autômato havia disparado seu punho como uma bala de canhão em direção ao jovem, Le Chang se abaixou, mas neste momento o seu oponente já estava ao seu lado e trazia seu machado em um arco vertical contra a cabeça do garoto.

Le Chang se mesclou ao espaço e desapareceu dali, mas assim que o fez, foi recebido em cheio com o punho do Autômato, fazendo seu corpo se chocar diretamente contra a parede.

O impacto foi tão grande que a parede recebeu várias rachaduras, além disso, Le Chang fraturou algumas costelas, bem como alguns dedos e suas costas receberam alguns danos consideráveis.

Apesar do golpe, Le Chang não se amedrontou e rapidamente desviou quando o Autômato atacava ele, a força do ataque foi tão grande que o machado ficou preso na parede.

No entanto, a força do monstro era colossal e ele arrancou facilmente o machado preso, nesse meio tempo, uma Garra Dourada imensa chegava em direção a sua cabeça.

O Autômato trouxe o machado para se defender, mas sua arma não era algo de nível épico e apenas um objeto feito de um metal resistente com uma grande quantidade de círculos mágicos defensivos e o mesmo podia ser dito de sua armadura.

Sendo assim, com o poder presente neste golpe, algumas rachaduras apareceram no machado.

O Autômato ao voltar a si do impacto foi recebido com cinco flechas.

As flechas se alojaram em suas juntas e explodiram, trazendo consigo uma grande quantidade de gelo.

Le Chang pulou no ar e trouxe sua espada em um arco na diagonal, seu alvo era a base do pescoço do autômato, mas este último concentrou toda sua energia em seu braço direito e conseguiu movimentar a tempo de trazer seu machado para se defender.

Porém o jovem esperava por isso e trouxe sua Espada Épica diretamente em uma das rachaduras no fio, dessa forma, a Arma cortou metade da lâmina do machado, como se fosse faca quente através da manteiga.

Le Chang então fez uso do momento de inércia e girou no ar para frente, caindo com seus pés no ombro direito do autômato, ele então pulou no ar quando a mão do monstro esmagou o local onde ele estava.

Ao fazer isso, Le Chang atacou a junção entre o pescoço e o tronco do autômato, assim que fez isso, liberou uma grande quantidade de Energia Primal, explodindo o círculo mágico que mantinha as coisas unidas, sendo assim, o corpo e a cabeça foram separados, resultando na perda de controle dos membros superiores e inferiores.

Le Chang não perdeu tempo e rapidamente conjurou uma Garra Dourada do Deus Dragão em direção a crânio do autômato que explodiu instantaneamente.

No momento seguinte, um imenso brilho disparou da Sétima Fechadura Espiritual, este brilho rapidamente se tornou em um raio de luz que atingiu o centro do teto do local.

Assim que isso ocorreu, outro raio de luz disparou em direção a Le Chang e este não teve tempo e apenas aceitou que seria atingido.

Então, ele se viu imediatamente em outro lugar.

Ele agora estava em um morro, o chão era coberto por um lindo gramado e havia uma grande quantidade de flores.

O local era pequeno, com não mais do que duzentos metros de raio e ali perto era possível ver uma barreira que cercava todo o local, ela era feita com o próprio espaço, demonstrando que este local era uma Dimensão dentro de outra Dimensão.

No centro do local havia uma oliveira e abaixo dela estava um homem sentado em posição de lótus. Le Chang claramente viu que não era um ser vivo, mas uma consciência.

Assim que Le Chang o viu, o homem abriu abruptamente seus olhos, trazendo a tona uma aura extremamente poderosa, algo que Le Chang jamais havia presenciado.